sexta-feira, 19 de março de 2010

AFROTAÇAS-2010 - Supersport: o novo gigante sul-africano


O SUPERSPORT United, adversário do Ferroviário de Maputo na Liga dos Campeões, é o novo gigante do futebol sul-africano. Nos últimos três anos ganhou igual número de títulos, destronando os históricos Orlando Pirates e Kaiser Chiefs.



A média de idade desta equipa é de 23 anos, e os três anos de sucesso resultam de um trabalho feito a nível da sua academia virada para a prospecção e formação de novos talentos.

O director de futebol, Stan Matthews, já disse que espera que, até 2012, cerca de metade dos jogadores em formação na academia cheguem à equipa principal, que neste momento tem um plantel de grande qualidade.

O clube tem a sorte de possuir dois guarda-redes de bom nível: Emile Baron e Jacob Mokhasi. Na defesa, os centrais Bongani Khumalo, de apenas 23 anos, e Bongani Zulu, internacional sub-20, são os titulares. O lateral esquerdo Rudi Isaacs, também de 23 anos, e Davies Nkasau, 22, na direita, dão a profundidade ofensiva pelas alas que a equipa precisa quando é para atacar.

No lado direito do meio-campo, Thabo Moleko, de 20 anos, tem um ritmo alucinante e é por isso um jogador a ter em conta. O lado esquerdo é comandado por Daine Klate, mas há também Tebogo Langerman, que, às vezes, tem sido chamado a ocupar o lugar de médio esquerdo.

Thandani Ntshumayelo é, aos 19 anos, considerado o patrão do meio-campo e funciona como ponte entre a defesa e o ataque. É um dos craques do campeonato sul-africano.


No ataque, existem Thabo Mongalo e Thulani Ngcepe, jogadores com um futuro promissor e que concorrem para assumir o lugar de Glen Salmon e Umony Brian.

Com uma estrutura de salários nivelado, o clube não está disposto a quebrar a sua política da academia de jovens, que é uma das suas prioridades principais.

AFROTAÇAS-2010 - Moçambicanos já estão no “teatro das operações”


A CONTAGEM decrescente rumo à primeira “mão” dos dezasseis-avos-de-final das Afrotaças-2010 já é uma realidade. Para o Ferroviário, estamos a apenas 24 horas do seu grandioso embate com o Supersport United, da África do Sul, marcado para as 15.45 horas de amanhã, no “Rand Stadium”. Para o Costa do Sol, o seu confronto com os sudaneses do El Amar acontecerá na noite de domingo, a partir das 20.00 horas locais (19.00 de Maputo). Tanto os “locomotivas”, que disputam a Liga dos Campeões, como os “canarinhos”, na Taça CAF, já se encontram no “teatro das operações”, isto é, nas cidades de Joanesburgo e de Atbara, para onde se dirigiram com o objectivo de lutar por um resultado que lhes permita encarar os jogos da segunda “mão”, em Maputo, sem uma grande pressão.



Após ter cumprido uma sessão matinal, o Ferroviário seguiu, ontem mesmo, para a cidade do ouro, prevendo-se que esta tarde efectue o habitual treino de adaptação ao local da contenda. Nas hostes locomotivas, a partida com o tricampeão sul-africano é encarado com muita prudência, tendo em conta a qualidade invejável desta formação, que no seu campeonato teve uma carreira brilhante, particularmente nas derradeiras jornadas, altura em que deixou para trás o seu grande rival Mamelodi Sundowns, o mesmo que dizer, para nós moçambicanos, quando Dário Monteiro se sobrepôs a Dominguez.

Porque Chiquinho Conde não pretende brincar em serviço – aliás, já disse que basta de as nossas ambições se circunscreverem apenas às fronteiras nacionais –, hoje ainda se dará ao tempo de ensaiar vários modelos tácticos e aprimorar aquilo que eventualmente esteja em falta, dado que o seu objectivo é apresentar em Joanesburgo uma equipa altamente competitiva e à altura das exigências que a prova impõe. Em princípio, será uma sessão curta, de cerca de uma hora, pois o “mister” não quererá cansar os atletas.

Espera-se, amanhã, que os “locomotivas” tenham uma grande massa de adeptos, não somente de moçambicanos residentes na vasta cidade de Joanesburgo como também doutros pontos da África do Sul, que certamente não ficarão alheios à passagem por ali do campeão do seu país.

Enquanto o Ferroviário precisou de algumas horas para, por via rodoviária, alcançar o local onde vai defrontar o Supersport United, já o Costa do Sol está a ser sujeito a uma viagem longa e extremamente cansativa. Depois de quarta-feira à noite ter deixado Maputo, passou quase todo o dia de ontem num hotel em Nairobi, a aguardar a ligação para Cartum, ponto a partir do qual seguirá para Atbara.

Em princípio, os “canarinhos” deviam ter efectuado um treino na manhã de ontem, na capital queniana, porém, porque os jogadores estavam visivelmente cansados, João Chissano optou por cancelar essa sessão, na expectativa de hoje realizar dois treinos, um de manhã e outro à noite.

A sessão oficial de reconhecimento do estádio está marcada para amanhã, à hora do jogo, na qual o técnico ainda procurará insuflar nos seus pupilos a importância de se conseguir um resultado positivo, sem que tal seja sinónimo de menosprezo pelo adversário, pois, apesar de ser um desconhecido no quadro da principal nomenclatura do futebol sudanês, o El Amar reúne o maior número de probabilidades de vencer, tendo em conta uma série de situações, com maior incidência para o facto de actuar no seu ambiente e num período (nocturno) não habitual para os moçambicanos.

AFROTAÇAS-2010 - Recuperação de Josimar anima hostes “canarinhas”


APESAR da longa e estafante viagem que está a efectuar, cumprindo o percurso Maputo-Nairobi-Cartum-Atbara, com prolongadas paragens de permeio, o Costa do Sol mostra-se animado face à paulatina recuperação de Josimar, que saiu lesionado do embate de sábado passado, em Blantyre, entre as selecções do Malawi e de Moçambique. Para a satisfação de João Chissano, o “baixinho” já se apresenta em boas condições e é quase certo que deverá alinhar no domingo, diante do El Amal.



Após seis horas de viagem entre Maputo e Nairobi, na madrugada de ontem, os “canarinhos” acabaram por não treinar na capital queniana, tal como estava programado, mas, segundo o “mister”, o facto não constitui motivo de grande preocupação, pois o dia de hoje está reservado a importantes ensaios que o treinador contemplou no seu plano, para além do treino amanhã à noite no estádio onde terá lugar a partida.

Embora esteja a confrontar-se com uma viagem extremamente cansativa, o grupo respira alegria e mantém os meus níveis de confiança na obtenção de um resultado tranquilizador. O adversário é praticamente desconhecido, mas o facto de ter afastado o representante do Ruanda é um dado a ter em conta, para além do factor casa que sempre tem o seu peso.

Mas a grande preocupação nas hostes “canarinhas” continua a ser o ambiente que lhe espera em Atbara, isto é, se será ou não bem recebido, dado que, infelizmente, aqui em África o jogo de bastidores é muito forte, com artimanhas logísticas à mistura, com a finalidade de afectar psicologicamente a turma visitante.

A luz artificial é, igualmente, um dos obstáculos, mas há a consciência nos jogadores de que esta deve ser a primeira barreira a superar, se de facto quiserem sair de Atbara com um resultado que lhes abra portas para resolverem a eliminatória em casa.

O capitão Mambo está ciente de que será um desafio difícil, afirmando que a solução passa por a equipa aceitar o sacrifício e dar o seu máximo.

Quanto ao resultado, Mambo disse que é sempre bom ganhar fora de casa. “Apesar de se tratar de uma situação diferente, vamos fazer valer o princípio de que é possível vencer fora de casa, como fizemos com o Flamingo Santos, do Botswana. Esta vitória criou uma grande motivação entre nós, inspirando-nos cada vez mais para enfrentarmos esta eliminatória com o mesmo afinco”.

Para Atbara, João Chissano leva os seguintes 17 jogadores:

Guarda-redes – Antoninho, Abu e Joaquim.

Defesas
– João Mazive, Kito, Dito, Jonas e Elísio.

Médios – Sanito, Mambo, Payó, Josimar, Ruben e Hilário.

Avançados
– Tó, Pery e Vivaldo.

SALVADOR NHANTUMBO, nosso enviado

A grande maratona futebolística começa amanhã: Bem-vindo, Moçambola!


EIS o momento mais sublime do futebol moçambicano! Eis o momento de o país inteiro, de lés-a-lés, se aglutinar em redor de uma competição que é verdadeiramente o símbolo da moçambicanidade, levando a grande festa do futebol para as cidades e vilas, localidades e vilas mais recônditas deste imenso território. Eis, enfim, o momento de os adeptos do jogo da bola, e não só, jubilarem e viverem ocasiões inolvidáveis, tanto em relação aos seus clubes do coração como aos outros. É o Campeonato Nacional de Futebol! É o Moçambola-2010, que a partir da tarde de amanhã arranca, trazendo consigo as emoções que fazem dele uma prova verdadeiramente apaixonante.



A expectativa é muito grande, ao mesmo tempo que se espera por um campeonato bastante competitivo e com desfecho imprevisível, à semelhança do ano passado, quando a decisão do título somente ocorreu na derradeira jornada. São 14 as equipas participantes, designadamente Ferroviário, Desportivo, Costa do Sol, Liga Muçulmana, Maxaquene, Matchedje, da cidade de Maputo; Atlético Muçulmano, da província do Maputo; Vilankulo FC, de Inhambane; Textáfrica do Chimoio, de Manica; Ferroviário e Sporting da Beira, de Sofala; HCB de Songo, de Tete; FC Lichinga, do Niassa; e Ferroviário de Pemba, de Cabo Delgado.

À partida, e como sempre sucede, o Moçambola-2010 tem os seus principais candidatos à conquista do título nacional. O Ferroviário de Maputo apresenta-se com maior número de probabilidades, porém, Desportivo e Costa do Sol não ficam atrás. Na segunda linha surge o Maxaquene, ora bem estruturado do ponto de vista de Direcção e a apresentar-se com desejo de regressar ao galarim. Nova no panorama futebolístico moçambicano, mas já a dar verdadeiras cartas, a Liga Muçulmana é uma autêntica incógnita, até porque foi buscar um treinador que é uma eminência e um vasto leque de reforços, fazendo dela uma formação a ter em conta na luta pelo título.

Ferroviário da Beira, Matchedje e HCB de Songo preenchem o outro grupo de formações com ambições que, mesmo não sendo exactamente do título, procurarão se imiscuir no grupo da frente, mercê da sua experiência e daquilo que foram capazes de fazer em 2009. Atlético Muçulmano, Textáfrica e FC Lichinga fazem parte do último degrau entre os que vêm do campeonato transacto, dado que Vilankulo FC, Sporting da Beira e Ferroviário de Pemba são novidades que ninguém ousa arriscar sobre o seu potencial, embora se saiba que não concorrentes ao pedestal de honra.

O Moçambola-2010 terá o seu pontapé-de-saída amanhã, às 15.00 horas, no campo do Maxaquene, na Machava, que também será palco do festival de abertura, contemplando a realização de animadas sessões culturais, com música ligeira de permeio. Responsáveis governamentais de nível central e provincial, dignitários da Liga e da Federação Moçambicana de Futebol estarão presentes nesta cerimónia, que se espera colorida e aliciante, à semelhança do que aconteceu nos anos passados.

Em relação ao campeonato propriamente dito, iniciará com o embate entre Maxaquene e Ferroviário de Pemba, com os “tricolores” favoritos, mas os novos primodivisionários naturalmente dispostos a estragar a festa da equipa de Arnaldo Salvado.

A jornada inaugural terá mais quatro partidas na tarde de domingo, com o registo da estreia de dois novos campos, na província do Maputo. Na Matola, a Liga Muçulmana receberá no seu nóvel recinto o Textáfrica, para em Boane, no recinto da Olympáfrica, o Atlético Muçulmano enfrentar o Sporting da Beira. No Chiveve, mais concretamente no campo do Ferroviário da Manga, os “locomotivas” da Beira terão pela frente o Matchedje, enquanto o FC Lichinga, sem o seu relvado ainda pronto, jogará em Nampula, no Estádio 25 de Junho, com o Desportivo.

Por realizar ficarão os jogos Ferroviário de Maputo-Vilankulo FC e HCB de Songo-Costa do Sol, adiados devido à participação dos “locomotivas” e dos “canarinhos” nas Afrotaças. Entretanto, a Liga Moçambicana de Futebol já marcou estes dois jogos para o dia 31 de Março.

MOÇAMBOLA 2010 - Calendário da 1ª jornada


AMANHÃ

Campo do Maxaquene, na Machava

15.00h – Maxaquene-Fer. Pemba

DOMINGO

Campo da Liga Muçulmana, na Matola

15.00h – Liga Muçulmana-Textáfrica

Campo da Olympáfrica, em Boane

15.00h – Atlético Muçulmano-Sporting da Beira

Campo do Fer. Manga

15.00h – Fer. Beira-Matchedje

Estádio 25 de Junho, em Nampula

15.00h – FC Lichinga-Desportivo

Os encontros HCB de Songo-Costa do Sol e Ferroviário de Maputo-Vilankulo FC foram adiados para o dia 31 de Março corrente.

Eliminatórias para o CAN-Interno : “Mambas” recebem Malawi em Nampula


A PARTIDA entre as Selecções Nacionais de Futebol de Moçambique e do Malawi, a contar para a segunda “mão” da primeira eliminatória zonal de apuramento para o Campeonato Africano das Nações destinado aos jogadores internos, cuja fase final disputar-se-á no Sudão, em 2011, será realizado na cidade de Nampula, mais concretamente no Estádio 25 de Junho, num sábado, dia 27 do mês em curso.



A marcação deste desafio para a capital nortenha enquadra-se na estratégia da Federação Moçambicana de Futebol de contemplar outras cidades do país com os jogos dos “Mambas”, tendo em vista proporcionar a todos os adeptos moçambicanos de futebol a possibilidade de verem actuar, entre si, a equipa de todos nós.

Inicialmente conjecturado para a vila do Songo, em Tete, o Moçambique-Malawi acabou sendo, definitivamente, marcado para Nampula, onde, apesar da desvantagem dos “Mambas” por três bolas sem resposta, espera/se que o público marque presença em peso.

O jogo terá início às 15.00 horas, sob a direcção de uma equipa de arbitragem do Lesotho, chefiada por Paul Phomane, tendo como assistentes John Tsepo Mokhemisa e Mojalefa Selepe e o quarto árbitro Estêvão Matsinhe. O Comissário da CAF será o suázi Wallance Mabuza.


CONVOCADOS 23 JOGADORES



Vinte e três jogadores foram convocados pelo técnico Miguel Chau para este segundo confronto com o Malawi. Os “Mambas” concentram-se na segunda-feira, às 11.30 horas, no Hotel Rovuma, para no mesmo dia seguirem viagem para Nampula.

A preparação do jogo tem início na terça-feira, com dois treinos, no Estádio 25 de Junho, prolongando-se por quarta, quinta e sexta, com apenas uma sessão, para no sábado ter lugar o aguardado embate.

A lista dos convocados é a seguinte:

Ferroviário – Danito Parruque, Mendes, Momed Hagy, Luís, Jerry e Pinto.

Maxaquene
– Hélder Pelembe, Tony e Alvarito.

Desportivo – Zainadine Júnior e Gervásio.

Liga Muçulmana – Fanuel, Binó, Mayunda, Carlitos, Jumisse, Nelsinho e Maurício.

Costa do Sol – Josimar, Ruben, João Mazive, Kito e Jonas.

LIGA DOS CAMPEÕES EUROPEUS - Messi: símbolo do orgulho catalão


O FC Barcelona garantiu, quarta-feira, a passagem aos quartos-de-final da Liga dos Campeões Europeus, pela terceira vez consecutiva, ao derrotar o Estugarda por 4-0, em Camp Nou.



Depois do empate a um golo verificado na primeira “mão”, na Alemanha, o detentor do troféu não consentiu qualquer veleidade aos germânicos e arrumou a questão da eliminatória ao apontar dois golos em 22 minutos, na etapa inicial, por intermédio de Lionel Messi e Pedro Rodríguez, antes de o argentino bisar ao quarto de hora da etapa complementar e o recém-entrado Bojan Krkić fechar a contagem a um minuto do fim, confirmando assim a presença da formação da Catalunha no sorteio de hoje, em Nyon, na Suíça.

Igualmente, o Bordéus apurou-se para os quartos-de-final, após ter derrotado o Olympiakos por 2-1, em jogo disputado no Stade Chaban-Delmas. Com este resultado, o Bordéus engrossa o contingente gaulês na fase seguinte, juntando-se ao Lyon.

OITO À ESPERA DO SORTEIO

Barcelona e Bordéus completaram o lote dos oito clubes que esta tarde estarão presentes no sorteio dos quartos-de-final e das meias-finais da Liga dos Campeões Europeus. Estas duas formações juntaram-se ao Arsenal, Bayern de Munique, Inter de Milão, Manchester United, Olympique de Lyon e CSKA de Moscovo.

O sorteio será conduzido pelo secretário-geral da UEFA, Gianni Infantino, com a colaboração do embaixador da final de Madrid, Emílio Butragueño, decorrendo na sede daquele organismo, em Nyon, Suíça. Os embates serão determinados num sorteio livre. Nesta fase da prova não há cabeças-de-série e poderão existir desafios entre dois clubes representantes da mesma federação nacional.

Os quartos-de-final serão disputados em duas “mãos”, com os primeiros jogos agendados para 30 e 31 de Março, terça e quarta-feira, e a segunda “mão” na semana seguinte, a 6 e 7 de Abril, também terça e quarta-feira. O sorteio de hoje irá também determinar o emparelhamento das quatro equipas que garantirem a passagem às meias-finais. A primeira “mão” disputa-se a 20 e 21 de Abril e a segunda entre 27 e 28 do mesmo mês.

Será realizado um sorteio adicional para determinar, com fins administrativos, se a equipa da casa na final será a vencedora da meia-final 1 ou da meia-final 2. O encontro decisivo realiza-se, pela primeira vez, num sábado, 22 de Maio, no Estádio Santiago Bernabéu, em Madrid.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Bolt no “meeting” da República Checa


O VELOCISTA jamaicano Usain Bolt, recordista mundial nos 100 e 200 metros, confirmou a sua presença no “meeting” de Ostrava, que vai decorrer no próximo dia 27 de Maio, na República Checa.



Campeão Mundial e Olímpico nos 100, 200 e 4x100 metros, o jamaicano vai participar na prova de 400 metros pela primeira vez na sua carreira.

“Tenho treinado nessa distância, por isso, estou habituado e vou tentar. Se as condições atmosféricas ajudarem, espero fazer um bom tempo”, considerou.

quarta-feira, 17 de março de 2010

AFROTAÇAS-2010 - “Baptismo” do El Amal


OS “canarinhos” enfrentam o El Amal no ano do “baptismo” deste nas competições africanas de clubes. A turma sudanesa, que no seu campeonato normalmente se posiciona no meio da tabela, teve o mérito de pela primeira vez tomar parte da Taça CAF afastando o seu adversário da pré-eliminatória, o representante do Burundi, no desempate através de pontapés da marca de grande penalidade.



Enquanto em Moçambique o campeonato somente começa este sábado, no Sudão, a prova já rodou três jornadas, tendo o El Amal perdido duas partidas em casa e empatado uma fora de portas. A competição movimenta 14 equipas e, neste momento, o adversário dos “canarinhos” ocupa o penúltimo lugar, com apenas um ponto.

O facto de estar longe dos lugares cimeiros do seu campeonato não explica nada, segundo João Chissano, pois o mais importante é o seu real valor. Sublinhou que estes dados não vão, de nenhum modo, orientar a equipa sobre aquilo que pode ser o El Amal. No seu entender, os resultados até aqui conseguidos não ajudam em nada, porque a prova está na fase inicial e o El Amal pode, na verdade, ser uma boa equipa.

AFROTAÇAS-2010 - Da luz artificial à finalização - eis as componentes principais da preparação “canarinha” na véspera da partida, esta noite, rumo ao


O COSTA do Sol efectua esta noite o seu último ensaio, associando o ambiente de luz artificial aos ensaios de táctica, objectivamente virados para a finalização, tendo em vista o embate com o El Amal, do Sudão, marcado para a noite de domingo, na cidade de Atbara, que dista a mais de 200 quilómetros da capital, Cartum. O desafio está inserido na primeira “mão” dos dezasseis-avos-de-final da Taça CAF, e os “canarinhos” aceleraram a preparação ontem, com a abordagem de aspectos essencialmente tácticos. El isto acontece numa altura que a equipa já se sente fisicamente estável, tendo em conta o trabalho feito desde a pré-época, assim como os jogos realizados ao longo destes primeiros dois meses da temporada.



Conscientes das dificuldades que lhes esperam no Sudão, a começar pelo facto de o encontro ter sido marcado para o período da noite, os “canarinhos” estão, desde segunda-feira, a trabalhar sob luz artificial, com o objectivo de criar hábito aos jogadores.

João Chissano tem estado a privilegiar, nestas sessões, o aprimoramento dos aspectos tácticos, nomeadamente o domínio da circulação e posse de bola e os ensaios das estratégias de finalização, desde as penetrações pelo corredor central aos remates frontais e cruzamentos para a zona de rigor, tudo feito a um ritmo bastante acelerado.

A rigorosidade a que os jogadores estão sujeitos faz crer que o Costa do Sol está apostado em arriscar contra todas as adversidades e conseguir um resultado tranquilizador. A experiência vivida na pré-eliminatória, diante dos tswanas do União Flamingo Santos, com vitórias dentro (2-0) e fora de portas (3-1), constituiu uma grande motivação para a rapaziada, que se tem entregue com grande afinco aos treinos, tentando com toda a humildade acatar as orientações que saem do seu “maestro”.

João Chissano reconhece as qualidades e as limitações da equipa, daí que tem convidado o grupo de trabalho a explorar ao máximo as suas capacidades, de modo a corresponder positivamente ao desafio que se coloca. No que respeita ao facto de o jogo ser à noite, o timoneiro dos “canarinhos” tem estado a transmitir aos seus pupilos, na base da sua própria experiência como jogador, que a luz artificial não pode ser vista como um obstáculo insuperável, pois a prática manda dizer que é melhor jogar à noite do que de dia, pois é mais fresco e abre espaço para os atletas explorarem devidamente as suas capacidades individuais.

“A minha maior recomendação é que encarem a luz artificial como natural. Que ela pode influenciar no princípio, porém, depois de algum tempo, pode ser controlada, para além de que a concentração no jogo pode ajudar a esquecer a existência da luz”, comentou, acrescentando que a sua preocupação é, provavelmente, encarar uma luz deficiente. Mas, salientou o técnico, se não houver outros problemas, jogar à noite é melhor porque a intensidade da contenda é elevada devido à frescura que é comum nesse período do dia.

“Estamos concentrados no nosso estilo de jogo. Vamos primar pela mesma postura que assumimos em Gaberone, frente ao Flamingo Santos, que é de ter a maior posse de bola. Teremos que jogar mais soltos nos primeiros 15/20 minutos, com a finalidade de conhecer melhor o adversário. Estamos preparados para sofrer nos minutos iniciais, mas procurando sempre manter a posse de bola para explorar perfeitamente o adversário, de modo a não sofrer golos nesse momento de estudo mútuo”, frisou.

Quanto aos jogadores, Josimar fez-se à sessão de ontem, depois da ausência segunda-feira, devido a uma lesão. O médio treinou condicionado, com vista à rápida recuperação. À excepção deste, todo o plantel está disponível, designadamente os guarda-redes Antoninho, Abu e Joaquim; os defesas João Mazive, Kito, Jonas, Dito e Elísio; os médios Ruben, Mambo, Payó, Sanito e Hilário; os avançados Tó, Pery e Vivaldo.

Aliás, é com este grupo que o Costa do Sol conta para esta fase preliminar das Afrotaças, uma vez que não foi a tempo de inscrever quase todos os seus reforços na Confederação Africana de Futebol. Mas as mesmas abrem novamente na fase de grupos, para a qual os “canarinhos” lutam pelo acesso.

Salvador Nhantumbo

AFROTAÇAS-2010 - Já chega de sermos campeões internos – desabafa Chiquinho Conde, expressando o seu desejo de ir longe





O FERROVIÁRIO está, desde segunda-feira, a preparar-se para enfrentar o Supersport United, da África do Sul, em desafio marcado para a tarde de sábado, em Joanesburgo, a contar para a primeira “mão” dos dezasseis-avos-de-final da Liga dos Campeões. Os objectivos dos “locomotivas” nesta eliminatória passam por vencer e seguir em frente, tal como vem deixando expresso Chiquinho Conde, segundo o qual a sua equipa dará tudo por tudo para superar o campeão sul-africano.



“Passámos a primeira pré-eliminatória com todo o mérito. Temos agora o tricampeão sul-africano, um adversário mais forte e com um orçamento muito superior ao nosso”, afirmou Chiquinho Conde, realçando, no entanto, que a sua experiência, enquanto atleta e agora como treinador, leva-lhe a crer que a eliminatória será decidida dentro das quatro linhas. “A experiência diz-me que o favoritismo deve ser traduzido dentro do campo. Por isso, não vamos deixar de perseguir o nosso objectivo. Partimos com as mesmas chances e vamos procurar ganhar vantagem”, referiu.

Perspectivando ainda o desafio com o Supersport, disse que uma equipa da dimensão do Ferroviário, e com jogadores de bom nível, não pode pensar apenas em ser campeão nacional; deve ambicionar prestações brilhantes extramuros. “Temos ambições nesta prova. Chega de sermos campeões a nível interno. Quem tem jogadores de bom nível, tem que pensar em voos mais altos”, vincou.


TONI E HAGY JÁ TREINAM




Depois do susto face à lesão de Tony e Momed Hagy, duas pedras angulares nos campeões nacionais, Chiquinho Conde ter-se-á sentido aliviado ontem com a integração desta dupla nos treinos.

Assim, o “mister” contou com um grupo quase completo, isto porque Sissoko, com uma rotura de ligamentos internos, voltou a não se apresentar no relvado do Ferroviário da Baixa e é certo que não viajará para a África do Sul.

O Ferroviário realiza hoje e amanhã as últimas sessões de treino, estando a partida para Joanesburgo prevista para a tarde de amanhã, com 18 jogadores.

Apesar de não estar representado no Moçambola-2010: Nampula será sede das equipas nortenhas


ESTÁ mais do que claro que FC Lichinga e Ferroviário de Pemba não vão fazer, numa primeira fase, os seus jogos do Moçambola-2010 em casa. Muitas dúvidas recaem, sobretudo, para os “locomotivas” de Cabo Delgado, que ainda nem sequer iniciaram com o arrelvamento do Estádio Municipal de Pemba, o que não acontece com o Estádio Municipal 1º de Maio, em Lichinga, cujos trabalhos de reposição do relvado já estão em curso.



O Director Provincial da Juventude e Desportos do Niassa, Tomé António Enes, disse que foi criada uma equipa multissectorial, envolvendo técnicos da sua Direcção, do Conselho Municipal e do Instituto Agrário de Lichinga, com o objectivo de efectuar a reposição da relva no Estádio local. Explicou que se constituiu esta equipa porque o investimento para a reposição do piso, na sua totalidade, não seria possível nesta fase, dada a volta que teria que se dar para fazer o apuramento dos trabalhos, o que tornaria os custos mais elevados.

Uma vez que o tempo é escasso, a única intervenção que se achou correcta foi reimplantar a relva nos locais onde ela está em falta. Uma das razões que concorreu para esta medida tem a ver com a época chuvosa, atendendo que neste momento a chuva cai sistematicamente quase todos os dias, o que dificulta que o trabalho corra normalmente.

“Isto leva-nos a crer que o trabalho em curso só pode ser concluído após as primeiras três jornadas. São conjunturas de ordem económica que determinaram este problema, e estamos todos de braços dados para fazer o melhor em nome do FC Lichinga. Estamos à procura de parcerias para investir na participação da equipa, sabido que Niassa, na verdade, é a maior província do país, mas a mais fraca em termos de recursos. O peso do empresariado também é reduzido, daí que temos muitas carências”, referiu Tomé António Enes, deixando a promessa do Governo local para ajudar a minimizar as preocupações do clube e lutar para que tenha uma boa prestação.

Por seu turno, o Director-adjunto da Educação e Cultura de Cabo Delgado, António Tepula, que representou a Direcção Provincial da Juventude e Desportos no recente Conselho Consultivo Alargado do MJD, afirmou que há uma grande preocupação face ao atraso que se regista no processo do arrelvamento, agravado por sucessivas greves dos trabalhadores envolvidos também nas obras de reabilitação do recinto. Disse, porém, que há todo um esforço no sentido de se concluir com os trabalhos em tempo útil, apesar de, neste momento, as obras estarem parcialmente paralisadas, devido a dificuldades financeiras.

Questionado sobre o que terá sido feito com os 100 mil dólares alocados pelos Caminhos de Ferro de Moçambique para o arrelvamento do campo, no ano antepassado, António Tepula respondeu que não podia precisar o que está a acontecer com esses fundos, salientando que “estou apenas a falar do que se está a viver em relação às actividades que deviam estar a decorrer”.

Aliás, Tepula confirmou que o mais certo é que o Ferroviário vai realizar os seus jogos fora de casa. “Infelizmente, os primeiros jogos podem não se realizar em casa. Há todo o interesse do Governo para que o Moçambola se realize em Pemba, mas as condições em que se encontra o campo deixam-nos limitados”, lamentou.

O título faz parte dos nossos objectivos – afirma Norberto dos Santos, presidente do Matchedje


NORBERTO dos Santos, eleito sábado presidente do Clube Desportivo Matchedje, já começou a traçar objectivos para o seu mandato de quatro anos, preconizando que durante este período um dos seus objectivos primordiais é a conquista do Campeonato Nacional de Futebol.



O dirigente “militar” afirma que, à luz da grandeza que o Matchedje ostenta a nível nacional, não pode abdicar de sonhar com a conquista do Moçambola. “Durante os quatro anos do nosso mandato pretendemos vencer o Campeonato Nacional. O Matchedje é um clube com tradição em todo o país, já deu muitas alegrias aos seus adeptos e precisa de recuperar essa mística de campeão”, observou, recordando que os “militares” ganharam o último título moçambicano há 20 anos, em 1990.

Falando sobre a razão da sua candidatura à presidência do Matchedje, disse que ficou satisfeito com o projecto apresentado. “Foi-me apresentado um projecto aliciante e ambicioso, de um clube que quer formar uma equipa e uma estrutura coesa, capaz de se afirmar como um forte candidato a triunfar nas provas em que participa. O que vou fazer é dar continuidade a esse projecto, dando-lhe mais força”.

Norberto dos Santos, que propõe fazer, anualmente, a apresentação das contas e o relatório de actividades, deixará de exercer a função de presidente da Mesa da Assembleia-Geral da Liga Moçambicana de Futebol, de modo a abraçar um novo desafio que defende ser mais intenso.

LIGA DOS CAMPEÕES EUROPEUS - Futuro do Barça em Camp Nou


O BARCELONA entra em campo, esta noite, para defrontar o Estugarda, que esta época ainda não perdeu fora de casa nas provas de clubes e quer corrigir, em Camp Nou, o resultado de 1-1 verificado na Alemanha. O actual campeão europeu venceu os derradeiros nove desafios em que recebeu equipas da Bundesliga e impôs-se nos dois embates (casa e fora) frente ao Estugarda, na fase de grupos de 2007/08, ao passo que os germânicos nunca venceram na Espanha.



O Barcelona procura a terceira presença consecutiva nos quartos-de-final. Já o Estugarda nunca passou dos oitavos-de-final e a última presença nos “quartos” de uma competição remonta a 1998.

Os catalães venceram os últimos oito embates em casa frente a adversários alemães, incluindo uma goleada por 4-0 frente ao Bayern Munique, nos quartos-de-final da época passada. O Bayern foi a última equipa da Bundesliga a sair vitoriosa em Camp Nou, quando, em Novembro de 1998, triunfou por 2-1 para a fase de grupos. O Barcelona derrotou os alemães do Fortuna Dusseldorf e venceu a Taça dos Vencedores das Taças de 1979.

Os detentores do troféu ganharam dois dos três jogos realizados em casa para a fase de grupos desta época, tendo batido Dínamo de Kiev e Inter de Milão, antes e depois de uma surpreendente derrota frente ao Rubin Kazan.

O Estugarda nunca venceu na Espanha, mas, esta temporada, já conseguiu três empates (um deles, em Novembro, na visita ao Sevilha, 1-1) e uma vitória fora de casa.

No total, as formações da Bundesliga venceram apenas um dos 12 encontros frente a equipas espanholas: triunfo por 1-0 na recepção à Real Sociedad, para a primeira “mão” dos quartos-de-final da Taça UEFA de 1988/89. Foi o seu primeiro encontro diante de adversários da Liga espanhola e os germânicos viriam apurar-se para as meias-finais no desempate por grandes penalidades, após terem perdido a segunda “mão” pelo mesmo resultado.

Noutro desafio desta noite o Olympiakos tenta ser a segunda equipa na história da “Champions League” a superar a derrota no jogo da primeira “mão”, no seu estádio, para eliminar o Bordéus, vencedor por 1-0 no Pireu. Como se não bastasse a tradição, também é importante destacar que a equipa treinada por Laurent Blanc venceu os três jogos da fase de grupos disputados no Stade Chaban-Delmas, triunfou nos últimos seis desafios e não sofre golos na prova há quatro jogos, enquanto o Olympiakos não conseguiu marcar qualquer tento nos três jogos do Grupo “H” disputados em terreno alheio.

A final desta edição realiza-se no dia 22 de Maio, um sábado, no Estádio Santiago Bernabéu, em Madrid.

CALENDÁRIO DE JOGOS

Camp Nou, em Barcelona

Barcelona-Estugarda

Stade Chaban-Delmas, em Bordéus

Bordéus-Olimpiakos

“Elefantes” continuam sem treinador : Holandês Guus Hiddink recusa Costa do Marfim


DEPOIS de vários dias de reflexão, o treinador holandês decidiu recusar o convite para orientar a Costa do Marfim no Mundial da África do Sul. A decisão de Guus Hiddink foi anunciada sábado, através de uma coluna de opinião que o técnico mantém no jornal “De Telegraaf”.



O compromisso assumido com a selecção da Turquia (futuro empregador do holandês) foi o motivo apontado para a recusa. Em especial, devido ao facto de os turcos terem já agendado três jogos amigáveis no final de Maio. “Se assinasse pela Costa do Marfim iria perder estes jogos e, para dizer a verdade, acho que isso é algo que não devo fazer”, escreveu Hiddink.

A selecção marfinense, que na primeira fase do Mundial terá como adversários Brasil, Portugal e Coreia do Norte, terá, agora, de procurar um novo técnico, figurando na lista o francês Philippe Trousier, apontado como um dos mais fortes candidatos.

Enquanto isso, o técnico bósnio Vahid Halilhodzic esclareceu que a razão de ter sido despedido do comando da Costa do Marfim está ligada às autoridades políticas locais.

“O nosso objectivo era vencer o CAN, mas os políticos começaram a colocar muita pressão na equipa. Essa era a mensagem do presidente: tínhamos de vencer. Não percebi bem porque fui despedido, mas alguém tinha de ser sacrificado e nunca seriam os jogadores ou dirigentes”, afirmou Vahid Halilhodzic.

O treinador bósnio apenas sofreu uma derrota em 24 jogos pela Costa do Marfim. No CAN Angola-2010, os “Elefantes” perderam frente à Argélia, numa partida onde chegaram a estar a vencer por 2-1, mas o adversário alcançou a reviravolta e triunfou por 3-2.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Hóquei em patins: Moçambique desiste do “Africano” de clubes


MOÇAMBIQUE já não vai acolher o Campeonato Africano de Clubes de Hóquei em Patins, que em princípio devia ter lugar no próximo mês de Maio, segundo nos revelou o presidente da Federação Moçambicana de Patinagem (FMP), Cândido Coelho.



Explicando as razões que levaram a federação a se abdicar de organizar a maior competição africana de clubes, Cândido Coelho disse: “Preferimos nos concentrar apenas nos preparativos da organização do Mundial. Será uma prova de grande dimensão e temos que nos focalizar numa competição que seja bem vista por todos. Se fôssemos a organizar o “Africano”, iríamos perder de vista aquele que é o nosso principal objectivo”.

Em face da desistência de Moçambique, o presidente da FMP disse que tudo indica que o Campeonato Africano de Clubes será agora organizado pela África do Sul, pois a sua federação manifestou interesse nesse sentido.

Em princípio, o nosso país será representado por dois clubes, Ferroviário e Desportivo, que em 2008, em Angola, tomaram parte nesta mesma prova. A turma angolana da Juventude de Viana, detentora do título, Petro de Luanda e as sul-africanas da ACP de Pretória e União de Joanesburgo são outros clubes que se farão presentes neste campeonato.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Mexer actuou no “derby” lisboeta


MEXER voltou a alinhar com a camisola do Sporting, desta vez frente ao Benfica, em partida a contar para a quarta jornada da Liga Intercalar (zona sul), que terminou empatada a dois golos.



O internacional moçambicano jogou de início, num encontro dominado, pelos “encarnados” e viu a sua equipa a chegar à vantagem logo aos três minutos, graças a uma grande penalidade convertida por Nuno Reis. No início da segunda parte, Renato Neto fez o 2-0 (46 m) para a turma de Alvalade, apesar do grande domínio benfiquista.

A predominância “encarnada” acabaria por resultar em golos e o primeiro deles surgiu aos 55 minutos, por Domingos Silveiro. Rafael Costa (80 m) restabeleceu a igualdade na partida.
Mexer deverá voltar a ser convocado para o jogo da Liga Portuguesa de Futebol, domingo, frente ao Guimarães, depois de ter sido chamado contra o Belenenses.

Lionel Messi: Embaixador de Boa Vontade da UNICEF



O argentino de Lionel Messi, estrela do Barcelona, será nomeado na quinta-feira Mundialmente Embaixador da Boa Vontade do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), um título desde 1954, receberam cerca de trinta pessoas de várias áreas que têm mostrado um compromisso com o corpo.

Missão do UNICEF é assegurar o cumprimento dos direitos da criança e do prestígio internacional da atual Bola de Ouro e FIFA World Player pode chamar a atenção da opinião pública para as crianças mais desfavorecidas do mundo.

Esta nomeação se tornará oficial na Câmara de Paris anexado ao Camp Nou, Messi, onde dará uma conferência de imprensa com o presidente do Barça, Joan Laporta, eo diretor de Captação de Recursos e Parcerias Privadas Unicef, Philip O'Brien.

Como embaixador, Messi será envolvido em uma série de actividades para apoiar os direitos das crianças.
Embora muitos jogadores são Embaixadores da Boa Vontade da UNICEF nacional do seu país (Eusebio Sacristan, Forlan, Totti, Giggs, Kanu, Solskjaer, Zamorano, Zahovic, etc ...), com a classe do mundo existem apenas dois: David Beckham e Leo Messi.

Fora do futebol, alguns dos mais conhecidos são Shakira, Ricky Martin, Mia Farrow, Whoopi Goldberg, Roger Moore e Susan Sarandon.

O nome e logotipo da UNICEF já na camisa do Barcelona, um clube que nunca aceitou a publicidade afixada seu casaco.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Campeonato Mundial de Hóquei em Patins-2011: Organizar uma prova que prestigie a todos nós


A EQUIPA de trabalho encarregue de preparar o Campeonato Mundial de Hóquei em Patins do Grupo A, a realizar-se em 2011, na cidade de Maputo, está a tornar-se cada vez mais forte e, com isso, cresce a vontade de organizar uma prova que encherá de orgulho todos os moçambicanos.

O presidente da Federação Moçambicana de Patinagem (FMP), Cândido Coelho, revelou ao nosso jornal que a comissão administrativa da organização do evento está montada e já começou a trabalhar na identificação das provas que possam permitir a rodagem das equipas que fornecem jogadores à selecção nacional.

É neste sentido que a reactivação do torneio internacional com formações sul-africanas é vista pela Federação como uma boa via para o início da preparação da turma moçambicana, já que as competições nacionais foram entregues à “Destinos”, uma empresa de serviços de marketing e comunicação, uma iniciativa que Cândido Coelho considera ser uma mais-valia para a modalidade, visto que irá dar um grande impulso em termos de criação de uma imagem mais condizente com o espaço que o hóquei moçambicano vem ganhando a nível mundial nos últimos anos.

Em relação às infra-estruturas, o presidente da FMP disse que é um dado adquirido que o pavilhão do Maxaquene será o palco do Mundial, ficando o do vizinho Desportivo e o da Académica para treinos.

“O pavilhão do Maxaquene é o recinto escolhido para albergar todos os jogos da prova. É o maior e aquele que reúne as melhores condições. Precisa apenas de pequenas obras de reabilitação e tendo em conta que os Jogos Africanos decorrem no mesmo ano do Mundial de Hóquei em Patins, há um programa desenhando pelo Governo para a reabilitação de infra-estruturas desportivas, entre os quais o pavilhão do Maxaquene”.

IVO TAVARES

MOÇAMBOLA-2010 - LMF faz últimos acertos



A LIGA Moçambicana de Futebol (LMF) desdobra-se nos últimos acertos para que o Moçambola-2010 arranque sem sobressaltos, tendo, para o efeito, delegado membros seus para alguns pontos do país que vão acolher a festa do futebol nacional.

Representante do Textáfrica durante o sorteio para Moçambola-2010 (C. BILA)
O objectivo é de procederem à vistoria dos campos e se inteirarem das condições logísticas nessas cidades, ou seja, a identificação dos locais de hospedagem das equipas. O vice-presidente da alta competição da LMF, Augusto Pombuana, e o director executivo, Marcelino Tovela, estiveram em Chimoio e na vila do Songo, respectivamente.

Na capital provincial de Manica, Augusto Pombuana inteirou-se do estágio do campo da Soalpo, berço do Textáfrica, enquanto no Songo, praça da HCB, Marcelino Tovela certificou-se sobre os locais de alojamento, tendo identificado dois recintos que podem acolher as equipas visitantes durante o campeonato, ao invés de se instalarem na cidade de Tete e depois percorrerem 150 quilómetros até Songo, facto que influenciaria negativamente no seu desempenho.

As estâncias identificadas são uma residencial localizada em Chitima, a 20 quilómetros de Songo, e um “lodge”, na própria vila.

“Inicialmente previa-se que as equipas dormissem em Tete e depois viajassem para Songo. No entanto, vimos que esta situação só iria beneficiar o adversário, neste caso a HCB”, comentou Marcelino Tovela.

No que respeita ao campo do Soalpo, alvo de contestações da maior parte dos clubes participantes no Moçambola, Pombuana afirmou que há um trabalho em curso no terreno, que conta com o apoio do Governo local, nomeadamente a reposição do piso e a criação de condições para o restabelecimento da água. Anotou que os balneários estão em condições e o único problema tem a ver com recolocação da vedação interna do campo.

“Acredito que até 3 de Abril, data em que o Textáfrica fará o seu primeiro jogo em casa, terá o campo em condições”, observou Pombuana.

O presidente da LMF, Alberto Simango Júnior, disse, por seu turno, que contrariamente ao que algumas pessoas têm vindo a propalar acerca do Moçambola-2010, a prova vai decorrer sem sobressaltos e, no que respeita aos campos, cabe somente à Liga tecer comentários e tomar decisões sobre os que estão, ou não, em condições de acolher a prova.

“Lamentamos que algumas pessoas que não estão ligadas à LMF apareçam a fazer declarações sobre uma prova que não lhes diz respeito e, nalgumas vezes, até avançarem decisões sobre um assunto que não lhes compete”, comentou, ajuntando que a questão da vistoria dos campos pertence à Liga e que qualquer decisão sobre a utilização, ou não, dos recintos indicados para acolher a prova é da responsabilidade da instituição que dirige.

Simango Júnior reiterou que tudo está a ser feito para que o Moçambola-2010 decorra normalmente, como tem vindo a acontecer nos últimos tempos.

Hóquei em Patins : Beira é o próximo alvo de expansão das escolas




DEPOIS de ter sido dada a “stickada” de saída para a revitalização e massificação da modalidade nas cidades de Quelimane e Tete, Beira surge como o próximo alvo a atacar no âmbito do programa da Federação Moçambicana de Patinagem, visando fazer com que se jogue hóquei em todo o país.

A zona centro tem sido o alvo preferencial da FMP, que em 2007 assistiu ao lançamento oficial do Núcleo de Patinagem do Sporting de Quelimane, envolvendo pouco mais de 50 petizes. Consumado o lançamento na Beira, faltará a cidade de Chimoio para se completar a projecção do hóquei no centro do país.

Cândido Coelho, presidente da FMP, afirmou que Nampula será o primeiro centro quando o projecto chegar à zona norte.

Hóquei em Patins : Aliança estratégica entre federação e comissão


A COMISSÃO de Patinagem, que havia sido criada para dar um novo ímpeto à modalidade adormecida e acelerar o processo de eleição dos novos corpos directivos da Federação Moçambicana de Patinagem, resolveu aliar-se a este organismo nos trabalhos da organização do Mundial-2011.

Com efeito, a comissão, constituída maioritariamente por elementos que se dizem da família do hóquei, foi enquadrada no Gabinete Técnico.

Segundo Bruno Pimentel, membro da referida comissão, o convite para integrarem o Gabinete Técnico foi formulado pela Federação, no sentido de coordenarem os aspectos técnicos da organização do Mundial.

“A Federação pediu-nos, durante um encontro que tivemos, para fazer parte da organização e aceitamos por entendermos que estão numa fase de legalização dos estatutos e, se forçássemos a eleição da nova presidência, o processo iria se arrastar por muito tempo, o que poderia afectar a organização do Mundial, que, afinal, beneficiará a todos nós que gostamos do hóquei.

Mas creio que esta aliança com o Federação será até Agosto porque, nessa altura, já com os estatutos em ordem, pode-se realizar a assembleia para a eleição de um novo presidente ou, quem sabe, para a continuidade do actual elenco, dependendo da votação”.

Preparação para as eliminatórias do CAN : “Mambinhas” entram em acção



O GABINETE Técnico da Federação Moçambicana de Futebol (FMF) divulgou ontem, as pré-convocatórias das selecções de Sub-17 e de Sub-20, que esta semana deverão iniciar os trabalhos de preparação para as eliminatórias de acesso à fase final dos Campeonatos Africanos destas categorias, previstas para 2011, no Ruanda e na Líbia, respectivamente.

Curiosamente, as duas selecções iniciam a corrida defrontando o Lesotho, segundo ditou o sorteio da Confederação Africana de Futebol. Tanto os Sub-17 como os Sub-20 começam da pré-eliminatória, nos meados de Abril, a primeira “mão”, em Maseru, e nos finais do mesmo mês e princípios de Maio, a segunda, em Maputo.

Os “Mambinhas” Sub-17 partem primeiro para o terreno alheio entre os dias 9, 10 e 11 de Abril e depois jogam em casa a 23, 24 e 25 do mesmo mês. Por seu turno, os Sub-20 vão a Maseru entre os dias 16, 17 e 18 de Abril e jogam em Maputo entre 30 de Abril e 1 e 2 de Maio.

SUB-20 COMEÇAM A TRABALHAR

A selecção de Sub-20 é a primeira a pôr mãos à obra, sendo que inicia a sua preparação esta tarde (14.45 horas), no Estádio 1º de Maio/Standard Bank. A equipa volta a treinar amanhã, fechando o primeiro ciclo de treinos no mesmo dia em que os Sub-17 começam a trabalhar.

As formações de Sub-17 da Gâmbia, Argélia, Burkina Faso, Guiné, Camarões, Zimbabwe, Angola, Costa do Marfim, Gana, Benin, Egipto, Nigéria, Togo, Serra Leoa, Mali e Tunísia estão isentas da pré-eliminatória devido ao seu melhor posicionamento no “ranking” da CAF. O mesmo acontece com as selecções de Sub-20 do Gana, Camarões, África do Sul, Nigéria, Egipto, Ruanda, Mali, Costa do Marfim, Benin, Gâmbia, Sudão, Zâmbia, Congo, Burkina Faso, Angola e Marrocos.

Entretanto, as listas dos jogadores convocados são as seguintes:

SELECÇÃO DE SUB-17

Costa do Sol – José Guirrugo, Luís Parkim, Arnaldo Banze, Mauro Mazuze e Hilário Sampaio.

Desportivo – Jabo Aboubacar, Yanik dos Anjos, Aurio Nharreluga, Luís Mário, Jonas Tomossene, Rafael Macuácua e Sidique Sataca.

Maxaquene – Denisse Javane.

Matchedje – Francisco Mioche e Jacinto Francisco.

Académica – Gimo Samuel, Raimundo Manhique, Xavier Nhantumbo.

Estrela Vermelha – António Júnior, Dércio Bonifácio e José Cumbe.

A este grupo juntar-se-ão os jogadores provenientes das províncias de Gaza, Zambézia, Tete, Nampula e Niassa.

SELECÇÃO DE SUB-17

Costa do Sol – Henriques Macheque, Dionísio Macoo, Omar Cutane, Artur Mudema e Alberto Júnior.

Ferroviário – Dinis Massodua, Clésio Baúque, Norman Alexandre, Vasco Wate, Mauro Cipriano e Simão Adolfo.

Desportivo – Dércio Matimbe e Yossen Hanane.

Maxaquene – Assane Paulino e Alexandre Guambe.

Académica – José Fulano, Naftal Manjate e Albino Cuco.

Nacional – Edson Mafo, Alberto Rufino e Gonçalves Manguana.

E.S. Magude – Victor Abias e Carlos Cossa.

Falta adicionar os jogadores de Sofala e Zambézia.

TÉCNICO ALEMÃO DIRIGE AS DUAS SELECÇÕES

A FEDERAÇÃO Moçambicana de Futebol indicou o técnico alemão Torsten Spitler para orientar, provisoriamente, os “Mambinhas”, tendo como adjunto, em ambas as equipas, Zé Augusto.

O ex-internacional “canarinho” assumia, até finais do mês passado, o cargo de treinador dos Sub-17, enquanto o alemão supervisionava os escalões de formação, no âmbito do contrato que tem com a FMF, através do qual está ligado ao Gabinete Técnico desta instituição.

No entanto, Torsten Spitler vai liderar os “Mambinhas” até que sejam encontrados, internamente, os treinadores para comandarem as duas selecções. O assunto relacionado com os técnicos das selecções de formação está no mesmo pacote do Seleccionador Nacional dos “Mambas”, que, segundo a FMF, deverá ser suportado pelo Governo.

A contratação deste conjunto de técnicos, incluindo o da selecção A, passa pelas negociações entre o Ministério da Juventude e Desportos e Federação, que iniciaram há dias.

LIGA DOS CAMPEÕES EUROPEUS - Milan em Old Trafford para inverter o cenário



O AC Milan tem hoje uma deslocação difícil ao Estádio de Old Trafford, onde irá defrontar o Manchester United, em desafio da segunda “mão” dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões Europeus.

Os milaneses irão procurar inverter a eliminatória, depois de na primeira “mão” terem perdido em casa por 2-3.

Uma boa notícia para o Milan são as confirmações para o jogo de Pato e Seedorf, que estavam em risco para o decisivo embate frente ao Manchester United. Seedorf e Pato integraram o treino de segunda-feira, ao lado dos restantes companheiros.

Do lado do Manchester, todos estão aptos, à excepção de Anderson, que fica de fora devido a uma lesão no joelho que lhe poderá fazer perder o resto da época.

Noutro embate, Real Madrid mede forças com Lyon. Na primeira “mão”, a turma francesa venceu por 1-0. Os “merengues” estão assim obrigados a ganhar no mínimo por uma diferença de dois golos, se quiserem seguir em frente.

O treinador do Lyon, Claude Puel, não vai poder contar com Michel Bastos para a deslocação a Santiago Barnabéu. O esquerdino brasileiro é uma baixa de vulto para o jogo com o Real.

Nos espanhóis, todo o grupo está em condições de dar o seu contributo. Os heptacampeões europeus estão altamente motivados depois de, no pretérito fim-de-semana, terem assumido a liderança no campeonato espanhol.

Moçambique em feiras de turismo pelo “mundial”


MOÇAMBIQUE vai participar em duas feiras de turismo antes do “mundial” de futebol na África do Sul, visando atrair turistas que se deslocarão àquele país para assistir aos jogos, disse em Maputo uma fonte do Instituto Nacional de Turismo (Inatur).

Assim, uma delegação de operadores turísticos moçambicanos participa de 10 a 14 do mês em curso na Feira de Turismo de Berlim, na Alemanha (ITB, na sigla em inglês), e outra delegação participará na feira de Indaba, na vizinha África do Sul, a ter lugar entre os dia 8 e 11 de Maio.

Uma fonte do Inatur revelou ainda que, como aconteceu nas feiras de Lisboa, em Portugal, e de Madrid, em Espanha, a delegação que se deslocará à Alemanha, a ser chefiada por Kátia Momade, directora de marketing daquela instituição, centrará a sua actividade na apresentação de oportunidades de investimento no sector do turismo.

Na feira de Berlim será, de novo, exibido o filme sobre o Parque Nacional de Gorongosa, produzido pelo canal norte-americano National Geographic. Moçambique pretende captar dez porcento dos turistas que se vão deslocar à África do Sul para ver o “mundial” de futebol.

Este ano Moçambique já esteve representado na Bolsa de Turismo de Lisboa (Portugal), Fitur (Madrid, Espanha) e World Travel Market (Londres), prevendo-se que participe em outras tantas, incluindo na China.

O turismo contribui com 2,5 porcento para o Produto Interno Bruto e o objectivo do Governo é que essa participação suba para 4 porcento.

terça-feira, 9 de março de 2010

LIGA PORTUGUESA DE FUTEBOL - Mexer no banco do Sporting goleador


O JOGO entre Belenenses e Sporting, realizado na noite de domingo, no Estádio do Restelo, em Lisboa, foi seguido com especial atenção pelos adeptos moçambicanos.

É que, pela primeira vez, o nosso internacional Mexer foi convocado para uma partida da Liga Portuguesa de Futebol e reinava alguma expectativa em relação à entrada de início, ou não, do jovem central.

Mas o técnico Carlos Carvalhal apostou no brasileiro Anderson Polga para substituir o lesionado Daniel Carriço, e o moçambicano sentou-se no banco de suplentes à espera de se estrear. Infelizmente, não foi desta que os adeptos de Mexer puderam vê-lo a actuar com a camisola do Sporting na Liga Portuguesa.

Os “leões” venceram por 4-0 e mantiveram a senda de goleadas.

“Mambas” iniciam preparação para o CAN-Interno: Estágio na África do Sul com os olhos no Malawi



PROPORCIONAR aos atletas um momento de rígida concentração e ao mesmo tempo de criação da camaradagem necessária nestas situações, é o objectivo do estágio que a Selecção Nacional de Futebol observa desde domingo na cidade sul-africana de Nelspruit, tendo em vista o embate com o Malawi, a ter lugar no próximo sábado, em Blantyre, a contar para a primeira “mão” das eliminatórias zonais de acesso ao CAN-Interno Sudão-2011. São quatro dias de intenso trabalho, sem nenhum jogo-treino previsto, e que permitirão ao actual técnico dos “Mambas”, Miguel Chau, escolher os 18 atletas, dos 23 convocados, que seguirão viagem para terras malawianas.

Com a zona austral do continente a desfrutar de três vagas para a segunda edição do Campeonato Africano das Nações destinado aos futebolistas que actuam nos seus próprios países, Moçambique bate-se por um desses lugares e, para já, não se pode queixar em relação ao facto de lhe ter calhado o Malawi, já que se trata de um adversário absolutamente acessível e com o qual discutirá a eliminatória de forma equilibrada.

Os “Mambas”, que deste modo regressam à acção depois do CAN Angola-2010, realizaram o seu primeiro desafio na quarta-feira transacta, data-FIFA, no Estádio da Machava, frente ao Botswana, tendo perdido por uma bola sem resposta, um resultado que de certo modo desagradou os adeptos, sobretudo porque a equipa teve uma exibição desastrosa.

Apesar disso, a equipa técnica, agora com mais tempo de preparação dos jogadores, acredita que no Malawi a situação será diferente e teremos um time consentâneo com as necessidades e objectivos traçados.

A selecção estará em Nelspruit entre domingo e quinta-feira, altura em que rumará para Blantyre, a cidade escolhida pelos malawianos para este embate. Aliás, a-propósito do local do jogo, a Federação Moçambicana de Futebol está a estudar a hipótese de o desafio da segunda “mão”, no dia 28, se efectuar na vila do Songo, cujo campo já acolheu um Moçambique-Malawi, em Novembro último, de preparação dos dois conjuntos para o CAN havido em Angola.

Os 23 atletas convocados por Miguel Chau, que tem como adjunto Calton Banze, são os seguintes:

Ferroviário – Pinto, Danito Parruque, Whisky, Momed Hagy, Luís, Jerry e Mendes

Maxaquene – Hélder Pelembe, Tony e Gabito

Desportivo – Zainadine Júnior e Gervásio

Liga Muçulmana – Binó, Fanuel, Campira, Carlitos, Jumisse e Nelsinho

Costa do Sol – Josimar, Ruben, João Mazive, Dito e Jonas.

Ferroviário de Pemba e o Moçambola-2010: Apenas pensamos na manutenção - diz o técnico Antero Cambaco


O FERROVIÁRIO de Pemba é uma das três formações que ascenderam esta época ao Moçambola, depois de ter vencido a “poule” da zona norte.

Trata-se de um regresso ao convívio dos grandes, se se atender que há dois anos marcou presença na prova, não tendo, porém, conseguido assegurar a continuidade. Em 2010, os “locomotivas” da capital de Cabo Delgado pretendem fazer um campeonato que lhes permita continuar a ombrear com os grandes do futebol nacional.

Segundo o técnico Antero Cambaco, o 11° lugar, o último que garante a permanência, serviria perfeitamente. “Vamo-nos concentrar apenas na manutenção. A nossa equipa permite-nos pensar apenas nesse cenário, e é importante não nos iludir”.

Antero Cambaco, que já esteve à frente de um “colosso, o Desportivo, afirma que tem tido muitas dificuldades para preparar a equipa, devido ao facto de o Estádio Municipal de Pemba ainda não estar pronto.

“Temos estado a treinar no campo do Desportivo ou no do Ferroviário de Nacala. E não tem sido fácil, já que estamos obrigados a viajar e é fatigante para todos nós”, queixou-se o “mister”, que vê o panorama ainda mais complicado, pois o arrelvamento do estádio pembense tem parado frequentemente em face das sucessivas greves dos trabalhadores, o que tem posto em causa a finalização das obras.

Esta é uma situação que preocupa Antero Cambaco, não só quando se fala em campo para treinar, mas também para jogos. “O Moçambola vai começar e não temos campo para jogar. Acho que seremos obrigados a actuar em casa do adversário, mesmo quando a jornada for nossa. Se isso acontecer, será uma situação desvantajosa e que deve ser revista o mais cedo possível”. Na primeira jornada, s pembenses jogam em Maputo, frente ao Maxaquene, uma partida que Cambaco antevê difícil.

Questionado sobre os reforços, o técnico revelou ter perdido para a concorrência a aquisição de alguns jogadores que havia apontado como fundamentais. “Contava reforçar a equipa com Mavó, Edgar, Zacarias e Sérgio, mas houve outros clubes que foram mais rápidos. Acabámos por contratar dois jogadores, Maduro, que estava no Desportivo de Nacala, e Telinho, ex-Ferroviário de Nacala”.

Refira-se que Mavó saiu do Chingale para a HCB, Edgar continua na Liga Muçulmana, Zacarias transferiu-se do Ferroviário de Nampula para o Matchedje, enquanto Sérgio é jogador do Maxaquene.

No quadro de saídas, os “locomotivas” de Pemba perderam Leo e Hélio, ambos médios. De resto, o grupo, composto por Baía, Fary, Albachir, Marito, Cachimo, Animal, Ozias, Hermínio, Fido, Abdala, Babugy, Gueda, Ramadane, Peter, Franco, Korrocho, Bebeto e Tozinho, será o mesmo que disputou a “poule” e que vai tentar suprir as dificuldades.

Contudo, Cambaco, que levou o Ferroviário de Pemba ao Moçambola, afirmou que o grupo tem qualidade e condições para lutar pela manutenção. “Posso não ter uma grande equipa, mas, para aquilo que são os nossos objectivos, dá perfeitamente”.

“REGIONAIS” DE CORTA-MATO - Modesta participação dos atletas nacionais


ESTEVE longe de ser brilhante a participação dos atletas nacionais no Campeonato Regional da Zona VI de Corta-Mato, em seniores masculinos e femininos, realizado na semana passada, Ilhas Seychelles.

Em masculinos, Manuel Salgado, fundista do Ferroviário da Beira, classificou-se na 13ª posição, enquanto na vertente feminina Aida Bernardo, corredora do Clube Atlético de Tete, que foi convidada a ocupar o lugar de Hortência Domingos (impossibilitada por motivos pessoais) ficou na sétima posição.

Segundo conta José Cucheza, treinador e chefe da delegação, a prestação poderia ter sido bem melhor, caso não tivesse havido contratempos na viagem.

É que, devido a problemas com a agência de viagem que tratou das passagens áreas, os atletas moçambicanos só chegaram às Seychelles no dia da prova e tanto Manuel Salgado como Hortência Domingos acusaram cansaço, facto reflectido na forma como perderam o ritmo a meio da prova, após um início prometedor.

Os atletas sul-africanos foram os grandes vencedores, tendo se destacado em masculinos e femininos. Na classificação geral, ocuparam a primeira posição, seguidos do Botswana e de Angola, segundo e terceiro classificados, respectivamente.

Moçambique não pontuou na classificação por não ter um número suficiente de atletas. Pontuou apenas individualmente.

Xadrez na Cidade de Maputo: Torneio de Abertura bastante concorrido



O TORNEIO de Abertura de Xadrez, que se disputa desde 13 de Fevereiro na sede da Federação Moçambicana da modalidade (FMX), está a ser caracterizado por uma forte disputa entre os primeiros cinco concorrentes, dos 20 participantes na prova.

Concluídas as primeiras quatro rondas, o vice-campeão nacional, Wilton Calicocas, está na dianteira, mas deverá provar nas duas jornadas seguintes de que efectivamente é o mais forte em relação ao quarteto Orlando Nhacula, Donaldo Paiva, Gilberto Gil e Nivaldo.

A última ronda foi decisiva e Wilton Calicocas conseguiu desfeitear aquele que era o seu principal rival, Orlando Nhacula, com quem, curiosamente, partilhava a liderança. Com quatro pontos, o vice-campeão lidera com mais um em relação aos seus perseguidores.

A luta pela liderança dominou as jornadas iniciais e a situação, na tabela classificativa, torna o prognóstico mais difícil no que respeita aos candidatos ao título, atendendo que faltam três rondas para o fim do torneio.

Aliás, a quinta, que estava agendada para domingo, movimentou apenas duas partidas, designadamente Guimarães Mahota-Nivaldo Ventura (0-1) e Vânia Vilhete-Belmiro Mahota (1-0). Segundo fonte da Associação de Xadrez da Cidade de Maputo, os jogadores, com consentimento da organização, combinaram para efectuar as partidas até hoje.

Nota curiosa é a ausência de alguns dos xadrezistas mais preponderantes, casos de Mateus Viageiro, campeão nacional em título, e de Miguel Maconi, terceiro classificado, ambos com “ranking” internacional.

O torneio é disputado no sistema suíço, em que os melhores jogam entre si até se encontrar o vencedor.

Cada vitória equivale a um ponto e o empate à metade. A conclusão da prova será no domingo.

RESULTADOS DA 4ª JORNADA

Orlando Nhacula-Wilton Calicocas (0-1),

Donaldo Paiva-Nivaldo Ventura (1-0);

Gilberto Gil-Milton Botão (1-0);

Guimarães Mahota-Emílio Guambe (1-0);

Hanifo Ismail-Roberto Soca (1-0);

Egídio Celso-Adolfo Mabote (0-1);

Custódio Vicente-Jorge Chivambo (0-1);

José Lobato-Vânia Vilhete (1-0);

Rui Mabote-Gabriel Meliquizane (1-0);

Belmiro Mahota-Aires Máquina (0-1);

CLASSIFICAÇÃO PONTOS

1. Wilton Calicocas 4;

2. Orlando Nhacula 3;

3. DonaldoPaiva 3;

4. Gilberto Gil 3;

5. Nivaldo Ventura 3;

6. Guimarães Mahota 2,5;

7. Adolfo Mabote 2,5;

8. Milton Botão 2;

9. Jorge Chivambo 2;

10. Hanifo Ismail 2;

11. Vânia Vilhete 2;

12. Emílio Guambe 1,5;

13. Egídio Celso 1,5;

14. Rui Mabote 1,5;

15. José Lobato 1,5;

16. Custódio Vicente 1;

17. Gabriel Meliquizane 1;

18. Belmiro Mahota 1;

19. Aires Máquina 1;

20. Roberto Soca 0,5

Faltam 93 dias para o arranque do Mundial de futebol : Sul-africanos lançam contagem regressiva



A NOVENTA e três dias do arranque do Mundial de Futebol de 2010, a África do Sul lançou a contagem regressiva do torneio e os organizadores convidaram a nação a marcar este evento.

No programa do dia, figura a entoação do hino nacional e o içar da bandeira ao meio-dia. Um jantar de gala foi organizado no Centro de Convenção Internacional de Durban.

Nessa ocasião, o presidente da FIFA, Joseph Blatter, reafirmou a sua convicção de que a África do Sul vai organizar o torneio com êxito.

O vice-presidente sul-africano, Kgalema Motlanthe, agradeceu igualmente a Blatter pelo seu apoio resoluto à África do Sul.

A FIFA e o Comité de Organização Local do Mundial-2010 concluíram, na Cidade do Cabo e em Port Elizabeth, uma digressão de inspecção dos estádios do país.

O secretário-geral da FIFA, Jerome Valcke, e a primeira-ministra do Cabo, Hellen Zille, anunciaram que a cidade estava pronta para acolher o Mundial.

Falando a uma importante delegação da Imprensa local e internacional no novo estádio da cidade, Zille declarou que o facto de a FIFA permitir à Cidade do Cabo albergar o primeiro jogo Uruguai-França e o desafio-teste de râguebi França-África do Sul em Newland era uma indicação da confiança depositada pelas autoridades.

O secretário-geral da FIFA declarou-se, por seu turno, “extremamente satisfeito” pelos preparativos, acrescentando que o país tinha actualmente uma nota de 8 sobre 10 e que ela seria 10 sobre 10 a 11 de Junho, dia do início da competição.

LIGA DOS CAMPEÕES EUROPEUS EM FUTEBOL - "Dragões" no inferno londrino




ARRANCA hoje a ronda de oito jogos da segunda “mão” dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões Europeus, com o desafio entre Arsenal e FC Porto, a realizar-se a partir das 21:45 horas, no “Arsenal Stadium”, em Londres, a merecer nota de destaque

Se o Arsenal atravessa um bom momento e teve uma subida espectacular para o terceiro lugar da Primeira Liga Inglesa, atrás do Manchester United e do Chelsea, após uma primeira volta atordoada, o mesmo já não se pode dizer do FC Porto, que nos últimos jogos denotou muitas fragilidades, sobretudo na defesa.

Apesar de os “dragões” entrarem para este encontro em vantagem (2-1) na eliminatória, está visto que a tarefa será muito complicada, até porque o campeão português não guarda muito boas recordações das deslocações a Londres e, da última vez que enfrentou os “gunners”, saiu copiosamente derrotado por 4-0.

Nota de realce no FC Porto para o regresso à convocatória de Raul Meireles, Rolando, Fucile e ainda Hulk, que, estando interdito de jogar em provas domésticas, vai matando saudades da bola no campo internacional.

Do lado do Arsenal, persiste a dúvida quanto à utilização do “motor” do meio-campo Cesc Fabregas, que contraiu uma lesão no último fim-de-semana.

Noutro embate desta noite, Fiorentina recebe Bayern de Munique, com os bávaros em vantagem, mercê da sua vitória em casa por 2-1.

Calendário completo dos oitavos-de-final:

HOJE

Arsenal Stadium, Londres

Arsenal- FC Porto

Artemio Franchi, Florença

Fiorentina-Bayern de Munique

AMANHÃ

Santiago Bernabéu, Madrid

Real Madrid-Lyon

Old Trafford, Manchester

Manchester United-Milan

DIA 16 MARÇO

Ramón Sánchez-Pizjuán, Sevilha

Sevilha-CSKA Moscovo

Stamford Bridge, Londres

Chelsea-Inter de Milão

DIA 17 Março

Camp Nou, Barcelona

Barcelona-Estugarda

Stade Chaban-Delmas, Bordéus

Bordéus-Olimpiakos

Taça de Honra/Sojogo : AFCM premeia os melhores


OS melhores da Taça de Honra/Sojogo, prova destinada à rodagem das equipas da Cidade de Maputo no Moçambola, vão receber os seus prémios no dia 18 de Março corrente, segundo garantias dadas pelo presidente da Associação de Futebol na capital do país (AFCM), Victor Miguel.

O Desportivo, na qualidade de vencedor, terá, para além da taça e medalhas, 30 mil meticais, enquanto o segundo classificado, o Matchedje, terá medalhas e recebe 15 mil meticais. À equipa “fair-play” caberá 10 mil meticais.

Os restantes prémios a serem distribuídos são de carácter individual, a começar pelo guarda-redes menos batido, melhor equipa de arbitragem, melhores reportagens televisiva, radiofónica e de Imprensa, cada um com cinco mil meticais.

Entretanto, a AFCM está a fazer os últimos acertos para o início do Torneio de Abertura, previsto para o dia 27.

Para além de questões técnicas, a Associação ainda não concluiu com o processo de filiação dos clubes, que se prolongará até às vésperas da prova. Até este momento estão filiadas Académica, Estrela Vermelha, 1º de Maio, Águias Especiais e Beira-Mar da Catembe.

Onde estão elas agora: Maria Mutola rainha dos 800m


Sábado aparece como um dia muito grande para a Maria Mutola. Não é como estar escondidos em um call-sala antes de uma final de 800m nos campeonatos do mundo ou as Olimpíadas, mas ainda deve ser um dia sibilante-bum

Mutola de futebol do clube, Luso África - um lado as mulheres Sasol liga baseada em Germiston - face à equipa que apresenta um desafio à sua qualificação para os playoffs da liga.

"Nós estamos em segundo lugar, mas jogando a equipe em primeiro lugar" diz ela. "Se eles vencerem, vão ganhar nossa região e se o fizermos, nós vamos vencer. É um jogo muito grande."

Mutola tem despejado por luso desde 2009, um ano depois que ela se aposentou de dominar a cena 800m internacional para mais de uma década.

Agora vivendo em Bryanston e Moçambique -, depois de passar 16 anos de vida e de formação em Eugene, Oregon - diz o futebol é uma mudança bem-vinda a moagem de mais de 20 anos de meia-distância percorrida.

"É bom ter algo para fazer e da formação não é como era", diz ela. "É mais agradável, porque agora eu posso comer o que quiser. Se o tempo estiver ruim, eu posso dizer que eu não vou treinar. No passado, eu tinha que fazer o que ela diz no livro."

Dito isto, Mutola na melhor nick que a maioria dos 37-year-olds. Ela ainda treina na pista da Universidade Wits, às vezes dobrando a carga de trabalho com uma prática no Luso à noite.

Isto vai de alguma forma para explicar por que seus colegas mais jovens do futebol foram arrastando em seu caminho em seu papel como atacante.

"Nós já jogamos cinco ou seis jogos, e já marquei oito ou nove golos. Marquei quatro golos no primeiro jogo."

Mutola é deu uma volta completa a vida. Era uma jogadora de futebol que foi marcada pelo poeta José Craveirinha, que a convenceu a tentar correr.

O movimento fez Mutola, então com 14 anos, transformou-se nos Jogos Olímpicos de Seul em 1988 como um dos talentos promissores de Moçambique. Enquanto corria o seu recorde pessoal na distância, ela ainda terminou em último no seu calor.
Mas a semente foi plantada por uma obsessão. "De repente, tudo que eu queria era ganhar uma medalha de ouro olímpica."

Seis Jogos Olímpicos depois (um dos quatro únicos atletas do atletismo ter conseguido que muitos jogos), não Mutola tem apenas executar sua raça, mas ela também teve sua época de ouro no quarto de pedir.

"A Olimpíada é uma daquelas coisas que vêm uma vez a cada quatro anos em sua carreira. Eu tinha que ir até três antes de finalmente ganhar no meu quarto. Vi Sydney como minha última chance de vencer."

Após decepção em Barcelona e Atlanta, Mutola e seu treinador passarão a campanha de Sydney, como uma operação militar.

"Nós tentamos fazer tudo perfeito: eu estava na Austrália, um mês e meio antes dos Jogos Olímpicos e eu mesma não foi considerada a permanecer na vila dos atletas porque eu tinha contraído pneumonia lá em Atlanta."

Surpreendentemente, a medalha de ouro em Sydney foi apenas sua segunda medalha olímpica (de ir com o bronze em Atlanta), em uma carreira em que ela dominou a 800 metros de 1993 a 2007.

Embora houvesse a validação em obter o ouro olímpico, o seu primeiro Campeonato do Mundo medalhas de ouro - interior e exterior em 1993 - eram seus destaques.

"Eu fui a primeira moçambicano a fazer isso e eu era uma campeão pela primeira vez. Os outros realmente não importavam, porque eu tinha feito isso."

Não que eu me aproximei dos outro como se eles não importassem. Ela acumulou 12 medalhas de campeonato do mundo de interiores e exteriores (10 medalhas de ouro, duas de prata e duas de bronze) e duas medalhas de ouro e uma de bronze nos Jogos da Commonwealth.

Dentro de casa, ela colocou em uma corrida incrível de vitórias de 1993 a 2006, perdendo apenas em 1999.

Ela tornour-se a única atleta a ganhar o US $ 1 milhão pote de ouro, depois de ganhar todas as suas corridas na Golden League 2003.

Apesar de seu gosto por carros - ela tem um Cadillac de 1952, e um Hummer H2 estacionado em sua garagem - ela vem como uma surpresa que ela não gastar um centavo do que em si mesma.

Em vez disso, ela colocou algumas delas em sua fundação, a Fundação Lurdes Mutola, de volta para casa e investir o restante em imóveis.

A fundação, que oferece bolsas de estudo para atletas e estudiosos em Moçambique e, geralmente, se concentra em tentar elevar seus compatriotas, é o que ocupa a maior parte de seu tempo.

As maiores exportações de Moçambique, Mutola é aliviado por estar fora dos holofotes.

"As pessoas sempre esperavam que eu ganhasse, eu gostava de receber telefonemas de Presidente (Joaqium) Chissano me desejando boa sorte.

"Tanto quanto foi motivante, ainda com um pouco de pressão, mas desde então tornamo-nos amigos."

Mutola ainda é uma fã de atletismo e se mantém actualizada sobre o que está acontecendo no desporto.

Ela pagaria para ver Usain Bolt correr, enquanto ela deu Caster Semenya um ombro para chorar por seus problemas com a IAAF.

"Ela me ligou depois que ela voltou de Berlim e pediu o meu apoio", diz ela. "Eu disse a ela que eu era totalmente solidária com ela, mas que precisava ser paciente e continuar treinando enquanto aguardava a IAAF a tomar sua decisão. Mas eu estou confusa agora, porque isso levá tanto tempo para se decidir."

Com a Copa do Mundo ao virar da esquina, recebendo bilhetes Mutola para que as suas equipas favoritas, Brasil e África do Sul, porque ela fala Português e passa a maior parte de seu tempo na África do Sul.

segunda-feira, 8 de março de 2010

TAÇA DE HONRA/SOJOGO: Ferroviário, 1-Desportivo, 2 - “Alvi-negros” batalhadores


O DESPORTIVO arrancou uma exibição que espevitou os seus adeptos e acabou manietando o Ferroviário, até este se render nalguns lances em que o guarda-redes Pinto ficou em apuros.

Entrando sem receios e fazendo valer as suas capacidades colectivas, os “alvi-negros” travaram uma luta renhida no miolo do terreno e, aproveitando-se do melhor performance dos seus atletas, casos de Zainadine Júnior, no eixo defensivo (fazia altas subidas para o ataque), Muandro, Félix e Steven na ofensiva, impuseram-se ao sistema táctico do adversário e a partida se transformou num cenário bastante interessante.

Nem o estado de forma e a experiência de que gozam os “locomotivas” pôde se impor aos “alvi-negros” face ao seu maior atrevimento e garra dentro do rectângulo do jogo.

O Desportivo lembrou aos seus adeptos os momentos áureos que atingiu no passado, com exibições de se lhe tirar o chapéu, trazendo um pouco daquilo que é a sua personalidade.

Sem perder tempo, os “alvi-negros” deram o aviso à navegação num remate de Steven, em que o esférico embateu no travessão, pela parte interior, e depois devolvido para longe da baliza. Foi um lance de belo feito, no qual o atacante “alvi-negro” foi colocado entre os centrais e, após se aliviar, precipitou-se em atirar quando tinha espaço para escolher o melhor ângulo.

Com alguma confiança e maior atrevimento, o Desportivo só não chegou ao golo nos minutos iniciais por falta de frieza, sendo que Muandro foi egoísta nalguns lances em que podia servir o homem melhor posicionado para visar.

E pagou por estas infantilidades, pois o Ferroviário não brincou em serviço quando próximo da baliza adversária, dando lição de que as oportunidades é para serem exploradas. Sonito, que de “alvi-negro” virou “locomotiva”, tentou vingar-se e tirar maiores créditos de Chiquinho Conde, foi ele que assistiu Jerry, num centro bem projectado pela direita, para o “rato” bater categoricamente Gervásio. Decorriam 22 minutos.

Porém, a reacção “alvi-negra” não tardou e a igualdade foi estabelecida nos três minutos seguintes, na sequência de um pontapé de canto, com Félix a aparecer no meio da confusão e cabecear certeiro. O “keeper” Pinto fez-se ao lance, mas os seus “centrais” foram antecipados na sobra junto do primeiro poste. Vai daí, veio a alegria “alvi-negra” e os níveis de confiança também se elevaram.

A luta pela posse da bola foi também cada vez mais renhida e diga-se que o Desportivo foi quem soube tirar proveito das falhas do adversário, num dia que o lateral direito Zainadine Júnior explorou todo o seu corredor, apoiando perfeitamente os seus companheiros mais adiantados. Foi ele o autor do golo da vitória, aos 38 minutos, num passe progressivo do “veterano” Nelinho, colocando Zainadine livre de contrários, para uma saída inglória de Pinto. Aliás, Nelinho, o trinco mais velho do país, quase surpreendeu Pinto que, adiantado dos postes, viu o esférico a roçar as malhas laterais, a anteceder o lance do tento da vitória.

Os “alvi-negros” vieram do intervalo com a lição bem estudada, estancaram as linhas de passe dos “locomotivas”, fechando os caminhos para a sua baliza, ao mesmo tempo que desciam rápidos em contra-ataque. O Ferroviário foi atrás do prejuízo, mas sem sucesso. No único lance clarividente, Jerry, de trás para frente na grande área, atirou alto.

O árbitro da partida, Ainad Ussene, esteve em cima dos acontecimentos, mas com algumas falhas.

FICHA TÉCNICA

Árbitro: Ainad Ussene, auxiliado por João Paulo e Célio Mugabe. Quarto árbitro: Mateus Infante.

FERROVIÁRIO – Pinto; Rafael (Zabula), Butana (Jair), Whisky e Michael; Danito Parruque (Joca), Ítalo, Momed Hagy e Mendes (Tchaka); Sonito e Jerry.

DESPORTIVO – Gervásio; Zainadine Júnior; Emídio, Baúte e Cândido; Dino, Nelinho, Tchitcho (Binó) e Muandro; Félix (Isac) e Steven (James).

Acção disciplinar: cartão amarelo Butana, Whisky, Joca, Zainadine Júnior e Baúte.

TAÇA DE HONRA/SOJOGO: “Águia” irreverente no pedestal de honr


O DESPORTIVO conquistou, sábado, a Taça de Honra/Sojogo em Futebol, ao derrotar o Ferroviário por 2-1, na quinta e última jornada da prova. A partida teve uma assistência assinalável, no campo do Maxaquene, e foi revestida de momentos de grandes emoções, pelo alto nível de competitividade demonstrado pelas duas equipas.

Os “alvi-negros”, que até ao vigésimo segundo minuto perdiam por 1-0, com o golo do infalível Jerry, reagiram de imediato e restabeleceram o empate três minutos depois por intermédio de Félix. Imbuídos de espírito combativo, evidenciando sólida coesão e um futebol colectivo, os “alvi-negros” fixaram o resultado final ainda na primeira parte, com um golo de belo efeito de Zainadine Júnior, aos 38 minutos.

Diga-se, em abono da verdade, que o Desportivo ganhou o troféu mercê da sua maior dedicação e sagacidade. Isso justifica-se pela trajectória brilhante durante as cinco jornadas disputadas, ao fim das quais não conheceu o sabor amargo da derrota, contabilizando ao fim da prova três vitórias e dois empates.

Noutro jogo da tarde, que antecipou o embate decisivo, também entre colossos da nossa praça, Maxaquene desfeiteou Costa do Sol por 2-0, em mais uma partida em que a sua rapaziada esteve altamente inspirada. Os “tricolores” souberam tirar proveito das oportunidades que tiveram, graças ao alto grau de objectividade que caracterizou a sua actuação, com os jovens Tony e Hélder Pelembe a saberem fazer valer as suas capacidades no sector ofensivo.

Coube a Hélder Pelembe abrir o activo e, noutro lance em que Tony apareceu isolado na zona de rigor, foi carregado pelas costas pelo “central” Jonas e ganhou uma grande penalidade bem convertida por Gabito. Na classificação final, o Desportivo somou 11 pontos, seguido do Matchedje 10, Liga Muçulmana oito, Ferroviário seis, Maxaquene cinco e Costa do Sol, último classificado, apenas dois.

O troféu referente a esta competição foi entregue a Emídio, “capitão” dos “alvi-negros”, por um representante da Sojogo, a empresa patrocinadora da Taça de Honra.

SALVADOR NHANTUMBO

TAÇA DE HONRA/SOJOGO: Costa do Sol, 0-Maxaquene, 2 - “Tricolores” mais atrevidos




O ORGULHO “canarinho” não se fez sentir. Apesar de um futebol bem articulado, o Costa do Sol não teve soluções no sector ofensivo.

Tó acusou falta de prontidão, enquanto Ruben, com quem fazia a dupla de ataque nesta nova experiência do “mister” João Chissano, batalhava sem descansar à procura de fazer melhor assistência àquele.

Josimar se esforçou para abrir o jogo ofensivo pela esquerda, entrando à diagonal, para baralhar os “centrais” e fez algumas perfeitas combinações com Tó e Ruben, mas faltaram soluções para marcar. Na primeira articulação triangular, Ruben isolou-se em posição considerada irregular pelo juiz da partida. Na segunda, Ruben foi novamente assistido por Josimar e é desarmado, mas a bola sobra para Tó, para este desperdiçar a oportunidade de marcar.

Foram duas ocasiões em menos de 10 minutos, abrindo espaço para o Maxaquene se concentrar cada vez melhor, com o jovem atacante Tony a criar alvoroço na baliza defendida por Joaquim. No primeiro frente-a-frente com o guarda-redes “canarinho”, Tony viu o esférico a roçar o poste com um desvio subtil.

Tendo o apoio de Eboh pela esquerda e Eládio pelo lado contrário, Tony foi o mais astuto pela sua rapidez e fez uma bela combinação com Hélder Pelembe, este que registou o primeiro tento “tricolor” aos 63 minutos, concluindo um centro de Eusébio. Este tento até surgiu tardiamente, pois o Maxaquene teve imensas possibilidades de o fazer ainda na primeira parte, em que tanto Eboh como Macamito por pouco não acertaram a baliza.

Mas o lance mais clarividente pertenceu a Hélder Pelembe que, num ressalto de bola à entrada da grande área “canarinha”, tentou desenhar um “chapéu” a Joaquim, mas este saiu com garras e na meia-lua lançou-se evitando o pior. O árbitro assistente assinalou falta, pois o guarda-redes jogou a bola com as mãos fora da grande área, mas Eládio não atinou com a baliza.

Na jogada seguinte, Eboh apareceu entre os “centrais” a desviar com êxito mais um centro de Eládio, mas o árbitro Paulo Buque considerou acção faltosa do jogador “tricolor” na disputa do esférico, uma decisão menos clara. Contudo, o Maxaquene acabou conseguindo o que queria, porque soube se movimentar no terreno, valendo ainda a velocidade dos seus atacantes, nomeadamente Tony e Hélder Pelembe, com mais evidência para o primeiro.

O segundo golo foi na sequência do seu derrube sobre a área, quando já estava um passo à frente da defensiva e pronto a marcar. O “central” Jonas não o deixou progredir e, próximo do lance, Paulo Buque assinalou penalte, bem convertido por Gabito.

O árbitro foi infeliz nalgumas decisões, mas não influenciou no resultado.

FICHA TÉCNICA

Árbitro: Paulo Buque, auxiliado por Henriques Langa e Salomão José. Quarto árbitro: Farisse João.

COSTA DO SOL – Joaquim; João, Manuelito, Jonas e Dito; Perry, Payó, Mambo e Josimar (Gomessane); Ruben (Escuro) e Tó (Egídio).

MAXAQUENE – Nelinho; Vovote, Délcio, Gabito e Eusébio; Eládio, Macamito (Liberty), Alvarito e Eboh (Mustafá); Hélder Pelembe (Aníbal) e Tony.

Acção disciplinar: cartão amarelo Manuelito, Macamito e Tony.