sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2010

Sporting: Mexer estreou-se com vitória na Taça Intercalar



Central moçambicano foi titular no triunfo sobre o Belenenses (2-1)

Mexer, central moçambicano contratado no mercado de Inverno, estreou-se esta quarta-feira de leão ao peito na vitória do Sporting sobre o Belenenses na Taça Intercalar (2-1).

A equipa do Restelo esteve em vantagem, com golo de Romário (27m), mas a equipa de Alvalade virou o resultado com golos de Renato Santos (32m9 e Matheus Silva (63m).

Sporting e Belenenses lideram a Zona Sul com quatro pontos, à frente do Benfica (3), Mafra (1) e Estoril (1-1).

quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2010

Mart vai ou fica?



Renovação refém de parceiros segundo Filipe Lucas Johane.O Governo, por seu turno, diz que aguarda pelo regresso do técnico, no final deste mês, para finalizar o processo.

Já vai longo o processo negocial entre a Federação Moçambicana de Futebol (FMF) e o técnico holandês, Mart Nooij, visando a renovação do contrato deste no comando dos Mambas. Como já é do domínio público, antes mesmo do término do primeiro vínculo contratual, decorria ainda o ano passado, a FMF apresentara uma proposta de renovação ao técnico que, pelo que apurámos, rondava os vinte mil dólares.

A esta proposta, o holandês só respondeu depois do Campeonato Africano das Nações, CAN Orange de Angola 2010, com uma contraproposta de aproximadamente vinte e cinco mil dólares, a qual a FMF tratou de apresentar ao governo, através do Ministério da Juventude e Desportos, para a tornar exequível.

Esta terça-feira, 23 de Fevereiro, passam precisamente cinquenta e quatro dias depois que o anterior contrato terminou e, ao contrário do que se esperava, ainda nada foi decidido para a preocupação dos amantes do futebol e em particular da selecção nacional.

O secretário-geral da Federação Moçambicana de Futebol diz que o processo regista um impasse porque o governo ainda não encontrou parceiros dispostos a pagar o salário exigido pelo holandês.

MART PEDIU 25 MIL USD

Um salário líquido mensal de vinte e cinco mil dólares americanos, o equivalente a cerca de seiscentos e setenta e cinco mil meticais, é quanto Mart Nooij pediu à Federação Moçambicana de Futebol como contraproposta à proposta de perto de vinte mil dólares, ou seja, quinhentos e quarenta mil meticais, do organismo de tutela do futebol moçambicano para renovar pela selecção nacional.

Trata-se de um incremento na ordem de setenta e cinco por cento em relação ao valor que Mart Nooij auferia até 31 de Janeiro de 2010.

A FMF, que não nada em dinheiro, lembra Johane, “apresentou referida contraproposta ao governo. Todos sabem que não é a federação que paga os onorários do seleccionador. O governo, com o apoio de parceiros do FUT-21, é quem suportou a estada de Mart Nooij em Moçambique.

Nós, federação, não temos condições para tal”, justificou.

Filipe Lucas Johane disse, também, no contacto que manteve com o nosso jornal, ter conhecimento de que o governo tem se desdobrado em contactos com vários parceiros, a começar pelos que ao longo dos últimos dois anos garantiram a sustentabilidade da permanência de Mart Nooij, no país, até aos que, não sendo ainda, espera congregá-los nesse grupo, tudo a pensar numa solução.

Ao que parece, as negociações não vão a bom porto. Segundo a nossa fonte, os parceiros ainda não responderam positivamente à proposta apresentada pela Federação Moçambicana de Futebol.

AFROTAÇAS-2010 - Jornada de confirmação ou ainda de sobressalto?




O DESNÍVEL futebolístico entre os nossos representantes nas Afrotaças-2010 e os seus adversários ficou bem expresso nos desafios da primeira “mão” da pré-eliminatória, disputados há sensivelmente duas semanas.

Para além das suas vitórias, Ferroviário e Costa do Sol vincaram, do ponto de vista competitivo, que possuem mais e melhores argumentos para meritoriamente transitarem para os dezasseis-avos-de-final.


Neste momento, a expectativa dos adeptos moçambicanos gravita em torno dos números que “locomotivas” e “canarinhos” brindarão os seus opositores, quando na tarde de sábado – e não no domingo, como habitualmente – enfrentarem AC Mitsamiouli, das Ilhas Comores, no Estádio da Machava, em Maputo, e União Flamingo Santos, do Botswana, em Gaberone.

Os triunfos conseguidos pelo Ferroviário (5-3) em Moroni e pelo Costa do Sol (2-0), no seu terreno, são tranquilizadores, daí “todo o mundo” esperar que a presente jornada seja apenas de confirmação da supremacia exercida pelos moçambicanos.

No entanto, por uma questão de prudência – e não de receio – estes desafios de sábado podem também ser de sobressalto e de desencanto para as nossas aspirações, pelo que é extremamente importante não embandeirar em arco, principalmente a turma de João Chissano, pelo facto de actuar fora de portas e num ambiente que lhe será absolutamente hostil.

Os campeões nacionais far-se-ão ao relvado do Vale do Infulene com cinco tentos marcados – uma verdadeira obra –, utilíssimos em caso de necessidade de empate. Os comorianos são claramente menos dotados, em todos os aspectos, todavia, importa recordar que, no desafio da primeira “mão”, mesmo a perder por duas bolas sem resposta não baixaram os braços, tendo lutado com galhardia e logrado chegar à igualdade (2-2), embora os “locomotivas”, mais maduros e experientes nestas andanças, tenham depois dado o “xeque-mate” com um desfecho que lhes tranquiliza.

Em relação aos “canarinhos”, pelo que se viu do Flamingo Santos, não resta a menor dúvida que as dificuldades serão muito grandes, até porque a vantagem de 2-0 não recomenda um sossego total. Depois das partidas da primeira “mão”, Ferroviário e Costa do Sol estiveram envolvidos na disputa da Taça de Honra, tendo jogado no sábado e na quarta-feira.

Esta semana, enquanto a equipa de Chiquinho Conde vem se preparando afincadamente no seu campo, os “canarinhos” preferiram um estágio competitivo na África do Sul, tendo em vista, também, a adaptação à altitude, viajando hoje para Gaberone.

AFROTAÇAS-2010 - Campeão nacional tranquilo, mas … Não festejar antes do tempo



CINCO golos em terreno alheio é uma obra que deixa qualquer equipa tranquilíssima, sobretudo se se considerar que o adversário é claramente incapaz de protagonizar uma reviravolta, como é o caso do AC Mitsamiouli.

Mesmo assim, nas hostes “locomotivas”, apesar de o ambiente ser de certeza em relação à passagem para os dezasseis-avos-de-final da Liga dos Campeões, recomenda-se calma, serenidade e nada de festejos antes do tempo.

Embora o bilhete de passagem rumo à etapa seguinte praticamente já esteja nas mãos do seu time, Chiquinho Conde prima pela contenção, isto é, reduzir ao máximo os prováveis excessos de confiança dos atletas, que só contribuiriam para a sua desconcentração, numa semana tão fulcral como esta.

Aliás, a despeito da nítida vantagem, o técnico campeão nacional não esconde a sua gula, afirmando que o Ferroviário vai jogar ao ataque e procurar fazer tantos golos quantos marcou nas Comores, pois não faz parte da sua filosofia gerir vantagens, uma vez que os jogos são para ser ganhos.

É neste pressuposto, segundo ele, que a palavra de ordem nos treinos tem sido a seguinte: procurar atingir a perfeição no passe, exactidão no ataque e determinação a defender. Em face destes factos, a aplicação dos jogadores é uma realidade e quase que não há tempo para respirar. Movimentos rápidos e trocas de bola ao segundo toque são uma arma a explorar, de forma a aproveitar o fraco poderio técnico dos comorianos.

As sessões de treinamento decorrem desde segunda-feira, no campo do Ferroviário da Baixa, mas amanhã a equipa transfere-se para o Estádio da Machava, palco do encontro, estando agendados ensaios de remates à baliza, bem como a táctica e a estratégia a utilizar frente ao campeão das Comores.

Em princípio, a equipa técnica “locomotiva” terá todos os jogadores disponíveis para este compromisso. Jerry, que tinha sido dispensado para tratar assuntos pessoais e não alinhou contra o Maxaquene, no sábado, para a Taça de Honra, já voltou ao trabalho e deverá fazer parte do onze inicial.

AFROTAÇAS-2010 - Estamos muitos fortes - afirma o goleador Jerry




“O FERROVIÁRIO só pensa em ganhar todos os jogos e lutar até ao final de cada prova com a mesma ambição.

O grupo está motivado muito forte e unido. Portanto, estão todas as condições reunidas para conseguirmos passar esta eliminatória”, afirmação do goleador Jerry, acrescentando que os “locomotivas” estão a passar por um bom momento de forma, pelo que está muito confiante num bom resultado.

Questionado sobre as chances do campeão nacional nesta prova, o avançado disse: “O nosso objectivo é chegar até à fase de grupos. Mas nada nos proíbe de ir mais longe. Tudo depende de nós. Vamos acreditar que é possível fazer uma prova para além das metas traçadas”.

AFROTAÇAS-2010 - “Canário” motivado a caminho do Botswana



MOTIVADO pelo resultado favorável que transporta na bagagem, o Costa do Sol segue esta manhã para o Botswana, onde no sábado disputa com o União Flamingo Santos o desafio da segunda “mão” da pré-eliminatória da Taça Confederação Africana de Futebol.

Tendo escalado a África do Sul para um breve estágio competitivo e também de adaptação à altitude, os “canarinhos” defrontaram segunda-feira a turma local do Moroka Swallows, derrotando-a por 2-1, um desfecho que de certo modo anima as hostes do “canário”, que deste modo se acha mais motivado para o embate de sábado.

Josimar e Ruben foram os autores dos golos do Costa do Sol.

AFROTAÇAS-2010 - Jogos serão no sábado


AS duas partidas das Afrotaças envolvendo formações moçambicanas terão lugar na tarde de sábado, a partir das 15.00 horas.

Para a Liga dos Campeões, o Ferroviário defrontará o AC Mitsamiouli, das Comores, no Estádio da Machava, enquanto para a Taça CAF o Costa do Sol será recebido pelo União Flamingo Santos, do Botswana, provavelmente no Estádio Nacional de Gaborone.

Em relação, concretamente, ao embate de Maputo, a sua marcação para sábado tem a ver com o facto de os comorianos regressarem ao seu país no domingo, pelo que o campeão moçambicano não colocou nenhuma barreira para a antecipação do desafio por um dia, já que, habitualmente, por cá jogamos ao domingo.

A formação insular deverá chegar à capital moçambicana amanhã, enquanto o trio de arbitragem, proveniente de Angola, e o Comissário da CAF, de Madagáscar, desembarcam na sexta-feira.

ELIMINATÓRIAS PARA CAN-2012 - Atenção à Zâmbia - alerta João Chissano



A PARTICIPAÇÃO da Selecção Nacional de Futebol nas eliminatórias do Campeonato Africano das Nações Gabão/Guiné-Equatorial-2012 continua na ordem do dia, devido ao sorteio que colocou os Mambas no Grupo C, juntamente com a Zâmbia, Líbia e Comores.

O treinador do Costa do Sol, João Chissano, que em ocasiões anteriores do CAN defrontou os zambianos, considera esta equipa como a que mais atenção deverá merecer.

“A Zâmbia é, seguramente, o principal adversário de Moçambique no grupo. Tem sido superior a nós e será difícil vencê-la”, disse.

O técnico acrescenta que os Mambas devem começar já a fazer um trabalho árduo para contrariar o poderio dos zambianos.

“Serão dois jogos difíceis, em que a equipa nacional terá que estar na sua melhor forma, tal como se apresentou em alguns desafios da fase de qualificação para o CAN de Angola. Devemos estar concentrados, sobretudo a defender, porque a selecção zambiana tem jogadores de qualidade e que são capazes de decidir uma partida”.

No entanto, João Chissano mostra-se confiante. “Penso que Moçambique saberá ultrapassar os obstáculos que os adversários irão apresentar, não só a Zâmbia como também a Líbia e as Comores, que são opositores a ter em conta. Temos vindo a jogar bem e a ganhar”, concluiu o técnico “canarinho”.

ELIMINATÓRIAS PARA CAN-2012 - Cabo Verde confiante


O PRESIDENTE da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), Mário Semedo, considerou, segunda-feira, que a equipa nacional do arquipélago tem boas possibilidades de se qualificar para a fase final do Campeonato Africano das Nações de 2012, no Gabão e na Guiné-Equatorial.

Num grupo (A) onde tem como adversários Mali, Libéria e Zimbabwe, Mário Semedo apontou os malianos como a selecção de maior gabarito, tendo em conta os seus jogadores que alinham em equipas europeias de renome.

Considerou ser necessária a criação de condições, nomeadamente financeiras, para que Cabo Verde possa ter uma preparação adequada para vencer os seus adversários.

O presidente da FCF chama ainda a atenção para a necessidade urgente de serem criadas condições para que o Estádio da Várzea possa acolher os jogos da principal selecção de futebol do país.

Na opinião de Mário Semedo, se a Confederação Africana de Futebol (CAF) realizar uma inspecção ao Estádio da Várzea, nas suas actuais condições, muito provavelmente Cabo Verde poderia ser impedido de disputar as eliminatórias do CAN-2012, por falta de condições deste recinto desportivo para acolher partidas internacionais.

A selecção de Cabo Verde inicia a sua participação nas eliminatórias do CAN-2012 recebendo a 4 de Setembro a sua congénere do Mali, no Estádio da Várzea, na Cidade da Praia. Na segunda jornada, marcada para 9 de Outubro, desloca-se a Harare para defrontar o Zimbabwe e, na ronda seguinte, recebe na Praia a Libéria, a 26 de Março de 2011.

Posteriormente, Cabo Verde desloca-se a Monróvia para defrontar a Libéria, a 5 de Junho de 2011, e regressa ao Estádio da Várzea a 3 de Setembro de 2011 para jogar contra o Zimbabwe. O combinado cabo-verdiano fecha a sua participação na fase de qualificação com uma deslocação que se antevê muito difícil a Bamako, para defrontar o Mali.

Guiné Equatorial e Gabão, na qualidade de co-organizadores, qualificaram-se automaticamente para a fase final do CAN-2012.

Por sua vez, o Togo foi excluído do sorteio, por ter sido suspenso pela CAF para os dois próximos CANs, após abandonar prova de 2010, em Angola, na sequência do atentado de que a sua selecção foi vítima à chegada a Cabinda, dois dias antes do arranque do torneio.

Os primeiros classificados dos 11 grupos e os três melhores classificados em segundo lugar qualificam-se directamente para a prova.

MUNDIAL ÁFRICA DO SUL-2010 - Estádio de abertura ainda sem data de inauguração



O “SOCCER City”, em Joanesburgo, está previsto para ser o estádio de abertura do Campeonato Mundial de Futebol África do Sul-2010, no dia 11 de Junho, mas ainda não tem uma data de inauguração devido aos sucessivos atrasos nas obras do mesmo.

Com capacidade para 94 mil pessoas, o “Soccer City” é o maior de África. A fachada e o interior já estão prontos, mas à volta do estádio ainda está tudo por fazer.

Por isso, o director executivo do Comité Organizador, Danny Jordaan, admitiu, ontem, que na melhor das hipóteses o “Soccer City” abrirá as portas em Abril ou Maio.

“O estádio está completo, mas ainda precisamos de concluir a parte de fora. Esperamos que isso aconteça em Abril ou Maio, para que possamos fazer uns dois ou três eventos-teste antes do início do Mundial”, disse Jordaan, constrangido com o grande atraso nas obras.

O anúncio foi mais um adiamento de uma inauguração já bastante atrasada. Inicialmente, o “Soccer City” deveria receber uma partida em Janeiro ou Fevereiro. Depois passou para Março e agora para Abril ou Maio.

Na semana passada, o secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke, já havia decretado o dia 15 de Março como prazo final para as obras. Ontem, sentado ao lado de Jordann na Conferência de Imprensa, Valcke reconheceu a gravidade do problema, mas preferiu reiterar a sua confiança no Comité Organizador.

“Podemos começar o Mundial amanhã de manhã? Claro que não, porque há uma série de pendentes a serem resolvidas, como o “Soccer City”. Temos 108 dias para a abertura, sabemos que o tempo é curto, mas se me perguntarem se o “Soccer City” ficará pronto eu direi: “sim”, rematou Valcke.

LIGA DOS CAMPEÕES EUROPEUS - Inter-Chelsea acalora “Champions”


O DESAFIO entre Inter e Chelsea é, para muitos, o mais aliciante dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. O encontro realiza-se esta noite, a partir das 21.45 horas, em San Siro, e colocará frente-a-frente duas das melhores equipas da Europa e do mundo.

Este despique entre italianos e ingleses ganha mais fervor se se atender que José Mourinho, agora a treinar o Inter de Milão, enfrentará a sua ex-equipa, da qual guarda muito boas recordações.

Os milaneses jogam em casa na primeira “mão”, após terem ficado pelo caminho nos oitavos-de-final nas três edições anteriores e agora lutam para inverter essa tendência. Mourinho teve uma passagem de três anos por Stamford Bridge recheada de sucessos, onde se destacam dois títulos da Premier League antes de, em Setembro de 2007, deixar o clube.

Esta eliminatória também marca o regresso de Carlo Ancelotti a Milão, cidade onde o actual técnico dos “blues” foi, durante oito épocas, o treinador do AC Milan, depois de, igualmente, ter representado os “rossoneri” enquanto jogador. Consigo no comando técnico, os milaneses estiveram por três vezes em finais da “Champions League”, tendo ganho duas.

Ainda esta noite, também a partir das 21.45 horas, o CSKA de Moscovo defronta um Sevilha que já derrotou duas equipas russas, o Lokomotiv de Moscovo e o Zenit St. Petersburg, quando na época 2005/06 conquistou a sua primeira Taça UEFA, agora Liga Europa.

quarta-feira, 17 de Fevereiro de 2010

MOÇAMBOLA-2010 - Semedo prepara “canoa” para navegar no alto-mar





ARTUR Semedo tem a missão espinhosa de levar a Liga Muçulmana, clube com o qual assinou um contrato de duas épocas, a bom porto nas provas mais importantes do calendário futebolístico nacional, nomeadamente Moçambola e Taça de Moçambique.

Conquistar uma das duas competições é o objectivo perseguido por esta formação, desde que há quatro anos ascendeu à divisão principal. O técnico promete um “time” à sua dimensão e com os olhos postos no título, sendo essa sua premissa sempre que está à frente de uma equipa, sobretudo quando pertence a um clube com grandes ambições.

A aspiração da Liga Muçulmana pelo título exige do treinador um grande exercício para um conjunto à altura deste desafio, e Artur Semedo está ciente das dificuldades que terá pela frente para alcançar este objectivo, atendendo que tem consigo jogadores que vêm de experiências e hábitos diferentes.

Ressalvou, contudo, que o sucesso da equipa passará por um trabalho sistemático, para a adopção daquilo que são os seus princípios de jogo. Sendo assim, será necessário eliminar os hábitos que os atletas trazem consigo e que podem contrapor às novas metodologias que determinarão a nova maneira de estar do conjunto durante o seu mandato.

“Existe esta obrigação que é de lutar pela conquista de uma das principais provas. Independentemente da decisão da Direcção, é minha premissa lutar pelo título e o plantel de que disponho corresponde ao que pedi para que permanecesse ou viesse como reforço. Não é um plantel ideal, mas é um bom plantel”, sublinhou, ajuntando que algumas posições que pretendia que fossem melhor preenchidas escasseiam. “Falo de centrais, médios-ala de qualidade e também dos defesas laterais”.

Indagado se os jogadores de que dispõe estariam à altura de reagir positivamente aos métodos de trabalho que preconiza, Semedo respondeu que tudo ficará esclarecido com o trabalho em curso, sublinhando que o mais importante, neste momento, é comungar e promover a empatia para consolidar a interacção entre os jogadores.

Tendo em conta que a Liga Muçulmana esteve durante alguns dias na África do Sul, em preparação da temporada, o “mister” defendeu que os seus estágios não têm uma finalidade competitiva como tal, mas sim promover o conhecimento mútuo. “Fomos à África do Sul para buscar a interacção entre o grupo fora do ambiente habitual e para criar um espírito colectivo e coesão de modo que os jogadores se conheçam fora do seu habitat”.

COMPETÊNCIA SEMPRE GEROU INIMIZADE

O NOVO treinador da Liga Muçulmana falou, numa outra abordagem, daquilo que considerou de arbitrariedades que o nosso futebol vive, apontando o caso de Nelson, uma das novas pedras da sua equipa e que no ano transacto representou o Desportivo, neste momento a braços com um processo que classificou de injusto.

O jovem jogador não fez o último jogo do Moçambola da época passada, frente ao Ferroviário, por castigo numa das partidas do torneio de encerramento organizado pela Associação de Futebol da Cidade de Maputo (AFCM). Para Semedo, trata-se de duas competições que não “limpam” as suspensões nem duma nem doutra prova.

“Mesmo assim, Nelson não alinhou por ordens do presidente da AFCM. Portanto, em defesa de um clube, impediu que Nelson jogasse. Fizemos diligências junto à Liga Moçambicana de Futebol e não houve a devida resposta. Nem a Federação conseguiu fazer valer a justiça porque interessava, em conluio, que Artur Semedo não fosse campeão.

Estamos a falar de ilegalidades tornadas legais circunstancialmente, a favor deste ou daquele clube, e Nelson vai cumprir ainda o castigo que não existe esta época. Continuamos a assistir a arbitrariedades no nosso futebol, cometidas por gente responsável”, lamentou Semedo, sintetizando que, quando se é competente, não se pode esperar outra coisa, pois a competência sempre gera inimigos. No entanto, deixou um alerta aos seus detractores:

“Podem continuar com este comportamento, prejudicar-me aqui e ali, colocar obstáculos ao longo do meu trabalho, mas não serão capazes de me retirar este talento. Quanto a isso, não têm hipóteses e esse talento todos os anos está visível em mim. Mais: o Semedo da presente época será o mesmo do ano passado, que fala pouco e que se dedica ao seu clube. Remeti-me ao silêncio, no passado, porque conclui que não adianta lutar pelo bem do nosso futebol”.

Artur Semedo é o primeiro dos conceituados treinadores moçambicanos a assumir o comando técnico da Liga Muçulmana, depois que ascendeu ao Campeonato Nacional, a seguir ao brasileiro Paulo Camargo e ao português Manuel Gomes, mais conhecido por professor Neca, este último que se demitiu na recta final do Moçambola-2009, quando viu esgotadas as hipóteses de chegar ao título, tendo sido substituído pelo seu ex-adjunto Miguel dos Santos.

Entretanto, o plantel da Liga Muçulmana, para o ano de 2010, é o seguinte:

Guarda-redes - Binó, Neco e Victor.

Defesas - Fanuel, Gabito, Campira, Aguiar, Narciso e Mayunda.

Médios - Carlitos, Micas, Jumisse, Vling, Paíto, Filipe, Nelsinho, Nelson e Silvério.

Avançados - Maurício, Massitara, Chana e Eurico.

FANUEL E CAMPIRA DEVEM JOGAR DE FORMA MODERNA


NO início da época, chegou a ser dado como certo o regresso do central Fanuel ao Maxaquene, alegadamente porque na Liga Muçulmana, com Artur Semedo como timoneiro, não iria jogar.

Sendo um assunto pertinente, colocamo-lo ao próprio treinador, que refutou o caso, afirmando que a Direcção “tricolor” terá provocado esta polémica com o objectivo de persuadir o atleta a optar por aquele clube.

“Fanuel nunca quis abdicar da equipa por minha causa. Isso só pode ser obra dos dirigentes do Maxaquene que, precisando dele, criaram esta polémica”, acusou, sublinhando que o que Fanuel precisa é potenciar as qualidades que tem e jogar como se joga no futebol moderno, tendo em conta as suas qualidades/capacidades físicas e técnicas.

Semedo fez a mesma observação em relação a Campira, uma das novas aquisições da Liga Muçulmana. Segundo ele, Campira tem capacidades ímpares para fazer a posição de lateral direito.

“Arrisco dizer que é o melhor lateral deste país. Precisa de potenciar as capacidades que revela. Precisa de ser equilibrado quando envolvido nas duas acções, a defensiva e a ofensiva”, comentou.

Salvador Nhantumbo

A SELECÇÃO Nacional de Futebol de Sub-17 fez uma demonstração excepcional e que provocou uma forte curiosidade à sua congénere alemã do Estado da Bavi


A SELECÇÃO Nacional de Futebol de Sub-17 fez uma demonstração excepcional e que provocou uma forte curiosidade à sua congénere alemã do Estado da Baviera, com quem perdeu, ontem, por 1-2, no relvado do Costa do Sol, em jogo amigável inserido no intercâmbio entre Moçambique e Alemanha.

As duas formações voltam a cruzar-se amanhã à tarde, no Estádio 1º de Maio/Standard Bank, para decidirem quem fica com o troféu que a FMF disponibilizou para o vencedor do torneio.

Mesmo confrontados com o calor intenso que se faz sentir em Maputo, em contraste com as temperaturas negativas que se registam na Alemanha, os germânicos empreenderam uma forte resistência e acabaram sendo bafejados pela sorte, no lance que lhes conferiu a vitória.

O porte físico e a elevada capacidade técnica e táctica dos alemães acabaram, de alguma maneira, se sobrepondo aos pequenos “Mambas”, que nem sequer tiveram tempo suficiente de preparação para este intercâmbio, tendo em conta que a época futebolística nos escalões de formação praticamente ainda não está em curso.

Os “Mambinhas” acusaram falta de ritmo e, com um grande esforço, acabaram fazendo um jogo aceitável, tirando vantagem do clima para manietar os forasteiros. Aliás, os alemães, que tinham entrado de forma empolgante, foram gradualmente perdendo forças face à rapidez imposta pelos moçambicanos ao jogo, uma estratégia que tinha como finalidade afectar fisicamente o adversário.

Mesmo assim, coube aos visitantes chegar primeiro ao golo, numa jogada de insistência em que a bola sobrou para o remate forte e bem direccionado de Matthias, que saiu da defensiva para apoiar o ataque, quando estavam decorridos 33 minutos. Mas a reacção dos “Mambinhas” foi pronta, daí o tento da igualdade no minuto seguinte, bem conseguido por Dinis.

Com o empate, a partida ganhou outro interesse e motivação, com os “Mambinhas” mais atrevidos, pois regressaram do intervalo com uma outra orientação, mas havia muitas cautelas defensivas do adversário. E, como a sorte estava do lado dos alemães, a vitória acabou sorrido para si, num lance em que o defensor Ivanildo derrubou Josef, na grande área. Próximo da jogada, o árbitro assinalou grande penalidade, convertida por Christoph.

A equipa de arbitragem, liderada por Estêvão Matsinhe, fez um bom trabalho.

FICHA TÉCNICA

Árbitro: Estêvão Matsinhe, coadjuvado por Francisco Machel e João Paulo. Quarto árbitro: Felisberto José.

MOÇAMBIQUE – Edson I; Albino, Ivanildo, Naftal e Dércio; Dinis, Omar, Yossen e Mateus; Alexandre e Cléusio.

Jogaram ainda Henrique, Alberto, Constantino, Mauro, Vasco e Edson II.

ALEMANHA (BAVIERA) – Alexander I; Matthias, Julian, Tim Allen e Nikolai; Marco, Mirozivkovic, Daniel e Thomas; Alexander II e Valter.

Jogaram ainda Thomas II, Christoph, Josef, Joel e Alexander III.

“Nacionais” de Corta-Mato: Beirenses “reis” em Xai-Xai



HOUVE emoção, competitividade e supremacia do Ferroviário da Beira, que acabou sendo o grande vencedor do Campeonato Nacional de corta-mato, realizado sábado, em Xai-Xai, com os seus atletas Manuel Salgado e Hortência Domingos a se destacarem.

Salgado teve que se aplicar a fundo para levar de vencida os seus opositores, com Manuel Gabriel, do Clube Atlético de Tete, a oferecer uma grande resistência. Aliás, o tetense esteve a liderar até ao último terço da corrida, mas, a partir daqui, começou a denotar alguma falta de resistência, num dia em que a temperatura rondava os 36 graus centígrados. Temperatura Bem elevada para uma prova que iniciou às 11.30 horas, altura em que o sol começa a atingir o pico de aquecimento.

Quem não se ressentiu muito dessa contrariedade foi o fundista do Ferroviário da Beira Manuel Salgado, que na ponta final da prova, com um percurso de 12 quilómetros, ultrapassou Manuel Gabriel e nunca mais largou o primeiro lugar. Foi gerindo como quis a preciosa distância que ganhou em relação aos seus adversários. Salgado cortou a meta com o tempo de 42.01,51 minutos, seguido de Gabriel com 43.01,97 e de Augusto António, também do Ferroviário da Beira, com 43.13,74.

Se Manuel Salgado teve que comer a areia tórrida de Xai-Xai para conquistar a primeira posição, o mesmo já não se pode dizer de Hortência Domingos, que venceu sem grandes dificuldades.

A menina do Ferroviário da Beira até teve alguma concorrência, em particular de Aida Bernardo, do Atlético de Tete, mas só até ao meio do percurso de oito quilómetros, pois daí para frente a “locomotiva” se distanciou das suas opositoras e só parou quando cortou a meta, com a marca de 33.38,85 minutos. Aida Bernardo ocupou a segunda posição com o tempo de 34.14,52 minutos, enquanto Sina Jaime, do Clube da Maratona de Maputo, ficou na terceira posição com o tempo de 35.14,52. minutos.

As camadas inferiores, juniores e juvenis, também se fizeram à estrada.

Eis as três primeiras posições:

JÚNIORES

Masculinos - 1° Carlos Manuel (Gaza), 38.52,62 minutos; 2° Meque Augusto (Abílio Antunes), 38.58,70; 3° Rudne Lucas (Fer. Beira), 40.06,82 minutos.

Femininos - 1° Inácia Joshua (Abílio Antunes), 26.05,40 minutos; 2° Aventina Armando 26.16,52 (Abílio Antunes), 26.16,52; 3°, Isaliete Laitone (Abílio Antunes), 26.53,13 minutos.

JUVENIS

Masculinos – 1° Egas Lourenço (Inhambane), 21.28,90 minutos; 2° Albertino Mambo (UP Maputo) 21.41,64; 3º Vítor Muianga (Fer. Mahotas), 23.25,28 minutos.

Femininos - 1° Micaela Micausse (Académica de Chiúta) 18.45,25 minutos; 2° Inocência Sabino (Gaza), 18.48,56; 3º Aida Jonalay (Académica), 19.07,37 minutos

Pedrito Caetano trabalha na Zambézia

O MINISTRO da Juventude e Desportos, inicia hoje uma visita de trabalho que se prolongará até domingo à província da Zambézia, no quadro da verificação do grau de cumprimento do Programa Quinquenal do Governo no sector.

Durante a sua estada, Pedrito Caetano desenvolverá diversas actividades na cidade de Quelimane e nos distritos de Alto Molócue, Mocuba e Namacurra, reunindo-se com associações juvenis e desportivas e agentes económicos, para conhecer os seus projectos e infra-estruturas.

Especificamente na capital provincial da Zambézia, o titular da pasta da Juventude e Desportos visitará a Faculdade de Ciências Marinhas e Costeiras da UEM e os clubes 1º de Maio, Ferroviário, Sporting e Benfica, para além da Rádio Juvenil Quelimane FM e o projecto de produção de blocos da Associação VASAD.

Em Alto Molócue, Pedrito Caetano estará na machamba dos jovens de Namilepe, na vila do milénio e no local reservado para a construção de uma pista de atletismo. Já em Mocuba, o ministro prevê visitar a Associação Recreativa local e a Associação NANA, enquanto em Namacurra deslocar-se-á à área reservada para a construção de habitação para jovens. Em todos estes locais, terá encontros com jovens das associações juvenis, activistas da Geração Biz, empreendedores e estudantes.

Nesta sua primeira visita a uma província desde que assumiu o cargo de Ministro da Juventude e Desportos, Pedrito Caetano far-se-á acompanhar pelos Directores Nacionais dos Assuntos da Juventude, José Neves Maluleca, e dos Desportos, Inácio Bernardo.

TAÇA DE HONRA - “Africanos” estreiam-se



APÓS disputarem a Supertaça e cumprirem uma etapa das Afrotaças, Ferroviário de Maputo e Costa do Sol estreiam-se esta tarde, no campo do Maxaquene, na Taça de Honra Top 6/SOJOGO.

Os “locomotivas” serão os primeiros a entrar em cena, a partir das 14.00 horas, defrontando o Matchedje, para, às 16.00, ser a vez do Costa do Sol medir forças com a Liga Muçulmana. Ambos os encontros são relativos à primeira jornada.

Em perspectiva duas partidas muito bem disputadas e com bons momentos de futebol. Ferroviário e Costa do Sol poderão aparecer mais rotinados, por força das Afrotaças, mas doutro lado estarão Matchedje e Liga Muçulmana que já somam um ponto na competição e dispostos a subir na classificação.

Basquetebol feminino: Torneio de apuramento substitui “Nacional”



UM torneio de apuramento dos nossos dois representantes na Taça dos Campeões de África em Basquetebol de Seniores Femininos decorrerá na capital do país, a partir de sexta-feira, sob a égide da Federação Moçambicana da modalidade.

Para o efeito, foram convidados a tomar parte na prova, colectividades de todas as províncias, mediante o pagamento da taxa de participação no valor de 10 mil meticais.

Segundo indicação da Federação, os clubes interessados em disputar o torneio ficam responsáveis pelo pagamento de todas as despesas da sua participação, designadamente transporte, alojamento e alimentação na cidade de Maputo.

A realização desta competição, com o único fito de qualificar os representantes do país nas competições internacionais deste ano, surge como alternativa ao cancelamento do Campeonato Nacional da categoria, que estava marcado para ter lugar no mesmo período de 19 a 26 de Fevereiro.

De acordo com a FMB, o “Nacional”foi inviabilizado pelo facto de não ter recebido, até 25 de Janeiro passado, qualquer inscrição dos clubes apurados para representar as respectivas províncias.

Recorde-se que, em 2009, Moçambique foi representado na Taça dos Campeões de Seniores Femininos pelo Desportivo e A Politécnica, que foram ao Zimbabwe carimbar o passaporte para a fase final, dirimido no Benin e conquistado pelo First Bank, da Nigéria.

LIGA DOS CAMPEÕES EUROPEUS - “Dragão” efervescente na recepção ao Arsenal


O ESTÁDIO do Dragão veste-se hoje de gala para receber o Arsenal, adversário do FC Porto nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões Europeus.

Será uma daquelas noites frias que se tornam quentes devido ao grau de importância do desafio para ambas as formações. O início do encontro está previsto para as 21:45 horas.

Se o FC Porto não vencer, será obrigado a contrariar a tradição na Inglaterra, onde nunca ganhou e só empatou dois jogos num total de 14. Vista neste prisma, ganha especial importância a partida do “Dragão”, ainda que Arsene Wenger já tenha avisado que o 0-0 o deixaria satisfeito.

O passado dá-lhe razão. Resta avaliar que argumentos têm as equipas para trocar às voltas um histórico tão longo e tão pronunciado. Jesualdo Ferreira não acredita em fatalismos, mas vai piscar o olho a um triunfo que lhe permita especular em Londres.

Nas eliminatórias a contar para a Taça/Liga dos Campeões, nunca os azuis-e-brancos ficaram pelo caminho quando disputaram e ganharam a primeira “mão” em casa. Já aconteceu por 12 vezes e com especial importância nas duas caminhadas que terminaram com a conquista do “caneco”.

Em 1986/87, o FC Porto fez quase todo o percurso até Viena a arrancar em Portugal, sendo a excepção o duelo com os checos do Vitkovice, que implicou uma reviravolta nas “Antas”, depois da derrota fora de portas foi, a título de curiosidade, a última remontada portista na prova.

Já em 2003/04, foi também fundamental o avanço conquistado perante Manchester United e Lyon, sendo que o nulo com o Deportivo da Corunha, nas meias-finais, foi superado com uma vitória na Galiza. Desde essa época que o FC Porto não consegue ganhar vantagem quando arranca para eliminatórias europeias em casa. Assim, sucedeu em 2004/05 com o Inter (1-1 no Dragão, 1-3 em Milão) e em 2006/07 com o Chelsea (novamente 1-1 na Invicta e 1-2 em Londres).

Ainda hoje, o Bayern Munique mede forças em casa com a Fiorentina. Estas equipas fizeram parte do mesmo grupo em 2008/09. Os bávaros tentarão negar a sexta vitória consecutiva dos toscanos na presente temporada, quando as duas formações se encontrarem na primeira “mão”, em Munique.

Hoje

Bayern-Fiorentina

Porto-Arsenal

terça-feira, 16 de Fevereiro de 2010

MOÇAMBOLA-2010 - A grande festa arranca a 20 de Março



O PONTAPÉ-de-saída da edição-2010 do Campeonato Nacional de Futebol irá ocorrer somente a 20 de Março, e não no dia 6, tal como inicialmente estava previsto.

Esta nova calendarização surge devido ao compromisso dos “Mambas”, que a 13 e 27 do mesmo mês defrontam o Malawi, para o apuramento zonal rumo à fase final do CAN-Interno de 2011, a ter lugar no Sudão.

A Liga Moçambicana de Futebol está neste momento a estudar minuciosamente todas as hipóteses que se colocam, tendo em conta a actividade da selecção, pois, com o Moçambola a arrancar na data fixada atempadamente, far-se-ia apenas uma jornada para logo a seguir a prova sofrer uma interrupção, o que não seria bom para um campeonato que este ano se espera tenha a devida regularidade.

Na temporada ora em curso, o envolvimento dos “Mambas” nas competições continentais não será muito activo. À excepção da eliminatória para a segunda edição do Campeonato Africano das Nações destinado aos futebolistas que actuam nos campeonatos domésticos, nenhuma outra prova está prevista. Em virtude de ter figurado entre os 16 que disputaram o CAN Angola-2010, Moçambique fica isento da fase preliminar de qualificação para o certame de 2012, no Gabão e na Guiné-Equatorial, cujo sorteio está marcado para o próximo sábado, em Lubumbashi, na RD Congo, por ocasião da Supertaça de África.

Deste modo, e contrariamente ao que aconteceu no ano transacto, a disponibilidade de datas é muito grande para que tenhamos o Moçambola e a Taça de Moçambique sem sobressaltos, mesmo considerando eventuais jogos que a Federação Moçambicana de Futebol possa programar nas datas-FIFA, tendo em vista manter a selecção com alguma rodagem.

Ora, equacionadas todas estas situações, e porque o Moçambola já estava previsto que arrancasse a 6 de Março, a Liga Moçambicana de Futebol considera ser mais sensato abdicar desta data, que acontece uma semana antes de os “Mambas” entrarem em acção face aos malawianos, para o pontapé-de-saída se verificar no dia 20. Apesar disso, a paragem por uma semana acontecerá na mesma, pois a 27 será o desafio da segunda “mão”, só que a LMF considera ser um mal menor, já que será apenas uma interrupção, e não duas, para depois a prova se desenrolar normalmente.

Com estas conjecturas, a Liga fica mais à vontade para neste momento se dedicar à preparação da Assembleia-Geral, que anualmente acontece antes do começo do campeonato, bem como da Gala do Moçambola, durante a qual se realizará o sorteio do campeonato de 2010 e serão premiados os melhores da edição passada. Este evento, com a nova programação, deverá ter lugar no dia 27 de Fevereiro em curso.

CAMPOS: O BICO-DE-OBRA

Na esteira da organização do Moçambola, desde Dezembro que a Direcção da Liga Moçambicana de Futebol tem estado a multiplicar-se em esforços junto dos clubes participantes e dos patrocinadores para que tudo esteja de conformidade quando chegar a altura da prova. Relativamente aos clubes, o trabalho da LMF incide mais nos novos primodivisionários, designadamente Ferroviário de Pemba, Sporting da Beira e Vilankulo FC, tendo como pano de fundo a questão dos campos, que tem sido o bico-de-obra nestas ocasiões, particularmente com os “caloiros”.

Começando pelos “locomotivas” da capital de Cabo Delgado, sabe-se que, depois da amarga experiência de há dois anos, em que se viram obrigados a fazer todo o campeonato no Estádio 25 de Junho, em Nampula, pertença do Ferroviário local, em virtude de não existir um campo relvado na sua província, desta vez o empenho é geral. O arrelvamento do Estádio Municipal de Pemba está neste momento a acontecer e trabalha-se a todo o gás, de forma que o recinto seja aprovado e entregue antes do arranque da prova.

O executivo de Cabo Delgado, na pessoa do próprio Governador Eliseu Machava, assim como o Conselho Municipal de Pemba arregaçaram as mangas e de forma directa e abnegada participam nesta grande batalha que a província pretende ver vencida para que, efectivamente em 2010, o Moçambola seja uma realidade em Cabo Delgado e que a sua população também faça parte desta sublime festa e se delicie com jogos de futebol de alto nível. Afinal, o apuramento do Ferroviário de Pemba para o Campeonato Nacional foi mesmo por mérito próprio e as gentes locais também merecem viver esses momentos inolvidáveis que se perspectivam.

No Chiveve, embora o Sporting da Beira não possua um campo, o assunto é menos problemático. O recinto do Ferroviário será repartido entre os dois conjuntos, para além da possibilidade de recurso ao campo dos “locomotivas” da Manga.

Inaugurado em Abril de 2006, o Estádio Municipal de Vilankulo viria, pouco tempo depois, a sofrer um terrível revés, em consequência do ciclone “Fávio”. Os estragos foram de grandes proporções, mas foi possível a recuperação de alguma parte da estrutura do campo. No entanto, o maior problema reside neste momento no relvado, que se apresenta em péssimas condições e sem quaisquer hipóteses de aprovação para uma competição da estirpe do Moçambola.

As diversas partes envolvidas no processo procuram ultrapassar o problema, num esforço entre a Sasol, empresa que patrocinou a construção do recinto, Vilankulo FC e o município. Aliás, da capital provincial, o Governador Agostinho Trinta também já manifestou interesse em conhecer de perto o que está a acontecer, emprestando assim os seus préstimos na busca de soluções. O objectivo é um e único: fazer com que Inhambane tenha o Moçambola no seu espaço, pois, caso não se consiga colocar o campo em condições, a turma de Euroflin da Graça ver-se-ia na contingência de jogar em terreno alheio, provavelmente Chimoio, que é a praça mais próxima com relvado.

MOÇAMBOLA-2010 - O seu campo está uma lástima: Que solução para Lichinga?



NÃO cabe na cabeça de nenhum niassense que a sua província poderá ser riscada do grande mapa futebolístico nacional. Não cabe, sim, mas o facto está iminente, se até ao início do Moçambola-2010 a relva do Estádio Municipal 1º de Maio não for melhorada.

Aliás, já no ano passado a Federação Moçambicana de Futebol, através do seu presidente, Faizal Sidat, havia chamado a atenção sobre a possibilidade de o FC Lichinga se ver privado de fazer o campeonato naquele recinto, dado o seu estado desastroso.

De lá até cá praticamente nada foi feito, com o FC Lichinga, que tem sido o utilizador principal do campo, à espera da acção do Conselho Municipal, na qualidade de dono das instalações. Este, por sua vez, alega falta de fundos para deitar mãos à obra e se proceder a uma recuperação do relvado, cuja degradação se acentuou durante as cerimónias de abertura e de encerramento do Festival Nacional dos Jogos Escolares, em 2009.

A despeito de todos os problemas por que passa Lichinga, incluindo a destituição da Direcção do clube e nomeação de uma comissão que neste momento está a gerir a colectividade, cremos que os niassenses se unirão em prol da mesma causa: dotar o seu campo de condições que lhe permitam acolher o Moçambola.

Até porque em função daquilo que observámos ao longo da época transacta, à excepção dos campos da capital do país, nomeadamente os sintéticos Estádio da Machava e Costa do Sol e os naturais Maxaquene (Baixa e Machava) e 1º de Maio, os relvados doutros pontos do país apresentavam-se em condições deploráveis. Por exemplo, o campo da Soalpo, no Chimoio, praticamente era mais pelado que relvado, tendo espantado tudo e todos a sua aprovação para acolher jogos do campeonato.

Os campos do Ferroviário da Beira, do Desportivo de Tete e do Ferroviário de Nampula também não fugiam à “regra”, daí se afirmar que tivemos um Moçambola disputado em recintos que não ofereciam condições, mas que, por razões políticas – e não iminentemente desportivas – a Liga Moçambicana de Futebol via-se impotente para fazer valer a sua tese de campeonato em campos efectivamente relvados.

E este ano? Bom, pelos vistos, a situação não sofrerá grandes alterações. Isto porque, pelo que julgamos saber, nem no Chiveve nem no Chimoio se verificaram obras de vulto com vista à reposição do relvado. Na capital do país, o Ferroviário continuará no seu Estádio da Machava, tal como os “canarinhos” no seu sintético. O Maxaquene, bafejado pela sorte, dispõe neste momento de dois recintos: o da Baixa e o da Machava, ambos em óptimas condições.

Dois recintos, coincidentemente, situados na província do Maputo, entram este no Moçambola. Trata-se dos campos da Liga Muçulmana, na Matola, com um magnífico relvado; e da Olympáfrica, pertencente ao Comité Olímpico de Moçambique, localizado em Boane – zona da Rádio Marconi – e que será utilizado pelo Atlético Muçulmano.

Desportivo e Matchedje continuarão na condição de “inquilinos”, provavelmente no 1º de Maio e no Estádio da Machava, à semelhança da temporada passada.

MOÇAMBOLA-2010 - Título não é uma utopia - Alex Alves, treinador do Ferroviário da Beira




ALEX Alves é a aposta da Direcção do Ferroviário da Beira para esta época. O técnico brasileiro ido do Textáfrica está agora sob maior pressão visto que orientará uma equipa habituada a trilhar outros caminhos.

No Moçambola, por exemplo, o representante da província de Sofala tem nos últimos anos se classificado do quinto lugar para cima. Na época passada não esteve tão bem, tendo se ficado em sexto lugar com 36 pontos, a três do Maxaquene. Mas em 2008 ficou na terceira posição e chegou a “cheirar” o título. É na linha da temporada 2008 que Alex Alves pretende percorrer. Lutar pelos lugares cimeiros, um pedido, aliás, feito pela direcção, mas nunca perdendo de vista a possibilidade de oferecer um título aos beirenses.

“A direcção do Ferroviário da Beira contratou-me e pediu-me que levasse a equipa aos cinco lugares da frente. Acho que é um projecto ambicioso, um novo desafio que pretendo agarrar com as duas mãos e lutar ao máximo, até porque tenho que justificar a minha contratação”, disse.

Afirmou estar feliz por ter assinado um contrato (uma época mais uma de opção) com os beirenses que no seu entender são um dos clubes mais organizados do país. “Estou feliz por estar numa equipa com objectivos mais ambiciosos. Pelo que pude observar tem uma boa estrutura que oferece condições para se desenvolver um bom trabalho”.

Todavia, o brasileiro defende que não será fácil formar um grupo forte pelo menos a curto prazo, visto que saíram algumas “pedras” fundamentais, como é o caso do seu melhor avançado, Tony, que se transferiu para o Maxaquene.

“Saíram alguns jogadores fundamentais. Tony, por exemplo, era uma pedra importante no ataque que não é fácil colmatar devido à escassez no mercado de bons avançados. Mas já conseguimos contratar dois jogadores sul-africanos e um brasileiro para o ataque que pensamos que irão dar conta do recado”.

Mushi, Tick (sul-africanos) e Tiago (brasileiro) são três dos avançados que irão servir o ataque dos “locomotivas” esta época. Para além destes, há o médio brasileiro Ângelo ido do Textáfrica.

Alex Alves afirma estar a trabalhar nesta altura com 30 jogadores, mas pretende reduzir para 25.

Refira-se que o Ferroviário da Beira realizou o primeiro jogo da época no fim-de-semana antepassado, frente ao Pipeline, tendo empatado a um golo. Falando sobre essa partida, o técnico sublinhou a falta de ritmo e entrosamento da equipa, aspectos que, segundo ele, serão aprimorados nos treinos.

Taça de Honra Top 6/SOJOGO : Desportivo intacto


O DESPORTIVO manteve intacta a liderança da Taça de Honra Top 6/SOJOGO, ao empatar 0-0 com a Liga Muçulmana, em partida da segunda jornada da prova, realizada sábado, no campo do Maxaquene.

Os “alvi-negros”, que na ronda inaugural haviam ganho ao Maxaquene por 2-0, estão isolados no comando da prova com quatro pontos.


Noutro desafio, Maxaquene e Matchedje também empataram, mas a uma bola. Os “tricolores”, após terem conquistado o Torneio “O Treinador”, continuam sem ganhar na Taça de Honra.

Na classificação, Maxaquene ocupa a segunda posição com um ponto, tal como Liga Muçulmana e Matchedje.

Costa do Sol e Ferroviário, outras formações inscritas na Taça de Honra, ainda não entraram em acção devido aos seus compromissos na Supertaça e nas Afrotaças.

Jornalistas de televisão beneficiam de formação



A REALIZAÇÃO, pela primeira vez, do Campeonato do Mundo de Futebol no Continente Africano, o África do Sul-2010, a decorrer entre 11 de Junho e 11 de Julho, está a ser motivo da efectivação de uma série de acções de formação para jornalistas, numa iniciativa da Federação Internacional da modalidade (FIFA), visando dotar os profissionais da Comunicação Social de África de técnicas de cobertura de um evento desta envergadura.

Com efeito, a cidade de Maputo tem sido um dos pólos de realização destas formações, tendo em Junho do ano transacto e agora em Fevereiro sido contemplada com sessões viradas para os profissionais de Imprensa, sob a orientação do jornalista brasileiro Aldo Gamboa.

Na mesma esteira, teve início ontem, no Centro de Conferências das TDM, um curso dirigido a jornalistas, comentadores e técnicos de televisão, com a organização a cargo da Televisão de Moçambique, na qualidade de membro da União Africana de Radiodifusão (UAR).

A decorrer até sábado, esta sessão constitui uma etapa do circuito de treinamento da Academia da FIFA e da UAR, e vem escalando diversos países africanos, numa missão desenhada com o objectivo de elevar os conceitos e níveis de produção e transmissão televisiva de espectáculos desportivos. Esta será a primeira acção a decorrer num país africano de expressão portuguesa.

Estrutura de comentários, filosofia de produção e conceitos de montagem constituem os módulos a serem desenvolvidos ao longo de seis dias de formação, ministrada por instrutores da FIFA oriundos da França, Brasil e Portugal.

Os três módulos estão repartidos do seguinte modo: sessões de directos para uma equipa inteira de produção com realizadores, produtores, operadores e técnicos; comentários ao vivo dirigido a jornalistas e comentadores; captação de imagens e montagem dirigido a jornalistas e operadores de câmara (reportagem).

A sessão de abertura do evento foi dirigida pelo Presidente do Conselho de Administração da TVM, Bernardo Mavanga, tendo contando com a presença do Presidente do Comité Olímpico de Moçambique, Marcelino Macome, e do Vice-presidente da FMF para o Marketing, Baptista Bonzo.

Futebol : Sub-17 defronta congénere alemã



A SELECCÃO Nacional de Futebol de Sub-17 defronta esta tarde, a partir das 15.00 horas, no campo do Costa do Sol, a sua congénere da Alemanha, em partida que marca o início do intercâmbio entre ambas, na esteira da cooperação entre os dois países no contexto desportivo.

Os germânicos chegaram a Maputo no sábado, para efectuarem dois jogos amigáveis com os “Mambinhas”. Fizeram uma “peladinha” domingo, no campo do Zixaxa, e, ontem, um treino de adaptação ao relvado sintético do Costa do Sol. O segundo encontro entre as duas selecções realiza-se na quinta-feira, no campo do 1º de Maio.

Este intercâmbio constitui um momento ímpar para os “Mambinhas” que, afastados precocemente das competições da CAF, há sensivelmente dois anos, não têm tido oportunidade de competir com regularidade, numa altura em que se aproximam as eliminatórias para as competições internacionais, nomeadamente os Campeonatos Africanos das Nações de Sub-17 e de Sub-20.

De acordo com o programado no intercâmbio entre Moçambique e Alemanha, prevê-se que a nossa selecção de Sub-17 se desloque àquele país logo depois do Mundial-2010, que decorrerá na vizinha África do Sul. O combinado nacional permanecerá duas semanas em terras germânicas no mês de Julho, para realizar uma série de jogos.

Refira-se que este intercâmbio surge na sequência da visita que o presidente da Federação Moçambicana de Futebol, Feizal Sidat, efectuou à Alemanha em Dezembro de 2008, tendo assinado um acordo para o efeito com a entidade máxima do futebol daquele país. É neste âmbito que se encontra em Maputo um técnico alemão, de nome Spitter Torsten, para coordenar as actividades de formação no Gabinete Técnico da FMF durante quatros anos.

Torsten já está a trabalhar na prospecção de talentos para potenciar as selecções de Sub-17 e Sub-20. A FMF está, neste momento, à procura de treinadores para orientarem as duas selecções, que serão coordenadas pelo germânico, depois de anunciado o fim do contrato com Amade Chababe, então timoneiro dos “Mambinhas”.

Segundo Feizal Sidat, o Gabinete Técnico será, este ano, reforçado, mas escusou-se a comentar sobre a renovação, ou não, do contrato com o seleccionador nacional, Mart Nooij, que igualmente supervisionava as selecções de formação.

A equipa que hoje defronta os alemães será orientada por Zé Augusto, que era adjunto de Chababe. Esta selecção foi constituída com base no torneio envolvendo as selecções provinciais, cuja fase final realizou-se em Novembro, em Maputo.

ACÇÕES DE MASSIFICAÇÃO

As Federações Moçambicana e Alemã de Futebol vão abraçar projectos de iniciação no bairro do Albasini e na Catembe, visando, essencialmente, a massificação. Neste contexto, o campo do Albasini está a conhecer algumas obras de reabilitação, envolvendo o melhoramento do piso de terra batida, montagem de vedação e construção de balneários e escritórios. O recinto contará com balizas móveis, próprias para a formação. As obras iniciarão daqui a duas semanas, segundo garantias de Sidat.

“O nosso objectivo é a promoção da iniciação tendo como finalidade a massificação. O campo do Albasini tem tido um grande movimento de jovens e crianças que praticam futebol, e queremos aproveitar esta condição para a descoberta de talentos. Faremos um outro projecto idêntico na Catembe”, assegurou a nossa fonte.

LIGA DOS CAMPEÕES EUROPEUS - Reencontro de amigos no Manchester-Milan




A LIGA dos Campeões Europeus está de regresso, após a pausa de Inverno, e com ela terá lugar, hoje, um encontro de velhos amigos quando Manchester e AC Milan se defrontarem em San Siro, a partir das 21.45 horas, em desafio dos oitavos-de-final.

O “menino bonito”, que durante várias épocas brilhou em Manchester, David Beckham, agora em Milão, reencontrará velhos conhecidos, a começar pelo treinador Alex Ferguson, Ryan Giggs ou mesmo o “eterno” capitão Gary Neville.

Este será um encontro entre duas equipas que lutam para conquistar o troféu. É, de resto, um dos grandes embates dos oitavos-de-final, a par do Inter-Chelsea, agendado para a próxima semana (24 de Fevereiro).

Noutro jogo marcado para hoje, Real Madrid joga fora frente ao Lyon. Os “merengues” não passam dos oitavos-de-final desde 2003/04 e, para o conseguir esta época, terão de ultrapassar, pela primeira vez, o campeão francês, clube sobre o qual Karim Benzema terá bastante informação, dado ter representado o conjunto gaulês até ao Verão passado, quando trocou o Stade de Gerland pelo Santiago Bernabéu.

Amanhã, será a vez de Bayern de Munique e FC Porto receberem Fiorentina e Arsenal, respectivamente.

A ronda só fica completa na próxima semana, sendo de destacar a entrada em cena do detentor do título, o Barcelona, que se desloca a Alemanha para defrontar o Estugarda, isso para além do já referenciado Inter-Chelsea.

Eis o quadro completo dos jogos:

Hoje

Lyon-Real Madrid e Milan-Manchester United

Amanhã

Bayern-Fiorentina e Porto-Arsenal

23 Fevereiro

Estugarda-Barcelona e Olympiakos-Bordéus

24 Fevereiro

CSKA de Moscovo-Sevilha e Inter de Milão-Chelsea

segunda-feira, 15 de Fevereiro de 2010

CEDEAO insta CAF a anular suspensão do Togo



O PRESIDENTE da Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), Mohamed Ibn Chambas, exortou a Confederação Africana de Futebol (CAF) a cancelar a suspensão do Togo

O Togo foi suspenso por quatro anos pela sua retirada do Campeonato Africano das Nações (CAN) 2010 em Angola, depois do ataque armado a 8 de Janeiro último em Cabinda, contra a sua delegação próximo da fronteira com o Congo- Brazzaville, que fez três mortos e vários feridos.

Além de ter sido excluído dos próximos dois CAN, o Togo deve igualmente pagar uma multa de 50 mil dólares norte-americanos.

Numa carta enviada ao presidente da CAF, Issa Hayatou, Mohamed Ibn Chambas deplora o ataque contra a delegação togolesa, defendendo o levantamento das sanções.

"Neste contexto, esperava-se mais compaixão, simpatia e compreensão por parte dos organizadores da competição a quem cabe a responsabilidade do bem-estar e da segurança dos participantes", escreveu.

"É, portanto, lamentável que a CAF tome a decisão bizarra de adoptar uma sanção administrativa severa contra a equipa togolesa ao invés da compaixão e da compreensão que o forte traumatismo que os jovens jogadores sofreram deveria suscitar nestes eventos independentes da sua vontade", acrescentou Chambas.

Afirmou ainda que a CAF escolheu a indiferença, contrariamente ao sentimento geralmente exprimido pelos africanos a respeito do povo togolês.

"Tendo em conta tudo isto, gostaríamos de chamar a vossa atenção sobre a solidariedade total dos países da África Ocidental com o Togo e esperamos que a CAF adopte uma atitude mais humana e anule a sua decisão", declarou o presidente da Comissão da CEDEAO.

Além do Togo, a CEDEAO agrupa 14 outros Estados, nomeadamente o Benin, o Burkina Faso, Cabo Verde, a Costa do Marfim, o Gana, a Gâmbia, a Guiné-Bissau, a Guiné Conakry, a Libéria, o Mali, o Níger, a Nigéria, o Senegal e a Serra Leoa.

Afrotaças-2010: Missão cumprida na primeira “mão” - Ferroviário e Costa do Sol venceram por margens tranquilizadoras


O COSTA do Sol venceu ontem, no seu reduto, o Santos do Botswana, por 2-0, em partida da primeira “mão” da pré-eliminatória da Taça CAF.

O Ferroviário já o tinha feito na sexta-feira, nas Comores, quando humilhou o AC Mitsamiouli, por 5-3, também para a primeira “mão” da pré-eliminatória, mas para o acesso à Liga dos Campeões Africanos. Pelo que é caso para dizer que a missão das equipas moçambicanas na sua estreia às competições africanas (Afrotaças) foi cabalmente cumprida.

Já era previsível este desfecho positivo da estreia das equipas moçambicanas nas Afrotaças, pois logo “a priori” lhes haviam saído, no sorteio, adversários de menor expressão, atendendo que o nosso futebol é de reconhecido valor no continente, principalmente a nível da selecção.

A vitória do Costa do Sol não foi assim tão fácil como se pode imaginar. Foi preciso transpirar às estopinhas para sair vencedor, uma vez que os tswanas, apesar da sua inexperiência neste tipo de andanças, mostraram-se muito aguerridos e com um futebol bem estruturado e adulto e que podem virar o rumo da eliminatória na segunda “mão” no seu terreno.

Os golos que sentenciaram a vantagem dos “canarinhos” nesta primeira “mão” foram apontados pelos dois “maestros” da equipa, Josimar, de penalte, ainda no primeiro tempo, e Ruben, na etapa conclusiva, num remate em arco e bem colocado.

Entretanto, fica um aviso, mais para o Costa do Sol do que para o Ferroviário: é preciso muito trabalho, porque na segunda“mão”, no Botswana, outro galo pode cantar.

Ressalvar que os embates da segunda“mão” se realizam daqui a 15 dias. O Ferroviário joga em casa e o Costa do Sol fora.

GIL CARVALHO

sexta-feira, 5 de Fevereiro de 2010

Braga eliminado da Taça de Portugal


O RIO Ave conseguiu, quarta-feira, derrotar o Sp. Braga na lotaria das grandes penalidades (6-5), após o jogo ter terminado empatado a zero. Com este resultado, os vila-condenses estão apurados para as meias-finais da Taça de Portugal.

O Sp. Braga, sem alguma das suas peças fulcrais por castigo (Vandinho e Mossoró), sofreu a primeira derrota em casa e acabou por ser afastado da Taça de Portugal.

Na primeira parte as ocasiões de perigo escassearam e nenhuma das equipas revelava a arte necessária para superar as respectivas defesas. Na segunda parte, os guarda-redes foram obrigados a mais trabalho, com Eduardo, do Sp. Braga, a fazer duas defesas seguidas de qualidade.

No entanto, as balizas estavam fechadas a sete chaves e o jogo chegou ao fim do tempo regulamentar sem golos. No prolongamento, a história foi a mesma e teve de ser decidido na lotaria das grandes penalidades.

No 17º penalte o experiente defesa do Rio Ave, Gaspar, marcou e colocou os vila-condenses em vantagem. Na resposta, Rodriguez, do Sp. Braga, acabou por falhar e a sua equipa foi eliminada.

Campeonato Português de Futebol: Benfica lidera à condição



CARDOZO (10 minu.), Saviola (60 minu.) e Ruben Amorim (89 minu.) fizeram os golos da vitória do Benfica sobre o U. Leiria (3-0). Partida antecipada da 20ª jornada que vale aos “encarnados” a liderança isolada do Campeonato Português de Futebol, ainda que à condição, uma vez que têm agora mais um jogo que o Sp. Braga.

Esteve muito competente a equipa da Luz, que pediu a antecipação desta partida devido ao calendário apertado por altura da Liga Europa – joga a 18 e depois a 23 com o Hertha Berlim, não podendo por isso jogar a 21 com os leirienses. Logo aos 10 minutos Cardozo fez de cabeça o primeiro golo (o 16º no campeonato), após excelente combinação de Saviola e Aimar.

O marcador só voltou a funcionar na segunda parte, mas até lá os “encarnados” dominaram por completo, desenharam bem no relvado, não permitindo quaisquer veleidades ao adversário.

O segundo golo chegou também dos pés de Saviola, desta feita ele próprio na finalização, numa altura em que o Benfica se debatia com (ligeira) tentativa do U. Leiria em inverter o rumo dos acontecimentos.

Logo depois, expulsão de Elias deitou por terra quaisquer esperanças da equipa da cidade do Lis, que teve ainda de jogar os derradeiros minutos da partida com o guarda-redes Djuricic em clara inferioridade física. Nesse período, Ruben Amorim, num remate de fora da área, fechou a conta do marcador, apontando o golo 50 do Benfica na competição em 18 jogos.

A equipa de Jorge Jesus salta então para a liderança isolada, com 45 pontos, mais três do que Sp. Braga e nove do que FC Porto, os mais directos adversários na luta pelo título que têm agora menos um jogo disputado. Já o U. Leiria segue na quinta posição, com 26 pontos, menos um que Sporting, mas também em risco de ser ultrapassado por Nacional e V. Guimarães.

Eliminatórias do CAN-2012: Sorteio a 20 deste mês


O SORTEIO das eliminatórias da 28ª edição do Campeonato Africano das Nações de futebol (CAN-2012) decorrerá a 20 deste em Lubumbashi, capital da província do Katanga, na República Democrática do Congo (RDC), soube quarta-feira em Kinshasa a PANA de fonte da Federação Congolesa de Futebol (FECOFA).

Dos 53 países membros da Confederação Africana de Futebol (CAF), oito ainda não confirmaram a sua participação. Trata-se de Djibuti, da Eritreia, da Guiné-Bissau, do Lesoto, da Mauritânia, de São Tomé e Príncipe, das Seychelles e do Sudão.

A fase final da edição de 2012 do CAN será co-organizada pelo Gabão e pela Guiné Equatorial.

O sorteio das eliminatórias será feito à margem do jogo da Supertaça de África que terá lugar na capital congolesa do cobre (Lubumbashi) entre o Le Tout Puissant Mazembe desta cidade, detentor do título da 14ª edição da Liga Africana dos Campeões e o Stade Malien de Bamako, vencedor da sexta edição da Taça da Confederação.

Equipa de meninas lidera campeonato de rapazes

AS meninas do Atlético de Madrid estão a deixar dezenas de rapazes a corar de vergonha. A equipa Alevín A, com jogadoras de 10 e 11 anos, lidera o campeonato da categoria em Espanha. Com um pormenor delicioso: as restantes formações são exclusivamente masculinas!

“Nunca na história do futebol feminino uma equipa chegou ao ponto mais alto num campeonato com equipas masculinas. É um grande orgulho e satisfação”, reconhece o técnico David Fernández, de apenas 20 anos.

No Grupo 10 de Futebol de 7, na categoria Avelín, não há como elas. A outra equipa feminina é precisamente a formação B do Atlético de Madrid, colocada no 12º lugar entre 13 equipas. A equipa A lidera com 25 pontos em 9 jogos, 32 golos marcados, 6 golos sofridos e muitas piadas pelo meio.

As capitãs de equipa, Raquel Poza, Laura Bravo e Sandra Calvo relatam a sua experiência no terreno de jogo, frente a elementos do sexo oposto: “Em alguns jogos, chamam-nos de barbies e outro tipo de insultos, mas fazemos como se não ouvíssemos nada. É a primeira vez que estamos na frente da classificação e esperamos ficar muito tempo nessa posição”.

O jovem técnico da equipa, David Fernández, acrescenta pormenores. “Reparei que, sempre que uma equipa feminina vence uma masculina, os rapazes choram por terem perdido com raparigas, sentem-se impotentes. Digo sempre às minhas jogadoras para irem cumprimentar os adversários, mas estes muitas vezes recusam fazê-lo”, lamenta.

“O que mais prejudica o futebol feminino é a sociedade. Eu não vejo diferenças nas camadas jovens entre uma rapariga e um rapaz. Muitas raparigas jogam melhor que os rapazes e em alguns casos demonstram mais força e garra para vencer as partidas”, remata David Fernández.

(Maisfutebol)

quinta-feira, 4 de Fevereiro de 2010

Moçambique cai 10 lugares


A péssima prestação no CAN Orange de Angola-2010 está na origem da descida dos “Mambas” que, mesmo assim, são a terceira melhor cotada no grupo das selecções lusófonas.

A Federação Internacional de Futebol, FIFA, actualizou ontem a lista do ranking de selecções, que teve como principais modificações as ascensões e quedas das selecções da África, que disputaram nas últimas semanas o Campeonato Africano das Nações.

Uma das referidas selecções africanas é a moçambicana, os “Mambas”, que teve, diga-se, uma queda “meteórica”.

Septuagésima segunda colocada na actualização efectuada a 16 de Dezembro passado, com 462 pontos, a nossa selecção desceu agora, dez lugares, ocupando a octogésima segunda posição, com 384 pontos.

Este cenário ficou a dever-se à péssima prestação do combinado nacional no recém-terminado Campeonato Africano das Nações, CAN Orange-2010, que teve lugar de 10 a 31 de Janeiro em Angola.

Na prova, Moçambique, que na primeira fase esteve inserido no Grupo C, com as selecções do Egipto, Nigéria e Benin, não passou do último lugar, tendo somado somente um ponto, fruto do empate com o Benin a dois golos na jornada inaugural. Nos restantes confrontos, lembre-se, a nossa selecção nacional somou derrotas (2-0 frente ao Egipto e 3-0 diante da Nigéria).

CAMPEÃO EGIPTO SOBE 14 POSTOS

Nesta primeira lista da temporada de 2010, a maior surpresa foi a grande ascensão do Egipto, devido a mais um título do Campeonato Africano das Nações. A selecção do país das pirâmides subiu 14 postos no ranking e bateu o seu recorde - ocupa agora a décima posição - e entrou para o “Top-10”, relegando a Croácia para o 11.º lugar.

Esta é a segunda melhor posição de uma selecção africana, só superada pelo quinto lugar da Nigéria em 1994. O CAN ainda beneficiou nações como a Nigéria, que subiu sete posições, figurando no 15º lugar. A vice-campeã africana, Gana, ascendeu também sete postos, aparecendo em 27º lugar.

Angola, que alcançou pela primeira vez os quartos-de-final da CAN, escalou sete posições e estacionou no 88.º lugar.

ESPANHA CONSERVA LIDERANÇA

A Espanha manteve a liderança. Os actuais campeões europeus têm uma vantagem de 59 pontos (tem 1.627 pontos) em relação ao pentacampeão mundial, Brasil, segundo colocado no ranking da entidade, com 1.568.

Os espanhóis e brasileiros são dois dos maiores favoritos para a conquista do Campeonato do Mundo da África do Sul, que será realizado este ano na África do Sul.

No “Top-5” da lista, além de Espanha e Brasil, respectivamente, encontram-se a Holanda, Itália e Portugal, sendo que os holandeses, terceiros colocados, estão longe da selecção brasileira, com uma desvantagem de quase 300 pontos.

Futebol – Final do Torneio “O Treinador”: Heróis maxaquenenses



EM pleno 3 de Fevereiro, Dia dos Heróis Moçambicanos, os maxaquenenses foram os grandes heróis da primeira competição futebolística da temporada 2010, o Torneio “O Treinador”, cujo epílogo teve lugar ontem, no seu campo.

Numa final emocionante, apesar de as equipas terem evidenciado alguma ausência de entrosamento face à entrada de jogadores novos, o Maxaquene conquistou esta prova pela segunda vez consecutiva, mercê da sua vitória sobre o Ferroviário por uma bola sem resposta, tento da autoria do ex-atacante dos “locomotivas” do Chiveve, Tony, quando eram decorridos 69 minutos. Tendo os “tricolores” como vencedores – receberam o respectivo troféu – o segundo lugar da prova coube aos campeões nacionais, o terceiro ao Matchedje e o quarto e último ao Desportivo.

Nesta altura do princípio da época, a principal curiosidade dos adeptos residia na identificação dos reforços, observar como a sua equipa actua e começar já a fazer conjecturas em relação ao futuro. No caso da partida de ontem, o facto de se tratar de uma final teve o seu peso e, nas quatro linhas, o empenho dos artistas foi irrefutável. Imprimindo velocidade ao desafio, ambos os conjuntos procuraram sempre estar próximos da baliza contrária, mas o que se viu, essencialmente, foi uma concentração do jogo na zona nevrálgica, onde se travaram grandes batalhas.

Mesmo assim, algumas fugas para a frente atacante eram protagonizadas, do lado “tricolor” por Tony, que parece estar a encaixar-se perfeitamente no esquema de jogo da turma de Arnaldo Salvado, Hélder Pelembe e Eboh; pela banda “locomotiva” através de Jerry, no entanto, sem grande impacto, pois a sua muleta Luís, incompreensivelmente, jogava longe do seu lugar habitual, daí que o apoio ao jovem ponta-de-lança acabava sendo produto da acção dos meio-campistas Danito Parruque, Momed Hagy e Ítalo, este último a fazer as delícias dos adeptos com os seus geniais toques de bola.

A desfrutar, globalmente, do maior quinhão de lances de ataque, o Maxaquene viria a construir a vitória num lance de extraordinário envolvimento de Tony, senão vejamos: primeiro, remata forte para uma defesa de recurso do guarda-redes Muhamad, cedendo pontapé de canto; depois, na sequência deste, a nova aquisição “tricolor” mete a cabeça à bola e atira vitoriosamente.

O esforço do Ferroviário para também chegar ao golo foi uma realidade, só que as duas formações, nessa altura, já jogavam com segundas equipas, devido às intermináveis substituições que efectuaram, para além das constantes paragens no jogo e sua consequente quebra de ritmo.

O juiz da partida, ao que tudo indica, ainda está de férias. Atrapalhou-se incrivelmente em relação às faltas, tendo os “tricolores” sido os mais prejudicados.

FICHA DO JOGO

Árbitro: Aníbal Armando, coadjuvado por Baltazar Hilário e Teófilo Mungói. Quarto árbitro: Arlindo Silvano

MAXAQUENE – Samito; Vovito, Dércio, Nito e Eusébio; Eládio (Kito), Alvarito (Mustafá) e Eboh (Liberty); Hélder (Clarêncio), Tony (Aníbal) e Macamito (Reginaldo)

FERROVIÁRIO – Pinto (Muhamad); Butana (Rafael), Zabula, Tony e Michael (Fred); Whisky, Momed Hagy (Valdo), Danito Parruque (Tchaka) e Ítalo (Mendes); Luís e Jerry (Imo)
Acção disciplinar: cartão amarelo para Jerry, Danito Parruque e WhiskyGolo: Tony, aos 69 minutos.

Eleições à porta no início de 2010: Mudanças nas federações e clubes!



O DEALBAR do ano de 2010 está a ser caracterizado por verdadeiras mudanças nos corpos directivos de diversas agremiações desportivas, entre federações e clubes, num exercício franco, aberto e participado que está a revelar uma certa maturidade democrática no movimento associativo desportivo do nosso país.

Só nos próximos dias estão agendadas quatro assembleias-gerais que têm como pano de fundo precisamente as eleições, designadamente nas Federações Moçambicana de Natação, já esta amanhã, e de Basquetebol, no dia 27 de Fevereiro, assim como nos clubes Matchedje, no sábado, e Maxaquene, a 3 de Março, estando previstas, na maior parte dos casos, alterações profundas no actual xadrez.

Na Federação Moçambicana de Basquetebol (FMB), onde o escrutínio é aguardado com inusitada expectativa, dado os múltiplos e divergentes interesses que gravitam à volta das eleições e, principalmente, em relação ao futuro elenco, Ilídio Caifaz, actual presidente, já anunciou e reitera que não se candidatará para um novo mandado, por entender que “já chega”de dirigismo à frente da instituição-mãe da bola-ao-cesto nacional, independentemente de uns aplaudirem o seu consulado e outros pura e simplesmente o desprezarem.

Apesar de a votação somente acontecer daqui a três semanas e, sobretudo, porque ainda não se conhecem candidatos à sua sucessão, Caifaz afirma-se inamovível na sua decisão de não concorrer para uma governação de mais quatro anos, deixando o lugar para outros interessados em assumir o “cadeirão” da FMB. Na sua equipa, recorde-se, o ex-internacional do Estrela Vermelha, onde se iniciou sob a batuta de Luís Cezerilo, e do Maxaquene trabalhou com Pedro Nhatitima, Vivian Albino, Orlando Conde, Carlos Tomo, Arnaldo Bene, Diogo Milagre, entre outros notáveis da modalidade.

GOVERNAR NA LAMA

Sucessor de Aníbal Manave, actualmente presidente da Confederação de Basquetebol da Zona VI, Ilídio Caifaz concorreu e derrotou o beirense Ricardo Portugal, no sufrágio realizado em 2005.

O seu mandado expirou nos meados do ano transacto, porém, preferiu adiar a votação devido aos compromissos que a FMB ainda tinha pela frente, nomeadamente os Afrobásquete de seniores masculinos, em Agosto, na Líbia, e de femininos, em Outubro, em Madagáscar, para além do de Sub-20 Masculino, disputado em Setembro, na nossa capital.

Os seus detractores – que são muitos, tal como é apanágio na bola-ao-cesto moçambicana, onde a intriga e o divisionismo são o pão de cada dia – não lhe pouparam críticas, afirmando que, mesmo tendo em conta aquelas importantes competições continentais, Caifaz devia ter promovido a assembleia-geral eleitoral em tempo útil, daí que viam nessa atitude como uma tentativa de perpetuar o seu consulado, que o caracterizam como tendo sido uma lástima, em razão dos fracos resultados competitivos das nossas selecções nas provas africanas, para além de, por exemplo nos seniores femininos e nas camadas inferiores, os campeonatos nacionais praticamente terem desaparecido da agenda.

Entretanto, na nossa análise desapaixonada, Caifaz abandona a FMB de cabeça erguida, tendo sido obreiro de um ganho extremamente importante para a modalidade: a constituição da Liga Nacional de Basquetebol, patrocinada pela Vodacom, que somente com duas edições disputadas conseguiu aglutinar no capítulo competitivo todas as províncias do país, o que há muito não acontecia, daí se considerar a Liga Vodacom uma verdadeira prova nacional e que tanto na primeira como na segunda edição foi qualquer coisa de extraordinário.

Por outro lado, se as anteriores Direcções da Federação apenas se preocupavam com a selecção feminina, em virtude da sua excelente performance no plano internacional, Ilídio Caifaz resgatou, e conseguiu, a aura masculina, permitindo o regresso da equipa nacional aos campeonatos africanos.

Tratou-se de uma decisão arrojada e de certo modo polémica, pois considerada uma “loucura” por alguns sectores da modalidade, mas que hoje é unanimemente considerada inteligente, porquanto temos novamente os seniores masculinos com competições mais entusiásticas e os adeptos também mais próximos do basquetebol.

Este é o legado que o actual presidente deixa para o seu ainda desconhecido sucessor e que este, seguramente, não irá atirá-lo para o caixote de lixo, sob pena de fazer desmoronar uma parte do grande edifício basquetebolístico que se construiu nos últimos quatro anos.

MILITARES EM… PAZ

No sábado, a partir das nove horas, na sua sede, o Clube Desportivo Matchedje reúne-se em Assembleia-Geral Ordinária, na qual o sufrágio polarizará as atenções dos associados. Eugénio Chongo, presidente dos “militares” desde há quatro anos, disse que não sabe se se recandidatará ou não, dependendo tudo da vontade do colégio directivo por si encabeçado.

Segundo ele, estava previsto para ontem à noite um encontro da Direcção, tendo como pano de fundo precisamente a preparação da reunião magna de sábado, tendo em conta que, para além das eleições, serão debatidos outros assuntos de interesse para o clube, como são os relatórios de actividades e de contas de 2006-2009. Mas terá sido no encontro de ontem à noite que ficou decidido se Chongo avança ou então cede o posto a um outro colega.

De acordo com o regulamento eleitoral em nossa posse e assinado pelo presidente da Mesa da Assembleia-Geral, José Beca Chágua, as listas a submeter ao sufrágio tinham como data-limite de entrega na secretaria da colectividade o dia de ontem, 2 de Fevereiro, devendo a sua divulgação ocorrer 24 horas antes da votação, isto é, na sexta-feira.

Espera-se o escrutínio no Clube Desportivo Matchedje seja pacífico, até porque, a despeito de o regulamento eleitoral, no capítulo da elegibilidade, não destrinçar os candidatos entre militares e civis – sinónimo de que o clube está aberto a aceitar um presidente civil -, tudo indica que o homem-forte da colectividade sairá da classe castrense.

Noutras esferas eleitorais, destaque para a votação a ocorrer esta sexta-feira, na Federação Moçambicana de Natação, naquilo que será o ponto final a um longo período de ausência de um elenco federativo devidamente proclamando por sufrágio directo e universal. Três candidatos concorrem ao trono, designadamente o actor e antigo nadador Gilberto Mendes, o ex-praticante, juiz e cronometrista Hélder Nguluve, e Momed Essaque, membro da actual comissão administrativa.

O ambiente na natação assemelha-se a uma piscina de águas turvas e onde musculadas rãs se digladiam pelo melhor espaço. Desde 2007 que a Federação Moçambicana de Natação funciona sem uma presidência efectiva.

Quando Mussagy Jeichande saiu, os destinos da instituição ficaram a cargo da sua vice-presidente, Yolanda Mussá, tendo as contradições entre os diferentes actores degenerado numa situação de ingovernabilidade. Foi nesta sequência que o Ministério da Juventude e Desportos acabou por nomear uma comissão administrativa, tendo como mandato conduzir os destinos da modalidade, preparar e organizar as eleições ora marcadas para sexta-feira, na sede do Comité Olímpico de Moçambique.

A fechar o ciclo está o escrutínio no Clube de Desportos da Maxaquene, aprazada para 3 de Março, numa Assembleia-geral Extraordinária, segundo deliberação tomada no sábado, no decorrer de um encontro ordinário dos sócios “tricolores”.

Embora ainda não sejam conhecidos os prováveis candidatos à presidência, tudo leva a crer que Solomone Cossa, presentemente à cabeça da Comissão de Gestão, será o único concorrente a ocupar o posto deixado vago por Rafindine Mahomed, que se demitiu após uma assembleia inconclusiva e na qual foram detectadas graves irregularidades na inscrição dos sócios.

Robinho no Santos



O MANCHESTER City emprestou Robinho ao Santos até ao final da época, todavia o extremo ponderá ficar mais quatro anos caso o clube paulista o queira.

O “príncipe”, como é apelidado no clube, chegou com o “rei” Pelé à Vila Belmiro, e aterraram ambos de helicóptero num estádio repleto de fãs.

Robinho, perante milhares de adeptos delirantes, mostrou a sua satisfação pelo “regresso à casa”: “Tenho um amor muito grande pelo Santos, que é o clube que me projectou no futebol. Tive sempre muito orgulho em vestir esta camisola e quero ver todos felizes com vitórias”.

“Quando chegamos a um clube e nos sentimos bem podemos ficar mais tempo. Se o presidente Luis Álvaro Ribeiro quiser fico até por qu

Resultados completos e classificação final

1ª jornada

Maxaquene-Matchedje (1-0)

Ferroviário-Desportivo (2-1)

2ª jornada

Ferroviário-Matchedje (0-0)

Maxaquene-Desportivo (2-0)

3ª jornada

Desportivo-Matchedje (2-2)

Maxaquene-Ferroviário (1-0)

J V E D B P

MAXAQUENE 3 3 0 0 5-0 6

Ferroviário 3 1 1 1 2-2 4

Matchedje 3 0 2 1 2-3 2

Desportivo 3 0 1 2 3-6 1

Contra o Togo no CAN de Angola: UA exige detenção de autores do ataque


A UNIÃO Africana (UA) instou os países não africanos onde foi organizado, concebido e reivindicado o ataque terrorista contra a Selecção do Togo em Angola a colaborarem com o Governo angolano na detenção e no julgamento dos responsáveis pelo acto, soube a PANA em Addis-Abeba, capital da Etiópia.

De acordo com uma decisão da 14ª Cimeira da UA realizada entre 31 de Janeiro e 2 de Fevereiro deste ano na capital etíope, os líderes africanos condenaram "veementemente" o acto perpetrado a 8 de Janeiro e exigiram a cooperação destes países para a detenção e o julgamento dos autores do ataque contra a selecção togolesa de futebol que devia disputar o 27º Campeonato Africano das Nações (CAN-2010).

"Os países não africanos onde o acto terrorista em causa foi organizado, concebido e finalmente reivindicado devem colaborar com o Governo de Angola na detenção e no julgamento dos responsáveis pelo acto", refere o texto das decisões da conferência.

Por outro lado, pede-se a todos os países, africanos e não africanos, que se abstenham de "promover, proteger, apoiar e abrigar grupos terroristas", lembrando que o terrorismo "é um acto abominável e condenável que visa desestabilizar a paz e a segurança de todos os povos".

Os países não africanos são igualmente convidados a não permitir a residência em seus territórios de cidadãos naturalizados com conhecidos antecedentes terroristas, bem como a tomar medidas para prevenir o uso do seu espaço geográfico para a preparação de tais actos.

O ataque contra o autocarro que transportava a delegação da selecção togolesa ocorreu dois dias antes do início do CAN, após um estágio no Congo-Brazzaville. O acto foi perpetrado por rebeldes armados próximo da fronteira com Angola.

Esta acção foi reivindicada, a partir da capital francesa, Paris, pela Frente de Libertação do Enclave de Cabinda (FLEC), um grupo separatista que reclama pela independência desta província rica em petróleo no norte de Angola e fronteiriça com o Congo-Brazzaville.

Após o ataque, que causou a morte do treinador-adjunto da seleccção togolesa, Abalo Amelete, do assessor de Imprensa da equipa, Stanislas Ocloo, e de um cidadão angolano, o Governo togolês decidiu repatriar a sua equipa.

Na sequência desta decisão das autoridades togolesas a Confederação Africana de Futebol (CAF) suspendeu a Selecção do Togo dos CAN de 2012 e 2014, indicando que a decisão de repatriar a equipa, apesar de os jogadores manifestarem a vontade de disputar o CAN, transgride os regulamentos deste órgão reitor do futebol continental.

De acordo com o regulamento do CAN,"a ausência declarada a menos de 20 dias do início da competição final ou durante o torneio implicará uma multa de 50 mil dólares e a suspensão da Selecção Nacional das duas edições seguintes do CAN".

Mas o Governo togolês exprimiu a sua indignação e reprovação pela decisão da CAF de suspender a sua Selecção Nacional do CAN durante quatro anos.

"O Togo acolheu com indignação e reprovação a decisão da CAF de suspender dos dois próximos CAN a nossa equipa nacional com uma multa", indicaram as autoridades togolesas numa declaração. O mesmo documento diz tratar-se duma "decisão surpreendente que pode ser interpretada como sendo igualmente a expressão dum desdém total face ao que o Togo e o povo togolês viveram como um drama".

Explicando os motivos que o levaram a retirar a Selecção Nacional do CAN, o Governo togolês afirmou que a retirada não resultou duma vontade manifesta da selecção, muito menos do Governo, mas do facto de que "as condições de segurança não estavam reunidas".

Por isso, as autoridades togolesas pretendem levar o caso diante do Tribunal Arbitral do Desporto em Lausanne, na Suíça, para interpor recurso pela decisão.

A Selecção do Togo deveria disputar o Grupo B do CAN-2010, na província de Cabinda, no norte de Angola, com as suas similares da Costa do Marfim, do Burkina Faso e do Gana.

CIMEIRA ADIADA

Entretanto, a próxima cimeira ordinária da União Africana (UA) inicialmente programada para finais de Junho a princípios de Julho deste ano vai ser adiada para o fim deste último mês por coincidir com o Mundial de 2010 na África do Sul, soube a PANA terça-feira em Addis-Abeba (Etiópia).

A Federação Internacional de Futebol (FIFA) fixou a fase final do Campeonato do Mundo de 2010, o primeiro na história do futebol mundial a realizar-se em solo africano, para 11 de Junho a 11 de Julho de 2010.

De acordo com fonte próxima da 14ª Cimeira Ordinária dos Chefes de Estado e de Governo da UA decorrida de 31 de Janeiro a 2 de Fevereiro deste ano em Addis-Abeba, a 15ª sessão ordinária desta conferência deverá realizar-se de 19 a 27 de Julho de 2010.

A fonte indica que os chefes de Estado africanos aceitaram a proposta apresentada pelo Uganda durante a 11ª Cimeira da UA decorrida em 2008 na cidade egípcia de Charm El-Cheikh, para albergar a 15ª sessão ordinária da organização em Kampala.

A União Africana considera necessário prestar todo o apoio à África do Sul enquanto organizadora do Mundial de 2010, durante o qual deverão ser exibidos "não só produtos do artesanato cultural de África como também da arte africana em geral".

Por isso, numa das suas recomendações ao Conselho Executivo da UA no quadro desta 14ª cimeira da organização panafricana, os embaixadores africanos reunidos no Comité de Representantes Permanentes (COREP) sugeriram que a próxima conferência não coincidisse com o Mundial 2010.

"As datas da fase final da Copa do Mundo a ter lugar na África do Sul em 2010 devem ser tidas em conta na fixação das datas para a próxima cimeira da União Africana agendada para Junho a Julho de 2010", refere o relatório do COREP submetido ao Conselho Executivo.

A segunda cimeira ordinária anual da UA é normalmente realizada entre os finais de Junho e princípios de Julho fora da sede da organização panafricana que está situada na capital etíope, Addis-Abeba.