quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Garantido jogo com Malawi


O DESAFIO amigável entre as selecções de Moçambique e do Malawi está garantido, devendo ter lugar no sábado, a partir das 15.30 horas, no Estádio 27 de Novembro, no Songo.

Será, sem sombra de dúvida, uma oportunidade dourada para o técnico Mart Nooij efectuar uma avaliação objectiva e mais profunda sobre o estado dos atletas que neste momento se encontram à sua disposição, sabido é que, após a festa do Natal, os “Mambas” viajam para África do Sul, local do segundo estágio de preparação para o CAN Angola-2010.

Para além de o seleccionador poder observar os jogadores, o frente-a-frente com o vizinho Malawi constituirá uma chance sem paralelo para os residentes do Songo, pois em nenhum outro momento a selecção havia jogado naquela vila, assim como os malawianos, que também se preparam para a maior competição futebolística do continente.

Entretanto, na terça-feira, os “Mambas” jogaram diante de um misto da Zona Centro, tendo vencido por 4-3, golos de Carlitos, Hélder Pelembe, Jerry e Tony, curiosamente, os três últimos jovens avançados à procura de um lugar na selecção.

Recorde-se que, enquanto Moçambique faz parte do Grupo “C”, em Benguela, juntamente com as selecções do Benim, Egipto e Nigéria, Malawi estará em Luanda, no Grupo “A”, tendo como adversários Angola, Mali e Argélia.

Vou provar o meu valor no Sporting – afirma Mexer minutos depois de assinar contrato com o clube de Alvalade


MEXER era um homem feliz depois de assinar o contrato por duas épocas e mais três de opção com o Sporting.

Afinal estava consumado o seu sonho de infância de jogar naquele que afirma ser o seu clube de coração. Em declarações ao sítio do Sporting, o defesa central moçambicano garantiu que vai provar o seu valor em Alvalade.

“Estou muito feliz e espero demonstrar a minha qualidade para me afirmar no Sporting. É um grande sonho jogar no Sporting até porque venho para o meu clube do coração. Conheço alguns jogadores da equipa, porque em Moçambique acompanhava os jogos do campeonato português", indicou.

Maxer salientou ainda que o Desportivo de Maputo é uma espécie de Sporting em Moçambique já que “aposta bastante no lançamento de jovens para a equipa principal”.

O internacional moçambicano regressa amanhã ao país para integrar a Selecção Nacional que cumpre desde segunda-feira um estágio na província de Tete tendo em vista a participação no Campeonato Africano das Nações, competição que se realiza de 10 a 31 do próximo mês em Angola.

CAN ANGOLA-2010: “Mambas” encantam Songo


BEM arejada e com hábitos quotidianos que irrefutavelmente passam pela Barragem da Hidroeléctrica de Cahora Bassa ou, do ponto de vista desportivo, pelo seu clube, que foi a equipa-sensação do Moçambola-2009, a vila do Songo vive, esta semana, dias de verdadeiro sonho.

Os adeptos locais de futebol estão encantadíssimo, pois – e não é caso para menos – contrariamente ao que lhes acontece, em que o acompanhamento dos “Mambas” se resume àquilo que lêem nos jornais, vêem na televisão e ouvem na rádio, têm neste momento o privilégio de conviver com os jogadores, idolatrá-los e com eles fazer os inevitáveis prognósticos e conjecturas da participação de Moçambique no CAN Angola-2010, quando estamos a pouco menos de um mês do início desta grandiosa competição continental.

A escolha de Songo para o estágio interno da Selecção Nacional tem sido motivo de extraordinário orgulho dos seus residentes, assim como de toda a província de Tete. Porque são raras as deslocações dos “Mambas” para outros pontos do país, a presença no Songo, de certo modo, mudou o dia-a-dia da vila, ao acrescentar um elemento de curiosidade e que levou até junto à histórica e emblemática barragem nomes sonantes do futebol moçambicano, particularmente numa altura em que a equipa tem os olhos postos no Campeonato Africano das Nações.

Os treinos, nalguns dias com sessões de manhã e à tarde e, noutros, apenas matinais, são bastante movimentados e o novo Estádio 27 de Novembro, recentemente inaugurado, a ter motivos mais do que suficientes para deste modo construir a sua história, até porque, a partir do próximo ano, a formação da HCB realizará os seus jogos neste recinto.

O relvado é bom e o estádio, de uma forma geral, possui óptimas condições para o trabalho de uma selecção. Aliás, para além dos aspectos que têm a ver com a ambientação ao clima que se encontrará em Angola, a escolha de Songo tinha também em vista colocar os jogadores longe do bulício da capital, das preocupações familiares e do convívio com os amigos, sobretudo quando já se vive a lufa-lufa das festas.

Tendo desembarcado na segunda-feira, os “Mambas” foram obsequiados com um jantar pelo Conselho de Administração da Hidroeléctrica de Cahora Bassa, empresa que no Songo está a proporcionar à equipa excelentes condições de alojamento, alimentação e de trabalho, contribuindo dessa forma na árdua missão que todos temos pela frente no apoio à selecção.

Aliás, a HCB é uma das empresas integrantes do FUT-21, um programa concebido para, paralelamente ao fomento do futebol nas camadas de formação, angariar ajudas para os “Mambas”, situação coordenada pelo Ministério da Juventude e Desportos, em parceria com a Federação Moçambicana de Futebol, e que tem vindo a resultar plenamente.

No referido jantar, Paulo Muxanga, Presidente do Conselho de Administração da HCB, fez as honras da casa, manifestando a satisfação da sua empresa em acolher a turma nacional, tendo o Governador de Tete, Ildefonso Muanathata, expressado o seu regozijo pelo facto de tão ilustres figuras do futebol moçambicano escalarem a sua província numa altura especial da sua caminhada: preparação do CAN Angola-2010.

18 ATLETAS À DISPOSIÇÃO

À excepção dos jovens centrais “alvi-negros” Mexer e Zainadine Júnior, que se encontram em Portugal para o seu ingresso no Sporting, e do “canarinho” Ruben, ausente por razões desconhecidas, todos os outros atletas do Moçambola convocados por Mart Nooij se encontram no Sonho, num total de 18, alguns com a absoluta certeza de que farão parte da lista final de 23 jogadores a seguir viagem para terras angolanas.

A trabalhar no Songo encontram-se os guarda-redes Binó, Lamá e Pinto; os defesas Whisky, Fanuel, Campira e Mayunda; os meio-campistas Danito Parruque, Josimar, Momed Hagy, Carlitos, Nelinho, Alvarito e Mustafá; e os atacantes Hélder Pelembe, Jerry, Luís e Tony, este último do Ferrováruio da Beira.

Com tratamento super especial naquela vila tetense, os “Mambas”, amanhã, treinarão somente no período da manhã, estando a tarde reservada para uma visita à barragem. No sábado, defrontam Malawi e o regresso a Maputo está previsto para domingo. Na capital, com os treinos a decorrerem no campo da Liga Muçulmana, na Matola, trabalharão entre segunda e quarta-feira, sendo dispensados para a festa do Natal junto das respectivas famílias.

Durante a pausa natalícia, o seleccionador nacional dispensará 13 atletas e os seus lugares serão preenchidos por outros tantos a actuar no estrangeiro. É assim que, com todo o habitual “esquadrão” completo, a equipa partirá no dia 27 com destino a Bloemfontein, na África do Sul, para o derradeiro estágio e que incluirá desafios amigáveis. Os prováveis adversários são três, designadamente África do Sul, Tunísia e Gabão, devendo a escolha pertencer a Mart Nooij, em função de uma série de factores que ainda está a estudar com o seu adjunto, Miguel Chau.

Campeonato de Natação da Cidade de Maputo: Quarta jornada sem recordes



A QUARTA jornada do Campeonato de Natação da Cidade de Maputo realizada terça-feira na Piscina Raimundo Franisse, na associação da modalidade na capital do país, terminou sem que nenhum dos concorrentes registasse tempo recorde nas diversas provas em disputa, desde individuais até colectivas.

O campeonato prossegue esta tarde (15.00 horas), aguardando-se que mais recordes caiam.

Enquanto isso, a organização desqualificou os tempos do infantil Shakil Fakir, do Clube Golfinhos de Maputo, que haviam sido confundidos com recordes, por erro da comissão técnica do campeonato, que recorreu a uma tabela não actualizada, ou seja do ano passado.

A actual tabela homologada data de Outubro de 2009. Os respectivos tempos registados por Shakil Fakir referem-se às provas de 200 livres (2.20,60 minutos) e 400 estilos (5.47,86 minutos), na primeira jornada, 50 mariposa (31,91 segundos), na segunda, e 50 livres (28,77 segundos) e 100 mariposa (1.11,28 minuto), na terceira ronda, respectivamente.

Segundo Valério Domingos, da Comissão Técnica, Shakil Fakir não superou, com estes tempos, os máximos fixados por Nuno Gomes (50 e 200 livres, 50 e 100 mariposa) e Leonel Matonse (400 estilos), respectivamente, nadadores dos Ferroviários da Beira e de Maputo, como erradamente foi tornado público em comunicado divulgado ao fim da terceira jornada, no domingo.

Assim sendo, são sete recordes nacionais batidos até à quarta jornada, contrariamente aos 12 que haviam sido divulgados. Destes máximos dois são absolutos e pertencem a Mónica Bernardo, do Golfinhos de Maputo, fixados nos 50 metros bruços (35,92 segundos) e 50 mariposa (29,25 segundos).

Mónica Bernardo superou, na primeira prova, os 36,27 segundos da sua companheira de equipa Janete Antunes, que haviam sido registados a 17 de Dezembro de 2005, em Maputo. Na segunda, ultrapassou os 29,69 segundos da também sua colega Jessica Vieira, fixados a 11 de Novembro de 2005, em Durban.

Os restantes recordes são de categoria e, nesta série, Mónica Bernardo registou um nos 100 metros mariposa (1.08,37 minuto), quebrando o anterior máximo que pertencia a Marisa Gregório (1.09,70 minuto), do Desportivo de Maputo, batido a 15 de Setembro de 1998.

RECORDES BATIDOS ATÉ ONTEM (TERCEIRO DIA DE COMPETÇÃO)

ATLETA CLUBE ESCALÃO PROVA RECORDE ANTERIOR

M. Bernardo CNGM Sénior 50 bruços 35,92 seg. 36,27 seg.

M. Bernardo CNGM Sénior 50 mariposa 29,25 seg. 29,69 seg.

M. Bernardo CNGM Sénior 100 mariposa 1.08.37 mn 1.09,70

Jannat Bique Individual Infantil 400 estilos 5.52,62 mn 6.06,06 mn

Jannat Bique Individual Infantil 100 mariposa 1.14,99 mn 1.16,85 mn

Géssica Stagno CNGM Júnior 100 mariposa 1.07,88 mn 1.09,41 mn

Naimo Ananias GDM Infantil 50 bruços 38,09 seg 38,56 mn

“Nacionais” de Andebol: Maxaquene imperial



O MAXAQUENE justificou na terça-feira o estatuto de melhor equipa do Campeonato Nacional de Andebol em seniores masculinos ao vencer o 1º de Maio, o seu principal adversário, por 24-15, em desafio da segunda jornada do Grupo A.

Esta partida era a mais aguardada de terça-feira, já que estavam frente-a-frente as melhores formações da prova e as únicas tidas como as potenciais favoritas. Porém, o 1º de Maio não conseguiu repetir a façanha alcançada no Campeonato da Cidade de Maputo quando venceu o Maxaquene, numa altura em que nada fazia prever. Desta vez, os pupilos de Michaque Fumo não deram tréguas aos “alvi-rubros” que não tiveram pernas para travar a maior impetuosidade do adversário, constituído por jogadores mais novos e já com larga experiência.

O certo é que com esta vitória o Maxaquene assumiu a liderança do Grupo A isolado com seis pontos.

Noutro jogo do grupo, o Clube Trovoada de Chimoio perdeu com a Liga Muçulmana da Beira, por 21-22, naquele que foi o despique mais atractivo da ronda. O desafio foi muito bem disputado com o marcador sempre a alternar.

Mas nos derradeiros minutos os beirenses acabaram sendo os mais frios na hora de rematar à baliza. No entanto, este foi daqueles jogos que o empate seria o resultado mais justo pelo espectáculo proporcionado pelas duas equipas.

A formação das Mahotas ficou de fora devido ao número ímpar de equipas.

No Grupo B, o Clube do Dondo continua a passear a sua classe. À semelhança do que havia acontecido na primeira jornada, voltou a conseguir um triunfo convincente, desta vez, a vítima foi a Universidade Pedagógica de Quelimane, que perdeu por 24-17.

A equipa de Sofala lidera o seu grupo com seis pontos, a par do “team” da cidade de Tete que obteve o triunfo mais expressivo da ronda sobre a Escola Secundária de Tete, por 37-20.

MATCHEDJE IMPARÁVEL

Em femininos, o Matchedje parece estar mesmo decidido a revalidar o título. Depois de ter vencido o seu principal rival, o Maxaquene, “desmantelou” na segunda ronda a formação da Universidade Pedagógica de Quelimane, por 62-5, uma diferença de 57 pontos que reflecte claramente a superioridade das “militares”.

O Maxaquene, por sua vez, redimiu-se do percalço sofrido na estreia, vencendo a Associação de Estudantes da Beira, por 38-8.

O Matchedje comanda com seis pontos, mais três que o Maxaquene e Associação de Estudantes da Beira.

O Grupo B é liderado agora pelo Clube de Dondo, que na sua estreia goleou a HCB, por 37-15. A equipa de Sofala lidera a par do Matolinhas que na primeira jornada venceu a equipa da cidade de Tete, por 29-20.

Apuram-se para as meias-finais os dois primeiros classificados de cada grupo que depois jogarão num sistema cruzado.

JOGOS PARA HOJE:

MASCULINOS –Mahotas-Maxaquene e Liga Muçulmana-1° de Maio (Grupo A);

UP-Cidade de Tete e HCB-ES de Tete (Grupo B)

FEMININOS – Maxaquene-UP e Matchedje-AE da Beira (Grupo A); ES de Tete-Clube de Dondo e HCB-Matolinhas (Grupo B)

“Noite dos Campeões” em boxe: Muita luta pouca qualidade


MUITA luta e pouca qualidade é como se pode considerar a sessão de boxe denominada “Noite dos Campeões” realizada domingo no Pavilhão do Iquebal, na baixa da cidade de Maputo.

A sessão era aguardada com enorme expectativa, mas a ausência de alguns dos melhores pugilistas da cidade de Maputo, que inclusivamente condicionou alguns combates, esteve na origem da fraca qualidade do espectáculo. Aliado a isso, esteve também o facto dos “boxeiros” estarem psicologicamente afectados pelo adiamento do Campeonato Nacional que deveria ter tido lugar este mês na cidade de Nampula.

Contudo, os que subiram ao ringue deram o seu máximo, mas sem atingirem aquele estatuto a que nos habituaram.

A arbitragem foi uma verdadeira lástima e continua a ser o calcanhar de Aquiles para o desenvolvimento da modalidade. No domingo foi triste ver alguns juízes a tomarem decisões desastradas e tudo indica que estão a precisar de uma reciclagem urgente.

As decisões nos primeiros dois combates por pouco deitavam tudo abaixo. Para muitos, principalmente para os entendidos, na matéria, os vencedores acabaram sendo vítimas e passaram para posições de vencidos, o que criou, em alguns momentos, um mal-estar. Os próprios atletas reconheceram ter havido uma mão dos juízes nas suas vitórias e/ou derrotas.

Mas, mais do que os resultados, o importante foi que a época na cidade de Maputo encerou num ambiente festivo com o Ferroviário a ficar com o canecão, redimindo-se do fracasso no Campeonato.

Agora resta saber até quando a realização do Campeonato Nacional adiado à última hora por motivos ainda por esclarecer. Aliás, a Federação Moçambicana de Boxe evoca a não disponibilização de recursos financeiros por parte do Fundo de Promoção Desportiva para a realização da prova.

Pelo sim ou pelo não, a Federação deveria ter-se acautelado a esta situação para não criar um mal-estar no seio dos atletas e dirigentes dos clubes a que pertencem. Até porque este elenco está no seu primeiro ano de exercício e caso não consiga realizar o “Nacional” poderá ter manchado a sua reputação para os restantes anos do seu exercício.

Vejamos os resultados completos da sessão de domingo:

48 kg: Álvaro Germano (Matchedje)-Filipe António (Academia Lucas Sinóia) (1-2)

51 kg: Valdo António (Ferroviário)-Jaime Magaia (Matchedje) (2-1)

57 kg: Augusto Matule (Lucas Sinóia)-Regan José (Ferroviário) (0-3)

57 kg femininos: Maria Manuel (Lucas Sinóia)-Flora Angélica (Matchedje) (3-0)

64 kg: Watch António (Matchedje)-Alcides Fernando (Ferroviário) (3-0)

69 kg: Roberto Carlos (Ferroviário)-Francisco Daniel (Matchedje) (1-2)

91 kg: Isac Dimande (Ferroviário)-Fernando Mendes (Ferroviário) (3-0)

Interprovincial de Futsal: Academia Militar surpreende Atlético

O TORNEIO Interprovincial de Futsal, denominado por Unidade Nacional, começou na terça-feira com uma surpresa protagonizada pela Academia Militar de Nampula, que venceu o Atlético Muçulmano, por 6-4, no pavilhão da Académica.

A Academia Militar, campeã da cidade de Nampula, não se amedrontou pelo facto de jogar fora de casa e perante uma das equipas com mais tradição no futsal nacional. Desde cedo mostrou que estava em campo para lutar pelos três pontos e apresentou-se ao ataque, mas sempre cuidadoso na defesa. Foi a equipa mais equilibrada ao longo de todo o encontro.

O Atlético, a jogar dentro de “portas”, acabou sendo surpreendido pelo futebol mais agressivo da equipa “militar”.

Noutro desafio da primeira ronda, o Al Mahid venceu o Benfica sem apelo nem agravo, por 5-1, assumindo, com esta vitória expressiva, a liderança da prova.

O jogo entre o Desportivo e a Liga Muçulmana de Nampula, que em princípio devia completar a jornada, ficou adiado para uma data a agendar, devido à chegada tardia da segunda equipa.

O “Interprovincial” será disputado numa só volta e num sistema de todos contra todos. Vence a equipa que no final somar maior número de pontos.

Que loucura…: O estádio flutuante de Singapura!



JÁ pensou disputar uma partida de futebol em pleno mar? Em Singapura, esse sonho já é possível.

Feito com vigas de aço sob a Marina Bay, o campo tem medidas oficiais da FIFA. Contando com a área fora das linhas, tem 120 metros de comprimento e 83 de largura.

A arquibancada, que está em terra firme, comporta até 30 mil pessoas. Aliás, esta arquibancada é usada num trecho do Grande Prémio de Fórmula 1 de Singapura, justamente onde, em 2008, aconteceu o atropelo propositado de Nelsinho Piquet, da Renault, para beneficiar o seu companheiro da equipa, Fernando Alonso.

Criado em 2007, ainda não se tem registo de uma partida de futebol no estádio. Ali são queimados os fogos de Reveillón e do dia nacional de Singapura. Durante o GP de Fórmula 1, a plataforma é retirada. Em 2008, a final da Taça da Singapura era para ser disputada nesse estádio, mas a sombra das vigas metálicas atrapalharia a visão dos espectadores e o problema não seria resolvido a tempo. Com isso, a partida foi disputada num outro local.

Entretanto, em 2010 certamente haverá futebol no Marina Bay, já que o estádio é o principal dos Jogos Olímpicos da Juventude, que serão disputados no país.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Mexer já é jogador do Sporting


O INTERNACIONAL moçambicano Mexer assinou na noite de ontem um contrato de dois anos e mais três de opção com o Sporting de Portugal.

O atleta, que se encontra em Lisboa desde a manhã de domingo na companhia do seu empresário Shaffe Sidat, reuniu-se na segunda-feira com duas figuras destacáveis do Sporting, nomeadamente Sá Pinto, director desportivo, e Carlos Carvalhal, treinador principal, após ter realizado os habituais exames médicos e tudo correu bem, visto que nem foi preciso aguardar a chegada à Lisboa de José Bettencourt, presidente da turma “leonina” para selar o acordo. O dirigente está na Alemanha onde hoje assistirá ao jogo do Sporting frente ao Herta de Berlim em desafio da última jornada da Liga Europa.

O encontro que Mexer e o seu empresário mantiveram com os dois elementos do Sporting, referidos anteriormente, foi muito positivo se se atender que ficou assente, que o agora “leão”, não será emprestado antes do CAN, facto que revela que a turma de Alvalade está receosa em emprestar o jogador e depois arrepender-se caso o defesa central de 24 anos de idade tenha uma excelente prestação na maior prova do Continente Africano a nível de selecções.

Entretanto, soube-se do empresário Shaffe Sidat que Mexer visitou na segunda-feira a Academia de Alcochete, juntamente com Zainadine Júnior, este último que irá a partir do próximo mês prestar testes na equipa “leonina” durante um mês.

Na sexta-feira os jogadores, juntamente com o empresário, regressam ao país a fim de se juntarem aos trabalhos da selecção nacional que está na província de Tete a preparar-se para o CAN-2010, a disputar-se em Angola de 10 a 31 de Janeiro.

Para acolher Moçambola 2010: Estádio do Vilankulo vai ter relva nova



AS obras de reabilitação do Estádio Municipal de Vilankulo, na província de Inhambane, arrancam a 10 de Janeiro próximo, nomeadamente a construção de um sistema de abastecimento de água para regar a relva e a conclusão dos trabalhos da reposição dos danos causados pelo ciclone Flávio em 2007.

Para esta actividade, Vilankulo precisa de 275 mil dólares, sendo duzentos para infra-estruturas e 75 mil dólares para o piso.

Os trabalhos desta empreitada poderá ser adjudica a TOPTURF, uma empresa sul-africana especializada nestas actividades que já se encontra na vila de Vilankulo para avaliar o estado actual do piso e proceder ao levantamento das necessidades.

TOPTURF, com sucursais em quatro países, nomeadamente Suazilândia, Botswana, Zâmbia e Lesotho, construiu cinco estádios na África do Sul para a Copa do Mundo do próximo ano, sendo o Estádio de Port Elizabeth com a relva mais cara de todas, avaliada em nove milhões de randes.

Técnicos desta firma trabalharam ontem na vila turística de Vilankulo para tomar conhecimento do objecto da obra tendo para o efeito chegado à conclusão de não haver necessidade da remoção de toda estrutura da relva para a colocação de nova. Será construído um novo sistema de rega com capacidade para sessenta mil litros por dia, nova tubagem, entre outros acessórios que poderão assegurar a utilização do Estádio até a primeira jornada do Moçambola-2010.

Para a identificação e contratação desta firma internacional, o Presidente do Conselho Municipal de Vilankulo, Suleimane Amugi, pai de Yassin Amugi, patrono do clube, deslocou-se semana passada à África do Sul, primeiro para visitar as obras desta empresa e formular um convite oficial à TOPTURF para a reabilitação do Estádio Municipal de Vilankulo.

Suleimane Amugi disse em contacto com a nossa Reportagem que a SASOL está disposta a apoiar o clube local a encontrar formas de ter prontas as suas infra-estruturas desportivas antes do início da prova (Moçambola) no próximo ano.

VICTORINO XAVIER

Um “mamba” entre os reforços


NO quadro da preparação da equipa principal, a direcção do clube já está no mercado à procura de reforços.

Yassin Amugi, que definiu os objectivos do primeiro ano no Moçambola, revelou que já dispensou doze dos vinte e quatro atletas que compunham o plantel principal da época finda. Para preencher esta lacuna, serão igualmente contratados outros doze, tendo já assegurado seis, dos quais um “mamba” da capital do país, cujo nome não foi referenciado, mas que a nossa Reportagem apurou tratar-se de Mustafá, do Maxaquene.

“O segredo é a alma do negócio. Não vou indicar o nome do atleta, porque neste momento todas as equipas estão preocupadas com os seus plantéis e não queremos despertar atenção dos outros”, disse Yassin, apontando, no entanto, o regresso de Sergito para o Vilankulo, um esquerdino que representou no Moçambola-2009 o HCB.

“Para já devo dizer que o grande reforço é a renovação do contrato com o “mister” Flin, que pretendemos mantê-lo na equipa por muito mais tempo, independentemente dos resultados”, afirmou o presidente do Vilankulo, para quem a política do clube não é fazer mudanças radicais na equipa, porque, nestes primeiros anos, não passa pela cabeça de ninguém a conquista do ceptro máximo, mas sim jogar com dignidade.

“Queremos construir uma equipa de futuro e para isso em cada época vamos dispensar jogadores que acharmos que não renderam muito e em sua substituição vamos contratar os que vão agradar o “mister” de acordo com os objectivos traçados”, explicou.

Belo, Adino, Félio, Joe, Ivo, Gerson, Carlos, Joca e Erasmo constituem parte dos antigos atletas que já renovaram o contrato com Vilankulo.

A EQUIPA sénior feminina do Matchedje teve uma estreia auspiciosa no Campeonato Nacional de Andebol que decorre na província de Tete desde segunda-fei




A EQUIPA sénior feminina do Matchedje teve uma estreia auspiciosa no Campeonato Nacional de Andebol que decorre na província de Tete desde segunda-feira, ao vencer o seu principal rival, o Maxaquene, por 26-21.

As “militares” demonstraram, uma vez mais, possuírem uma equipa mortífera a atacar e eficiente a defender não dando chances ao Maxaquene, que até se esforçou para contrariar o melhor andebol das comandadas de Zecks. A turma “militar”, que esteve sempre na mó de cima, acabou vencendo com toda a justiça.

Com esta vitória, o Matchedje, a par da Associação de Estudantes de Beira, lidera o Grupo A com três pontos, embora as beirenses estejam em vantagem no “goal-average”, visto que bateram a UP de Quelimane, por 20-6.

O Grupo B é liderado pela turma de Matolinhas que na primeira jornada venceu a equipa da cidade de Tete, por 29-20.

Quem também estreou-se com o pé direito foi a Escola Secundária de Tete que triunfou diante da HCB do Songo, por 27-21. O Clube do Dondo ficou de fora devido ao número ímpar de equipas.

MAXAQUENE VENCE EM MASCULINOS

Em seniores masculinos, o Maxaquene mostrou as razões de ser contado como o principal candidato a levantar o “canecão”. Os “tricolores” venceram na estreia o Clube Trovoada, por 30-15, uma diferença de 15 golos que espelha a diferença entre ambos os conjuntos.

Os pupilos de Michaque Fumo lideram o Grupo A com os mesmos pontos do 1º de Maio, que bateu a equipas das Mahotas, por 26-12.

A luta pelo título será, ao que tudo indica, entre o Maxaquene e o 1º de Maio, campeão e vice-campeão da cidade de Maputo, respectivamente.

No Grupo B, o Clube do Dondo conseguiu a vitória mais expressiva da ronda ao bater a Escola Secundária de Tete, por 41-9. Aliás, esta foi a série mais produtiva em termos de golos já que noutro embate a formação da cidade de Tete ganhou a UP de Quelimane, por 35-14.

Apuram-se para as meias-finais os dois primeiros classificados de cada grupo. O primeiro classificado do Grupo A jogará com o segundo do B, enquanto o primeiro do B enfrenta o segundo do A.

O sistema é válido também para o “Nacional” de femininos.

JOGOS PARA HOJE:

MASCULINOS –Liga Muçulmana de Chimoio-Mahotas e 1° de Maio-Trovoada (Grupo A); Cidade de Tete-Clube de Dondo (Grupo B) e U.P-HCB (Grupo B).

Jogos Africanos de Maputo-2011: Eleitas 24 modalidades

A REUNIÃO conjunta entre Conselho Superior do Desporto de África, Comité Organizador e diferentes organismos envolvidos no evento decidiu que 24 modalidades serão disputadas nos X Jogos Africanos de Maputo-2011, com a particularidade de grande parte delas apurar para os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

Eis a lista das modalidades eleitas:

Andebol, atletismo, badminton, basquetebol, boxe, ciclismo, futebol, karaté, judo, natação, ténis, ténis de mesa, tiro, vela, netball, ginástica, voleibol, taekwondo, canoagem, triatlo, remo, halterofilismo, xadrez e desporto para pessoa portadora de deficiência (atletismo e natação).

Sob proposta de Moçambique e caso os seus praticantes assim o desejem, desde que se comprometam a pagar as despesas inerentes à sua participação, poderão ser incluídas três modalidades de exibição, automobilismo, pára-quedismo e futebol australiano, este último em processo de expansão em diversos continentes.

Entretanto, embora se esteja à espera dos congressos das respectivas Federações Internacionais, no mês de Janeiro, sabe-se que algumas modalidades irão apurar, a partir de Maputo, os atletas para os Jogos Olímpicos de Londres-2012.

Nos Jogos Olímpicos de Sidney: IAAF declara Thanou vencedora dos 100m



A ASSOCIAÇÃO Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) modificou o resultado dos 100 metros nos Jogos Olímpicos de Sidney, em 2000, e definiu a velocista grega Katerina Thanou como vencedora da prova.

A IAAF elevou Thanou do segundo para o primeiro lugar nos seus resultados oficiais e deu Marion Jones, que havia vencido a prova, como desclassificada. A decisão da entidade foi adoptada depois que o Comité Olímpico Internacional confirmou, na semana passada, a retirada das medalhas da velocista norte-americana por “doping”.

O COI, porém, evitou dar a medalha de ouro de Marion Jones a Thanou, já que a grega envolveu-se em polémica na Olimpíada de Atenas, em 2004, ao simular um acidente de moto para não realizar um exame “antidoping”.

No novo resultado da IAAF foi colocado um asterisco junto ao nome de Thanou. Uma nota ao pé da lista explica que “depois da decisão do COI, Thanou não receberá a medalha de ouro”.

Promoção do intercâmbio desportivo e cultural com reclusos: Prisões e Provida assinam memorando de entendimento



OS Serviços Nacionais de Prisões (SNAPRI) e a Associação Projecto de Vida para Crianças e Jovens (PROVIDA) assinaram, segunda-feira, um memorando de entendimento visando a promoção de actividades desportivas e culturais nos recintos prisionais tendo como finalidade a inserção social do recluso.

Com a assinatura do acordo, as duas instituições pretendem ver que outras actividades sociais, nomeadamente de carácter educacional e de formação profissional, devem sejam igualmente promovidas nos recintos prisionais, com o objectivo de assegurar um futuro melhor para os reclusos depois de cumprida a pena, ou seja, para encontrarem alternativas para a reinserção da sua vida.

O director nacional das Prisões, João Zandamela, disse na ocasião que a essência do memorando tem como finalidade impulsionar as actividades que já estão em curso no âmbito da política prisional e prevê a colaboração com a sociedade civil para que mais acções de carácter social tenham espaço nos recintos prisionais.

Destacou que com a PROVIDA a SNAPRI encontrou uma verdadeira parceria da qual os resultados são visíveis e cujas realizações são incontáveis.

“Temos que trabalhar muito na vertente educacional e moral, uma contribuição com o objectivo de dar uma segunda oportunidade àqueles que por via da justiça não gozam de liberdade. Preocupa-nos a prevenção e combate ao HIV/SIDA, que as iniciativas não se reduzam ao grande Maputo, mas também sejam alargadas às províncias”, anotou.

João Zandamela ajuntou que com o memorando o SNAPRI abriu-se a todas as solicitações para acções a nível do país visando a moralização e reinserção social do recluso. Reiterou que o acordo visa dotar uma estrutura mais dinâmica e consistente para o desenvolvimento de parcerias entre os dois organismos.

Desejou que as noites de conversa abranjam igualmente a comunidade prisional, sobretudo os presos em liberdade condicional e aqueles que já cumpriram as penas.

“Com estas iniciativas, queremos evitar casos reincidentes”, vincou.

Por seu turno, o presidente da PROVIDA, Cremildo Gonçalves, sublinhou que o memorando vai permitir flexibilizar e realizar as actividades nas instituições prisionais, proporcionando maior dinamismo nas estratégias de inserção social do recluso.

“Há três anos que vínhamos trabalhando de foma marginal. Assim poderemos planificar as nossas actividades e estabelecer parcerias com as instituições ou organizações que lidam com essa área para abranger outros sectores não apenas o desporto e a cultura.

Estamos a falar de artesanato e carpintaria, de modo que o criminoso saia com uma base para recomeçar a sua vida seguramente, com algo que saiba fazer”, comentou.

Citou o caso de “Danger-Man”, que no âmbito deste projecto tem estado a participar em actividades realizadas na Cadeia Central e BO. "Danger-Man" participou no curso de arbitragem promovido pela UEM e demonstrou habilidades.

“É um exemplo e ficámos honrados quando há dias vimo-lo apitar o jogo entre a selecção de reclusos e os “Mambas” na BO”, elucidou.

De salientar que várias equipas do Moçambola escalaram as Cadeias Central e da Máxima Segurança da Machava no intercâmbio desportivo com os prisioneiros. Segundo Cremildo Gonçalves, alguns reclusos-jogadores viram a sua pena reduzida e outros contactados por alguns clubes.

Ronaldinho Gaúcho é o melhor da década



APESAR de ter perdido fulgor nos últimos dois anos, o avançado brasileiro Ronaldinho Gaúcho, actualmente no AC Milan, foi eleito o jogador da década pela revista inglesa "World Soccer".

Completam o pódio o argentino Lionel Messi, do Barcelona, e o português Cristiano Ronaldo, que desde o início da época representa o Real Madrid, mas que antes teve várias temporadas de grande sucesso no Manchester United.

Ronaldinho Gaúcho, de 29 anos, foi o futebolista do ano para a "World Soccer" em 2004 e 2005, quando estava no auge da sua carreira. Para escolher o craque da década, a revista somou os votos recebidos por um jogador entre os anos de 2000 e 2009, o que prejudicou Cristiano Ronaldo e Messi, que são mais novos do que o atacante rossonero.

A publicação inglesa, por outro lado, escolheu Lionel Messi como o melhor jogador de 2009, à frente de Cristiano Ronaldo. O argentino, recentemente, foi distinguido com a Bola de Ouro da revista francesa “France Football”.

Sem surpresa, o Barcelona, que na época passada conquistou a Liga dos Campeões, o campeonato espanhol e a Taça do Rei, foi eleita a equipa do ano, enquanto o técnico blaugrana, Pep Guardiola, foi distinguido como o treinador do ano.

MEXER: “VENHO PARA O MEU CLUBE DO CORAÇÃO”


Mexer assinou contrato por duas temporadas e meia com o Sporting. O jovem defesa-central de 21 anos proveniente do Desportivo de Maputo conheceu a Academia e garante que vai provar o seu valor para jogar em Alvalade.

“Estou muito feliz e espero demonstrar a minha qualidade para me afirmar no Sporting. É um grande sonho jogar no Sporting até porque venho para o meu clube do coração. Conheço alguns jogadores da equipa, porque em Moçambique acompanhava os jogos do campeonato português”, indicou.

O defesa-central salientou ainda que o Desportivo de Maputo é uma espécie de Sporting em Moçambique já que “aposta bastante no lançamento de jovens para a equipa principal”. O internacional moçambicano foi dispensado do estágio da selecção, para rubricar o contrato com o Sporting, que se encontra a preparar a participação na CAN, competição que se realiza em Janeiro em Angola.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Basquetebol -Liga Vodacom: À terceira será de vez!



O MAXAQUENE redimiu-se da derrota em casa (65-72) e foi à Beira bater o Ferroviário local, por 91-71, arrastando a final do Campeonato nacional de Basquetebol para a terceira partida que terá lugar sábado, no Pavilhão dos “tricolores”.

Surpreendido só pode ficar quem não teve a oportunidade de assistir à partida na noite do passado domingo no Pavilhão dos Desportos da capital de Sofala, pois o Maxaquene soube aproveitar o terceiro período do segundo encontro diante do Ferroviário da Beira referente à final de basquetebol sénior masculino, Liga Vodacom, depois de ter estado a perder ao intervalo por uma diferença de oito pontos, ou seja, 35-43. Depois do intervalo, diga-se, fruto de espectacular recuperação e acima de tudo aproveitando uma clara improdutividade dos locais, os “tricolores” conseguiram anular a desvantagem passando à frente com uma diferença de 10 pontos (55-45), uma vantagem que os “locomotivas” não conseguiram inverter até ao apito final da partida, colocando assim a possibilidade do título para ambos os conjuntos só no embate do próximo sábado, na capital do país.

A expectativa era maior na cidade da Beira, sobretudo por parte dos amantes da modalidade e, de forma especial, aos afectos à colectividade verde-e-branca a partir da vitória que a equipa alcançou na casa adversária, por 72-65 em jogo realizado no sábado em Maputo. Apesar do apoio do seu público, o Ferroviário não conseguiu marcar nos primeiros três minutos, contrariamente ao Maxaquene que já vencia por 0-5. Depois disso, a máquina “locomotiva” começou a carburar e André Velasco, uma vez mais, levou a equipa “às costas” chegando ao empate tendo dois minutos depois elevado para 9-7 fazendo com que o pavilhão delirasse.

A dois minutos do fim do primeiro período, os beirenses venciam por 15-9 mas estes denotavam muitas deficiências na defesa e nos lançamentos à meia distância e debaixo da tabela, o que permitiu que o Maxaquene chegasse ao empate a 40 segundos do fim (15-15). A cinco segundos do fim Velasco voltou a marcar diferença fazendo o 17-15 com que terminou este período.

No segundo 12, os treinados de José Delfino continuaram a mandar dentro do campo, embora também continuassem a denotar falhas nos aspectos defensivo e ofensivo mas a poucos minutos do intervalo teve que ser novamente o base André Velasco que, com um triplo, fez com que o resultado disparasse para 24-22, a maior para os locais. Posto isto, as despesas do jogo foram da responsabilidade do sul-africano Kalombo, que para além de ter assistido ao Andir e Mutombo para mais pontos, converteu dois triplos fixando o resultado em 43-35 ao intervalo.

PERÍODO DA DIFERENÇA

O terceiro período foi, de facto, fatídico para os “locomotivas”, pois foi nesta fase em que os “tricolores” aceleraram e conseguiram inverter a balança a seu favor. Com notável fracasso físico por parte das suas unidades nucleares, o Ferroviário da Beira entregou o jogo ofensivo ao seu adversário que em sete minutos fez 18 pontos contra nenhum dos beirenses tendo, por isso, passado para uma vantagem de 10 pontos (45-55), a cinco minutos do fim desta etapa.

Foi uma fase bastante difícil para os pupilos de Delfino embora ainda contassem com apoio do sexto jogador, o público que mesmo assim nunca se cansou em apoiar a equipa da casa.

O terceiro período terminou com o resultado de 67-51 a favor do combinado treinado por Inhaki Garcia, situação que fazia ainda crer aos beirenses numa possível reviravolta no marcador.

Mas, tal como dissemos, a quebra física já tinha se apossado dos jogadores, sobretudo Velasco, Mutombo e Kalombo, os nucleares da equipa embora Andir, Baptista e Macuácua sempre que estivessem em campo tentassem fazer algo, mas bastante insuficiente para contrapor um Maxaquene que, pensando na sua possível vitória, foi convertendo pontos atrás de outros, aproveitando da desarticulação do seu adversário.

O quarto e último período também foi totalmente dominado pelos “tricolores” que souberam passear a sua classe com os jogadores Manjate, Samora Mucavel, Sílvio e Eric Banda a se superiorizarem de forma evidente bem como Hartford que, mesmo sem ter feito grande exibição sempre deu grande contributo à equipa, terminando o jogo com uma diferença de 20 pontos, ou seja, 91-71, a maior para os homens da capital do país.

O trio de arbitragem teve um bom trabalho.

FICHA TÉCNICA

Árbitro: Artur Bandeira, Stélio Chiau e Mário Getimane.

Fer. da Beira(71): Zucule, Baptista (13), Velasco (21), Manheira, Zunguza, Samuel, Macuácua (10), Tembo, Mutombo (8), Manhanga, Andyr (4) e Kalombo (15).

Treinador: José Delfino

Maxaquene (91): Manjate (14), Uamusse, Samora Mucavel (22), Sílvio Letela (14), Eric Banda (16), Siad Cossa, Ivan Cossa, Stelio Nuaila (7), Abel Mabetene (5), Hartford (12), Pedro Cuipepo e Aniceto (1).

Treinador: Inhaki Garcia

António Janeiro

Vinte e quatro modalidades desfilarão na capital em 2011: Maputo organizará Jogos mais emblemáticos da história – convicção do Secretário-Geral do SCS



APESAR do curto tempo disponível, dentro daquilo que é universalmente aceite para acontecimentos desta índole, tendo em conta que a eleição do país para a nobre missão continental somente ocorreu em Abril passado, Moçambique tem vindo a demonstrar uma admirável e excelente capacidade de organização, o que nos faz perspectivar que levará a cabo os Jogos Africanos mais emblemáticos da história do evento. Esta constatação pertence ao Secretário-Geral do Conselho Superior do Desporto de África (SCSA), o zambiano Sonstone Kashiba, quando ontem apresentava os resultados da primeira reunião conjunta entre esta instituição suprema, o Comité Organizador (COJA) e os diferentes intervenientes no processo, tendo como finalidade debater vários assuntos relacionados com a preparação do certame.

Um dos pontos que mereceu particular destaque neste encontro tem a ver com a definição das modalidades que corporizarão os X Jogos Africanos de Maputo-2001, tendo, unanimemente, sido fixadas 24, entre as definidas como prioritárias em Moçambique, as que se praticam entre nós e aquelas que, mesmo não tendo campo, as respectivas Federações Internacionais se comprometem a desenvolver acções tendentes à sua disseminação, através da formação de técnicos, juízes e uma estrutura susceptível para que até aos Jogos Olímpicos de 2016 já sejam de facto uma realidade.

O Secretário-Geral do SCSA disse que a escolha das modalidades obedeceu uma série de critérios, sendo que o principal foi a proposta do país anfitrião, em função da sua capacidade de organização, infra-estruturas disponíveis, tanto para o alojamento dos intervenientes – pois quanto mais desportos mais atletas, treinadores e dirigentes envolvidos – como para a realização das provas.

Por outro lado, teve-se em conta aquilo que tradicionalmente acontece nos Jogos Africanos, porquanto estes constituem a olimpíada continental, para além da probabilidade de expansão de determinadas modalidades, particularmente para Moçambique, na qualidade de hospedeiro.

“Por aquilo que observamos em Maputo ao longo destes dias, sentimo-nos profundamente satisfeitos com o nível de preparação e de seriedade dos moçambicanos. À margem da reunião, estabelecemos vários contactos e visitamos locais previstos para jogos, acomodação, centros de saúde e outros imprescindíveis para o normal desenrolar do evento. Sinceramente, estamos bastante sensibilizados e estamos convictos de que Maputo conseguirá corresponder à expectativa do movimento desportivo africano, de ver em 2011 um evento emblemático, único e sem paralelo. O trabalho levado a cabo pelas autoridades governamentais e pelo COJA é realmente gratificante”, afirmou Sonstone Kashiba.

Segundo ele, quando Moçambique aceitou o desafio de organizar este evento, após a desistência da Zâmbia, salvou uma situação que não somente seria embaraçosa para o continente como também infeliz e vergonhosa aos olhos do mundo, particularmente numa altura em que África ganhou uma extraordinária projecção no desporto internacional, sendo disso exemplos os magníficos desempenhos nos Jogos Olímpicos e nos Campeonatos Mundiais.

Kashiba, que na abertura do encontro, na sexta-feira transacta, disse ter uma grande dívida com Moçambique, em virtude de o nosso país ter contribuído sobremaneira para a sua eleição ao cargo de Secretário-Geral do SCSA, referiu que, tanto ele como os membros das outras organizações que cá estiveram, ficaram também sensibilizados pelo facto de o protocolo com o Governo já ter sido assinado – no domingo, 13 de Dezembro, portanto, muito antes do “deadline”, que é Maio de 2010.

BASQUETEBOL -LIGA VODACOM: Quebrámos fisicamente – afirma José Delfino, treinador do Ferroviário da Beir

NO final da partida, o técnico do Ferroviário da Beira era um homem conformado e triste dada a forma como a sua equipa foi derrotada.

Questionado sobre este descalabro, José Delfino disse que tal se deveu à fadiga dos seus jogadores, mormente a partir do terceiro tempo.

“Fizemos os primeiros 24 minutos do jogo bastante tranquilos e saímos ao intervalo a ganhar mas já no terceiro período acusámos fadiga devido ao cansaço, pois viajamos na sexta-feira às 22.00 horas e chegámos a Maputo a uma hora de madrugada. Fizemos o jogo e ganhámos para logo de seguida regressarmos a Beira. Isso prejudicou-nos em demasia e quero louvar os meus jogadores pelo esforço”, disse.

BASQUETEBOL -LIGA VODACOM: Bastante difícil – afirma Inhaki Garcia, técnico do Maxaquene


VISIVELMENTE satisfeito estava o treinador dos “tricolores”, Inhaki Garcia, no final da partida, andando em abraços com o resto do “banco” técnico e dirigentes do clube. Sobre o jogo disse: “Foi bastante difícil sabido que o Ferroviário vinha de uma vitória em Maputo e nós também nos empreendemos para contrapor o nosso adversário o que, de facto, acabamos conseguindo.

De resto foi um jogo muito bonito de se seguir dada a forma como as duas equipas se bateram e produziram um grande “show” de basquetebol. Soubemos aproveitar o terceiro período e ficou uma vez mais claro que tanto o Ferroviário pode ganhar em Maputo como nós na Beira”, afirmou.

CAN-2010: Dominguez e Kampango jogam na primeira jornada



DOMINGUEZ e Kampango, dois dos melhores jogadores dos “Mambas”, vão alinhar na primeira jornada da fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN-2010), depois da CAF ter aceite a proposta de Moçambique de “limpar” todas as cartolinas amarelas averbadas na última fase de apuramento para esta prova, soube ontem o “Notícias” do presidente da Federação Moçambicana de Futebol, Feizal Sidat.

Na sua petição dirigida à CAF e FIFA, Moçambique argumentava que Angola, uma vez não ter participado em nenhuma fase de qualificação na sua qualidade de anfitrião, partia em vantagem em relação aos restantes concorrentes, que se viam privados de utilizar jogadores que haviam sido admoestados com cartolinas amarelas (acumulação).

O Conselho de Disciplina da CAF, depois de analisar pormenorizadamente a exposição de Moçambique, acabou decidindo a favor daqueles que têm jogadores penalizados por acumulação de amarelos, devendo apenas cumprir castigo, os jogadores que tiveram vermelhos directos.

Perante esta situação, Mart Nooij vai respirar de alívio, pois terá Kampango à sua disposição na baliza e o “puto-maravilha” a deambular no meio-campo e à frente, como o têm feito com frequência quando actua pela Selecção Nacional.

De recordar que Moçambique defronta na sua estreia no CAN, a 12 de Janeiro, o Benin, para o Grupo C.

Entretanto, os “Mambas” seguiram ontem para a vila do Songo onde vão cumprir um estágio de preparação para o CAN de cerca de uma semana.

Na agenda dos “Mambas”, nesta sua deslocação, está um jogo com o vizinho Malawi, tudo dependendo da vontade da Federação Malawiana de Futebol.

AFROTAÇAS: Técnicos crêem numa boa prestação dos moçambicanos



NO próximo mês de Fevereiro as atenções dos moçambicanos estarão centradas na participação do Ferroviário e Costa do Sol nas competições africanas de futebol.

Os “locomotivas”, na condição de campeões, disputarão a primeira eliminatória da Liga dos Campeões frente ao AC de Mitsamiouli das Comores, enquanto os “canarinhos” fazem-se presentes na Taça CAF, na qualidade de finalistas vencidos da Taça de Moçambique, defrontando a União Flamingo Santos do Botswana. Nos últimos anos, a prestação das equipas moçambicanas tem sido para esquecer. Passar da primeira eliminatória tem sido o máximo que as formações têm conseguido.

Nalgumas vezes nem isso tem sido possível. Todavia, este é um cenário que não preocupa o “staff” técnico do Ferroviário e do Costa do Sol, e nem pode servir de desculpa para mais eliminações prematuras.

Pelo menos foi esta ideia que os treinadores adjuntos dos “locomotivas” e “canarinhos”, Caló e Rui Évora, deixaram transparecer numa reacção ao sorteio, realizado na semana passada no Cairo, Egipto, onde ficou decidido sobre os adversários das equipas moçambicanas.

Ambos os técnicos são de opinião de que os adversários acessíveis, mas chamam a atenção para o respeito que se deve observar. São unânimes em afirmar que é necessário fazer-se um trabalho minucioso no sentido de se obter informações sobre o Mitsmiouli das Comores e o União Flamingo Santos do Botswana.

Aliás, sublinham que a escassez de conhecimento sobre os adversários tem sido um dos principais factores da fraca participação das equipas nacionais nas Afrotaças. Os jogos realizam-se nos dias 14 e 15 de Fevereiro.

AFROTAÇAS: Queremos chegar longe – segundo Caló, técnico adjunto do Ferroviário



“QUEREMOS chegar o mais longe possível nas competições africanas. Mas para tal temos que pensar jogo-a-jogo e o nosso primeiro alvo a abater é o Mitsamiouli das Comores.

É para vencer este adversário que vamos nos preparar”, palavras de Caló, treinador adjunto do Ferroviário augurando uma prestação positiva dos “locomotivas”.

Questionado sobre se o Ferroviário era favorito a ganhar o jogo, respondeu: “Penso que nenhuma das equipas é favorita. Ambas terão que provar dentro do campo o seu valor. Se esta equipa das Comores está nesta prova é porque tem qualidade, sem nos esquecermos que se trata do campeão daquele país”.

O técnico mostrou-se agradado com o facto de o Ferroviário jogar primeiro fora de casa. “Fiquei agradado com o facto de na primeira “mão” jogarmos no campo do adversário, isso dá-nos a possibilidade de no segundo jogo em Maputo resolvermos a eliminatória a nosso favor.”

Afirmou ainda que o Ferroviário estará nesta prova para contrariar aquilo que tem sido as últimas participações dos representantes moçambicanos nas Afrotaças.

“Nos últimos anos as equipas moçambicanas não têm representado da melhor forma o país nas Afrotaças mas vamos procurar contrariar este cenário”

AFROTAÇAS: Precisamos de ver jogos do adversário – reage Rui Évora, treinador adjunto do Costa do Sol



“PRECISAMOS de criar condições para nos deslocarmos ao Botswana e assistir “in loco” ao jogo do nosso adversário por forma a ter uma ideia mais apurada da sua forma de jogar.

Não nos podemos limitar a ver imagens pela TV. É importante que estejamos no campo a assistirmos ao vivo”, reacção de Rui Évora, treinador adjunto do Costa do Sol, ao sorteio da Taça da Confederação Africana que colocou o União Flamingo Santos do Botswana no caminho dos “canarinhos”.

Para aquele técnico, as últimas aparições, desastradas, das equipas moçambicanas, têm, em grande parte, sido o reflexo da falta de informações sobre o adversário.

“Temos ido na maioria das vezes sem informações detalhadas sobre o adversário e só passamos a conhecer dentro do campo. É preciso conhecer os pontos fortes e fracos desta equipa para sabermos como entrar em campo”, afirmou ainda que a única informação que se tem sobre o Flamingo Santos é o sexto lugar que ocupa na Primeira Liga do Botswana.

“Sei que disputadas dez jornadas, o nosso adversário está em sexto. O campeonato vai a meio e podemos aproveitar para ver um dos jogos”.

Falando sobre a possibilidade que o Costa do Sol tem em ganhar a eliminatória, disse que será preciso construir a vitória com muito trabalho e respeito pelo adversário.

Concluiu, dizendo que se o Costa do Sol estiver ao seu melhor tem condições para passar da primeira eliminatória.

Fase distrital do Bebec decorre desde sábado


O XXI edição do Torneio de Futebol Infanto-Juvenil da Cidade de Maputo, vulgo Bebec, decorre desde o último sábado na sua fase distrital, ao fim do qual serão apurados os respectivos representantes na fase da cidade, que se inicia em princípios de Janeiro.

Esta fase, que é considerada intermédia e que se prolongará até finais de Dezembro, será disputada em cinco recintos, nomeadamente Estrela Vermelha, Distrito Urbano 1, Cape-Cape, Distrito Urbano 2, 7 de Abril (Polana-Caniço), Distrito Urbano 3, Ferroviário das Mahotas, Distrito Urbano 4 (A), Duma (3 de Fevereriro), Distrito Urbano 4 (B), Inhagoia, Distrito Urbano 5 (A) e Mahlazine, Distrito Urbano 5 (B), mais Catembe, Escola Primária local.

De salientar que a fase preliminar, iniciada em Outubro, foi concluída há dias.

A Direcção da Juventude e Desportos da Cidade de Maputo procedeu recentemente a entrega de equipamento, nomeadamente bolas e outros acessórios, para garantir a sustentabilidade desta fase, que é a mais movimentada de todas.

Campeonato do Mundo de Clubes Representante africano fora da corrida ao título



O TP Mazembe do Congo, representante africano no Campeonato do Mundo de Clubes, ficou de fora da corrida pela conquista do troféu ao perder frente ao Pohang Steelers FC, representante da zona asiática, por 1-2, em partida dos quartos-de-fnal.

O TP Mazembe, vencedor da Liga dos Campeões Africanos, até terminou a primeira parte a ganhar, por 1-0, mas na etapa complementar a formação sul-coreana, campeão da zona asiática, deu a volta ao marcador.

Resta agora a equipa africana disputar, amanhã, frente ao Auckland City, representante da Oceânia, o quinto lugar.

Mas amanhã, as atenções estarão particularmente viradas para a estreia do representante europeu, o Barcelona, que defronta o Atlante FC, representante da CONCACAF, em desafio das meias-finais.

O Barcelona joga na condição de vencedor da Liga dos Campeões Europeus. Ainda hoje, na primeira semifinal, o Pohang Steelers FC mede forças com os argentinos dos Estudiantes de La Plata, campeões da Copa Libertadores da América.

A final da competição, que está a ser disputa em Abu Dhabi, capital dos Emirados Unidos, disputa-se no sábado.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O INTERNACIONAL moçambicano Mexer, finalmente, desembarcou em Lisboa para selar o acordo com o Sporting de Portugal, que ao que tudo indica deverá se



O INTERNACIONAL moçambicano Mexer, finalmente, desembarcou em Lisboa para selar o acordo com o Sporting de Portugal, que ao que tudo indica deverá ser de duas épocas e meia.

Hoje, o defesa central realiza os habituais testes médicos e se tudo correr bem será apresentado como novo reforço dos “leoninos”. Mexer ficará em princípio até quinta-feira em Lisboa para acertar outras questões relativas à sua mudança para o futebol europeu. Só após o CAN é que integrará o plantel principal do Sporting.

Juntamente com Mexer foi o outro defesa central formado nas escolas do Desportivo, Zainadine Júnior, que irá treinar à experiência na Academia de Alcochete. O “central” de 21 anos terá um mês para provar ao grupo de observadores do Sporting que tem qualidade para se vestir também de “leão”.

Os atletas seguiram para Lisboa na companhia do seu empresário Shafee Sidat, que esteve sempre à frente do processo das negociações tendo desempenhado um papel fundamental para que os dois atletas se transferissem para o clube de Alvalade.

Recorde-se que o Sporting pagou pelo passe de Mexer 250 mil dólares.

Entretanto, circulam informações em Lisboa de que Mexer vai ser emprestado pelos “leões” a um outro clube até final da temporada.

Confrontado com o facto de ser cedido a outra equipa, segundo o jornal português “Maisfutenol”, Mexer apontou que, neste momento, está “mais virado para a CAN”, que é o seu “principal objectivo”. Depois de terminada a prova “logo se verá”, referiu o atleta.

O futebolista moçambicano, que se define como um jogador polivalente que pode “jogar tanto a central como no meio-campo”, mostrou-se optimista em relação à nova fase da carreira: “As expectativas são boas. Gostei de receber a proposta do Sporting, porque é o clube do meu coração. Espero dar o meu máximo. Sei que o Sporting é uma equipa muito boa. Tenho assistido a vários jogos e apoio-o sempre”, disse ao Maifutebol.

Apontou que “só o tempo dirá” se vai, ou não, conseguir adaptar-se à nova realidade. Mas uma coisa é certa para Mexer: “Com trabalho tudo é possível”.

Por seu turno, Zainadine Júnior disse ao “Maisfutebol” que “vim para ser avaliado e tentar ficar no Sporting”. Acrescentou que está disposto a “dar o máxim.

Preparação para o CAN-2010: “Mambas” a caminho do Songo


A SELECÇÃO Nacional de Futebol, no quadro da sua preparação para a fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN), a ter lugar em Janeiro próximo em Angola, inicia hoje um estágio na Vila do Songo, província de Tete.

Os “Mambas” deixam Maputo esta manhã depois de um estágio não competitivo que durou sensivelmente um ano, na Matola, onde efectuaram várias sessões de treino no Campo da Liga Muçulmana.

Durante a sua estada naquele ponto do país, os “Mambas”, para além de aprumarem a condição física e ensaiarem vários sistemas tácticos, têm previsto um jogo amigável com a selecção do Malawi no sábado, dia 19 de Dezembro.

Nesta primeira fase, Mart Nooij só tem disponíveis apenas jogadores que actuam internamente (nas equipas do Moçambola), enquanto os “estrangeiros” irão integrar a Selecção à medida que forem chegando.

Torneio Inter-Selecções Provinciais: Canecão para Cidade Maputo



A CIDADE de Maputo sagrou-se vencedora da primeira edição do Torneio Inter-Selecções Provinciais, uma iniciativa exclusiva da Federação Moçambicana de Futebol (FMF) que tem como principal objectivo a descoberta e promoção de talentos que constituirão a base das selecções nacionais de formação.

Para se sagrarem vencedores, os maputenses derrotaram, sábado, a sua congénere de Nampula, por 2-1, concluindo as três jornadas em disputa sem conhecer o sabor amargo da derrota. A sua primeira vítima foi Inhambane (3-2), na quinta-feira, e depois Sofala (4-0), no dia seguinte. Estes resultados foram determinantes para o sucesso de Maputo-Cidade no torneio, pois partiu para o jogo decisivo com a vantagem de três pontos em relação aos restantes concorrentes e um empate apenas seria suficiente para a conquista do troféu.

Os maputenses tiveram ainda a felicidade de marcar muito cedo no derradeiro embate. Os dois tentos foram conseguidos aos cinco e 17 minutos, respectivamente, e justificaram efectivamente a sua entrada empolgante e que deixou os nampulenses perplexos durante toda a primeira parte.

Porém, a iniciativa de jogo pertenceu a Nampula e em duas ocasiões, nos primeiros dois minutos, dois dos seus atacantes não tiveram inteligência suficiente para baterem o guarda-redes Isidro. E o arrependimento não tardou, pois o maputense Naftal, numa sobra que resultou dum livre, apareceu a rematar forte e rasteiro a visar decorridos cinco minutos da contenda.

Mais motivados, os maputenses foram à carga e as investidas sucederam-se até que Dércio, um dos jogadores mais célebres da equipa anfitriã, foi travado em falta quando, desesperado, o guarda-redes nampulense Suaibo foi aos seus pés. Próximo, o juiz da partida assinalou penalte, tendo Clésio marcado com êxito.

Aliás, tantas outras oportunidades para Maputo-Cidade alargar a vantagem pertenceram a Clésio, como jogador mais avançado dos maputenses e que provocou muita briga entre a defensiva nampulense. A melhor ocasião foi aquela em que a escassos metros da baliza atirou sobre o guarda-redes Suaibo, aos 26 minutos.

REACÇÃO NAMPULENSE DEIXA MAPUTO EM APUROS

A segunda parte foi marcada por momentos críticos em que o anti-jogo tomou conta de alguns jogadores, com maior incidência para Maputo-Cidade que, ao invés de fazer prevalecer o que caracterizou a sua actuação ao longo do primeiro tempo, tornou-se numa equipa violenta.

E esta forma de agir trouxe as suas consequências aos maputenses, pois não tardou que ficassem reduzidos a 10 unidades com a expulsão do autor do primeiro golo. Naftal, que havia sido castigado na primeira parte, acabou sendo a vítima por anti-jogo, que lhe valeu mais um amarelo.

A complicação começou daí, visto que os nampulenses, que vinham com uma nova estratégia ofensiva para a segunda parte, tiveram mais espaço de manobra para chegarem à baliza de Isidro. Os maputenses tiveram que recuar para travar a frequência de perigo e tudo dava indicação que a qualquer momento os nampulenses iriam marcar. E foi igualmente na sequência de um livre que Massawa, um dos jogadores mais preponderantes no ataque de Nampula, atirou a visar no decurso do primeiro quarto.

Maputo-Cidade apanhou calafrios, mas era cedo porque o pior veio depois. Porém, os nampulenses não souberam explorar as oportunidades que tiveram, muitas vezes a atirarem desenquadrados com a baliza dentro da grande área. Massawa teve culpa quando, aos 22 minutos, chutou ao lado só com o guarda-redes pela frente.

A ansiedade em chegar ao empate o mais cedo possível para tentar o golo da vitória terá tramado os nampulenses, pois o mais fácil tornou-se o mais difícil, uma vez que faziam tudo com perfeição, mas tudo estragava-se quando próximos da baliza de Isidro.

Mesmo assim, continuaram a lutar e, numa outra investida, o também talentoso Caíque atirou sobre o travessão, a um minuto do fim dos 80 regulamentares. Foi o adeus. Pois nem os cinco minutos de compensação foram proveitosos para os nampulenses, que nesta partida mereceram outra sorte.

Aliás, este jogo foi marcado por dois momentos: uma primeira parte dominada pelos maputenses e a outra pelos nampulenses.

De salientar que este jogo foi antecedido por um outro entre as selecções de Sofala e Inhambane, inserida nesta que foi a terceira e última jornada do torneio, iniciado na passada quarta-feira e que foi disputado numa única volta e no sistema de todos contra todos.

Sofala saiu a ganhar a Inhambane, por 4-1, depois de 1-0 ao intervalo. Com esta derrota, a equipa de Inhambane tornou-se na pior de todos os quatro concorrentes.

Recordar também que este torneio foi o culminar das fases regionais, nas quais saíram apuradas as equipas de Maputo-Cidade (Sul), Sofala (Centro) e Nampula (Norte) mais o segundo melhor classificado de todas as zonas (Inhambane).

FICHA TÉCNICA

ÁRBITRO: Virgílio Absalão, auxiliado por Domingos Machava e Feliciano Pedro. O quarto árbitro foi Luís Jumisse.

MAPUTO-CIDADE – Isidro, Francisco, Alberto I, Naftal e Sidique; Alberto II, Esmeraldo, Jorge (Lucas) e José (Victor), Clésio e Dércio (Estêvão).

NAMPULA – Suaibo; Herculano (Josefo), Félix, Arone e Nuro; Gildo, Merino (Abu), Abobacar (Moche) e Apaite; Massawa e Caíque.

DISCIPLINA: Vermelho para Naftal por acumulação de amarelos. Cartolinas amarelas para Victor, Abu e Suaibo.

CLASSIFICAÇÃO FINAL

J V E D B P

MAPUTO Cidade 3 3 0 0 8-3 9

Sofala 3 2 0 2 6-6 6

Nampula 3 1 0 2 6-5 3

Inhambane 3 0 0 3 4-11 0

SALVADOR NHANTUMBO

“Nacionais” de andebol arrancam hoje em Tete


OS Campeonatos Nacionais de Andebol, em seniores masculinos e femininos, arrancam hoje na província de Tete.

Outra vez, Maxaquene, em masculinos, e Matchedje, em femininos, ambos da cidade de Maputo, partem como principais candidatos à conquista do troféu. Antevê-se um campeonato muito competitivo e com maior participação de equipas comparativamente ao ano passado.

Em masculinos, por exemplo, aguarda-se a presença de 12 equipas das províncias de Sofala, Tete, Nampula, Zambézia, Manica e ainda da cidade de Maputo, a mais representativa com quatro, nomeadamente Maxaquene, campeão em título, 1º de Maio, Costa do Sol e Mahotas.

Os nomes das formações das províncias ainda estão por apurar, mas sabe-se que, por exemplo, a Liga Muçulmana da Beira (província de Sofala) será uma das presentes e a que surge como adversário a ter em conta.

Ao que a nossa Reportagem apurou, junto ao secretário-geral da Federação Moçambicana de Andebol, Hassane Basse, é que tudo foi preparado para que a província de Tete acolha a partir de hoje um dos melhores “Nacionais” de que há memória. Perspectiva-se uma boa propaganda de andebol.

À semelhança dos masculinos, antevê-se que em femininos a festa seja igualmente “ruidosa”, com o Matchedje a travar forças com o Maxaquene. De resto, é nestas formações da capital do país que ficará entregue a tarefa de proporcionar algumas cenas de emoção e espectaculiradade às centenas de tetenses que deverão acorrer ao campo para assistirem de perto o desenrolar da competição.

Campeonatos de voleibol altamente concorridos



OS Campeonatos Nacionais de Voleibol, em seniores masculinos e femininos, prometem ser dos mais concorridos dos últimos anos.

É já amanhã que a competição começa na cidade de Quelimane que irá, certamente, vibrar com o desfile dos melhores atletas da especialidade, à semelhança do que está a acontecer com os juniores, cuja prova está já em curso.

Só em masculinos estão confirmadas a presença de 16 equipas, sendo que a maior parte é da cidade de Maputo, nomeadamente Académica “M”, Académica “B”, Maputo Jet’s e Hotso. A província de Nampula estará em peso com três equipas, a saber: Dragões do Norte, Academia Militar e UP.

Os anfitriões, os zambezianos, estarão representados por duas, trata-se das equipas da Base de Molucué e da Académica da Zambézia. Com o mesmo número de formações far-se-á presente a província de Sofala, com o Ferroviário da Beira e UP, a de Manica, com o Anjo Voador e UCEU. A província de Niassa será representada pelas Estrelas locais.

Ainda com duas equipas estará a província de Gaza, enquanto Inhambane contará com apenas uma. As províncias de Cabo Delgado e de Tete são as ausentes.

Em femininos, tal como em masculinos, a capital do país estará em peso com quatro equipas, nomeadamente GRAAL, TVSD, Fire Ladies e Maputo Jet’s. Até a esta altura foi confirmada a participação de sete equipas.

As outras três são o Zonho da província de Nampula, Aeroporto Expansão da Zambézia e UCEU de Manica.

A maior parte das equipas participantes começou a chegar ontem ao local da competição, Quelimane.

Campeonato de Natação da Cidade de Maputo: Doze recordes em três rondas



A EDIÇÃO-2009 do Campeonato de Natação da Cidade de Maputo, que decorre desde o último sábado na piscina Raimundo Franisse, poderá ser o mais produtivo de todos.

A razão é simples: foram registados 12 recordes nacionais ao fim de três jornadas, dos quais dois absolutos batidos por Mónica Bernardo, nadadora sénior do Clube de Natação Golfinhos de Maputo (CNGM), respectivamente nos 50 metros bruços e mariposa na primeira e segunda jornadas. Mónica Bernardo ainda fixou um recorde de categoria em 100 mariposa, na terceira, realizada ontem.

Os restantes máximos são de categoria. Destes registos destaca-se o nadador Shakil Fakir, também do Golfinhos de Maputo, que fixou um total de cinco recordes em 200 metros livres e 400 estilos, na primeira jornada, 50 mariposa, na segunda, realizada sábado, e 50 livres e 100 mariposa, na última.
Destaque vai igualmente para a sensacional Jannat Bique que, não representando nenhum clube, obteve dois recordes de categoria nas provas de 400 metros estilos, na primeira ronda, e 100 mariposa, na última.

De salientar que o Golfinhos domina o campeonato e assume-se como favorita à conquista do título, sendo o clube que dos cinco concorrentes conseguiu maior número de recordes (9). Os restantes foram obtidos por Jannat Bique (dois) que, como nos referimos nada a título individual, e Naimo Ananias, do Grupo Desportivo de Maputo.

Hoje o campeonato interrompe e reinicia amanhã, com a realização da quarta jornada, a partir das 15.00 horas.

RECORDES BATIDOS ATÉ ONTEM (TERCEIRO DIA DE COMPETÇÃO)

ATLETA CLUBE ESCALÃO PROVA RECORDE ANTERIOR

M. Bernardo CNGM Sénior 50 bruços 35,92 seg. 36,27 seg.

M. Bernardo CNGM Sénior 50 mariposa 29,25 seg. 29,69 seg.

Shakil Fakir CNGM Infantil 200 livres 2.20,60 mn 2.22,59 mn

Shakil Fakir CNGM Infantil 400 estilos 5.47,86 mn 5.49,62 mn

Shakil Fakir CNGM Infantil 50 mariposa 31,91 seg. 31,92 seg

Shakil Fakir CNGM Infantil 100 mariposa 1.11,28 mn 1.14,46 mn

Shakil Fakir CNGM Infantil 50 livres 28,77 seg. 29,63 seg.

Jannat Bique Individual Infantil 400 estilos 5.52,62 mn 6.06,06 mn

Jannat Bique Individual Infantil 100 mariposa 1.14,99 mn 1.16,85 mn

Géssica Stagno CNGM Júnior 100 mariposa 1.07,88 mn 1.09,41 mn

Naimo AnaniasGDM Infantil 50 bruços 38,09 seg 38,56 mn

Seis equipas disputam “Interprovincial” de futsal


A CAPITAL do país acolhe a partir de hoje o Torneio Interprovincial de Futsal que juntará seis equipas, nomeadamente Al Mahid, equipa organizadora, Desportivo, Benfica, todas em representação da cidade de Maputo, Atlético Muçulmano, província do Maputo, e Liga Muçulmana e Academia Militar, ambas provenientes da província de Nampula.

O pontapé-de-saída será dado pelo Al Mahid e Benfica, a partir das 18.45 horas, no pavilhão da Académica. O Al Mahid é candidato aos três pontos em disputa.

A seguir será a vez ao Atlético Muçulmano medir forças com a Academia Militar, campeã de Nampula. Aguarda-se um jogo espectacular a todos os níveis, pois ambas as formações demonstraram em ocasiões anteriores possuírem jogadores capazes de protagonizarem um futebol altamente competitivo.

O desafio entre o Desportivo e a Liga Muçulmana que devia complementar a jornada inaugural ficou adiado para uma data a anunciar devido à chegada tardia dos nampulenses.

O Desportivo é claramente o potencial candidato a conquistar esta prova que surge, a-propósito da não realização do Campeonato Nacional devido ao número insuficiente de associações inscritas.

A última jornada, que poderá determinar o vencedor, realiza-se no próximo sábado provavelmente no Pavilhão do Maxaquene.

Entretanto, esta manhã, dirigentes e técnicos dos clubes participantes juntam-se à mesma mesa para a habitual reunião técnica, onde vão debater, entre outros assuntos, as formas de organizar mais intercâmbios entre equipas de diferentes locais do país.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

LIGA DOS CAMPEÕES EUROPEUS - Mais quatro nos “oitavos”



BARCELONA, Inter de Milão, Estugarda e Olympiakos preencheram quarta-feira os últimos quatro bilhetes para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões Eurpeus, depois de concluída a fase de grupos.

Todas as equipais apuradas

Chelsea, F.C. Porto, Bordéus, Bayern Munique, Manchester United, CSKA Moscovo, Real Madrid, Milan, Fiorentina, Lyon, Sevilha, Estugarda, Barcelona, Inter Milão, Arsenal e Olympiakos.

Resultados dos jogos da última jornada da fase de grupos realizados quarta-feira:

Grupo E

Liverpool-Fiorentina, 1-2

Lyon- Debrecen, 4-0

Grupo F

Inter-Rubin Kazan, 2-0

Dínamo Kiev-Barcelona, 1-2

Grupo G

Estugarda-Unirea Urziceni, 3-1

Sevilha-Glasgow Rangers, 1-0

Grupo H

Olympiakos-Arsenal, 1-0

Standard Liege-AZ Alkmaar, 1-1

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

LIGA DOS CAMPEÕES EUROPEUS - Primeiros classificados para os oitavos-de-final



BORDÉUS Bayern de Munique (Grupo A), Manchester CSKA (Grupo B), Real Madrid e Milan (Grupo C), Chelsea e FC Porto (Grupo D) são as equipas que se qualificaram terça-feira para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões Europeus, concluída que foi a primeira fase do evento, a de grupos.

Os terceiros classificados, nomeadamente Juventus, Wolfsburgo, Marselha e Apoel vão para a Liga Europa, enquanto os “lanterna vermelha” ficam automaticamente afastados de qualquer competição europeia.

Eis os resultados completos da última jornada da fase de grupos dos jogos realizados terça-feira e as respectivas classificações:

GRUPO A

Juventus-Bayern Munique, 1-4

Maccabi Haifa-Bordéus, 0-1

Champions: Bordéus e Bayern Munique.

Liga Europa: Juventus

GRUPO B

Besiktas-CSKA Moscovo, 1-2

Wolfsburgo-Manchester United, 1-3

Champions: ManUtd e CSKA Moscovo

Liga Europa: Wolfsburgo

GRUPO C

Marselha-Real Madrid, 1-3

Zurique-Milan, 1-1

Champions: Real Madrid e Milan

Liga Europa: Marselha

GRUPO D

At. Madrid-FC Porto, 0-3

Chelsea-APOEL Nicosia, 2-2

Champions: FC Porto e Chelsea

Liga Europa: At. Madrid

O ANTIGO dono do recorde mundial dos 100 metros, o jamaicano Asafa Powell, há muito foi ultrapassado pelo compatriota Usain Bolt.


O ANTIGO dono do recorde mundial dos 100 metros, o jamaicano Asafa Powell, há muito foi ultrapassado pelo compatriota Usain Bolt.

Apesar disso, o velocista ainda mantém o sonho da reviravolta para recuperar o predomínio.

Na terça-feira, Powell afirmou que ainda tem o rival na mira e mostrou confiança em vencê-lo nas provas mais rápidas do atletismo.

“Usain é o alvo neste momento e estou com ele na mira. Eu sei que posso batê-lo”, disse o jamaicano, num evento de divulgação dos Jogos da Juventude, em Singapura.

Asafa Powell terá de se esforçar bastante, já que tem como melhor marca na carreira 9s72, contra os incríveis 9s58 de Usain Bolt. O norte-americano Tyson Gay foi outro a ultrapassá-lo, com 9s69.

“Eu sabia que seria possível chegar a 9s5. Não sei se chegaremos a 9s4, mas estou com 100 por cento de certeza de que poderei cravar tempos muito velozes no próximo ano”, prometeu o corredor, que se vê em desvantagem estrutural em relação a Usain Bolt, já que tem estatura menor e, assim, acaba perdendo força nos metros finais.

“Por eu ser menor, tenho uma vantagem na saída do bloco, apesar de, pela sua altura, ele ser mais forte no final”, afirmou Asafa Poweel, que mede 1,90m, contra 1,93m de Usain Bolt, de acordo com o site da Federação Internacional de Atletismo (IAAF). A principal diferença reside nos três centímetros de diferença.

Torneio entre selecções provinciais de Sub-17 em Futebol : Nampula primeiro vitorioso

NAMPULA foi o primeiro vitorioso da fase final do Torneio Inter-Selecções Provinciais de Sub-17 que se iniciou na tarde de ontem no Campo do Costa do Sol, na cidade de Maputo, e a vítima foi Inhambane que perdeu por 4-1.

O outro jogo que deveria colocar frente-a-frente as selecções da Cidade de Maputo e de Sofala não se realizou devido à chegada tardia da segunda formação.

Entretanto, a comissão técnica do torneio marcou este jogo para sexta-feira, dia que havia sido reservado para o descanso das equipas.

SOFALA-NAMPULA DESTAQUE DE HOJE

Entretanto, Nampula deverá provar a sua supremacia esta tarde (15.30 horas) perante a congénere de Sofala. A anteceder a este encontro, jogarão as selecções de Inhambane e da Cidade de Maputo.

De salientar que o torneio, que é disputado numa única volta, termina sábado. Nele participam os vencedores das três regiões do país e o melhor segundo classificado de todas, neste caso Inhambane.

COI deve redistribuir medalhas de Marion Jones


O COMITÉ Olímpico Internacional (COI) deve definir esta semana com quem ficarão as medalhas conquistadas pela norte-americana Marion Jones nas provas de velocidade e de salto nos Jogos Olímpicos de Sidney, em 2000.

Segundo informou um integrante da entidade, a premiação, retirada da atleta por conta do escândalo de doping recentemente revelado, será redistribuída.

Marion Jones ganhou a medalha de ouro nos 100m e 200m planos, além do bronze no salto em comprimento.

De acordo com a agência Reuters, o COI está reunido desde ontem para definir e anunciar que as atletas que terminaram nas posições subsequentes durante os Jogos australianos serão novas donas das medalhas.

Nos 200m, a medalha de ouro deverá ficar com Pauline Davis-Thompson, das Bahamas, que terminou com a prata na ocasião. Já no salto em comprimento, o bronze deve acabar nas mãos da quarta classificada Tatyana Kotova, da Rússia.

A dúvida principal é sobre a definição nos 100m planos. Isso porque a medalha de prata na prova em Sidney, Katerina Thanou, da Grécia, não poderá ser favorecida, já que foi punida pelo COI - não se apresentou para os exames antidoping nos Jogos Olímpicos seguintes, em Atenas, na Grécia, e acabou banida também das Olimpíadas de Pequim, na China, em 2008.

Marion Jones também participou na conquista da medalha de ouro nas estafetas dos 4x100m, mas a equipa norte-americana luta para manter a posição junto à Corte Arbitral do Desporto. A velocista foi flagrada no escândalo de doping dos laboratórios Belco, por uso de esteróides. Chegou a ir para a prisão depois de mentir à Justiça.

Mexer e Zainadine podem chegar esta semana


Coach, o Sporting esta a precisar de miudos como esses dois. que parem de perpetuar o racismo e o preconceito. para ja, os melhores jogadores do mundo nao sao nem altos como eles querem que o Mexer seja.
tenho fe que o Mexer vai passar logo para um campeonato mais competitivo que esse dai cheio de adeptos fanfaroes.


Author: Jose Luis Sousa

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

TORNEIO DA COSAFA DE SUB-20 - "Mambinhas" estreiam-se empatando com Madagáscar



A SELECÇÃO Nacional de futebol de Sub-20 estreou-se com um empate a um golo diante de Madagáscar no Torneio da Cosafa da categoria que decorre desde o último fim-de-semana em Joanesburgo, resultado que pode comprometer as suas aspirações que passam por atingir a final, repetindo, desta feita, a proeza do ano passado em que falharam o troféu ao perderá com a África do Sul por 3-2. Os “Mambinhas” têm hoje uma missão espinhosa frente à Suazilândia que determinará a sua continuidade neste evento, ou seja a transição para as meias-finais.

Este é um jogo crucial para os Sub-20 a quem apenas a vitória interessa, uma vez que um novo empate, para não falar de derrota, esgotará todas as possibilidades de transitarem para a fase seguinte.

Enquanto isso, esta partida marcará a estreia da Suazilândia, atendendo que o grupo dos “Mambinhas” (B) integra apenas três equipas. Os suázis voltam a jogar amanhã com Madagáscar para a decisão do futuro de cada uma das equipas, numa altura em que tudo está em aberto para os três concorrentes.

SEM VEIA GOLEADORA

Os “Mambinhas” revelaram alguma incapacidade de transformar as oportunidades criadas em golos e, com este cenário, os malgaxes, mesmo sem dominar o jogo, fizeram o que os moçambicanos não conseguiram, marcando primeiro aos 15 minutos da segunda parte.

Sorte é que estiveram à altura de repor a igualdade dez minutos depois, com golo de Maninho.

O encontro foi caracterizado por muito nervosismo que culminou com a expulsão de um jogador para cada lado. O defesa central Aguiar não vai alinhar hoje frente à Suazilândia e é uma baixa de vulto para a equipa moçambicana.

“Mambas” recreiam-se com reclusos da Machava



OS “Mambas” vão brindar os presos da Machava, concretamente da Cadeia de Máxima Segurança, vulgo BO, com futebol de primeira água esta manhã (9.00 horas), no âmbito da inserção social do recluso.

A Selecção Nacional cumpre assim a promessa feita há meses quando iniciou o intercâmbio entre as equipas do Moçambola e reclusos e que permitiu que várias equipas se deslocassem às Cadeias Central e de Máxima Segurança da Machava, casos do Costa do Sol, Ferroviário, Maxaquene, Liga Muçulmana, Atlético Muçulmano, Matchedje, HCB de Songo e algumas universidades sediadas na cidade de Maputo.

Espera-se por um ambiente bastante comovente, como tem sido apanágio, a equipa de reclusos, para a recepção dos “Mambas”, reforçado-se com a junção das duas selecções, nomeadamente da BO e da Cadeia Central, para formar o que apelidaram de “Mambas da Machava”.

Este jogo marcará o fim da época futebolística nas Cadeias Central e da Máxima Segurança da Machava.

Infelizmente, os reclusos não terão a oportunidade de ver todos os artistas e seus ídolos, sobretudo aqueles que actuam no estrangeiro, que disputam os respectivos campeonatos. Praticamente, os “Mambas” que hoje escalarão a BO fazem parte do grupo interno, que na última terça-feira iniciou a preparação para o CAN de Angola-2010.

Trata-se dos guarda-redes Binó, Lamá e Pinto; os defesas Fanuel, Campira e Whisky e Mayunda; os médios Momed Hagy, Nelinho, Danito Parruque, Mustafá, Alvarito, Carlitos e Josimar e os avançados Jerry, Hélder Pelembe e Tony, este último que se juntou hoje ao grupo. Ruben e Luís continuam a pautar pela ausência e sem justificação, segundo contou fonte da equipa técnica. Por seu turno, Mexer e Zainadine Júnior foram dispensados para atenderem a sua transferência para o Sporting de Portugal.

De salientar que, por cada golo, a selecção de reclusos terá um prémio especial correspondente a cinco dias de visita extra por cada um dos integrantes da equipa como prenda especial por ocasião das festas do Natal e fim-do-ano que se aproximam. No intercâmbio com as equipas do Moçambola, as selecções da BO e da Cadeia Central tiveram em cada golo registado um dia de visita extra. '

Entretanto, a par da partida de futebol, a organização preparou espaço para a realização de algumas actividades culturais envolvendo os grupos culturais da Associação Provida, promotora do intercâmbio, e de Nomo e Búfalo/Wantsongo.

Mussá mantém-se no comando do HCB



MUSSÁ Osman vai continuar no comando técnico da equipa principal do Grupo Desportivo e Recreativo da Hidroeléctrica de Cabora-Bassa (HCB).

O anúncio foi feito no dia no dia 4 de Dezembro corrente, durante a cerimónia da tomada de posse da nova direcção da colectividade. Adelino de Almeida é o novo presidente do HCB, sucedendo deste modo, a José da Costa.

A reunião da assembleia-geral do HCB, que culminou com a eleição dos novos corpos gerentes, foi convocada para analisar o desempenho da anterior direcção durante o “Moçambola” passado, tendo-se constatado que, dentre vários aspectos, houve má gestão e uso indevido dos recursos financeiros do clube, deixando a agremiação com algumas dívidas de alimentação e alojamento dos atletas, prémios de jogos, entre outros.

O novo elenco da direcção do Grupo Desportivo da Hidroeléctrica de Cahora-Bassa, decidiu, após a sua tomada de posse, que a equipa técnica liderada pelo técnico Mussá Ossman vai manter-se por mais uma temporada e esforços estão sendo envidados para o apetrechamento da equipa em termos de jogadores, de forma a encarar o Moçambola do próximo ano com outra postura.

“A nossa aposta é manter a equipa no Moçambola e queremos ficar nos primeiros cinco lugares nesta prova que se avizinha, porque já temos condições para tal. Temos infra-estruturas suficientes para trazermos o canecão do Moçambola pela primeira vez à Vila do Songo. Vamos dignificar o nosso maior patrocinador, a empresa HCB, e trazer o espectáculo da maior prova futebolística do nosso país ao Songo”, disse o engenheiro Francisco Xavier no acto da tomada de posse da nova direcção do Clube da HCB.

De recordar que, no passado dia 29 de Novembro, o HCB inaugurou o seu campo relvado de futebol e o bairro dos jogadores com capacidade para albergar cerca de 40 atletas, sendo o primeiro clube a possuir infra-estruturas desportivas completas na província de Tete.

O presidente da Assembleia-Geral do Grupo Desportivo e Recreativo da HCB, engenheiro Francisco Xavier, disse que a sua colectividade vai fazer tudo o que estiver ao seu alcance para apoiar o Chingale a regressar o mais rapidamente possível ao Moçambola.

Trabalhar para a rápida expansão da vela e canoagem - eis o objectivo primordial da Federação Moçambicana das duas modalidades, ora constituída



HÁ unanimidade: o país possui uma extensa costa marítima e gente particularmente com habilidade para a prática de desportos náuticos.

Assim sendo, urge aproveitar ao máximo essas potencialidades para rapidamente se expandir e massificar a execução de modalidades como a vela e a canoagem, que, inclusive, fazem parte do rol das disciplinas previstas para os Jogos Africanos de Maputo-2011. Esta posição foi a tónica dominante dos pronunciamentos oficiais e informais dos participantes na cerimónia da tomada de posse, segunda-feira à noite, da primeira Federação Moçambicana de Vela e Canoagem.

Tendo como Presidente da Direcção José Luís Alcântara Santos e reunindo nos seus diversos órgãos nomes sonantes do desporto, e não só, como são os casos de Luís Bernardo Honwana, José Forjaz, Joel Libombo, Celso Correia, Mário Samboco e Carlos Prista, a ora constituída Federação Moçambicana de Vela e Canoagem promete trabalhar arduamente de forma a colocar estas duas modalidades ao serviço das massas, tirando partido das óptimas condições que a natureza nos oferece.

Conforme fez questão de vincar o seu presidente, José Luís Alcântara Santos, numa cerimónia em que esteve presente o Ministro da Juventude e Desportos, Fernando Sumbana, a constituição desta Federação é corolário de um trabalho abnegado levado a cabo por diversas pessoas apaixonadas pelos desportos náuticos, na perspectiva não somente de se verem aglutinados num fórum que seja seu interlocutor junto da sociedade, na esfera desportiva nacional e internacional e junto do Governo, como também trazer à tona modalidades que Moçambique pode ter vantagens comparativas nas competições internacionais, destacando, para já, os Jogos Africanos de 2011, aguardados com enorme expectativa pelos amantes e praticantes da vela e da canoagem, pois será uma oportunidade para realmente testarem as suas qualidades.

Aliás, segundo Alcântara Santos, nas tarefas imediatas destaca-se também a inscrição da Federação nos organismos internacional e continental, para que a participação do país comece a ser uma realidade. Paralelamente a este aspecto, está a organização de provas internacionais para aquilatar o nível dos nossos atletas.

Congratulando-se com a formação da Federação Moçambicana de Vela e Canoagem, o Ministro da Juventude e Desportos disse que o acto representava um importante passo rumo ao relançamento e prática regular de modalidades que, num país como o nosso, com uma extensa costa marítima, constituem o meio de trabalho de milhares de moçambicanos.

Segundo Fernando Sumbana, pelo facto de esta Federação surgir num momento particularmente importante da história desportiva do nosso país, pelo facto de acolhermos a décima edição dos Jogos Africanos, espera que o novo organismo impulsione o rápido desenvolvimento destas duas modalidades, a vela e a canoagem, de modo a que possamos, no mínimo, nos representar na maior festa desportiva do continente.

“Para tal, a organização e o espírito empreendedor são condições indispensáveis para colhermos louros do surgimento desta agremiação, a breve trecho. Organização a partir da base, isto é, dos clubes e em todas as províncias, até à Federação, numa cadeia que deve funcionar em harmonia, através de processos transparentes, participados e virados para o mesmo objectivo: a rápida expansão e desenvolvimento da modalidade, tirando melhor partido das condições que a natureza oferece ao nosso país”, disse Sumbana.


COMPOSIÇÃO DO ELENCO

A Federação Moçambicana de Vela e Canoagem tem a seguinte composição:

Mesa da Assembleia-Geral

Presidente: Luís Bernardo Honwana; Vice-Presidente: José Forjaz; Secretário: Joel Libombo

Direcção

Presidente: José Luís Alcântara Santos; Vice-Presidente: Décio Muianga; Secretário-Geral: Diogo Margarido; Tesoureira: Dalva Brito

Conselho Técnico

Presidente: Carlos Prista; Vogais: Oliviero Davolio e Sérgio Zibane

Conselho Fiscal

Presidente: Celso Correia; Secretário: Sérgio Assubuji; Vogal: Pedro Mosca

Conselho Jurisdicional

Presidente: Daniel Lampião; Vogais: Raul Dias e Carimo Valgy

Conselho de Disciplina

Presidente: Mário Samboco; Vogais: Jorge Graça e Hélio da Rosa Alberto