quarta-feira, 30 de junho de 2010

MUNDIAL-2010 - Vizinho não perdoa… vizinho


NO dia em que passaram dois anos da conquista do título europeu, a Espanha voltou, ontem, a estar em festa. Festa da passagem para os quartos-de-final do Campeonato do Mundo de Futebol África do Sul-2010, ao não perdoar o seu vizinho Portugal, derrotando-o por uma bola sem resposta, tento da autoria do goleador David Villa, aos 63 minutos, na sequência de uma jogada de insistência em que acabou batendo, inapelavelmente, o destemido guarda-redes Eduardo.

À tarde, e no caminho mais longo para chegar aos quartos-de-final, Paraguai venceu Japão por 5-3, no desempate através de pontapés da marca de grande penalidade, uma vez que o empate a zero bola prevaleceu até ao prolongamento.



Concluída esta etapa, e com o continente africano superiormente representado pelo Gana, oito selecções disputam entre sexta e sábado os quartos-de-final, já que os dias de hoje e de amanhã estão reservados ao descanso. Na sexta realizam-se os embates Holanda-Brasil, em Port Elizabeth, e Uruguai-Gana, em Joanesburgo, para, no sábado, Argentina defrontar Alemanha, na Cidade do Cabo, e Espanha ter pela frente Paraguai, em Joanesburgo.

Ontem à noite, no Estádio Green Point, na Cidade do Cabo, e depois de um dia de chuva torrencial, a Espanha entrou com claras intenções de vergar, pela primeira vez, a defesa portuguesa, daí a sequência de lances susceptíveis de golo que foi protagonizando, com David Villa a destacar-se em todos os aspectos, apagando, no campo adversário, qualquer brilho da estrela Cristiano Ronaldo.

É verdade que a turma de Carlos Queiroz demonstrou uma substancial melhoria no segundo tempo, no entanto, não impediu que, aos 63 minutos, a história do jogo fosse traçado. A simplicidade de Iniesta transformou-se em classe com o toque de calcanhar de Xavi que lançou Villa para a história. O futuro jogador do Barcelona não ultrapassou Eduardo à primeira – mais uma defesa impossível – mas, na recarga, conseguiu o dois-em-um e chegou ao quarto golo no Mundial, igualando o argentino Gonzalo Higuain e o eslovaco Robert Vittek, levando Eduardo ao desespero pela primeira vez no torneio.

MUNDIAL-2010 - Gana carrega esperança africana



MUITO antes de começar a rolar a bola no Campeonato do Mundo África do Sul-2010 surgiam as inevitáveis questões: qual é o país que conquistaria o título? Espanha, Brasil, Argentina, Inglaterra, Alemanha e Holanda eram as escolhas mais comuns, enquanto Itália e França também apareciam como opções realistas. Mas Abedi Pelé, um dos maiores jogadores da história do futebol no Continente Africano, exteriorizou uma opinião contrária: “uma selecção africana vai erguer a taça”.



A realização desse feito, depois da declaração difícil de ser ignorada, estava nas mãos de seis selecções. Com a passagem para os oitavos-de-final, o melhor Jogador Africano do Ano por três ocasiões não tem mais dúvidas de que a missão caberá ao Gana, país que defendeu por 16 anos como futebolista, seguiu apoiando a vida toda e onde tem a sua marca ainda nos dias actuais, representado pelo filho Andre Ayew, titular na ala esquerda.

Já os demais representantes africanos (Argélia, Camarões, Costa do Marfim, Nigéria e a anfitriã África do Sul) sucumbiram todos na primeira fase. E os ganeses por pouco não tiveram de encarar o mesmo destino, já que a classificação no Grupo D veio no saldo de golos, deixando a Austrália para trás. Isso sem falar do golo perdido por Marko Pantelic nos últimos minutos, que apuraria a Sérvia. Mas, depois de navegarem pelas turbulentas águas de um grupo vencido pela formidável Alemanha, os comandados de Milovan Rajevac estão ansiosos e esperançosos para chegar ainda mais longe, mas, para tal, é preciso passar pelo Uruguai, sexta-feira, no “Soccer City”, em Joanesburgo.

E existe motivo para o optimismo ganês, já que o caminho até às meias-finais não é, em teoria, tão difícil quanto poderia ser. Gana joga com os sul-americanos, uma equipa de um nível equiparado. Além disso, o facto de os outros cinco países africanos terem sido eliminados na primeira fase garante às “Estrelas Negras” um salto de 24 milhões de adeptos para aproximadamente um bilião, já que o continente todo estará a seu favor.

Nesses números estão incluídos até mesmo marfinenses e togoleses, com quem eles sempre tiveram uma rivalidade muito grande. Na massa de torcedores estão ainda os egípcios, que bateram Gana na final do CAN Angola-2010, a 31 de Janeiro passado. E, por fim, os ganeses contam também com o apoio dos seus maiores rivais, os nigerianos.




APOIO DE ÁFRICA INTEIRA



É maravilhoso ter o apoio de África inteira”, declarou o médio Sulley Muntari. “O futebol significa muito para os africanos. Ter o Mundial aqui é simplesmente incrível. Seria bom se mais selecções africanas tivessem passado para a segunda fase, mas estamos muito orgulhosos de carregar as esperanças do continente”.

Em boa forma, o atacante Asamoah Gyan reforçou o sentimento do seu companheiro de selecção e jogador do Inter de Milão. “Teria sido melhor se outras selecções africanas tivessem entrado connosco”, admitiu. “Mas elas não se qualificaram e agora cabe a nós carregar as esperanças africanas”.

Com isso em mente, o defesa e capitão John Mensah está ansioso para manter a última esperança africana acesa. “Isto é Mundial, e o primeiro em África”, ponderou. “É difícil descrever como ele é especial para os africanos. Estamos muito, muito felizes por representar o nosso continente. Todos os olhares estão voltados para nós, e estamos prontos para corresponder. Não há limites para onde podemos chegar, e fazer isso por África seria fantástico. O continente todo está connosco, e vamos deixá-lo orgulhoso”.

MUNDIAL-2010 - Amarelos a Kaká são um equívoco – afirma Dunga, seleccionador brasileiro


O SELECCIONADOR brasileiro, Carlos Dunga, em declarações após a vitória (3-0) sobre o Chile, numa partida em que Kaká viu mais um cartão amarelo, disse que tal é um equívoco. “É um problema. Um jogador como Kaká ficar à beira da suspensão... Mas é um equívoco. O jogador técnico é punido, o agressivo é agraciado. Temos três jogadores com lesões. Temos de conversar com Kaká, mas temos de entrar para vencer, frente à Holanda, e não pensar nisso”.



A qualidade dos nossos jogadores facilita. Este grupo foi formado em três anos e meio. Há dois anos que se mantém o mesmo grupo. Basta um olhar para se entenderem. Mudam-se alguns jogadores, mas eles encontram-se em termos de posicionamento. A maturidade do grupo é boa, entendem rápido o que pedimos. Todos têm liberdade de falar connosco. O jogo de hoje vem de há três anos e meios”.

Damos liberdade ao jogador e tentamos sugerir alguma coisa, para que ele tenha melhor rendimento. Como a marcação estava cerrada no meio, o melhor era jogar pelas alas e que eles trocassem de posições. O Chile estava a deixar as laterais com mais espaço e Kaká veio para o flanco, trocou com Robinho e foi quando surgiu a oportunidade do 2-0”.

Falando sobre o posicionamento de Daniel Alves, disse: “O Daniel é um jogador versátil, já o colocámos em várias posições. Já lhe perguntei se ele ficava chateado por eu o colocar em posições que não actua, e ele disse que queria era jogar”.

Analisando o próximo adversário, Dunga afirmou: “A Holanda é uma equipa boa, sólida e com jogadores de qualidade, como é tradição do futebol holandês”.

MUNDIAL-2010 - Incerto futuro de Capello


A ELIMINAÇÃO precoce da Inglaterra poderá ditar a saída de Fábio Capello do cargo de seleccionador. A decisão da Associação de Futebol (FA) deverá ser conhecida dentro de duas semanas.



“Falei esta manhã (domingo) com Sir (Dave) Richards (director-geral da FA), que me disse que tem duas semanas para decidir. Manifestei-lhe o meu desejo em ficar. A decisão será sua”, afirmou o técnico italiano, ainda no quartel-general da Inglaterra na África do Sul, respondendo com um “obviamente” quando questionado se pretende orientar aquele país na fase de qualificação do Euro-2012.

Entretanto, um porta-voz da FA lembrou que Fábio Capello “tem contrato até 2012”, sendo certo que “todos estão desapontados com a eliminação no Mundial”. “Quando regressarmos a Londres, é lógico que nos sentemos para voltar a falar com Capello”, disse Adrian Bevington.

MUNDIAL-2010 - FIFA não assume erros da arbitragem


A FEDERAÇÃO Internacional de Futebol (FIFA) recusa-se a comentar os erros da arbitragem nos oitavos-de-final, nomeadamente nos jogos Argentina-México e Alemanha-Inglaterra. “Não vamos abrir o debate sobre a arbitragem na Conferência de Imprensa diária”, avisou desde logo o organismo máximo do futebol aos jornalistas.



Por várias vezes, a Imprensa presente no encontro insistiu nos “erros dos árbitros” e no “não recurso ao vídeo” ou até na “vergonha que a FIFA devia sentir”. Outras tantas vezes a resposta foi negativa da parte da entidade máxima do futebol.

Se a FIFA está muda, há quem a acuse também de cegueira e de não querer ouvir. Nicolas Maingot, porta-voz do organismo, recorda que a recusa em utilizar o vídeo para ajudar nas arbitragens tinha a ver com a posição do “International Board”, a quem compete definir as Leis do Jogo.

Ironia do destino, a FIFA, que proíbe repetição de imagens nos estádios, permitiu que o lance protagonizado por Tévez, no primeiro golo da Argentina, em fora-de-jogo, fosse visto uma segunda vez. “Isso não devia ter acontecido. As repetições podem ser mostradas, mas não perante situações controversas”, reagiu Nicolas Maingot.

Joseph Blatter, presidente da FIFA, que já pediu desculpas à Argentina e à Inglaterra face ao sucedido, recusa recorrer à tecnologia com o argumento de que o futebol deve manter o seu lado humano.

MUNDIAL-2010 - "Celeste" com os pés no chão


PASSADO o clima de euforia pela qualificação do Uruguai para os quartos-de-final, os jogadores da “Celeste” tentam manter os pés no chão antes do jogo contra o Gana, na sexta-feira, que pode levar a selecção bicampeã mundial às meias-finais pela primeira vez em 40 anos.



Vai ser uma partida difícil. Gana já mostrou que é uma das selecções que está na luta”, diz o defesa Álvaro Pereira, ressaltando que a equipa ainda dá sinais de cansaço após a partida contra a Coreia do Sul, para os oitavos-de-final. “Ainda estamos a recuperar do último desafio, que foi bem pesado, para jogar com tudo, como temos jogado até agora”.

Ao falar do fim do jejum do Uruguai, o jogador não esconde o orgulho, mas pede que a equipa mantenha a concentração antes do desafio contra Gana.

É uma alegria, mas é preciso ficar com os pés no chão, pensar no próximo adversário e continuar a preparação. O professor (Óscar) Tabárez sempre insiste nisso”.

O defesa Jorge Fucile também prevê muito trabalho contra o Gana. “Vai ser difícil, uma partida de ida e volta, mas acho que todos querem a vitória”, analisa. “Temos que jogar com inteligência porque eles são jogadores fortes e rápidos, como mostraram contra os Estados Unidos”.

O avançado Edinson Cavani comemora a chance de participar da até aqui bem sucedida campanha uruguaia e diz que pensa constantemente na alegria que a equipa proporciona aos adeptos do país.

É a coisa mais linda que pode acontecer, saber que o país todo está na expectativa do que nós todos podemos conseguir agora”, diz ele, que vive um jejum pessoal de golos. “Estou fazendo, pelo que me parece, um bom trabalho para o Uruguai, para a selecção. Os golos logo chegarão”.

MUNDIAL-2010 - EUA-Gana bateu recorde de audiência


O JOGO entre Estados Unidos e Gana, dos oitavos-de-final, foi visto por 19,4 milhões de espectadores nos Estados Unidos, um recorde para a modalidade naquele país.



Os números da transmissão televisiva da eliminação dos norte-americanos, contabilizados pela empresa especializada Nielsen, superam o anterior recorde, os mais de 18 milhões que viram a final do Mundial EUA-94, entre Itália e Brasil.

“Este recorde mostra que o “soccer” (designação local para o futebol) é mais popular do que nunca”, comentou Stephen Master, vice-presidente da Nielsen.

Ex-jogador do Matchedje: Morreu Adelino

ADELINO, ex-artilheiro do Matchedje, morreu na passada quinta-feira, vítima de doença, após ter passado algum tempo de baixa no Hospital Militar, donde foi transferido para o Hospital Central de Maputo.



O seu corpo poderá ser transladado esta semana para Nampula, sua terra natal, segundo deu a conhecer o secretário-geral do Matchedje, Major Sitoe, que disse haver uma orientação da direcção das Forças Armadas de Defesa de Moçambique para o efeito, mas que ainda aguardava uma confirmação oficial hoje.

A família de Adelino está desde a ocorrência à procura de meios para satisfazer a vontade manifestada pelo malogrado futebolista de ser enterrado na sua terra natal.

Adelino, que para além do Matchedje representou o Costa do Sol e a Selecção Nacional, estava há cinco anos afecto a uma unidade militar, com funções de treinador de uma equipa que disputa o campeonato interno.


LUTO EM TETE




De luto está, igualmente, o futebol tetense, com a morte de dois jogadores do Felicidade FC, que milita no campeonato provincial.

Trata-se dos defesas centrais Ainedito Johane e de Manuel Thambo, os quais pereceram quando a motorizada em que se faziam transportar embateu numa viatura estacionada, no bairro de Chingodzi, a caminho do campo do Ferroviário de Moatize, onde iriam defrontar o ISPU, para a terceira jornada do “Provincial”.

Estádio Nacional: Grevistas retomam trabalho


OS perto de 600 operários moçambicanos do Estádio Nacional retomaram ontem o trabalho, depois de sensivelmente duas semanas de greve, exigindo melhorias salariais, condições de trabalho, assistência médica, subsídio de alimentação e gratificação pela conclusão daquela infra-estrutura desportiva.



As partes envolvidas, nomeadamente comissão dos trabalhadores e empreiteiro, chegaram finalmente ontem a acordo nalguns pontos considerados preponderantes, depois de vários impasses registados na sua discussão, sob mediação da Inspecção do Trabalho e da Direcção da Obra.

O director-adjunto da obra, José Pereira, disse que o empreiteiro comprometeu-se, por um lado, a pagar o valor global de cinco mil meticais de compensação do subsídio de alimentação para todos os trabalhadores que estejam no activo desde Março de 2009, período em que se iniciou a negociação sobre o pagamento daquele subsídio. Relativamente aos trabalhadores no activo depois de Março de 2009, ficou acordado que ser-lhes-á pagos o valor correspondente a 350 meticais vezes o número de meses de trabalho.

A compensação do subsídio de alimentação será paga até 16 de Julho.

O empreiteiro comprometeu-se, por outro lado, a conceder aos operários que realizam trabalhos extraordinários um lanche, de forma a garantir a sua reanimação física a partir do dia em que cessou a greve até ao fim do projecto. Foi igualmente acordado que o empreiteiro irá considerar, para efeitos de pagamento de salário, o período que durou a paralisação da actividade, que vai de 18 a 28 de Junho.

Ficou, ainda, acordado que as partes devem privilegiar o diálogo permanente sobre a relação laboral.

Os outros pontos, nomeadamente reivindicação sobre gratificação, aumento salarial e outros considerados não obrigatórios pela Lei acabaram sendo superados pelo entendimento havido, ou seja, houve cedência de parte a parte
.

No Desportivo da Matola: Sexo e Desporto em “Noite de Conversa”

ORIENTAÇÃO sexual e o Desporto”, é o tema escolhido para a quinta edição do “Noite de Conversa”, a ter lugar esta sexta-feira, no salão de festas do Clube Desportivo da Matola, em Maputo, numa iniciativa da associação Amigos da Saúde. Para lançar o mote do debate sobre o tema foi convidada a Associação Lambda, uma agremiação que junta indivíduos de ambos os sexos, com orientação homossexual.



Segundo fonte ligada à organização, pretende-se que o evento funcione como mais um espaço onde jovens, adolescentes e adultos amantes do desporto possam desenvolver um diálogo franco e aberto sobre questões de saúde, sexualidade e desporto, procurando desmistificar ideias correntes à volta da correcção ou não das escolhas sexuais do ser humano.

Esta é a terceira sessão do “Noites de Conversa” em que o tema de debate tem a ver com o sexo e desporto, naquilo que a organização considera um exercício importante de se fazer no seio da juventude, de quem a sociedade espera uma postura mais responsável no contexto das relações humanas, tendo o desporto como pano de fundo enquanto elemento de coesão social.

O grupo Amigos da Saúde lançou o projecto “Noites de Conversa” em Março passado com um debate sobre os desafios que se colocam ao Clube Desportivo da Matola no contexto da sua revitalização e consequente reintegração na dinâmica do desporto nacional.

Desde então os encontros sucederam-se, com sessões de debate a partir das 18:.30 horas de cada última sexta-feira do mês, numa prática que a pouco e pouco foi atraindo mais simpatizantes, sobretudo entre os jovens, além de chamar à atenção da comunidade empresarial matolense, cujo apoio tem sido determinante para a continuidade da iniciativa.

As sessões do “Noite de Conversa” têm como palco a sede do Clube Desportivo da Matola, sita no número 800 da Avenida Samora Machel, que coincide com um dos troços da estrada Maputo – Witbank.

Cursos de nível I em Manica e Sofala


TÉCNICOS afectos à Federação Moçambicana de Futebol (FMF) estão, desde a última sexta-feira, a orientar cursos de futebol de nível I nas províncias de Manica e Sofala, no âmbito da directriz da Confederação Africana de Futebol (CAF) para a uniformização da formação, através do enquadramento dos técnicos no novo sistema de treinamento para comungarem a mesma linguagem nesta matéria.



A cidade da Beira acolheu a primeira etapa até segunda-feira e a formação prossegue entre ontem e sexta-feira, em Chimoio, as duas primeiras cidades contempladas na Zona Centro.

Estes cursos estão a ser ministrados por Abdul Abdulá e pelo alemão Torsten Spittler, que trabalham na área de formação do Gabinete Técnico da FMF.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

MUNDIAL-2010 - Villa pode ser punido


O AVANÇADO David Villa, que marcou os dois golos na vitória de Espanha frente às Honduras, pode ser punido pelo Comité Disciplinar da FIFA devido à alegada agressão a Emilio Izaguirre, que passou despercebida ao árbitro Yuichi Nishimura.



Não podemos fazer especulações até ter mais informações, nem tomar medidas concretas. Se for necessário, o Comité Disciplinar estudará as imagens do incidente e tomará uma decisão a esse respeito", afirmou um porta-voz da FIFA, o espanhol Pekka Odriozola.

MUNDIAL-2010 - FIFA pede a Portugal e Brasil que não treinem em Durban


A FIFA pediu às selecções de Portugal e Brasil que não treinem amanhã no Estádio Moses Mabhida, em Durban, por causa do estado do relvado, que não está nas condições ideais.



Face a esse pedido, a federação portuguesa está a equacionar realizar o treino ainda em Magaliesburgo”, afirmou Onofre Costa, assessor de Imprensa da equipa das Quinas, que revelou que “o local da conferência de imprensa de antevisão do desafio” também está a ser discutido.

MUNDIAL-2010 - Locutores da Coreia do Norte em silêncio!


A TELEVISÃO estatal da Coreia do Norte, que pela primeira vez transmitiu em directo um jogo de futebol, ficou em silêncio após a goleada de Portugal na segunda jornada do Grupo G do Mundial.



A transmissão contava com dois locutores, que até ao início da segunda parte, quando a Coreia do Norte perdia pela diferença mínima, acreditavam na reviravolta. “Se jogarmos ao nosso estilo podemos marcar”, disse um dos comentaristas da KCNTV, de acordo com a Imprensa sul-coreana de terça-feira.

A esperança de vingar a derrota de 1966 (3-5) durou pouco, já que à medida que Portugal foi marcando o silêncio foi-se... instalando.

Segundo o jornal sul-coreano Chosun Ilbo, a histórica decisão da Coreia do Norte de transmitir o jogo em directo deveu-se ao interesse despertado entre os 24 milhões de norte-coreanos após a boa exibição contra o Brasil, apesar da derrota por 2-1

Greve continua no Estádio Nacional


OS perto de 600 trabalhadores do Estádio Nacional apresentaram no dia 8 de Junho corrente um novo caderno reivindicativo com 17 pontos, dos quais se destaca a exigência do pagamento de uma gratificação de quatro salários mínimos de recompensa, alegando terem contribuído na edificação de um dos maiores empreendimentos do país.



Os trabalhadores insistem na paralisação depois de o empreiteiro e o sindicato, na presença da Inspecção-Geral do Trabalho, terem chegado a acordo para o levantamento da greve, com a promessa de uma gratificação em espécie (bens de consumo), para além de o empreiteiro empregar os actuais operários nas obras complementares que serão erguidas à volta do estádio, após a conclusão do projecto, prevista para o próximo mês de Agosto.

Os trabalhadores, que a 5 de Maio haviam apresentado um caderno reivindicativo com quatros pontos, exigindo gratificação monetária, aumento de vencimento em 20 porcento, equipamento de protecção e segurança e comprovativos salariais, recuaram depois de o empreiteiro ter manifestado indisponibilidade financeira para satisfazer os dois primeiros pontos, que, nos termos da lei, não constituem nenhuma obrigação.

Em relação aos restantes pontos reivindicativos, o empreiteiro assumiu a resposta imediatamente e, segundo o director-adjunto da obra, José Pereira, já está a cumprir com a promessa feita em relação ao equipamento e comprovativos salariais.

No entanto, o impasse prevalece quanto à gratificação e aumento salarial, pois, nos termos da lei, constituem matéria negocial, apesar de os trabalhadores terem, posteriormente, reduzido a proposta de aumento salarial para cinco porcento no novo caderno reivindicativo que, para além dos pontos anteriores, destaca a criação de um posto de primeiros socorros e subsídio de alimentação. Da negociação havida nos dias 18 e 21 de Junho o empreiteiro manifestou-se disponível a gratificar os trabalhadores em espécie (bens alimentares), a ser concedido no fim do projecto
.

De salientar que estas condições haviam sido acordadas pela comissão dos trabalhadores, que prometera o levantamento imediato da paralisação das actividades a partir da tarde do dia 18. Só que, comunicados os resultados das negociações, os trabalhadores recusaram-se redondamente a interromper a greve, exigindo gratificação em quatro salários mínimos.

Entretanto, segundo José Pereira, os trabalhadores têm estado a obedecer à paralisação num ambiente ordeiro, e o patronato garante, por seu turno, que, apesar da greve, a construção do Estádio Nacional – fase de acabamentos – não está comprometida e nem os seus prazos.

Em três distritos da Zambézia: Fundação Mutola lapida talentos


DEZ mil petizes com idades compreendidas entre oito e 16 anos participam desde sábado último até finais de Novembro próximo num torneio de futebol infanto-juvenil nos distritos de Gúruè, Alto Molócue e Ile, na Zambézia. Promovido pelo Projecto “Passabola”, integrado na Fundação Lurdes Mutola, o torneio tem, entre outros objectivos, a pesquisa de talentos a formação de equipas de elite em cada faixa etária e fazer o devido acompanhamento para alimentar o futebol nacional.



A cidade de Gúruè acolheu, no mesmo sábado, a cerimónia de lançamento da Liga Interprovincial Mutola edição-2010, evento testemunhado por perto de duas mil pessoas, entre crianças, técnicos, governantes e representantes da sociedade civil.

O gestor regional norte da Fundação Lurdes Mutola, Ascensão Chauchane, disse, na cerimonia do lançamento do torneio, que aquela instituição está há três anos a contribuir para a promoção e massificação do desporto nas vertentes de formação de técnicos, identificação de talentos e acções sociais tais como a concessão de bolsas de estudo e prevenção de doenças endémicas, com destaque para o HIV/SIDA. Disse adiante que o projecto “Passabola” já formou 361 treinadores que assistem a 10.836 crianças em várias comunidades e escolas, para além da reabilitação de infra-estruturas.

Com estas acções, Gúruè contribuiu com atletas nas selecções nacionais feminina e masculina de futebol que se deslocaram para Angola e África do Sul. Trata-se de Silene e Marília, em femininos, e Roquito, em masculinos.

O futebol nacional ainda enfrenta a crise de valores que possam contribuir para uma maior visibilidade no panorama regional e internacional. Os gestores do projecto “Passabola” acreditam que este pode contribuir de forma mais significativa, mas pedem ao governo, aos líderes comunitários e aos pais e encarregados de educação para participarem, dispensando os seus filhos a praticarem o desporto, o que também irá contribuir para a melhoria do estado de saúde, promoção de equilíbrio psíquico e afastar a juventude de males como a prostituição, consumo de drogas e de álcool.

Cada distrito contemplado irá organizar até finais de Novembro várias fases, desde a localidade, passando por Postos Administrativos até ao distrito. Feito isto decorrerá a fase entre distritos para depois formarem-se equipas representativas de cada faixa etária para a disputa do “Interprovincial” em Nampula.

A conclusão a que se chegou é de que há talentos e o que falta é acompanhamento. Constatou-se ainda que são poucos os eventos desportivos organizados localmente e, quando há, não se faz a monitoria e avaliação dos resultados. A pequenada pediu para que o lema escolhido - “Por Uma Juventude Inspirada na Menina de Ouro” - seja encarada com seriedade e que produza resultados.

JOCAS ACHAR

“Alguns dirigentes da FMF sabotaram o meu trabalho”


Em 2000, numa clara visão de futuro, criou o Gabinete Técnico da Federação Moçambicana de Futebol (FMF) com o objectivo de “arrumar” a casa e criar na agremiação um departamento sério que se ocupasse da organização e estruturação do futebol moçambicano. De resto, o mesmo facilitava o contacto com os secretários técnicos nos distritos, cujas acções eram coordenadas pelo Gabinete Técnico. Dois anos depois, ou seja, em 2002, formou a selecção nacional sub-12 com o horizonte no Mundial-2010, prova prova que decorre na África do Sul.

É, augusto leitor, com Augusto Matine, técnico com créditos firmados na área da formação, que o “País” aborda o passado, presente e futuro do futebol moçambicano. Com os olhos quase a ganharem o azul do mar, Matine revelou que tem em manga um projecto de instalação de uma academia de futebol nos próximos tempos.



Depois de, em 2002, ter desenhado um projecto de formação a partir do escalão sub-12, que levou a Portugal e com o horizonte no Mundial-2010, vai apostar na criação de uma academia de futebol. Que projecto é este e quando é que arranca?
É nesta área onde eu quero iniciar. Porque entendo que só assim é que podemos criar grandes jogadores neste país.

Nós temos muitos talentos que se perdem porque não há organização séria para se dar resposta às necessidades destes talentos. Olhando, por exemplo, para a selecção sub-12 que formei em 2002, devo dizer: estes jogadores completariam, este ano, 20 anos de idade. Veja só que, dos 30 miúdos que escolhemos, fizemos uma triagem e ficámos com 18. Deste número, sabíamos que 5/6 podiam ficar pelo caminho
.

Como é que sente, oito anos depois, quando olha para este projecto e vê que apenas um dos 18 atletas se encontra a jogar neste momento?
Vamos partir deste pressuposto. Sabemos qual é a doença de que o nosso futebol padece. As pessoas que são responsáveis pelo futebol têm que ter uma visão transparente e objectiva. Se detectámos a doença, sabemos que o projecto que nos pode levar a curar esta doença foi criado há já algum tempo. Nós temos que continuar a ter o fármaco para curar a doença. Sabe-se que a formação de há dez anos, por exemplo, não conseguiu cumprir, na sua plenitude, os objectivos traçados. Já começámos a jogar as mãos à cabeça com o abandono do Tico-Tico. Daqui a pouco, vamos jogar às mão à cabeça por causa do Dário Monteiro.

Porquê a escolha da formação de alto rendimento?

Nós falamos de formação de alto rendimento. Esta formação obedece a três aspectos: detenção de talentos, organização e escolha do local com as condições para este tipo de modelo de preparação para o alto rendimento.

Portanto, é necessário que haja técnicos preparados especificamente para este trabalho.

Em Portugal, já desenvolvia um trabalho desta natureza. Porquê não em Moçambique, minha terra e que precisa de ajuda no sector? A partir deste momento, estou pronto para abraçar qualquer projecto nas condições acima citadas. É daí que há um projecto que está numa fase de estudo.

Estamos, na verdade, a estudar se a academia será instalada em Marracuene ou Catembe.

Aristides Cavele

Mexer já trabalha às ordens de Paulo Sérgio




Sporting abriu segunda-feira as oficinas

O internacional moçambicano Mexer, que era dado como certo no Portimonense, por empréstimo, foi um dos jogadores que marcou presença na abertura da temporada 2010/11
.

O Sporting iniciou, segunda-feira de manhã, a preparação para época 2010/11, com um treino na Academia, que arrancou cerca de hora e meia depois do previsto.

O internacional moçambicano Mexer, que era dado como certo no Portimonense, por empréstimo, foi um dos jogadores que marcou presença na abertura da temporada 2010/11. Paulo Sérgio orientou a primeira sessão como treinador do clube de Alvalade.

O grande destaque do primeiro dia de trabalhos foi a presença de Diogo Salomão, extremo-esquerdo de 20 anos autorizado pelo Real Massamá a realizar toda a pré-época com o plantel leonino.

Paulo Sérgio começou por dividir o plantel em dois, com uma parte do grupo a trabalhar no relvado, enquanto o restante exercitava no ginásio. Vítor Golas, Tiago, Rui Patrício, Tonel, Mexer, Postiga, Pongolle, Saleiro, Polga, Wilson Eduardo e William Owuso formaram o primeiro grupo de jogadores a subir ao relvado
.

Quanto aos reforços Maniche, Evaldo e André Santos ficaram no ginásio juntamente com Abel, João Pereira, Daniel Carriço, Grimi, João Moutinho, Izmailov, Yannick, João Gonçalves e André Martins.

Bruno Pereirinha e Adrien Silva também estiveram na Academia para reunir com o treinador Paulo Sérgio.

Os dois jogadores deverão ser cedidos na próxima temporada.

Marco Caneira, Vukcevic, Pedro Silva e Purovic, jogadores que não entram nas contas de Paulo Sérgio, só vão se apresentar na Academia a 1 de Julho, no mesmo dia em que chegam Pedro Mendes (Real Massamá), André Marques, Diogo Rosado e Diogo Amado.

Ausentes ao serviço das respectivas selecções no Mundial da África do Sul estão Miguel Veloso, Pedro Mendes e Liedson (Portugal), Matías Fernandez (Chile) e Stojkovic (Sérvia).

“NAMPULENSE”-2010 - Fer. Nacala líder confortável

O FERROVIÁRIO de Nacala comanda invicto e confortavelmente o Campeonato Provincial de Futebol de Nampula, “Nampulense-2010”, decorridas oito jornadas. Na ronda passada os “locomotivas” derrotaram Fut-Escola, também daquela cidade, por 3-1.



Com esta carreira vitoriosa, o Ferroviário de Nacala assumiu o favoritismo na luta pelo título, sendo que o seu principal rival, o Ferroviário de Nampula, soma 18 pontos, mas com um jogo a menos. A turma da capital nortenha não entrou em acção nesta jornada face ao adiamento do seu jogo contra o Benfica de Angoche.

Entretanto, na outra partida importante da jornada, Benfica de Nampula bateu EDM por 1-0. Por seu turno, Casa Issufo e Desportivo de Nacala não foram além do empate a uma bola. Primeira vitória da prova foi obtida pelo Sporting de Angoche por 1-0, diante do Angoche Clube de Desportos, enquanto Moçambique FC venceu Hospital Central de Nampula por 2-1.

O desafio entre Associação Desportiva de Monapo e Sporting de Nampula não se realizou devido à falta de comparência da primeira formação, que se presume já tenha desistido da prova.

Com este quadro de resultados, Ferroviário de Nacala lidera a prova com 24 pontos, seguido do Ferroviário de Nampula com 18, Desportivo de Nacala 17, EDM 16, Benfica de Nampula 14, Sporting de Nampula 12, HCN 11, Casa Issufo e Benfica de Angoche 10, Moçambique FC sete, Futescola seis, Angoche Clube de Desportos, Associação Desportiva de Monapo e Sporting de Angoche três pontos.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

MUNDIAL-2010 - Adeus, Camarões!


A SELECÇÃO dos Camarões foi a primeira do Continente Africano a sair prematuramente do Campeonato Mundial de Futebol, na África do Sul, ao consentir a segunda derrota consecutiva, sábado, frente à Dinamarca, por 1-2, no grupo E. enquanto o Gana, no grupo D, empatou a um golo com a Austrália e manteve bem vivas as esperanças de se qualificar para os oitavos-de-final, depois de bater, na estreia, a Sérvia, por 1-0. A Costa do Marfim, por seu turno, no grupo de morte, depois de ter iniciado a prova com um empate frente a Portugal, ontem não resistiu perante a poderosa formação do Brasil, acabando por sair derrotada, por 3-1.



A participação africana neste “Mundial”, que acontece pela primeira vez no continente negro, não tem sido das melhores. A título de exemplo, a equipa camaronesa que, “a priori”, era tida como uma das mais fortes de África, teve um péssimo desempenho ao permitir uma reviravolta no marcador (1-2) diante da Dinamarca, perdendo desta forma a possibilidade de se qualificar para os oitavos-de-final. Na última ronda, os “Leões Indomáveis” cruzam-se com a Holanda, apenas para salvarem a sua honra.

O Gana, por sua vez, está a ser uma revelação desta prova. Com uma equipa jovem bastante coesa e tacticamente disciplinada, ainda não conheceu o sabor amargo da derrota. Na segunda jornada, os ganenses empataram com a Austrália a um golo, depois de um arranque impressionante com uma convincente vitória frente à poderosa Sérvia (1-0).

Na última ronda, os ganenses precisam de manter o mesmo ritmo de jogo que realizarão com a Alemanha, que vem de uma derrota comprometedora diante dos sérvios.

Para hoje, estão agendados os encontros Portugal-Coreia do Norte, para a conclusão do grupo G; Chile-Suíça e Espanha-Honduras, para o grupo H.

MUNDIAL-2010 - África unida!


A SITUAÇÃO de boa parte das selecções de África já está mais ou menos definida nesta primeira fase da Copa do Mundo de 2010, e os jogadores dos seis representantes do continente estão a fazer de tudo para apoiarem uns aos outros, manifestando publicamente que torcem primeiro pela própria selecção, depois pelas outras cinco equipas africanas.



Cinco delas já jogaram duas vezes na fase de grupos. Até ao momento, as nações africanas somaram juntas apenas sete pontos em 11 jogos, e a vitória de Gana sobre a Sérvia segue como a única do continente anfitrião do Mundial. Os Estrelas Negras também haviam sido os únicos representantes da África nos mata-matas da Alemanha 2006.

Apesar do início lento, porém, cinco das seis nações africanas — Camarões já está eliminado — ainda têm esperanças de avançar para a próxima fase do torneio após a última ronda dos grupos. Independentemente dos resultados, os africanos mostraram admirável união na África do Sul 2010. O atacante Asamoah Gyan, que marcou os golos do Gana nos primeiros dois jogos, explicou essa solidariedade à FIFA.

"Estamos a realizar pelos outros países africanos porque é importantíssimo para nós, africanos, superarmos o que já foi feito no passado", diz o ganês, referindo-se ao facto dos Camarões e Senegal terem chegado aos quartos-de-final em 1990 e 2002, respectivamente.

"Essa é a nossa ambição — não de Gana, mas de toda a África.” No cômputo geral, a primeira passagem aos oitavos-de-final e também a primeira eliminação marcaram o dia 9 da competição. A Holanda qualificou-se para a fase seguinte, depois de vencer o Japão por 1-0 e fruto também da derrota dos Camarões com a Dinamarca (2-1).

A selecção africana está assim afastada dos oitavos-de-final e vai cumprir calendário no Grupo E. Assim, os Camarões caem na fase inicial pela quarta vez consecutiva (1994, 1998, 2002 e 2010).

A última vez que o país disputou a etapa de mata-mata foi em 1990. Para hoje estão agendados os encontros Portugal-Coreia do Norte, Chile-Suíça e Espanha-Honduras.

MUNDIAL-2010 - A maior desilusão de Eto'o


O CAPITÃO de Camarões, Samuel Eto'o, disse sábado que a eliminação dos “Leões Indomáveis” da Copa do Mundo, após a derrota para a Dinamarca, por 2-1, foi a maior decepção que sofreu como jogador.



"É a maior desilusão de minha carreira. Tinha planeado a minha temporada para chegar em forma e fazer uma boa Copa do Mundo, para chegar o mais longe possível", disse o atacante do Inter de Milão, autor do golo camaronês. "A aventura acaba em cinco dias com muito a se lamentar, mas dei tudo o que podia das minhas pernas e do meu coração".

Com duas derrotas, para Japão (1-0) e Dinamarca, Camarões não tem mais chances de se classificar e tentará fechar a participação com um bom desempenho contra a Holanda, já classificada para os oitavo-de-final, no dia 24 de Junho.

"Temos que terminar de maneira digna, principalmente, para o povo camaronês, mesmo sendo difícil", disse Eto'o, ainda inconformado com a derrota para a selecção dinamarquesa. "Achávamos que teríamos a nossa voz nesta competição, mas nos faltou sorte esta noite. Criámos muitas oportunidades, conseguimos dominar a partida no primeiro tempo".

MUNDIAL-2010 - França em ruptura: jogadores recusam treinar


A SELECÇÃO francesa está em ruptura total. Após a expulsão de Anelka do Mundial, que terá insultado Domenech e negado a pedir desculpas, os jogadores recusaram treinar ontem, em solidariedade para com o colega de equipa. O chefe da delegação, Jean-Louis Valentin, já apresentou a sua demissão e fala em "vergonha".



De acordo com o jornal “L’Equipe”, os jogadores estiveram no local do treino, onde terão dado, inclusive, autógrafos aos adeptos presentes, mas uma altercação entre o capitão Patrice Evra e o preparador físico Robert Duverne culminou na suspensão dos trabalhos, com a equipa a recolher imediatamente ao autocarro.

Na sequência de mais um incidente, o chefe da delegação, Jean-Louis Valentin, bateu com a porta. "Os jogadores não querem treinar. É uma vergonha. Nestas condições, decidi voltar a Paris e apresentar demissão", revelou o dirigente aos jornalistas que acompanham a concentração francesa.

Entretanto, Patrice Evra entregou uma carta ao assessor de imprensa dos bleus, lida uns minutos mais tarde por Domenech à comunicação social. Nesta, o capitão diz que a equipa desaprova a decisão da federação de mandar embora Anelka sem ter sido consultado e que, em solidariedade para com o colega, boicotava a realização do treino, permanecendo no hotel.

DECLARAÇÃO DOS JOGADORES



"Com este comunicado, todos os jogadores da equipa francesa, sem excepção, pretendem manifestar a sua oposição à decisão tomada pela Federação Francesa de Futebol de excluir Nicolas Anelka do grupo. Se lamentamos o incidente ocorrido no intervalo do jogo entre a França e o México, lamentamos ainda mais a utilização de um episódio que só a nós diz respeito e que é inerente à vida de uma equipa de grande nível. A pedido do grupo, o jogador em causa tentou o diálogo, mas o gesto foi ignorado. A Federação Francesa de Futebol em nenhum momento tentou proteger o grupo.

Tomou uma decisão sem consultar os jogadores, unicamente baseada nos factos comunicados pela Imprensa. Como consequência, e para marcar a posição junto das mais altas instâncias do futebol francês, os jogadores decidiram não participar no treino. Por respeito ao público que veio assistir ao treino, decidimos ir ao seu encontro, pois, pela sua presença, mostraram o apoio incondicional à equipa. Da nossa parte, estamos cientes das responsabilidades de representar o país, mas também daquelas para com os nossos adeptos, trabalhadores, educadores, voluntários e das inúmeras crianças que vêem os bleus como exemplo.

No que nos respeita, não nos esquecemos dos nossos deveres. Faremos tudo individualmente, é claro, mas também dentro do espírito colectivo para que a França, na terça-feira à tarde, reencontre a sua honra com uma exibição, finalmente, positiva
".

MOÇAMBOLA-2010 - “Canário” em queda livre


A DÉCIMA primeira jornada do Moçambola, realizada no pretérito fim-de-semana, deixou bem reflectida a época desastrosa que o Costa do Sol tem vindo a fazer. Desta vez, os “canarinhos” tombaram aos pés do Sporting da Beira, por 0-2, tendo caído três lugares, de oitavo para o décimo primeiro.



Os comandados de Mandigora estão numa situação crítica, visto que com este “desaire” voltaram a ficar muito perto da linha de despromoção.

Mas não é apenas o Costa do Sol, que de jornada-a-jornada vai dizendo adeus ao título. Os vizinhos Desportivo e Maxaquene também voltaram a marcar passo. Os “alvi-negros” empataram em casa com o Vilankulo FC a zero bola, enquanto os “tricolores” perderam com a Liga Muçulmana, por 0-1, no desafio mais convidativo da ronda.

Uma situação completamente contrária vive o bicampeão nacional, o Ferroviário de Maputo, que mais uma vez voltou a ganhar e convencer. Desta vez a vitima foi o seu homónimo da Beira, que sucumbiu por 3-0.

Outras equipas a cantarem vitória na 11ª jornada, a antepenúltima da primeira volta, foram o Matchedje e Textáfrica, que venceram, o Atlético Muçulmano, por 1-0, e FC Lichinga, por 3-1, respectivamente.

Noutro desafio, o Ferroviário de Pemba e HCB empataram a uma bola.
RACHIDE “MANCHOU” UM LINDO JOGO




O desafio entre a Liga Muçulmana e o Maxaquene era aguardado com muita expectativa, ou não estivessem frente-a-frente dois dos candidatos ao título. Esperava-se por isso uma tarde de bom futebol, entre dois “teams” apetrechados de jogadores de reconhecido valor. Diga-se, em abono da verdade, que até cerca da meia-hora, período em que o árbitro José Maria Rachide decidiu ser o protagonista, assistiu-se a uma boa propaganda de futebol.

Rachide, que até vinha fazendo um bom trabalho, não assinalou duas grandes penalidades, quanto a nós claras, a favor do Maxaquene, ambas por carga sobre Hélder Pelembe. Nessa altura, a Liga Muçulmana já ganhava graças ao golo de Cantona, apontado aos 34 minutos da primeira parte e o Maxaquene procurava desesperadamente chegar ao empate. Oportunidades para que tal acontecesse não faltaram. Tony, a referência de ataque, foi bastante perdulário ao desperdiçar duas oportunidades claras de golo e já perto do intervalo Manuel também denotou falta de pontaria.

Para além desse mau ajuizamento de José Maria Rachide, em dois lances, que tiraram a oportunidade dos pupilos de Arnaldo Salvado chegarem ao tão procurado golo, o factor finalização pesou para que não conseguissem fazer gosto ao pé, visto que na segunda parte Tony voltou a ter muitas dificuldades para bater Binó, que esteve muito bem entre os postes. Gabito, de livre, a meio da segunda parte, também tentou a sua sorte, mas Binó voltou a estar bem. Aliás, o “keeper” da Liga, a par de Fanuel e Silvério foram as melhores unidades da equipa da casa, que sem realizar uma boa exibição acabou sendo mais feliz na eficácia.

FICHA TÉCNICA

ÁRBITRO: José Maria Rachide, auxiliado por Gimo Patrício e Célio Mugabe. Quarto árbitro: Mário Tembe

L. MUÇULMANA: Binó; Fanuel, Aguiar, Vling e Micas; Nelsinho, Carlitos, Cantona (Nelson) e Silvério; Jumisse (Chana) e Maurício (Mayunda).

MAXAQUENE: Soarito; Gabito, Nito, Vasil e Eusébio; Alvarito (Mustafa) e Macamito, Kito; Liberth (Eládio) , Manuel (Hélder Pelembe) e Tony.

ACÇÀO DISCIPLINAR: Cartão amarelo para Aguiar e Vling, ambos da Liga Muçulmana.

Golo: Cantona aos 39 minutos.

MOÇAMBOLA-2010 - Resultados e classificação


RESULTADOS

Liga Muçulmana-Maxaquene (1-0)

Desportivo-Vilankulo FC (0-0)

Matchedje-Atlético (1-0)

Sporting da Beira-Costa do Sol (2-0)

Fer. Maputo-Fer.Beira (3-0)

Fer.Pemba-HCB (1-1)

Textáfrica-FC Lichinga (3-1)

CLASSIFICAÇÃO

J V E D B P


1º FER. MAPUTO 11 9 2 0 25-5 29

2º Liga Muçulmana 11 9 0 2 22-5 27

3º HCB de Songo 11 5 5 1 11-8 20

4º Maxaquene 11 5 3 3 12-9 18

5º Desportivo 11 4 5 2 9-8 17

6º Vilankulo FC 11 4 4 3 6-9 16

7º Fer. Beira 11 4 3 4 9-9 15

8º Matchedje 11 3 3 5 7-11 12

9º Sporting da Beira 11 2 3 5 11-15 12

10º Textáfrica 11 2 6 3 8-10 12

11º Costa do Sol 11 3 1 7 11-14 10

12º FC Lichinga 11 2 4 5 6-12 10

13º Atlético Muçulmano 11 1 4 6 6-15 7

14º Fer. Pemba 11 1 1 9 6-16 4

PRÓXIMA JORNADA (12ª)

Costa do Sol-Fer. Maputo; Vilankulos FC-Sporting da Beira; HCB-Desportivo; Atlético-Fer.Pemba; FC Lichinga-Matchedje; Maxaquene-Textáfrica Fer. Beira-Liga Muçulmana.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Argentina goleia Coreia do Sul (4-1) com três golos de Higuain



A Argentina deu esta tarde um passo de gigante rumo aos oitavos de final do Campeonato do Mundo de Futebol, ao vencer (4-1) a Coreia do Sul, com três golos de Higuaín.

Clique aqui para recordar as incidências da partida.

A equipa de Diego Armando Maradona nem precisou de empenhar-se muito para conquistar os três pontos. Logo aos 17 minutos, Chuyong introduziu a bola na própria baliza, após livre marcado por Messi
.

A ganhar, a Argentina ampliou a vantagem com naturalidade aos 33 minutos, numa cabeçada oportuna de Higuain, jogador que viria a ser a grande estrela da partida, ao marcar mais dois golos.

Perto do intervalo, num dos poucos erros defensivos dos argentinos – já sem Walter Samuel, que saiu lesionado – a Coreia do Sul marcou através de Chung-Yong
.

Já na segunda parte, dois golos de Higuain (76 e 80) selaram o marcador.

A Argentina garante matematicamente o apuramento se Grécia e Nigéria empatarem. Caso uma das equipas vença, bastará aos comandados de Maradona empatarem o último jogo, isto apesar de teoricamente poderem até perder desde que por margem curta, já que têm neste momento o impressionante score de 5 golos marcados e 1 sofrido.

Grécia vence (2-1) e complica contas da Nigéria



A Grécia conquistou hoje a primeira vitória numa fase final de um Campeonato do Mundo ao vencer (2-1) a Nigéria na jornada do Grupo B. Os africanos estiveram a vencer mas a expulsão de Kaita (34m) deitou tudo a perder, permitindo aos helénicos a reviravolta no marcador.

A formação africana adiantou-se no marcador aos 16 minutos com um golo de Uche, de livre directo, numa altura em que a Grécia dominava o meio-campo e visava mais a baliza adversária.

A pressão grega manteve-se e aos 34 minutos, Kaita viu cartão vermelho directo depois de pontapear Torosidis fora das quatro linhas. O domínio da Grécia acentuou-se e Salpingidis apontou o golo do empate já perto do apito para o intervalo.

Na segunda parte, o jogo esteve mais aberto e, apesar de estar em inferioridade numérica, a Nigéria tentou chegar novamente à vantagem o que podia ter acontecido aos 59 minutos: num contra-ataque rápido, Yakubu apareceu isolado na área e atirou para defesa de Tzorvas. Na recarga, Obasi falhou o golo de baliza aberta.

Do outro lado, Enyeama realizou a defesa da tarde ao desviar para canto um cabeceamento perigoso de Samaras (69m) na sequência de um canto. O guardião nigeriano não esteve bem ao realizar, pouco depois, uma defesa incompleta após remate de Tziolis de fora da área, permitindo a Torossidis, que surgiu oportuno, o segundo golo da Grécia.

Katsouranis e Karagounis, antigos jogadores do Benfica, foram os mais rematadores da Grécia, selecção que mais atirou à baliza adversária: 27 remates contra da apenas 10 da Nigéria. Echiéjilé, médio nigeriano contrato neste defeso pelo Sporting de Braga, entrou aos 55 minutos, mas acabou por sair lesionado aos 77.

Com este resultado, a Grécia é terceira classificada no Grupo B com os mesmos três pontos da Coreia do Sul que hoje foi goleada (4-1) pela Argentina. A Nigéria ainda não somou qualquer ponto mas pode ainda chegar ao segundo lugar e aos oitavos-de-final, tendo para isso que vencer a Coreia do Sul e esperar que a Argentina vença a Grécia na derradeira jornada. Caso de verifiquem estes resultados, o apurado decide-se pela diferença de golos marcados e sofridos.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Federação de Patinagem vai recorrer da decisão do Comité Internacional




Maputo (Canalmoz) – Finalmente a Federação Internacional de Patinagem confirmou as evidências que durante largo tempo foram divulgadas na imprensa nacional e internacional, dando conta de que aquele organismo pretendia retirar a Moçambique a realização do campeonato mundial da modalidade, devido à falta de garantias das capacidade do país para o efeito.

A decisão da retirada do direito de acolher a mais importante prova de hóquei em patins foi comunicada à Federação Moçambicana da modalidade esta quarta-feira, por meio de uma carta enviada pela Federação Internacional que tutela a modalidade, conforme nos revelou o vice-presidente da FMP, Nicolau Manjate, que, no entanto, promete recorrer da decisão.

Na referida carta, a que o Canalmoz teve acesso, lê-se que o Comité Internacional de Hóquei em Patins decidiu cancelar o direito de a FMP organizar o 40.º Campeonato Mundial “A” de Hóquei em Patins 2011, na cidade de Maputo, Moçambique, devido à falta de cumprimento de contrato firmado entre a Federação Moçambicana de Patinagem, o Ministério da Juventude e Desportos de Moçambique, a Companhia Wallstreet e o Comité Internacional de Hóquei em Patins, assumido em Vigo, na Espanha, em Junho de 2009.

A mesma carta adianta que o motivo desta decisão foi a falta de garantias oficiais por parte do Governo moçambicano da anunciada remodelação dos campos, assim como também a falta de confirmação do que foi anunciado pelo presidente do comité organizador, a quem enviaram importantes comunicados com prazos de vencimento.

FMP contesta a decisão

Entretanto, a FMP, através do seu vice-presidente, Nicolau Manjate, diz que não concorda com a decisão tomada pelo comité internacional, alegando que Moçambique ainda está dentro dos prazos estabelecido pela Federação Internacional de Patinagem, para a realização dos mundiais.

Para a sua defesa, a FMP socorre-se do artigo 22.º, referente à organização dos mundiais da modalidade, que dá o prazo de até seis meses antes da realização da competição para que o país organizador possa apresentar a equipa e os campos em condições para a realização do “Mundial”.

Questionado se o país tinha dado alguns sinais visíveis com vista à organização da competição, Nicolau Manjate respondeu que se havia constituído uma comissão que já está a preparar a competição e já tinha um plano definido referente à preparação da equipa nacional.

Recurso

Nicolau Manjate disse que o nosso país está em condições de acolher o “Mundial” e, por isso, vai recorrer à Federação Internacional, curiosamente não com o objectivo de ver restituída a realização do “Mundial”, mas sim para se repor a verdade que, no seu entender, foi camuflada pelo organismo internacional.





A verdade

A realização da 40.ª edição do campeonato mundial de hóquei em Moçambique era vista pelo Governo moçambicano como uma oportunidade para o desenvolvimento da modalidade, mas, na verdade, as ideias nunca saíram do papel.

Volvido pouco mais de um ano em que o então ministro da Juventude e Desportos, Fernando Sumbana, esteve em Vigo, na Espanha, local onde confirmou e deu garantias de que Moçambique estava apto para acolher o campeonato mundial de hóquei, na prática até hoje não há evolução.

A FMP orgulha-se de ter constituído uma comissão que envolve quadros superiores do Ministério da Juventude e Desportos e ainda de ter escrito um plano de actividades para a selecção nacional e mais nada.

Deste modo, pode-se concluir que a FMP pouco ou nada fez para merecer a confiança do comité internacional da modalidade, razões que poderão ter pesado muito para a retirada do direito de acolher o “Mundial”, que era visto como uma das grandes oportunidades para promover o país desportivamente.

Agora, neste festival de fracassos – em que brilham as promessas falsas sobre o sucesso turístico com o “Mundial” de futebol – só resta saber o que será dos Jogos Africanos de 2011.

Egídio Plácido

Suíça afunda armada espanhola


Em jogo do Grupo H

A selecção da Suíça é a protagonista da principal surpresa até ao momento ao derrotar a Espanha, actual campeã europeia, por 1-0, em jogo da Grupo H.

Recorde a partida aqui.

A Espanha dominou o jogo, criou inúmeras oportunidades na primeira e na segunda parte, rematou ao poste, mas não encontrou soluções para suplantar a forte barreira defensiva da Suíça.

Os campeões europeus tentaram o golo desde o primeiro minuto, enquanto a Suíça esteve sempre remetida à defesa. Na segunda parte, na primeira vez que conseguiu chegar à baliza de Casillas, a Suíça acabou por marcar. Aos 53 minutos, após uma jogada confusa de contra-ataque, Gelson Fernandes fez o desvio com sucesso.

Os espanhóis acentuaram a pressão, só que não conseguiram passar a bem escalonada defesa suíça e quando o faziam o guarda-redes Diego Benaglio (ex-Nacional), com excelente exibição, evitava o pior.

Aos 75 minutos, no segundo remate da Suíça, Derdiyok atingiu o poste, após uma boa iniciativa individual.

Até ao final da partida a selecção espanhola tudo fez para pelo menos empatar, mas o resultado já não sofreu alterações. Depois de 10 vitórias nos jogos de qualificação, a Espanha perdeu na estreia no Mundial.

Ficha de jogo:

Estádio Moses Mabhiba (Durban)

Árbitro: Howard Webb (Inglaterra)

Equipas:

ESPANHA – Casillas; Sérgio Ramos, Puyol, Piquet e Capdevilla; Xabi Alsonso, Busquets (Fernando Torres, 61m), Iniesta; David Silva (Navas, 61m), Villa e Xavi.

SUÍÇA – Diego Benaglio; Lichtsteiner, Senderos (Steve Von Bergen, 35m), Grichting e Ziegler; Inler, Gelson Fernandes, Huggel e Barnetta (Eggiman,90m); Derdiyok (Hakan Yakin, 79m) e Nkufo.

Ao intervalo: 0-0

Acção disciplinar: Cartão amarelo a Gritching, Ziegler, Benaglio, Yakin.

Marcadores: 0-1, Gelson Fernandez (53m)

Fim da partida: 0-1

Mart Nooij vai ganhar 21.5 mil dólares brutos


Foram definidos os objectivos a serem alcançados pelo seleccionador durante os quatro anos de contrato.

Mart Nooij vai assinar, nos próximos dias, contrato válido por quatro épocas com a Federação Moçambicana de Futebol (FMF). O anúncio dos termos que viabilizam o acordo entre a FMF e o treinador holandês, alcançados no passado dia 8 de Junho em curso, seria feito hoje, em Maputo. De acordo com os referidos termos de acordo, em nosso poder, Mart Nooij vai ganhar 21.5 mil dólares americanos. Desse valor, ser-lhe-ão descontados 6.5 mil dólares americanos para o Imposto de Rendimento sobre Pessoas Singulares (IRPS), correspondente a 32% do seu salário, por não ter nenhum dependente, restando-lhe, para o efeito, 15 mil meticais líquidos.

Mesmo que tenha dependentes, o seu salário líquido não será afectado, porque os impostos terão coberturas pelo contratante (FMF/Governo). Ou seja, tudo foi acautelado para que o seleccionador não saia lesado no processo. Ainda nos termos do mesmo acordo, ficou definido que o contratante deverá alocar viatura e respectivo combustível ao contratado (Mart Nooij), além do subsídio de telefone.

Objectivos estabelecidos no acordo

Foi definido que Mart Nooij deverá responsabilizar-se pelas selecções A e sub-23. E, ficou estabelecido, como um dos objectivos, que Mart deverá – caso contrário, o contrato extingue automaticamente – qualificar os Mambas para o CAN 2012.

O outro objectivo – não é do cumprimento obrigatório – passa por qualificar a selecção para o CAN Interno-2013. O não cumprimento deste objectivo não extingue a relação do trabalho entre Mart Nooij e a FMF.

Foi também definido, como um dos principais objectivos, a qualificação dos Mambas para o CAN e para o Mundial 2014. Mas a não ida ao mundial não extingue a relação, desde que se qualifique para o CAN, e não só.

Ficou estabelecido, também, que não basta qualificar os Mambas para o CAN 2014, para que haja condições para a renovação contrato. É preciso que a nossa selecção passe a primeira fase do CAN, ou seja, se qualifique para os quartos-de-finais. Consta ainda que caso qualifique Moçambique para o Mundial 2014, no Brasil, o contrato de Mart Nooij extingue logo que a selecção terminar a sua participação. Mas caso contrário, o contrato extingue quando os Mambas terminarem a sua presença no CAN 2014.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

CIRH cancela Mundial de Hóquei em Patins em Moçambique




O CIHR refere, numa das passagens, que irá “reembolsar o valor de 12 000 USD,Que “Moçambique investiu até agora na preparação desta prova”.

O Comité Internacional de Hóquei em Patins (CIRH) cancelou a organização da 40ª edição do Campeonato Mundial de hóquei em patins do grupo A de 2011, em Maputo, Moçambique.

Num comunicado enviado à Federação Moçambicana de Patinagem (FMP), a que o “O País” teve acesso, o Comité Internacional de Hóquei em Patins, através do seu presidente, Harro Strucksberg, que ano passado visitou Maputo e disse estar impressionado com o que viu, refere que o cancelamento da realização desta prova no nosso país deve-se “à falta de cumprimento do contrato entre a Federação Moçambicana de Patinagem, o Governo moçambicano e a Wallstreet, rubricado em Julho de 2009, em Vigo, na Espanha”.

O Comité Internacional de Hóquei em Patins diz ainda que “não há garantia oficial do Governo moçambicano no anúncio da reabilitação do pavilhão para acolher a prova, bem como um anúncio oficial do presidente do Comité Organizador do Campeonato Mundial em relação aos prazos e ninguém respondeu até agora”.

O CIRH refere, numa das passagens, que irá “reembolsar o valor de 12 000 USD, que Moçambique investiu até agora na preparação desta prova”. Contactado pelo “O País”, Cândido Coelho, presidente da Federação Moçambicana de Patinagem diz ter ficado surpreendido com esta comunicação. Coelho disse ainda que a FMP vai reunir ainda hoje para analisar os factos arrolados pelo CIRH.

Não foi possível ouvir a reacção do vice-ministro da Juventude e Desportos, Carlos Sousa, pois o mesmo encontra-se na China, no quadro da visita do primeiro-ministro, Aires Ali, àquele país asiático.

O que é certo é que o CIRH há muito que vem sendo pressionado pela Argentina no sentido de retirar a Moçambique a organização desta prova. Recentemente, foram empossados os comités de organização e executivo do Campeonato Mundial de Hóquei em Patins do Grupo A e o mesmo garantiu que estava a trabalhar no sentido de viabilizar a realização da prova.

Costa do Marfim no bom caminho


A SELECÇÃO da Costa do Marfim agigantou-se ontem a nível do Continente Africano ao repartir o domínio da maior parte do jogo, sobretudo na segunda etapa, e arrancar um precioso empate, sem abertura de contagem, frente a Portugal, na abertura do grupo G, considerado de “morte” nesta primeira fase do Campeonato Mundial de Futebol, que decorre desde sexta-feira na vizinha África do Sul.



Este empate abre boas perspectivas para a qualificação da selecção africana, que precisa de manter o mesmo ritmo até final nos encontros desta etapa com a Coreia do Norte e o Brasil e esperar pelo deslize dos portugueses, que neste momento devem estar a fazer as mesmas contas, uma vez que os “canarinhos” são teoricamente o combinado favorito a transitar para os oitavos-de-final.

É caso para dizer que os africanos devem se orgulhar da exibição da Costa do Marfim, na sua estreia, que mesmo sem a sua estrela mais cintilante, Didier Drogba, a cem porcento – entrou na segunda parte – pararam um Portugal que vinha embalado para iniciar esta prova com uma vitória, uma vez que sabia que em caso de derrota ou empate – como aconteceu – tem que, daqui em diante, andar com a máquina calculadora na mão.

À Costa do Marfim valeu o espírito de sacrifício e de conjunto algo que não se viu nos encontros anteriores, incluindo os do CAN de Angola ainda este ano.

No outro embate deste grupo, o Brasil venceu a Coreia do Norte, por 2-1, e assumiu a liderança com três pontos.

Ainda ontem, concluiu-se a primeira jornada do grupo F com a Nova Zelândia e a Eslovénia a empatarem a zero bola, depois da Itália e Paraguai terem também empatado a um tento, na noite de segunda-feira.

Entretanto, hoje conclui-se a primeira jornada da fase de grupos com os encontros Honduras-Chile e Espanha-Suíça (série H) e arranca a segunda ronda com os sul-africanos a defrontarem o Uruguai.

Árbitro moçambicano nos Jogos Olímpicos da Juventude




O ÁRBITRO moçambicano de basquetebol, Naftal Chongo, foi nomeado, pela Federação Internacional da modalidade (FIBA) para dirigir a próxima edição dos Jogos Olímpicos da Juventude em Sub-18, que se realizam em Singapura entre os dias 12 e 24 de Agosto próximo.

Naftal Chongo, que está radicado na África do Sul por razões profissionais, já esteve presente em competições internacionais de carácter africano e mundial tais como: Afrobásquete de Sub-18 feminino de 2005, na Tunísia; Jogos da Commonwealth de 2006, Austrália; Fase Preliminar Afrobásquete de Seniores Masculinos Harare-2006 e Fase Final da Taça dos Clubes Campeões de África-Benin 2009, provas de grande dimensão que fazem dele um juiz experimentado.

Refira-se que esta é a terceira vez consecutiva na histórica do básquete nacional que um árbitro moçambicano é iniciado para o Torneio Olímpico de Basquetebol, o maior evento desportivo do planeta.

MUNDIAL-2010 - África saúda empate dos marfinenses


COSTA de Marfim quase dava uma nova alegria aos africanos no embate com Portugal, disputado ontem no Estádio Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth, na abertura do Grupo G da Copa do Mundo, mas mesmo assim o empate a 0-0 foi suficiente para o continente entrar em delírio. Entretanto, hoje a África do Sul volta à competição para a segunda jornada do Grupo A frente ao Uruguai, depois de ter empatado a um tento na abertura com o México.



Didier Drogba teve a oportunidade ímpar de violar a baliza portuguesa já na ponta final do encontro, mas não teve a opção certa quando, ao invés de cruzar, optou pelo cruzamento para a “terra de ninguém”.

Aliás, o Estádio Nelson Mandela Bay registou um momento de grande emoção aos 66 minutos, quando a estrela marfinense foi lançada em campo pelo técnico Sven-Goran Eriksson.

O encontro foi extremamente equilibrado – como se esperava -, mas Portugal teve igualmente uma excelente oportunidade muito antes da entrada de Drogba, quando Cristiano Ronaldo acertou no poste da baliza africana.

Num jogo disputado debaixo de muito frio e, na segunda parte, alguma chuva, esperava-se muito dos ataques das duas selecções, mas acabaram sendo as defesas a ter o papel mais importante no Estádio Nelson Mandela Bay. Um enorme rigor e muita atenção às movimentações adversárias impediram os golos e levaram o 0-0 até à final, num resultado que não altera, em nada, a ambição das duas selecções no Grupo G deste Mundial.

Depois de um início de jogo algo lento, com as duas selecções a mostrarem muito respeito uma pela outra, eis que, aos 11 minutos, Ronaldo decide mexer com os acontecimentos. O número sete recebeu a bola de costas para a baliza, com um fantástico toque de calcanhar tirou um adversário do caminho e, de muito longe, rematou com muita força e muito, muito azar: a bola foi devolvida pelo poste da baliza de Barry.

A Costa do Marfim respondeu com um livre directo de Tiene que, de pé esquerdo, fez a bola passar relativamente perto do alvo. Logo a seguir, foi Tiote a tentar a sua sorte, mas, mais uma vez, a bola não acertou na baliza à guarda de Eduardo.

Aos 23 minutos, Gervinho ganhou um ressalto sobre Ricardo Carvalho já dentro da área, mas quando se preparava para rematar surgiu Paulo Ferreira, muito bem, a fazer um corte providencial.

O intervalo chegou sem que nenhuma das selecções voltasse a levar perigo à área contrária, o que se alterou logo no segundo minuto da etapa complementar, com um remate cruzado de Gervinho a assustar Eduardo.

Já depois de Kalou ter testado a atenção do guarda-redes português e de Simão ter entrado para o lugar de Danny – com Portugal a passar a jogar em 4x4x2 –, Deco teve uma boa iniciativa pela esquerda e cruzou para o cabeceamento de Liedson que, no entanto, saiu direitinho para as mãos de Barry.




À entrada do último quarto de hora, os adeptos portugueses voltaram a sentir que o golo estava perto, com remates sucessivos de Raul Meireles e Cristiano Ronaldo a levarem as bancadas a soltar um enorme “uohhh” de emoção.

Foi uma das últimas acções no jogo do médio português, já que Meireles acabaria por ser substituído, devido a cãibras, com Carlos Queiroz a lançar Rúben Amorim para o seu lugar. O médio do Benfica estreou-se, assim, em jogos oficiais por Portugal, depois de ter sido o último elemento a juntar-se ao grupo, substituindo o lesionado Nani.

À medida que o final do jogo se aproximava, notava-se cada vez mais a preocupação das duas selecções em não cederem qualquer oportunidade ao adversário. Afinal, tratava-se do primeiro jogo no Mundial, as pernas de alguns jogadores já davam sinais de cansaço e uma eventual derrota poderia significar um futuro muito negro na busca de um lugar nos oitavos-de-final.

Ainda assim, Portugal procurou jogar sempre mais no meio-campo adversário, mas, já nos descontos, foi Didier Drogba que esteve a centímetros de desempatar o jogo, num lance que levou o estádio ao rubro. Mas a festa acabou por ser feita pelas duas equipas. Afinal, o empate não deu desgostos a ninguém.

MUNDIAL-2010 - Polícia dispara contra guardas de segurança


A POLÍCIA sul-africana disparou, domingo, balas de borracha contra um grupo de guardas de segurança que se recusavam a abandonar o estádio de futebol “Moses Madiba”, na cidade de Durban, em protesto contra a falta de pagamento.



A Imprensa local referiu ontem que a Polícia viu-se obrigada a disparar balas de borracha e canhões de gás lacrimogéneo contra cerca de 200 guardas de segurança que não queriam abandonar o estádio, no término do jogo entre a Alemanha e a Austrália.

O jornal sul-africano “Business Day” escreveu ontem que apesar de não ter havido ferimentos, de certa forma o incidente acaba manchando a imagem do país, pois nas imediações do estádio os guardas protagonizaram actos de vandalismo, erguendo barricadas ao longo de várias artérias, o que tornou a área intransitável.

Uma unidade de 100 polícias foi imediatamente mobilizada para o local, com vista a evitar o pior. O protesto surgiu depois dos guardas de segurança terem recebido, por dia, 200 randes, contra os 1500 inicialmente prometidos.

Entretanto, em Joanesburgo várias organizações sindicais do sector público negam ter assinado um acordo para a não realização de greves durante o Mundial de Futebol.

Por exemplo, a Associação dos Sindicatos dos Trabalhadores da Função Publica da África do Sul (PSA), com 1,2 milhão de membros, nega ter acordado com as autoridades para adiarem, por 30 dias, a convocação de qualquer acto sindical, por forma a não prejudicar o Mundial de Futebol.

Analistas sugerem que os sindicatos pretendem usar a maior festa de futebol para obterem incremento salarial, embora eles rejeitem a versão. Os sindicalistas exigem um aumento salarial na ordem de 11 porcento e um subsídio mensal de habitação de 1.000 randes. O Governo, por seu turno, diz estar em condições de poder oferecer apenas 6,5 porcento e um subsídio de habitação no valor de 620 randes.

MUNDIAL-2010 - Vuvuzela em versão “light”


O SOM do coro de críticas às vuvuzelas não foi suficiente para impedir a sua utilização nos estádios do Mundial, mas chegou aos ouvidos dos fabricantes do polémico instrumento, os quais resolveram produzir uma versão mais silenciosa da corneta, de modo a calar os principais contestatários.



Fizemos algumas modificações e existe agora uma vuvuzela que faz um barulho com menos 20 decibéis do que a tradicional 127 decibéis”, afirmou Neil van Schalkwyk, da empresa Masincedane Sport, responsável pela fabricação das vuvuzelas, a qual espera um volume de negócios na ordem dos dois milhões de euros só durante a competição.

Desde que foi dado o pontapé de saída do Campeonato do Mundo multiplicaram-se as críticas às cornetas popularizadas pelos adeptos sul-africanos, vindas de todos os quadrantes, inclusive dos jogadores.

Apesar da contestação e dos avisos dos especialistas sobre os riscos de perda de audição, o comité organizador já deixou bem claro que as vuvuzelas não serão banidas dos estádios.

"Vejam as vuvuzelas como parte da cultura da África do Sul na celebração do Campeonato do Mundo. Assim como os nossos convidados aceitam a nossa cultura, por favor aceitem a nossa forma de celebrar. A história da vuvuzela está ligada à da África do Sul", declarou Rich Mkhondo, porta-voz do comité organizador local.

As declarações surgem um dia depois de o próprio presidente do comité, Danny Jordaan, ter avançado com a possibilidade de banir as vuvuzelas. Jordaan revelou que prefere as músicas nos estádios, mas Rich Mkhondo negou que as vuvuzelas prejudiquem outras formas de celebração e que só uma minoria é contra o instrumento.

HCB assegura salários dos técnicos dos “Mambas”


A EMPRESA Hidroeléctrica de Cahora Bassa vai disponibilizar 25 mil dólares mensais ao Fundo do Promoção Desportiva (FPD) para o pagamento da equipa técnica dos “Mambas”, no âmbito do acordo celebrado ontem entre aquela empresa e o Ministério da Juventude e Desportos (MJD) e que terá a duração de dois anos renováveis.



O maior “bolo” deste montante será destinado ao seleccionador nacional, Mart Nooij, que será anunciado esta manhã no decurso de uma conferência de Imprensa nas instalações do MJD.

O presidente do Conselho de Administração da HCB, Paulo Muxanga, classificou o acordo de histórico e que vem confirmar, mais uma vez, o compromisso que a empresa tem para com o desporto, destacando também o apoio ao Moçambola através do patrocínio à Liga Moçambicana de Futebol e de clubes como HCB e Chingale.

Por seu turno, o Ministro da Juventude e Desportos, Pedrito Caetano, considerou o memorando de salutar e que veio dar cunho jurídico ao processo, uma vez que as duas partes já haviam antes chegado a entendimento. Aquele dirigente anotou que o Governo, através do seu ministério, está a envidar esforços à busca de mais parceiros com finalidade de garantir salário condigno aos adjuntos do seleccionador nacional.

Campeonato de Basquetebol da Cidade de Maputo: “Pesos pesados” na fase final


FERROVIÁRIO, Maxaquene, Desportivo e Costa do Sol conseguiram o apuramento para a fase final do Campeonato de Basquetebol da Cidade de Maputo em seniores masculinos.
Maputo, Quarta-Feira, 16 de Junho de 2010:: Notícias


Os “tricolores” foram os primeiros a garantir o apuramento na última quinta-feira, ao vencerem o Aeroporto por 98-54, na partida em atraso da segunda jornada da Série B.

Os finalistas foram encontrados no sábado, com os “locomotivas” a baterem a mesma equipa do Aeroporto, por 62-22, em desafio da quarta jornada e a terminarem a primeira fase como líderes do Grupo B.

Os “alvi-negros” puseram fim ao sonho da Real Sociedade em seguir em frente, ao vencê-la por 72-35 no jogo em atraso da terceira jornada, triunfo que lhes permitiu o primeiro lugar da Série A.

Os “canarinhos”, que na última quarta-feira haviam ganho também a Real Sociedade por 70-30, aguardavam por uma vitória do Desportivo para garantirem um lugar entre as quatro equipas.A fase final, tal como na primeira, será disputada num sistema de todos contra todos.

Futsal–Torneio de Abertura: Liga goleadora

A LIGA Muçulmana manteve a sua veia goleadora, ao “esmagar” o Maxaquene por 10-2 em desafio da segunda jornada do Torneio de Abertura de futsal. Os muçulmanos já haviam ganho na jornada inaugural a UP por 9-0.



Com estas duas vitórias “robustas”, a Liga lidera com seis pontos, mercê do melhor “goal-average” sobre o Desportivo, que também somou a segunda vitória consecutiva ao vencer a Associação por 1-0.

Noutro jogo, o Estrela ganhou a UP por 6-1. O Al Mahid fica de fora nesta jornada devido ao número ímpar de equipas.

A próxima jornada realiza-se na quinta-feira, com os seguintes jogos: Associação-UP; Estrela Vermelha-Maxaquene e Liga Muçulmana-Al Mahid.
O Torneio de Abertura é disputado num sistema de todos contra todos numa única volta.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Mexer e Wilson complicados



A cedência, por empréstimo, dos sportinguistas Mexer e Wilson Eduardo ao Portimonense complicou-se nos últimos dias com o aparecimento de outros clubes que também pretendem os jogadores, oferecendo condições financeiras mais vantajosas para os leões.

Uma contrariedade para o treinador Litos que conhece bem Mexer, aquando da sua passagem pelo futebol moçambicano, além de Wilson Eduardo ter sido decisivo na campanha da temporada passada, marcando, inclusive, o golo que valeu a subida.

Por Jorge Anjinho

MUNDIAL-2010 - Camarões desiludem


OS Camarões, a quinta equipa africana a entrar em acção, ontem, no Campeonato Mundial de Futebol da África do Sul, defraudaram as expectativas gerais ao perderem com o Japão, por 0-1, em partida da primeira jornada do grupo E. Para a mesma série, a Holanda confirmou o seu favoritismo frente à Dinamarca, a quem derrotou por 2-0, assumindo deste modo a liderança do agrupamento com três pontos, os mesmos dos japoneses.



Hoje é a vez da Costa do Marfim entrar em prova (16 horas), defrontando Portugal, para o grupo G, o preferido pelos moçambicanos, uma vez que ainda tem, às 20:30 horas, o Brasil-Coreia do Norte.

Entretanto, até a ronda de ontem, apenas o Gana era a única selecção africana que já tinha conseguido a vitória na competição diante da Sérvia, por 1-0, no domingo, enquanto a África do Sul empatou na abertura com a Austrália a um golo, tendo a Argélia e a Nigéria sucumbido frente a Eslovénia e Argentina, pelo mesmo resultado de uma bola sem concorrência.

Na classificação actual, África do Sul, México, Uruguai e França têm um ponto cada no grupo A; a Coreia do Sul e Argentina lideram o B com três pontos cada, estando a Nigéria e a Grécia sem nenhuma pontuação; A Eslovénia está isolada no topo com três pontos, seguido da Inglaterra e Estados Unidos da América com um cada, enquanto a Argélia ainda não pontuou no grupo C; a Alemanha e o Gana partilham o comando com três pontos cada, a Sérvia e Austrália têm zero no grupo D; a Holanda e o Japão estão colados no pódio com três cada, Camarões e Dinamarca ainda continuam sem nenhum ponto no grupo E.

Para hoje estão ainda programados os jogos Nova Zelândia-Eslováquia (13:30 horas), da conclusão do grupo F iniciado ontem com empate (1-1) entre a Itália e o Paraguai; Costa do Marfim-Portugal (16:00 horas) e Brasil-Coreia do Norte (20:30 horas), do grupo G.