quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

AFROTAÇAS - África será nossa amiga?


COM a impetuosa contagem decrescente rumo à primeira &mãodos dezasseis-avos-de-final das Afrotaças-2008, a ansiedade vai se apossando dos nossos representantes, que não vêem chegar a hora de entrarem em acção.


Um trabalho árduo, especificamente virado para estas competições, desenvolve-se nas hostes do Ferroviário e do Atlético Muçulmano, que prometem um fim-de-semana arrebatador, quando defrontarem o Kampala City, do Uganda, e o Malanti Chiefs, da Suazilândia. É que, apesar de a avaliação dos adversários partir somente da observação feita no terreno pelos técnicos Paulo Camargo e Arnaldo Salvado, reina no seio das formações moçambicanas um grande optimismo, levando-nos a acreditar que resultados positivos serão conseguidos.


É cedo ainda para vaticinar o desfecho completo da eliminatória em si, considerando que são 180 minutos por disputar, a verdade, porém, manda dizer que o Ferroviário, da Liga dos Campeões, e o Atlético Muçulmano, na Taça CAF, projectam atingir a fase crucial e milionária destas duas provas: a fase de grupos. Os locomotivas, assim como o Costa do Sol, são os times do nosso país que na principal competição africana de clubes já chegaram a essa etapa.

Os verde-e-branco têm estado a treinar todas as tardes, no Estádio da Machava, palco do seu embate de domingo, diante do Kampala City. Tendo em conta as altas temperaturas que se fazem sentir por estas alturas do ano, a estratégia de treinar no período da tarde visa precisamente habituar os atletas ao calor tórrido que irão enfrentar.

Sexta e sábado, as sessões realizar-se-ão no campo do Ferroviário da Baixa, num momento em que o técnico brasileiro Paulo Camargo já deverá ter de cor e salteado os nomes dos jogadores convocados e até do onze que descerá ao relvado sintético do Vale do Infulene.

A preparação dos locomotivas desenrola-se num clima de optimismo, excelente entrega dos jogadores e, acima de tudo, a noção de que estarão perante um conjunto bastante prestigiado no seu país e que estará em Maputo igualmente imbuído pelo espírito de vitória. Daí que, mesmo acreditando no favoritismo que recai sobre si, o campeão moçambicano prefere não embandeirar em arco, mas explorar ao máximo todas as hipóteses que neste momento jogam para o seu lado.

Aliás, mesmo com a integração de novos elementos no plantel, que certamente irão conferir uma importante mais-valia à equipa, a espinha dorsal do Ferroviário mantém-se intacta, isto é, a estrutura base da magnífica formação que em 2008 conquistou o Moçambola está lá presente, sinónimo de que o futebol alegre e envolvente que caracterizou as suas actuações na época passada teremo-lo de volta já a partir de domingo.

Os ugandeses do Kampala City, que estarão entre nós na sua máxima força, chegam a Maputo na sexta-feira. O jogo será dirigido por um trio proveniente do Malawi e o comissário da CAF da Zâmbia. Os bilhetes de ingresso na catedral estarão ao preço de 50 meticais, enquanto os camarotes custarão 100.

ENSAIO FRENTE AOS ANGOLANOS

Depois da participação no torneio promovido por ocasião do primeiro aniversário da Associação dos Treinadores de Futebol de Moçambique, o Atlético Muçulmano efectuou ontem à tarde um ensaio competitivo diante dos angolanos do Bravos do Maquis. Foi uma oportunidade para Arnaldo Salvado observar e avaliar minuciosamente o potencial do seu conjunto, que se estreará no panorama continental, após conquistar a Taça de Moçambique na época transacta.

Novatos nestas lides, os muçulmanos, mesmo assim, não se deixam menosprezar, até porque também os suázis do Malanti Chiefs não possuem qualquer experiência em provas desta índole. Apesar da incógnita quanto ao resultado, o Atlético acredita sem reservas num desfecho favorável, devendo, para tal, tentar tirar partido das possibilidades que se lhe abrem na tarde de sábado, no seu campo.

Os suázis preferem chegar à capital moçambicana já amanhã, para a necessária ambientação. Igualmente da Zâmbia virá o comissário da CAF e os árbitros têm de Madagáscar. No campo do Atlético Muçulmano, será praticado o preço único de 50 meticais.

Recorde-se que, ao abrigo do programa de revitalização do desporto, em particular do futebol, aprovado pelo Governo em Outubro de 2005, no atinente ao apoio dos nossos representantes nas Afrotaças, iniciado em 2006, o Ministério da Juventude e Desportos responsabiliza-se pelo alojamento e alimentação das três partes visitantes: neste caso, equipas do Kampala City e do Malanti Chiefs, alojadas no Hotel Turismo; árbitros no VIP e Comissários da CAF no Avenida. Cabe-lhe ainda o pagamento do quarto árbitro, caso este não seja da cidade de Maputo, assim como o policiamento.

“Nacional” de Natação de Verão: Grande revelação campeão merecido


O CAMPEONATO Nacional de Verão de Natação trouxe uma grande revelação e um campeão merecido, que soube aproveitar-se das fragilidades denunciadas pelos seus oponentes antes do início da competição, com maior destaque para o Ferroviário de Maputo, que era o detentor do título.



O Ferroviário de Maputo deixou voar algumas das suas estrelas, nomeadamente os irmãos Leonel e Gerúsio Matonse, da categoria de seniores, Allan e Jannat Bique, dos escalões de iniciação. Gerúsio e os irmãos Bique estão filiados no Clube Tubarões de Maputo.

Por seu turno, Leonel Matonse, mesmo sem renunciar oficialmente, não tem estado a competir pelos ;locomotivas da capital do país desde que regressou do Centro de Alto-Rendimento de Pretória, em Dezembro último, onde esteve a tentar os mínimos para participar nos últimos Jogos Olímpicos realizados em Beijing, na China, como bolseiro do Comité Olímpico de Moçambique.

Isso por si revela algum desapontamento por parte do nadador em relação ao Ferroviário, cuja ausência começou a evidenciar-se no Campeonato de Verão da Cidade de Maputo. Quando se propalou a sua deserção para o Tubarões, Leonel e o seu irmão Gerúsio, mais os irmãos Allan e Jannat Bique, já treinavam neste clube. Porém, ele nunca nadou pelo Tubarões, não se sabendo no entanto se está filiado àquele clube ou continua ligado aos locomotivas de Maputo.

A situação agravou-se com a ausência de Ermelinda Zamba nas provas individuais, isto em seniores femininos. Zamba parece ter chegado ao fim da carreira e tem optado pelas provas de estafetas, por temer piores tempos nas provas individuais, face à evolução de algumas nadadoras dos escalões subsequentes e que têm feito melhores tempos que os seus.

O mesmo acontece com Ximene Gomes, do Desportivo de Maputo, que igualmente se juntou às estafetas.

Perante este cenário, o Golfinhos preparou-se para melhor tirar vantagem sobre este que é o seu principal rival. Aliás, o favoritismo do Golfinhos no último Nacional ficou esclarecido no Campeonato de Verão da Cidade de Maputo, quando se tornou campeão, aproveitando a saída daqueles atletas do Ferroviário

NUNO GOMES


A grande revelação do Nacional; de Verão é, sem dúvidas, o pequeno e talentoso nadador das bandas do Chiveve, concretamente do Clube Ferroviário da Beira. De nome Nuno Gomes, fixou nove recordes nacionais da categoria. É um feito invulgar na história da modalidade e que é justificado pelo surgimento de uma geração de talentos que se vislumbram a nível dos escalões de formação, facto que marca uma viragem o que foi comum durante muitos anos, em que o escalão máximo era dominante no que respeita às grandes conquistas.


Aliás, esta situação vem se enraizando de prova em prova, tanto a título individual como colectivo (estafetas). E ficou provado neste último Nacional, em que Nuno Gomes foi, para além de maior recordista, melhor nadador no seu escalão, ao destacar-se em várias provas, com maior destaque nos livres, em que esteve cinco vezes no pódio e fixou o mesmo número de máximos.

Nuno Gomes conseguiu novos máximos em 50, 100, 200, 400 e 800 metros livres. Bateu os restantes recordes em 100 e 200 metros estilos, 100 e 200 metros mariposa.

A maior parte destes recordes pertencia-lhe, destacando-se o de 100 livres, que foi retirado a Gerúsio Matonse, ex-Ferroviário de Maputo, e que acaba de se juntar ao Clube Tubarões de Maputo. Nuno Gomes fixou o novo máximo em 1.00.54 minuto, contra 1.03.00 de Matonse, registado no longínquo ano de 1999.

Para além da doçura dos recordes, Nuno Gomes desfrutou ainda do título de campeão da categoria, sendo o nadador que esteve mais vezes no pódio das provas em que participou. 
Salvador Nhantumbo

Vilankulo FC vendido ao respectivo presidente


ENQUANTO nas minhas veias correr sangue de futebol, Vilankulo FC não morrerá.


Palavras de Yassin Amugy quando prestava o seu primeiro juramento na tomada de posse como presidente de um clube que acabava de nascer em 2003 no norte de Inhambane. Yassine foi eleito numa assembleia-geral que reuniu perto de setenta sócios.


Em Novembro de 2006, o antigo presidente da jovem formação futebolística do país rebuscou este discurso numa conferência de Imprensa que serviu de balanço do desempenho da sua equipa que acabava de falhar a entrada no Moçambola, sua grande aposta e prioridade.

O tempo passou, os sócios foram desaparecendo um por um, os resultados vão minguando, as quotas para suportar as despesas de uma equipa que foi bafejada pela sorte de ter um recinto relvado para receber os seus adversários, Estádio Municipal de Vilankulo, andam longe de satisfazer as necessidades da agremiação. Yassin ficou sozinho. Foi aguentando com o barco. Nos dias que correm, de uma centena de sócios que se inscreveu com muita euforia no aparecimento da equipa, são contados com os dedos de uma só mão os que pagam quotas.

Em princípios de 2007, Yassin Amugy apresentou aos sócios a ideia de fechar as portas, pois as destruições que Vilankulo sofreu por causa de ciclone Fávio não pouparam as infra-estruturas deste jovem empresário que são a fonte de receita para alimentar o clube.

O Governo provincial anunciou apoio para manter a equipa na segunda liga na região sul, pois, dentro das quatro linhas, Vilankulo VC apresentava-se como sério candidato a ascender ao Moçambola, partindo em pé de igualdade com a Liga Muçulmana e Atlético Muçulmano. A época passou, o balanço era de novo desolador, pois o VFC não conseguia se impor aos, muçulmanos, desta vez o respectivo presidente renunciou à luta para o Moçambola, apostando na formação de uma equipa do futuro privilegiando a prata da casa.

Quero fazer uma equipa do futuro, prometeu Yassin para quem o clube não estava ainda em condições de partir em pé de igualdade com os outros para a luta por um lugar na fina-flor do futebol nacional por os parcos recursos financeiros de que se dispunha não conferirem segurança para tamanha guerra.

Todavia, Yassin Amugy, filho mais velho de Sulemane Amugy, empresário a cumprir o terceiro mandato à frente do município local, disse ter encontrado uma estratégia para tornar o clube mais rentável, com responsabilidade e seriedade que foi propor aos sócios com quotas em dia a sua venda, pois, na sua opinião, já havia concorrente que era ele mesmo.

É que o projecto em mão não só traz benefícios ao clube em si como também à sociedade residente em Vilankulo, porque tiraria alguns dividendos. Foi assim que em Dezembro passado numa assembleia-geral Vilankulo Futebol Clube é vendido ao empresário Yassine Amugy, antigo presidente do mesmo clube.

Em conversa com o nosso Jornal, Yassin, que acredita que um dia o Moçambola escalará aquelas bandas do norte de Inhambane, garante que a equipa vai continuar a ostentar o emblema e o nome actuais, bem como as cores dos equipamentos, e não só. 

O clube terá autonomia financeira e patrimonial e como primeira fase da execução do projecto, avaliado em cerca de cinco milhões de meticais, foi feita a aquisição de um autocarro para servir a equipa principal, a construção de um centro de estágio e alojamento na zona de Chibuene, perto do Estádio Municipal, com capacidade para quarenta atletas, além da contratação de dez jogadores de Maputo e Beira para tentarem levar o Moçambola em 2010 para Vilankulo.

Yassin diz que conta com um patrocinador de peso e anunciou igualmente que a equipa principal que está a se preparar para as grandes batalhas volta desta vez revigorada com o regresso de Abdul Omar que levou o Matchedje ao Nacional, para pilotar uma caravana cujo destino é o Moçambola em 2010.

Desta vez é de vez, promete Yassin, para quem três épocas consecutivas na segunda liga, foi tempo suficiente para adquirir experiência, pois esta equipa surgiu do nado, disputou e conquistou o campeonato provincial e representou a província nos campeonatos regionais e atingiu os quartos-finais na Taça de Moçambique, onde foi eliminada pelo Desportivo de Maputo, de Uzaras Momed.

Estamos virados para a contratação de jogadores com capacidade, primeiro, para ganhar o provincial, já que este ano voltamos aos campeonatos provinciais, e depois à poule de apuramento e estamos decididos a fazer surpresas, desafio do dono do clube de Vilankulo para quem a ajuntar a esta capacidade de organização estão o projecto da construção de uma primeira equipa vendida num país, a construção de um estabelecimento comercial onde expostos à venda os produtos do clube.

Seremos os primeiros no país a produzir e vender produtos do clube, garante o jovem empresário, acrescentando que muitas acções serão realizadas de forma a rentabilizar a agremiação para a sua sobrevivência.

O pensamento de Yassin é tornar o seu clube modelo a nível do país no que concerne à produção de receitas próprias. Explica que serão encontradas alternativas para o desenvolvimento de actividades extra-desportivas como forma de afastar os desportistas e jovens de vícios.

No período morto vamos enquadrar os nossos atletas em actividades sociais, como por exemplo dotá-los de conhecimentos sobre o combate à SIDA, à malária, bem como a conservação e manutenção de uma cidade limpa.

Estas acções serão levadas a cabo em coordenação com instituições apropriadas como é o caso do Núcleo Provincial de Combate SIDA e o conselho municipal local. Vamos também dar aos nossos jogadores a oportunidade de visitarem locais importantes da história de Vilankulo, da província de Inhambane e do país. Terão contacto com o turismo, uma das actividades prioritárias da região norte de Inhambane, bem como das empresas de construção para terem a ideia de como se faz uma casa, como se planifica uma estância turística, entre outras actividades. Queremos um atleta com conhecimento de um pouco de tudo.

Queremos desenvolver a cultura geral dos nossos jogadores e porque não lhes-dar a oportunidade de conhecerem o mundo.

Um dos grandes objectivos do jovem empresário é fazer o aproveitamento do estádio do município construído no âmbito de apoio social da SASOL naquela região e não só, juntar o útil ao agradável ou seja aliar o turismo ao bom futebol.

Queremos tirar partido do Mundial de 2010, recebendo algumas selecções aqui em Vilankulo, primeiro porque há condições de alojamento e campo para fazer treinos, o aeródromo é internacional, há estâncias turísticas de reconhecida qualidade, entre outros factores.

Victorino Xavier

Costa do Sol abre “oficinas” dos jovens





O COSTA do Sol abre amanhã as oficinasdas camadas jovens, nomeadamente escolas, iniciados, juvenis e juniores, de acordo com um comunicado do seu Departamento de Futebol ontem recebido na nossa Redacção.


Para o efeito, todos os atletas destas camadas que representaram a colectividade no ano passado, bem como aqueles que o queiram fazer na presente temporada deverão se apresentar amanhã, pelas 8.00 horas, no seu campo, munidos do respectivo equipamento de treinos para o início dos trabalhos.


Os canarinhos continuam a ser um dos clubes que presta atenção às camadas de formação, tendo inclusivamente criado escolas de jogadores (Eusébio) em alguns bairros da capital do país, na perspectiva de pesquisar novos talentos e incentivar os petizes à prática do futebol.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Inicia semana futebolística de invulgar expectativa: Afrotaças na ordem do dia


ESTA será uma semana verdadeiramente de invulgar expectativa para o futebol moçambicano.


Os representantes do país nas Afrotaças entram em acção, naquilo que constituirá a primeira grande avaliação das suas reais capacidades em relação ao ano de 2009. 


O Atlético Muçulmano, na sua estreia nas competições continentais, será o primeiro chamado à responsabilidade de prestigiar o nosso futebol, quando no sábado receber o Malanti Chiefs, da vizinha Suazilândia, para a Taça CAF, enquanto o Ferroviário, que disputa a Liga dos Campeões, apresentar-se-á no domingo, perante o Kampala City, do Uganda. Trata-se de embates referentes à primeira mão dos dezasseis-avos-de-final destas duas provas africanas de clubes.

Num ano em que a Selecção Nacional tem a gigantesca missão de tentar o apuramento para os Campeonatos Africano e Mundial de 2010, a terem lugar em Angola e na África do Sul, respectivamente, o comportamento dos nossos representantes nas Afrotaças será uma forma de aquilatar, do ponto de vista psicológico e competitivo, aquilo que os Mambas deverão fazer diante dos seus três adversários da derradeira fase de qualificação, designadamente Nigéria, Tunísia e Quénia.

Em mais uma participação na Liga dos Campeões, competição na qual já teve o privilégio de disputar a fase de grupos, na primeira edição do actual figurino, o Ferroviário fará com que o futebol regresse à catedral, no Estádio da Machava, na tarde de domingo.

O adversário, o Kampala City, não constitui nenhuma novidade entre nós, pois já cá esteve e, este ano, fa-lo-á perante um campeão moçambicano com um nível futebolístico bastante apurado e a assumir-se como favorito à transição para a etapa seguinte.

Os locomotivas, que foram buscar o técnico brasileiro Paulo Camargo à Liga Muçulmana, realizaram uma pré-época muito bem preenchida, que, por um lado, tinha em vista proporcionar ao treinador tempo e espaço para escolher o plantel desejado, tendo em conta a avalanche de atletas que acorreu à busca de sorte no Ferroviário, e, por outro, preparar precisamente a prova africana, à qual investirá todo o seu saber futebolístico de modo a chegar à fase de grupos.

O estágio na África do Sul foi descrito pelo técnico como tendo sido proveitoso, em vários prismas: a concentração dos jogadores para um rápido e melhor conhecimento mútuo, tendo em conta os novos ingressos, onde se destacam Mendes, Nené, Henning Comé e os regressados Fred e Pinto, este último guarda-redes; a realização de partidas com formações rotulados da terra do rand, precisamente para conferir a rodagem que, os atletas precisavam para fazer face à missão que lhes aguarda a partir deste domingo.

Um dia antes das emoções no Vale do Infulene, o campo do Atlético Muçulmano, localizado também na Machava, conhecerá o seu primeiro embate internacional de carácter oficial envolvendo os donos da casa. Mercê de uma temporada a todos os títulos magnífica, em que meritoriamente conquistou a Taça de Moçambique e sagrou-se vice-campeã nacional, a formação treinada por Arnaldo Salvado goza da sorte de o seu baptismo africano acontecer diante de um conjunto da modesta Suazilândia, o que a priori abre excelentes perspectivas para a sua transição.

Embora tenha perdido algumas unidades nucleares, que optaram por outros emblemas, o Atlético Muçulmano de forma alguma se rebaixa e promete uma carreira ao mesmo nível do ano transacto. Para o embate com o Malanti Chiefs, a turma moçambicana procurará, nesta primeira mão, explorar ao máximo o facto de actuar no seu terreno e perante os seus adeptos. Aliás, Salvado, depois de ter ido espiar o adversário, é de opinião que o Atlético reúne grandes possibilidades de ganhar a eliminatória, sendo importante que os seus atletas não se inibam face a uma prova continental.

Apurados semifinalistas do CAN júnior

AS equipas de futebol de Sub-20 da Nigéria e da África do Sul júnior qualificaram-se domingo para as meias-finais do Campeonato Africano das Nações (CAN) da categoria que decorre no Ruanda

A Nigéria venceu a Costa do Marfim, em Kigali, por 3-0, e terminou líder do grupo B.

A África do Sul classificou-se na segunda posição do grupo apesar da derrota diante do Egipto, por 1-2.

As meias-finais, que serão disputadas amanhã, vão opor o Gana, primeiro do grupo A, à África do Sul, e a Nigéria aos Camarões, segundos do grupo A.

Elenco de Caldeira promete trabalho árduo


JOÃO Luís Caldeira, presidente da Federação Moçambicana de Boxe, prometeu ontem, em Maputo, no acto da tomada de posse do seu elenco, muito trabalho de modo a revestir a modalidade de todas as peças necessárias para que volte a merecer destaque no país.


A promessa foi feita na presença do Vice-Ministro da Juventude e Desportos, Dr. Cazé, que se fazia acompanhar do respectivo Director Nacional do Desporto, Inácio Bernardo, entre outros convidados da família desta modalidade. 


Na sua locução, Caldeira disse ser desejo do seu elenco ter um centro de estágio próprio para a preparação da selecção nacional, assim como uma gestão transparente e responsável dos fundos, entre outros projectos em manga que permitam o desenvolvimento da “nobre arte”.

Por seu turno, o Vice-Ministro da Juventude e Desportos afirmou que a sua instituição vai garantir o apoio necessário ao elenco ora empossado de modo que a modalidade consiga reconquistar o seu espaço na região e não só.

Chamou a atenção para que a Federação Moçambicana de Boxe trabalhe no sentido de se fazer representar nos órgãos internacionais, em especial na região, nas áreas de arbitragem.

A cerimónia de ontem foi manchada pela chegada tardia dos membros da direcção de João Luís Caldeira. Aliás, muitos deles nem foram a tempo de tomar posse, devendo-o fazer oportunamente.

Porém, Sinóia, um dos atrasados, foi o único a quem foi permitido tomar posse, por se considerar que é o símbolo do boxe moçambicano.

Eis o novo elenco: 

Assembleia-geral

Presidente: Danilo Jossubo

Vice-presidente: Hélder Mangujo

Relator: Casimiro Chachuio

Conselho Fiscal

Presidente: Leonildo Banze

Vice-presidente: Fernando Macombo

Relator: Albertina Buque

Direcção Executiva

Presidente: João Luís Caldeira

1º vice-presidente: Martins Rafael

2º presidente: Namoto Chipande

3º vice-presidente: Hélio Nhancale

Departamento Técnico e Alta Competição 

Presidente: António Paulo Mondlane

Vice-presidente: António Hélio

Relator: Lucas Sinóia

Regras e Arbitragem

Presidente: Filipe Limónio

Vice-presidente: Adão Chitache

Relator: Júlio Funjua.

Conselho Jurisdicional //

Presidente: Bartolomeu Paulo

Vice-presidente: Lucas Sinóia

Relator: Alexandre Viegas

Conhecidos campeões provinciais do Bebec

À EXCEPÇÃO de Nampula, que só conhecerá o vencedor da presente edição do Torneio de Futebol Infanto-Juvenil, Bebec, a 3 de Fevereiro próximo, as províncias de Maputo, Sofala e Zambézia apuraram no último fim-de-semana os respectivos campeões, à semelhança das cidades de Maputo e Matola.


O detentor do título, em Maputo-província, é o distrito de Marracuene, que derrotou Infulene, representante da Matola, por 3-0, na final realizada sábado. Este é o segundo título consecutivo conquistado por Marracuene, mas continua longe dos patamares do Infulene, que detém o maior número de troféus.


Enquanto isso, Ressano Garcia, representante do distrito da Moamba, venceu Xinavane, representante do distrito da Manhiça, por 4-0, para o apuramento do terceiro lugar.

Na Zambézia, concretamente na cidade de Quelimenae, 1º de Maio B ergueu a taça de campeão, derrotando Muthosane, por 1-0. O terceiro lugar coube ao 1º de Maio A, que venceu Coalane B, por 5-3, na marcação de grandes penalidades, depois do empate a um golo no fim do tempo regulamentar e prolongamento. 

Em femininos, 25 de Setembro revalidou o título batendo Acordos de Lusaka, por 2-1, vitória conseguida no prolongamento, depois do 1-1 no final dos 50 minutos regulamentares. Por seu turno, 3 de Fevereiro obteve o terceiro lugar, ao derrotar Brandão, também por 2-1.

Por último, na província de Sofala, concretamente na cidade da Beira, o título masculino caiu nas mãos do bairro de Chingussura, que superou Chota (1-0), tornando-se campeão pela terceira vez consecutiva. A terceira melhor equipa masculina do Bebec, na Beira, é Ponta Gêa, que triunfou no encontro com Nhaconjo, por 1-0. 

Em femininos, Ponta Gêa tornou-se campeã pela quarta vez consecutiva, ao vencer Nhaconjo, também por 1-0. O terceiro lugar pertenceu a Munhava Central, que bateu Chingussura por 4-3 na marcação de grandes penalidades, após o nulo no fim do tempo regulamentar e prolongamento. 

NDLAVELA E T3 DESTACAM-SE

O bairro de Ndlavela, na cidade da Matola, conquistou a prova masculina da presente edição com a suada vitória sobre o T3 (5-3) na marcação de grandes penalidades, depois do nulo ao fim dos 50 minutos regulamentares e no prolongamento. O bairro Trevo salvou a honra, conseguindo o precioso terceiro lugar, depois de uma também sofrida vitória diante da equipa do bairro da Liberdade.

Enquanto Ndlavela se sobrepunha a T3, em masculinos, acontecia o contrário em masculinos. T3 venceu à tangente a Ndlavela (1-0), conquistando o respectivo troféu. O terceiro lugar pertenceu ao Fomento, que também venceu dificilmente Matola F, por 4-3.

De salientar que Zimpeto e Hulene sagraram-se campeões em masculinos e femininos da cidade Maputo, tendo para o efeito vencido, sábado, Urbanização (1-0) e 25 de Junho (2-0), respectivamente.

Em jogo de pré-temporada na África do Sul: Desportivo vence 1º de Agosto (2-1)


COM o objectivo central de apagar a pálida imagem que construiu na temporada passada, o Desportivo de Maputo começou da melhor maneira o seu estágio pré-competitivo na vizinha República da África do Sul, ao vencer o 1º de Agosto de Angola, no primeiro dos quatro jogos previstos até a próxima sexta-feira, dia em que termina a sua presença na terra do rand.


O jogo entre alvi-negros e militares teve lugar num dos campos do Centro de Alto-Rendimento da Universidade de Pretória, capital política do país que em 2010 vai tornar-se no primeiro de África a acolher o Campeonato do Mundo de Futebol. 


Diante dos vice-campeões angolanos e que no próximo sábado jogam em Luanda frente ao Renascense da República do Congo-Brazaville, para a primeira “mão” da pré-eliminatória de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos, a equipa moçambicana criou muitas oportunidades de golo, esteve bem em algumas situações de abordagem ofensiva e alcançou um resultado satisfatório.

Foram boas as indicações deixadas pelo Desportivo que em 2009 procura fazer melhor que o nono lugar registado no Mocambola-2008 e ir longe na Taça de Moçambique. 

Ao intervalo, registava-se uma igualdade sem abertura de contagem.

No entanto, durante a primeira parte, pertenceu ao Desportivo a primeira grande oportunidade de golo. À entrada do segundo quarto de hora do jogo, Isac, que jogou a médio direito, ficou na cara do golo, mas depois não teve destreza suficiente para escolher o melhor ângulo para rematar, acabando por chutar ao lado. 

Mas melhor preparado e com mais semanas de trabalho, visto que já está a cumprir a sua pré-época desde Dezembro, a equipa militar de Angola, mormente treinada pelo nosso bem conhecido técnico russo Vitor Bondarenko, assumiu o jogo e passou a pressionar o último reduto alvi-negro.

Foi então que por duas vezes, o guarda-redes Jaimito teve que se aplicar a fundo para evitar o golo do 1º de Agosto que, entretanto, não utilizou Love Cabungula, o seu goleador-mor e melhor jogador do Girabola-2008, segundo a eleição feita pelas autoridades desportivas do país irmão. 

No último Campeonato Nacional da I Divisão de Angola, Love Cabungula marcou 15 golos, menos cinco que Santana, avançado que depois de ajudar o Petro Atlético de Luanda a conquistar o Girabola, transferiu-se há pouco e na sequência da reabertura do mercado para o Vitória de Guimarães, formação que actua da I Divisão de Portugal.

A não utilização de Love Cabungula, ao que apurámos, ficou a dever-se ao facto de Vitor Bondarenko ter dividido a equipa em duas partes, de forma a que os que não fossem utilizados diante do Desportivo jogassem, já no período da tarde, frente ao Super Sport United, campeão sul-africano que tem no internacional moçambicano Dominguez uma das suas principais referências. 

TRÊS GOLOS NA SEGUNDA PARTE

Já na segunda parte, o Desportivo, que entretanto e até então havia feito qualquer tipo de substituição, viria a chegar ao primeiro golo aos 54 minutos, na sequência de um pontapé de canto cobrado por Josué pela direita.

Livre de marcação e dentro da grande área e de costas para a baliza militar, Mexer recebeu de Josué e tocou de calcanhar e com a bola a fazer um arco que surpreendeu o guarda-redes angolano e a anichar-se no fundo das suas malhas. 

Galvanizado pelo golo e já com o avançado Binó em campo, que entrou para o lugar de Lalá, que dos juniores procura um lugar na equipa principal, o Desportivo podia ter chegado aos dois-a-zero.

Em mais uma cobrança de pontapé de canto e sempre pela esquerda, Josué levantou à meia-altura e com intensidade, com a bola a sobrevoar a área angolana. 

Nesta jogada, Binó perdeu o timing de encostar a cabeça e facturar.

Aos 63 minutos, o D`Agosto chegou ao empate na sequência de uma descida rápida pela direita e em que Maninho foi batido por um contrário que viria a centrar baixo para o dianteiro Tuábi tabelar com o pé direito e bater Jaimito. 

Quem terá gostado do oportunismo de Tuábi foi o nosso bem conhecido Vitor Bondarenko, visto que o jogador está em processo de transferência, ido do Desportivo da Huíla.

O golo da vitória dos alvi-negros aconteceu aos 72 minutos, novamente na sequência de um canto cobrado por Josué, mas desta feita pela direita e em que a defesa do 1º de Agosto foi batida com facilidade, na medida em que falhou na marcação a Nelson que vendo-se com o guarda-redes adversário pela frente, remata forte e com a bola a passar por baixo do corpo deste e anichar-se no fundo das suas malhas. 

Depois de muitas substituições, principalmente do lado moçambicano visto que do banco saíram para o campo seis jogadores, todos na segunda parte, o jogo oscilou qualitativamente, mas sem que tivesse chegado ao fim com a vontade do Desportivo em assegurar a vantagem no marcador e com o 1º de Agosto a querer chegar, pelo menos, ao golo de igualdade.

Às 10.00 horas de hoje, os alvi-negros defrontam o Wits University, formação da Premier League sul-africana. 

Na quarta e quinta-feira, a equipa de Artur Semedo fará jogos de controlo diante do Jomo Cosmos e Inter de Luanda, respectivamente da África do Sul e Angola.

A equipa regressa sexta-feira ao país.

Ontem foram utilizados os seguintes jogadores: Jaimito, Josué, Maninho (Julinho), Zainadine Jr., Mexer, Isac (Secanhe), Muandro (Mayunda), Nelinho, Nelson (Tchitcho), Lalá (Binó) e Aníbal (Bito). 

NARCISO NHACILA, em Joanesburgo

Afrobásquete Líbia-2009: Apuramento zonal no horizonte da selecção


TENDO como horizonte o apuramento zonal para o Campeonato Africano de Basquetebol de Seniores Masculinos Líbia-2009, a Selecção Nacional inicia hoje o seu ciclo de preparação, com a concentração dos 15 atletas convocados nopavilhão do Estrela Vermelha, pelas 18.00 horas.


Com uma equipa praticamente renovada, comparativamente às edições anteriores, a selecção vai enfrentar uma qualificação zonal sempre incómoda, devido à presença da África do Sul, que nos dois últimos apuramentos se superiorizou a Moçambique, a primeira vez em Maputo e a segunda em Harare.


A partir dessa altura, criou-se uma grande rivalidade entre as duas formações, ao mesmo tempo que outros países, nomeadamente Zimbabwe e Zâmbia, começam a entrar na estrada da luta pela qualificação. A prova zonal ainda não tem data e local de realização definidos, mas sabe-se que deverá acontecer ao longo deste primeiro trimestre.

Os atletas convocados são os seguintes: Gerson Novela, André Velasco (bases), Fernando Manjate, Luís Barros, Sílvio Letela (extremos-base), Jerónimo Bispo, David Canivete Jr., Siade Cossa, Samir Adam (extremos), Octávio Magoliço, Stélio Nuaila (extremos-poste), Custódio Muchate, Sete Muianga, Ivan Macome e Edson Mondlane.

Nigéria: Acidente de viação mata 15 jogadores


QUINZE jogadores de uma equipa de futebol da Nigéria morreram domingo a caminho de Abuja, capital do país, onde iam realizar um jogo.



Segundo fontes da Liga de futebol nigeriana, o autocarro que transportava o elenco do Jimeta, do estado de Adamawa, sofreu um acidente no trajecto entre a cidade de Jos, onde passara a noite, e Abuja.

Foram confirmadas as 15 mortes, mas não se sabe o estado dos restantes passageiros. O acidente ocorre um mês depois de nove jogadoras de uma equipa feminina e dois treinadores terem morrido da mesma forma.

Recentemente, a equipa do Brasil de Pelotas também perdeu dois jogadores - um deles o uruguaio Claudio Millar, maior artilheiro do clube - e o treinador dos guarda-redes nas vésperas da estreia do Campeonato Gaúcho. Boa parte do elenco ainda está sob cuidados médico.

ACONTECEU na Croácia com o internacional Dino Drpic. Contou a namorada do jogador, Nives Celsius, num programa de televisão, que o jogador sempre teve a fantasia de fazer sexo no centro do relvado do Maksimir Stadium, em Zagreb. Encheu-se de coragem e realizou mesmo a fantasia


Dino conseguiu arranjar com que os funcionários do estádio ligassem as luzes para podermos ver o que estávamos a fazer e ele pôde cumprir o sonho de fazer sexo no meio de um relvado. Foi uma coisa muito atrevida, contou Nives Celsius durante a promoção do livro A verdade nua.


Ora, por causa desta história, o Dínamo Zagreb, dono do Maksimir Stadium, já colocou o jogador na lista de transferências, recusando também comentar o episódio. Dino Drpic terá agora, segundo se escreve em Inglaterra, a cobiça do Tottenham, onde jogam os croatas Modric e Corluka.

Esta não é a primeira vez que o casal Dino Drpic/Nives Celsius é notícia por razões que não têm nada a ver com o futebol. No último Verão o casal foi notícia quando um grupo de turistas lhe tentou tirar das mãos o filho, de cabelos loiros e compridos, por o ter confundido com Madeleine McCann, na ilha de Krk.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Zimpeto e Hulene saboreiam primeiros títulos no Bebec



AS equipas dos bairros do Zimpeto e do Hulene, respectivamente dos Distritos Municipais 5 e 3, conquistaram, pela primeira vez, as provas masculina e feminina na XX edição do Torneio de Futebol Infanto-Juvenil, vulgo Bebec, na cidade de Maputo, ao vencerem as finais de sábado, no campo do Desportivo.

A equipe do bairro do Zimpeto do Distritos Municipais 5 , conquistou, pela primeira vez, a prova masculina na XX edição do Torneio de Futebol Infanto-Juvenil, vulgo Bebec
O conjunto do Zimpeto derrotou Urbanização à tangente (1-0), golo conseguido no decurso do segundo tempo, enquanto Hulene destronava 25 de Junho por 2-0, tentos obtidos no primeiro e segundo períodos do jogo.

Zimpeto, que eliminou Luís Cabral nas meias-finais, vencendo-o igualmente por 1-0, foi acompanhado pela sorte durante o seu percurso, tendo conseguido o apuramento como segundo classificado da série “B”, ganha por Inhagóia. Esta equipa, que era tida como uma das fortes concorrentes ao título, com um percurso brilhante na fase de grupos, viu o seu sonho desfeito nas meias-finais, ao ser eliminada na lotaria das grandes penalidades pela Urbanização por 9-8, ao fim de duas séries, após empate sem abertura de contagem.

Urbanização, que por sua vez se destacou como líder da série “C”, graças à qualidade do futebol por si exibido ao longo dos nove jogos correspondentes a esta derradeira fase, acabou consentindo uma derrota, ao não conseguir tirar proveito das ocasiões que criou e perdeu a oportunidade de fazer história, visto que foi a primeira vez que apareceu numa final.

Contudo, Inhagóia acabou sendo honrado pelo terceiro lugar, ao vencer, no período da manhã, Luís Cabral por 1-0. De salientar que Luís Cabra liderou a série “A” e foi acompanhada para a fase de eliminatórias pelo Chamanculo, segundo apurado do grupo.

Por sua vez, Hulene, que se destacou na série “C”, à semelhança do seu adversário na final, 25 de Junho, que liderou a série “A”, quebrou as expectativas em relação ao seu oponente, que já contava com o terceiro título consecutivo. Aliás, o sucesso do Hulene pode ser justificado pela força de vontade, alimentada pelo desejo de chegar ao título que vem sendo adiado há alguns anos, sendo que não é a primeira vez que aquele bairro chegava a uma final.

Hulene deu provas de que estava decidido em chegar mais longe, depois de afastar Polana Caniço, nas meias-finais, por 2-1, seu principal rival na série que integrou. Aliás, a vitória acabou justificando a sua superioridade sobre Polana Caniço que, mesmo assim, conseguiu salvar a honra com a vitória frente à Munhuana por 4-3, na marcação de grandes penalidades, após o nulo no tempo regulamentar e no prolongamento do jogo de apuramento do terceiro classificado.

SALVADOR NHANTUMBO

INHAGÓIA E MAVALANE EQUIPAS “FAIR PLAY”

A Comissão Técnica do Bebec decidiu atribuir o Prémio “Fair Play” a Inhagóia, em masculinos, e Mavalane, em femininos. Para além de ser a equipa mais disciplinada, Inhagóia foi o conjunto que mais claque teve, enquanto Mavalane é uma das formações emergentes no torneio e que apareceu pela primeira vez na fase final. Pelo facto, as duas turmas troféus.

A premiação, desta vez, não foi diferenciada. Zimpeto, Urbanização e Inhagóia receberam também taças, sendo as três melhores equipas em masculinos. Mesma sorte coube a Hulene, 25 de Junho e Polana Caniço, em femininos.

A mesma premiação coube igualmente ao trio de arbitragem, liderado por um dos juízes de categoria nacional, Samuel Chirindza. Este árbitro, que tem trabalhado no Moçambola, foi coadjuvado por Ilídio Cristo, da primeira categoria ao nível da cidade de Maputo.

3 FEVEREIRO E URBANIZAÇÃO COM OS MELHORES ATLETAS

As equipas dos bairros 3 de Fevereiro e Urbanização são as que trouxeram, a nível da premiação individual mais alta, os melhores atletas em masculinos. Trata-se de Rui Joaquim e de Tomás Massafe, que se sagraram melhores jogador e marcador, respectivamente. Enquanto Rui Joaquim foi o jogador que mais se empenhou em campo, vestindo a camisola do 3 de Fevereiro, Tomás Massafe marcou 11 golos pela Urbanização, nos nove jogos que comportaram a fase final.

Em femininos, a sorte coube às formações dos bairros da Munhuana e da Malhangalene. Deolinda da Cruz foi a melhor jogadora pelo Munhuana, enquanto Lúcia Jemusse foi a atleta que mais golos obteve na derradeira fase, marcando sete em igual número de jogos, sendo que a sua equipa (Malhangalene) foi afastada nos quartos-de-final.

Por seu turno, Inhagóia e Hulene destacaram-se no prémio para os melhores guarda-redes, respectivamente através dos atletas Álvaro Emerson e Elina Langa.

Álvaro Emerson sofreu dois golos em nove jogos, colocando Inhagóia como a equipa menos batida. Aliás, ele ficou igualado a Mário Paulino, do Zimpeto, que sofreu o mesmo número de golos em igual número de jogos, mas levou vantagem em função da idade: tem 11 anos, enquanto o seu rival conta com 12. Já Elina Langa sofreu três tentos em nove jogos.

De salientar que as partidas da final foram testemunhadas pelo Vice-Ministro da Juventude e Desportos, Carlos Sousa, e por Marcelino dos Santos, figura emblemática e histórica de Moçambique.

Torneio de Futebol “O Treinador”: Maxaquene e Maqui na final


SERÁ uma final internacional, a acontecer no próximo dia 3 de Fevereiro, Feriado Nacional.

Torneio de Futebol “O Treinador”: Maxaquene e Maqui na final
Maxaquene, de Moçambique, e Bravos do Maquis, de Angola, serão os protagonistas desse embate que encerrará o Torneio de Futebol “O Treinador”, que se realiza por ocasião do primeiro aniversário da Associação dos Treinadores de Futebol do nosso país. Ontem à tarde, no relvado dos “canarinhos”, no epílogo da primeira fase da competição, o Maxaquene derrotou o Costa do Sol por duas sem resposta, mesmo ao apagar das luzes, com tentos apontados por Liberty e Kito I, enquanto o Bravos do Maquis levou de vencida o Ferroviário por 1-0, golo da autoria de Castro.

Num começo de época praticamente revolucionário, com os clubes a preocuparem-se sobremaneira com a preparação das suas formações, tendo, inclusive, efectuado estágios no estrangeiro, o torneio promovido pelos treinadores, apesar de ter sido disputado ao ritmo verdadeiramente de início da estação, foi uma prova que veio proporcionar a competitividade necessária às equipas, quando estamos, por exemplo, em relação ao Ferroviário e ao Atlético Muçulmano, a uma semana das Afrotaças.

A presença dos angolanos do Bravos do Maquis trouxe também uma experiência estrangeira sempre importante para aferição das potencialidades dos jogadores.

CRENÇA “TRICOLOR”

Não esteve muito público no campo dos “canarinhos”, mas gente suficiente para se emocionar com o desenrolar dos acontecimentos nas quatro linhas, numa partida que revelou um Maxaquene crente e sempre crente até ao derradeiro apito do árbitro, e um Costa do Sol de certo modo a jogar longe do alvo e por essa razão com diminutas possibilidades de chegar ao golo. Aliás, pela banda “tricolor”, o seu acreditar até ao fim viria a proporcionar-lhe os dois golos do triunfo, o primeiro fortuito, na ressaca de um lance aparentemente inofensivo, e o segundo na embalagem rumo a uma vitória merecida.

Sem a espectacularidade que sempre espera quando se encontram estas duas grandes formações do nosso futebol, o desafio foi valendo por uma e outra jogada de perigo, a quebrar alguma monotonia e o receio mútuo que ia adiando o golo. Mas quem desfrutou de mais oportunidades foi o Maxaquene, com melhor circulação de bola e tentativas de desmarcação que colocavam os seus atacantes próximos da baliza à guarda de Antoninho.

O Costa do Sol quis se mostrar como equipa já no segundo período da contenda, no entanto, o facto de jogadores como Dito, Tó, Samito – promete ser uma grande revelação – e Elfídio terem sido substituídos retraiu a sua intenção de passar ao controlo dos cordelinhos do jogo. Os golos da vitória “tricolor” surgiram numa altura em que “todo o mundo” estava convencido de que o nulo iria prevalecer.

Mateus Infante levou a cabo uma arbitragem também de início da época, com alguns equívocos que não se coadunam com um juiz da sua estirpe.

FICHA DO JOGO

Árbitro: Mateus Infante, coadjuvado por Célio Mugabe e Baptista Macamo.

Quarto árbitro: Felisberto José

MAXAQUENE – Soarito; Nito, Kiki, Farias e Campira; Vovote (Liberty), Mustafá, Jumisse (Eusébio) e Macamito (Kito I); Eurico (Hélder Cuinica) e Steven (Hélder Pelembe)

COSTA DO SOL – Antoninho; Vasil, Cufa, Nhabanga e Payó; Samito (Hilário), Artur, Dito (Jonas) e Silvério (Júnior); Elfídio (Marrufo) e Tó (Félix)

Acção disciplinar: cartão amarelo para Jumisse e Farias
Golos: 1-0, Liberty (91 min.); 2-0, Kito I (93 min.)
Quadro de resultados

1ª jornada (sexta-feira)

Desportivo, 0-Bravos de Maqui, 0

Atlético Muçulmano, 0-Maxaquene, 0

2ª jornada (sábado)

Ferroviário, 3-Desportivo, 2

Atlético Muçulmano, 0-Costa do Sol, 0

3ª jornada (domingo)

Ferroviário, 0-Bravos de Maqui, 1

Maxaquene, 2-Costa do Sol, 0

Vencedores dos grupos: Bravos de Maqui (“A”) e Maxaquene (“B”)

Campeonato Nacional de Natação de Verão: Golfinhos resgata hegemonia



O CLUBE Golfinhos de Maputo resgatou ontem a hegemonia na natação nacional, conquistando mais uma vez o Campeonato de Verão, na piscina Raimundo Franisse. Trata-se do quinto título a cair nas mãos do clube, tendo para o efeito destronado o Ferroviário.

O CLUBE Golfinhos de Maputo resgatou ontem a hegemonia na natação naciona
A vitória do Golfinhos não foi nada fácil. Aliás, só conseguiu tirar vantagem sobre os “locomotivas” graças à grande margem conseguida em femininos, em que amealhou 41 pontos, contra 20 da equipa verde-e-branca. O Ferroviário destacou-se em masculinos, com 35 pontos, mais um que Golfinhos, mas não suficientes para superar o adversário na contagem geral, que reuniu 75 pontos contra 55 do grande adversário.

Nota de realce vai para o Ferroviário da Beira, que conseguiu, com muito esforço, chegar pela primeira vez ao terceiro lugar, que tradicionalmente pertence ao Desportivo. A subida dos beirenses deveu-se à extraordinária contribuição de Nuno Gomes, do escalão infantil, que foi o maior recordista do torneio, com nove máximos, contra um de Érico Cuna, do Golfinhos.

Os “locomotivas” da Beira somaram 33 pontos, 18 em masculinos e 15 em femininos. A seguir, desfilaram os Clubes Desportivo Tubarões do Maputo, Desportivo e Náutico da Beira.

Os “locomotivas” beirenses acabaram quebrando as expectativas que haviam sido desenhadas com o aparecimento dos Tubarões no terceiro lugar no Campeonato da Cidade de Maputo, afastando o Desportivo daquele lugar. Porém, a nova colectividade esteve longe das suas capacidades.

Em estafetas, foram batidos três recordes, sendo dois do Ferroviário da Beira e outro do seu homónimo de Maputo.

MAIS TÍTULOS INDIVIDUAIS

Atletas em mergulho à procura de mais recordes (A. Marrengula)

A grandeza do Golfinhos também foi notável a nível de categoria. O campeão esteve mais vezes no pódio do que os seus mais directos perseguidores. Esteve, em masculinos, em pré-iniciados e seniores, respectivamente através dos nadadores Érico Cuna e Ivo Chilaúle. Em femininos, esteve igualmente duas vezes, nas categorias de pré-iniciados e juniores, por Leila Taquidir e Géssica Stagno.

Por seu turno, o Ferroviário de Maputo destacou-se três vezes a nível de escalões, duas das quais em masculinos, nomeadamente em juvenis e juniores, através de Edson Coroa e Valdo Lourenço. A nadadora Raquel Lourenço impôs-se em juvenis femininos.

Enquanto isso, Ferroviário da Beira e Tubarões de Maputo notabilizaram por duas vezes a nível de categoria. Os beirenses estiveram em evidência em infantis masculinos e iniciados femininos, através dos atletas Nuno Gomes e Melina Here, enquanto os Tubarões faziam o mesmo em iniciados masculinos e infantis femininos, pelos irmãos Allan e Jannat Bique.

Nuno Gomes: o “papa-recordes”




NUNO Gomes mereceu o maior destaque neste Campeonato Nacional de Natação de Verão
Nuno esteve na dianteira na maior parte das provas em que participou, totalizando nove recordes, contra apenas um de Érico Cuna, do Golfinhos.

O jovem talento, que acabou criando curiosidade nos que acompanharam o “Nacional” pela sua brilhante exibição, entrou assim na história, depois da extraordinária actuação no Campeonato Regional realizado recentemente na vizinha África do Sul, em que obteve oito medalhas de ouro, o mesmo número de vezes em que esteve no pódio das respectivas provas.

Nuno Gomes fixou novos tempos nas provas de 50, 100, 200, 400 e 800 metros livres, 100 e 200 estilos, 100 e 200 mariposa, enquanto Érico Cuna registava o único recorde nos 50 metros costas.

A nível colectivo, o Ferroviário da Beira bateu recordes nos 4x100 metros livres, em infantis masculinos e femininos, enquanto o seu homónimo de Maputo fixava apenas um na mesma prova, mas em juvenis.

Beckham estreia-se a marcar pelo Milan

DIA de festa para o AC Milan. Para além do saboroso triunfo frente ao Bolonha, por 4-1, para a Série “A” italiana, os adeptos milaneses viram ainda o primeiro golo de David Beckham com a camisola rossonera e um “bis” do cada vez mais amado Kaká.

Beckham estreia-se a marcar pelo Milan
Com um onze titular composto por Abbiati, Zambrotta, Senderos, Maldini, Favalli, Beckham, Pirlo, Ambrosini, Kaká, Seedorf e Pato, o treinador Carlo Ancelotti viu logo aos 9 minutos o Bolonha colocar-se em vantagem, com um penalte certeiro de Di Vaio. Festa dos adeptos da casa e dor de cabeça para o técnico, que a seu lado no banco de suplentes tinha Dida, Antonini, Darmian, Flamini, Ronaldinho, Inzaghi e Shevchenko.

Contudo, o maior poderio físico do AC Milan teve resultados visíveis aos 13 minutos, quando o holandês Seedorf mostrou que ainda tem o fulgor de outros tempos e igualou a contenda. Aos 17, foi a vez do brasileiro Kaká bater uma grande penalidade e colocar a sua equipa em vantagem.

Ainda antes do intervalo, aos 43, a consagração absoluta do canarinho, que assinou o 3-1 para o emblema do seu coração. Isto depois de uma longa semana em que o interesse do Manchester City fez muitos temerem o “adeus” de Kaká a San Siro.

Ficou decidido quem levaria os três pontos para casa (até porque Mudingayi foi expulso), mas houve mais festa na segunda parte, com a estreia do inglês David Beckham a facturar pelo AC Milan. Foi aos 60 minutos de jogo. Passe certeiro de Seedorf a abrir na direita e remate colocado do médio, que celebrou muito junto dos companheiros.

Melhor Jogador do Mundo: Ronaldo venceu o prémio por causa do seu “glamour” - diz o técnico Guus Hiddink, que prefere Steven Gerrard

O TÉCNICO holandês Guus Hiddink, actual seleccionador da Rússia, não tem dúvidas de que Cristiano Ronaldo só venceu o troféu de Melhor Jogador do Mundo por causa da sua boa aparência.

TÉCNICO holandês Guus Hiddink, actual seleccionador da Rússia
“Ronaldo é um jogador bonito, que está em boa forma e... sim, o seu cabelo está sempre no lugar. Mas ele venceu o prémio por causa do seu glamour’”, afirmou Hiddink.

O holandês, que foi um dos candidatos ao cargo de seleccionador de Inglaterra, revelou a quem entregaria o troféu FIFA World Player: “Prefiro muito mais Steven Gerrard, pois tem uma técnica soberba e grandes qualidades tácticas. Admiro o seu espírito e atitude dentro de campo”.

“Não existe outro jogador no mundo que combine estas qualidades. Gerrard é um tipo de jogador que me diz muito mais do que Cristiano”, acrescentou.

"É claro que Ronaldo entretém o público e tem grandes habilidades. Mas é demasiado ‘glamour’ e espectáculo. Gerrard, Xavi e Lionel Messi não se concentram tanto neles próprios. Concentram-se na equipa”, concluiu Hiddink, criticando o internacional português.

“Mundial” de 2018: Rússia favorita à organização

O PRESIDENTE da Federação Russa de Futebol, Vitali Mutko, acredita que a Inglaterra, apontada por Portugal e Espanha como a mais forte concorrente da candidatura ibérica, poderá estar fora da corrida por já ter acolhido uma edição do “Mundial”, em 1966.

PRESIDENTE da Federação Russa de Futebol, Vitali Mutko
“A nossa vitória é uma possibilidade real. A Inglaterra já acolheu um “Mundial” e a Rússia goza de uma enorme autoridade. Quando damos garantias, cumprimos”, assegurou o presidente.

Na mesma entrevista, Vitali Mutko apresentou os vários projectos para a construção de novos estádios como a prova real que a candidatura russa “tem conteúdo e projectos reais”. “Está praticamente a iniciar-se a construção de um estádio em Kazan para as Universíadas de 2013. Já chegámos também a um acordo para começar a construir o Estádio Olímpico de Sochi, sede dos Jogos de Inverno de 2014”, salientou o dirigente russo.

Para São Petersburgo, a segunda cidade russa, Mutko acredita que são necessários mais cinco ou seis estádios, embora, de momento, estejam em fase de conclusão os projectos para dois novos recintos: Yaroslavl e Krasondar.

Tal como sucede com as candidaturas de Portugal/Espanha e Inglaterra, apontadas entre as mais fortes candidatas europeias aos “Mundiais” de 2018 ou 2022 (a FIFA escolherá as duas sedes em Dezembro de 2010), também a Rússia não tem ainda uma lista definida de estádios para incluir na candidatura.

Para poderem entrar na corrida, todos os interessados terão de incluir 12 estádios no dossier, todos eles com uma capacidade igual ou superior a 40.000 lugares. Para os jogos de abertura e final, a lotação terá de ser de 80.000 cadeiras, segundo os requisitos iniciais exigidos pela FIFA.

A Inglaterra tem precisamente 12 estádios com capacidade igual ou superior a 40.000 cadeiras, mas se for respeitada uma “tradição” de 17 das 18 edições (o máximo de dois estádios por cidade), a oferta reduz-se a 10, já que quatro deles estão sediados em Londres, sendo um dedicado exclusivamente ao râguebi (Twickenham).

Por seu turno, a candidatura Ibérica conta também, neste momento, 12 estádios que respeitam a exigência mínima de 40.000 espectadores, três deles em Portugal: Luz, Alvalade e Dragão.

Entre este lote de 12, existe apenas com um constrangimento, pois três deles estão em Sevilha: La Cartuja (72.000), Ruiz de Lopera (55.500) e Sanchez Pizuan (45.000).

Nas 18 edições já disputadas é apenas encontrado um exemplo de mais de dois estádios por cidade. Ocorreu precisamente na edição inaugural, em 1930, organizada pelo Uruguai e concentrada em três recintos em Montevideo (Centenário, Pocitos e Parque Central).

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Desportivo prepara ataque ao título na África do Sul

DEPOIS do Ferroviário de Maputo e Liga Muçulmana, o Desportivo segue domingo para África do Sul, onde vai cumprir um estágio pré-competitivo de cinco dias, período durante o qual realizará jogos com equipas sul-africanas e angolanas.

Artur Semedo treinador do Desportivo do Maputo
Com efeito, a equipa “alvi-negra” deixa Maputo na manhã de domingo com destino a Joanesburgo, para na segunda-feira realizar o seu primeiro ensaio diante do 1º de Agosto, vice-campeão de Angola que esta época é orientado pelo nosso conhecido Víktor Bondarenko, que substituiu o português Victor Manuel depois de falhar o título.

Na terça-feira, a equipa de Artur Semedo jogará com o Wits University da “Premier Soccer League”, o campeonato sul-africano, para no dia seguinte treinar com o Jomo Cosmos, igualmente participante do campeonato principal daquele país.

O quarto jogo do Desportivo em terras sul-africanas será contra outra equipa angolana, o Inter de Luanda, que também se encontra na África do Sul a cumprir um estágio em preparação do “Girabola” 2009.

Tomás Inguane, membro da Direcção do Desportivo, disse ontem que a administração do clube está a criar condições para a equipa sénior realizar um mínimo de 10 jogos de preparação antes do arranque do “Moçambola” 2009.

Segundo o técnico principal do Desportivo, Artur Semedo, os cinco desafios permitirão avaliar a qualidade dos jogadores à sua disposição há três semanas, de forma que no regresso a Maputo possa definir os dispensados.

Em princípio, seguirão para África do Sul 28 jogadores, entre os quais alguns reforços oriundos doutros clubes e três jovens que este ano ascenderam à equipa principal, nomeadamente Lálá, Henriques e Sataca.

Semedo explicou ontem a jornalistas que o que pretende nos jogos previstos durante o estágio é potenciar a qualidade dos jogadores e o modelo de jogo que deseja ver a equipa desbobinar ao longo da época.

“Ainda estamos em período preparatório que só vai terminar quando estivermos para iniciar o nosso campeonato. Nós já vamos ter jogos, mas do ponto de vista metodológico ainda não estamos no período pré-competitivo. São jogos para avaliarmos a capacidade de aprendizagem que os jogadores vão tendo ao longo destas três semanas. Este é um período de aquisição dos pressupostos do nosso modelo do jogo”, fundamentou o treinador.

Artur Semedo ajuntou que juntamente com os seus colegas ainda não seleccionaram os jogadores a dispensar, devendo anunciar o plantel definitivo do Desportivo para a época 2009 logo que regressarem da África do Sul próximo fim-de-semana. Defende que tem à disposição jogadores com qualidade para honrarem a grandeza do Desportivo.

“Estou num processo de avaliação e do conhecimento do próprio plantel. Provavelmente daqui a dois ou três meses necessite dum outro tipo de jogadores para determinadas posições. Com o plantel que tenho é possível fazer um trabalho dentro dos objectivos que traçámos. Não vale a pena chorar, é potenciar o que temos para conseguir a melhor equipa possível”, observou.

No entender do técnico, o estágio de cinco dias na África do Sul é importante para a consolidação da equipa, até porque vai realizar jogos com adversários doutros campeonatos com um ritmo relativamente superior aos “alvi-negros”.

Nesta viagem o conjunto moçambicana não se vai preocupar apenas com os resultados, mas sobretudo com os níveis de rendimento e de resposta que a equipa vai apresentar nos cinco jogos.

“Embora estejamos em ritmos diferentes a mim me importa a minha equipa, aquilo que ela é capaz de fazer neste momento para tirar ilações do onze ideal do Desportivo. É uma boa altura para os jogadores aumentarem níveis de rendimento e poderem buscar outras experiências e outros conhecimentos”, defendeu.

Ressalvou ainda que neste seu regresso ao Desportivo não se vai cingir por fazer melhor que o ano passado. Em 2008 o Desportivo, primeiro sob comando técnico de Antero Cambaco e depois de Chiquinho Conde, terminou o “Moçambola” em nono lugar e foi precocemente afastado da Taça de Moçambique, fazendo uma época a todos níveis confrangedora.

“Não quero ficar em oitavo lugar. Vou lutar pelo título, embora saiba das dificuldades que vamos ter. Jamais lutarei pelo segundo lugar. Poderei ficar em segundo ou terceiro em função das dificuldades, mas a minha luta será pelo primeiro lugar”, rematou.

Após regressar da África do Sul a equipa deverá realizar um jogo de preparação no dia 3 de Fevereiro, para entre 7 de Fevereiro e 7 de Março participar na Taça de Honra, competição que movimenta as principais equipas da cidade de Maputo e o Atlético Muçulmano, de Maputo-província.

CUSTÓDIO MUGABE

Campeonato Nacional de Natação de Verão: Batidos nove recordes de categoria

O CAMPEONATO Nacional de Natação de Verão já produziu nove recordes nacionais de categoria, dos quais seis individuais e três colectivos ao fim de três jornadas. Maior destaque continua à volta do nadador do Ferroviário da Beira, Nuno Gomes, que agora contabiliza cinco máximos, dois dos quais conseguidos na jornada em alusão.

Campeonato Nacional de Natação de Verão: Batidos nove recordes de categoria
Nuno Gomes, da categoria de infantis, bateu recordes nas provas de 100 metros estilos e 800 livres, no primeiro dia de competições, 400 metros livres, no segundo, 50 livres e 200 mariposa, no terceiro. O outro recorde pertence a Érico Cuna, pré-iniciado do Golfinhos de Maputo, nos 50 metros costas.

O nadador “locomotiva” é, desta feita, o mais premiado até à terceira jornada ao subir cinco vezes ao pódio da categoria, das quais igualmente fixou novos máximos, enquanto Érico Cuna esteve duas vezes no topo do escalão, uma das quais fruto dum recorde.

Enquanto Nuno Gomes e Érico Cuna são os notáveis a nível individual, torna-se mais evidente que a luta pelo título terá, a nível colectivo, os rivais de sempre, nomeadamente Golfinhos e Ferroviário, ambos de Maputo.

NUNO GOMES VOLTA A BISAR

O atleta Nuno Gomes bisou com novos tempos nos 50 metros livres e 200 mariposa, onde fez 27,21 segundos e 2.34.46 minutos. Os anteriores tempos estavam fixados em 28,15 segundos e 2.59.69 minutos, respectivamente registados em 2008 e 2005. O anterior registo, nos 50 livres, pertencia a ele, enquanto o de 200 mariposa era de Kevin Faftine, ex-Desportivo de Maputo.

Antes de bater estes dois preciosos tempos, o jovem nadador havia melhorado o seu anterior recorde nos 400 metros livres de 5.06.66 minutos para 4.48.19 minutos.

PARTILHA EM ESTAFETAS

Enquanto, a título individual, Nuno Gomes está sozinho na liderança de recordes, regista-se, em estafetas, a partilha de recordes entre o Golfinhos e os Ferroviário de Maputo e da Beira, cada um com um máximo de categoria.

O Golfinhos melhorou o seu anterior recorde, nos 4x50 metros estilos, registado em 2007 em iniciados masculinos, de 2.40.89 metros para 2.39.88 minutos. Por seu turno, o Ferroviário de Maputo quebrou o recorde do Desportivo, também da capital do país, na prova de 4x100 metros estilos em juvenis masculinos. Fixou o novo tempo em 4.14.07, contra os anteriores 4.21.38, conseguidos pelos “alvi-negros” em 2005.

Por último, o Ferroviário da Beira quebrou o recorde nos 4x100 metros livres, com a marca de 4.46.94 minutos, superando os 4.54.73 do Golfinhos, registados em 2008.

Entretanto, a jornada de hoje está reservada a provas de 1500 livres desde o escalão de infantis até ao de seniores, em ambos os sexos.

País conta com associação de gestores desportivos

O PAÍS conta desde quarta-feira com a Associação de Gestores Desportivos - OKHALIHA -, designação que em língua Em/akwa significa “realizar e cuidar”.

Elenco da associação de gestores desportivos
A agremiação, presidida por José Gabriel Dava, terá como principal tarefa cuidar do bem desportivo, criando condições para garantir a qualidade competitiva e segurança nos recintos desportivos.

Com a criação da associação, pretende-se que haja uma intervenção profissionalizada no desporto para dar vitalidade às actividades desportivas.

O presidente da Mesa da Assembleia da agremiação, Rui Tadeu, explicou que a designação “cuidar” enquadra-se na preocupação que os gestores desportivos devem ter em relação ao “assunto desporto”.

Tadeu realçou que o desporto necessita de carinho e cuidado, daí que a associação de que faz parte vai envidar esforços para cuidar e dar segurança às pessoas.

“Vamos cuidar de todos aqueles que nos confiam. O Governo e os agentes económicos já estão a dar passos em apoio ao desenvolvimento desportivo e cabe-nos cuidar de nós e do assunto desportivo”, sublinhou, ajuntando que “temos que ser interventivos e inclusivos”.

GESTÃO DESPORTIVA CIÊNCIA EMERGENTE

Por seu turno, o presidente empossado, José Gabriel Dava, salientou que a gestão desportiva é uma ciência emergente no país, geralmente feita por voluntários, daí que se confundem o dirigente e o gestor desportivo.

“Felizmente já existe este ramo ao nível de ensino para acomodar os interesses desportivos”, comentou Dava, para quem OKHALIA junta-se a outros sistemas desportivos para acomodar e sossegar o público que assiste os jogos, por forma que tenha tudo cuidado e acompanhe tranquilamente o espectáculo desportivo.

“Não queremos apenas ser uma associação, mas um parceiro para toda actividade desportiva”, prometeu.

Por seu turno, o vice-presidente da associação, Edmundo Ribeiro, afirmou que uma das prioridades da associação é a elaboração do regulamento interno, que definirá o perfil de membro. Algumas das acções imediatas da associação estarão viradas às acções de formação, prática profissional e investigação científica.

O OKHALIHA vai brevemente lançar um concurso público para a definição do seu símbolo e promoverá uma campanha visando angariar mais membros e recursos.

Na agenda da associação constam igualmente intercâmbios e troca de ideias com associações internacionais em busca de experiência, tendo para o efeito contactado com Portugal e Brasil.

A Associação de Gestores Desportivo de Moçambique será representado no congresso da Associação Afro-Ibero-Americana de gestão desportiva, a realizar-se em 2010, num país a indicar.

Inácio Bernardo novo director dos Desportos
O director nacional dos Desportos, Inácio Bernardo, afirmou, na ocasião, que a questão de infra-estruturas desportivas que estão projectados no país, alguns dos quais já em construção, virá colmatar a lacuna que existe na área de gestão desportiva.

Referiu-se ao facto de o último Conselho Consultivo do Ministério da Juventude e Desportos, realizado no ano passado, ter vincado a necessidade de a questão da gestão desportiva caminhar, daí que foi debatida a nomeação de secretários-gerais efectivos nas federações das modalidades prioritárias.

“A formação de mais agentes desportivos nos deixa mais sossegados”, comentou Inácio Bernardo, em alusão à criação da associação de gestão desportiva.

XX edição do Bebec: Zimpeto na final

A EQUIPA do Bairro do Zimpeto é a única, até aqui, apurada para a final da XX edição do Torneio de Futebol Infanto-Juvenil ao nível da cidade de Maputo, mercê do triunfo, ontem, no campo do Desportivo, sobre Luís Cabral por 1-0.

 Torneio de Futebol Infanto-Juvenil da Cidade de Maputo, vulgo Bebec
O outro finalista somente será encontrado hoje, na conclusão do jogo entre Inhagóia e Urbanização, interrompido já no fim devido a actos de vandalismo, protagonizados por um adepto da formação da Urbanização.

Em relação ao Zimpeto, esta é a primeira vez que chega à final, um feito de grande orgulho para o bairro, que por várias vezes tentou, sem sucesso, chegar a esta fase. Aliás, o prognóstico que vinha sendo avançado apontava para uma final inédita, facto que poderá consumar-se em caso de vitória da Urbanização sobre Inhagóia, que procura o seu segundo título.

Na segunda partida da tarde de ontem, Inhagóia e Urbanização estavam empatados a um golo, quando o guarda-redes do segundo time agrediu um oponente, alegando uma acção injuriosa deste. O árbitro estava próximo do acontecimento e, como castigo, mandou o referido “keeper” para fora do rectângulo, para alguns minutos de reflexão.

A seguir à decisão do juiz, um adepto da Urbanização invadiu o campo, insistindo para que o guarda-redes continuasse na baliza, acto secundado por outros apoiantes do bairro. Elementos da equipa técnica tentaram, em vão, travar a situação, até que o árbitro decidiu interromper a partida, alegando falta de condições para o seu prosseguimento.

25 DE JUNHO TENTA RENOVAR

O campeão de femininos será encontrado entre 25 de Junho e Hulene, que disputarão a final de amanhã. A equipa do 25 de Junho, que eliminou Munhuana com uma vitória por 2-0, está à procura da renovação do título, enquanto Hulene, que afastou Polana Caniço, derrotando-o por 2-1, quer fazer história.

A formação do 25 de Junho resolveu o problema ainda na primeira parte, em que marcou os dois tentos. Por seu turno, Hulene teve que se esforçar mais, pois viu a vantagem com que vinha da primeira parte a ser reduzida na derradeira fase do jogo, mas esteve à altura de controlar o resto do tempo.

Eliminatórias para o Afrobásquete: Renovação na selecção

MUITA juventude com sangue nas guelras, eis como se pode caracterizar a composição da Selecção Nacional de Basquetebol de Seniores Masculinos, que na próxima terça-feira, dia 27, inicia os trabalhos de preparação com vista à sua participação nas eliminatórias zonais de apuramento para o Campeonato Africano da modalidade, a ser disputado na Líbia.

A nóvel formação da Real Sociedade
A data e o local da realização da prova de qualificação da Zona VI ainda não são conhecidos, mas a Federação Moçambicana de Basquetebol decidiu dar início à preparação da selecção na terça-feira, no pavilhão do Estrela Vermelha, a partir das 18.00 horas.

No apuramento para o Afrobásquete de Angola, em 2007, a turma moçambicana ficou pelo caminho, a favor da África do Sul, mas acabou tomando parte na maior competição da bola-ao-cesto continental na qualidade de convidada. Desta vez, rumo à Líbia, como será? É a questão que se coloca aos 15 atletas convocados, cujos nomes são os seguintes:

Gerson Novela, André Velasco (bases), Fernando Manjate, Luís Barros, Sílvio Letela (extremos/base), Jerónimo Bispo, David Canivete Jr., Siade Cossa, Samir Adam (extremos), Octávio Magoliço, Stélio Nuaila (extremos/poste), Custódio Muchate, Sete Muianga, Ivan Macome e Edson Mondlane (postes).

Na sua segunda edição: Matola lança Corrida “Água da Namaacha”

A CORRIDA “Água da Namaacha”, na sua segunda edição, inserida nas festividades do aniversário da cidade da Matola, terá lugar no dia 7 de Fevereiro, de acordo com os promotores

LICHINGA, capital provincial do Niassa foi palco da prova de 15 km de estrada
Para o efeito, as inscrições estarão abertas a partir de segunda-feira em locais ainda por definir na cidade de Maputo, e a participação é livre, uma vez que o evento tem por objectivo incentivar a juventude à prática do atletismo.

A avaliar por aquilo que foi a primeira edição, a organização prevê que venham a participar nesta segunda perto de 500 corredores, entre populares, federados, veteranos e portadores de deficiência de ambos os sexos.

Haverá premiação monetária aos que se vierem a destacar.

Torneio “O Treinador” arranca hoje

O TORNEIO de futebol denominado “O Treinador” arranca hoje em Maputo, envolvendo seis equipas, nomeadamente Desportivo, Ferroviário, Costa do Sol, Maxaquene, Atlético Muçulmano e Bravos do Maqui de Angola.

Para esta tarde, a partir das 14.00 horas, no campo dos “canarinhos”, o Atlético Muçulmano defronta o Maxaquene e o Desportivo bate-se com o Bravos do Maqui.

FC Bravos do Maquis
O evento, a ser disputado em séries, só termina na próxima terça-feira. A série “A” é constituída pelo Ferroviário, Desportivo e Bravos, enquanto a “B” é composta pelo Costa do Sol, Atlético e Maxaquene. Os vencedores das séries vão disputar a final e segundo o regulamento da prova serão permitidas cinco substituições, estando o bilhete de entrada ao preço único de 30 mil meticais.

Este torneio aparece numa boa oportunidade, pois servirá de preparação para as provas que avizinham, sobretudo as “Afrotaças”, competições nas quais o nosso país far-se-á representar pelo Ferroviário, na Liga dos Campeões, e Atlético Muçulmano, na Taça CAF.

Eis o calendário dos jogos desta prova, que é promovida pela Direcção da Associação de Treinadores da Cidade de Maputo, em coordenação com a Direcção Nacional da mesma agremiação.

Hoje

14.00h – Atlético-Maxaquene

16.00h – Desportivo-Bravos

Amanhã

14.00h – Costa do Sol-Atlético

16.00h –Ferroviário-Desportivo

Domingo

14.00h – Bravos-Ferroviário

16.00h –Maxaquene-Costa do Sol

Terça-feira

14.30h – Jogo entre treinadores

15.30h – Homenagem aos treinadores

16.00h – Final

No domínio da juventude e do desporto: Bissau solicita apoio na área da legislação

O MINISTRO da Juventude e Desportos, David Simango, recebeu ontem o recém-nomeado Ministro da Juventude e Desportos da Guiné-Bissau, Baciro Dja, que se encontra em Maputo a participar numa conferência destinada à problemática da Defesa e Segurança.

Ministro da Juventude e Desportos da Guiné-Bissau, Baciro Dja
No encontro, Simango e Dja discutiram alguns aspectos relacionados com a cooperação entre os dois países, nas áreas da Juventude e do Desporto, concluindo ser necessário um maior incremento nesse relacionamento, que até agora se vem desenvolvendo no âmbito da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), da qual ambos são membros de pleno direito.

O ministro moçambicano deu a conhecer ao seu homólogo guineense que o nosso país vai acolher em 2010 os Jogos da CPLP e espera da Guiné-Bissau o necessário apoio para o êxito do evento, assim como a sua participação. Por seu turno, o governante visitante solicitou apoio a Moçambique no capítulo da legislação, tanto juvenil como desportiva.

Baciro Dja integra a nova equipa governamental da Guiné-Bissau, encabeçada pelo Primeiro-Ministro Carlos Gomes Júnior e saída das recentes eleições legislativas ganhas pelo PAIGC. A anterior Ministra da Juventude e Desportos, Maria Adiatu Djaló, responde agora pela pasta dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades.

Lançado ontem pelos Correios de Moçambique: Selo imortaliza feitos e exemplo de Mutola

DEPOIS do grande reconhecimento, pelo Estado moçambicano, com a atribuição do Título Honorífico de Heroína do Trabalho, seguida do lançamento da sua biografia, o movimento de homenagem a Lurdes Mutola, pela sua retirada do galarim do atletismo mundial após duas décadas de glória, não pára, sinónimo do inequívoco reconhecimento do país face aos feitos da nossa menina de ouro.

Selo imortaliza feitos e exemplo de Mutola
Ontem, foi a vez do lançamento do selo comemorativo pelos Correios de Moçambique, uma edição produzida a pedido do Ministério da Juventude e Desportos, como forma de perpetuar o exemplo de trabalho, entrega e abnegação da campeã olímpica e mundial que durante anos a fio pulverizou os 800 metros e elevou bem alto o nome do nosso país.

Ausente da cerimónia por se encontrar na África do Sul, Lurdes foi representada na cerimónia pela irmã, Joana Mutola, que não escondeu o seu regozijo por mais esta valorização da esplêndida e inigualável obra da “jovem africana, moçambicana e tímida com tudo e todos”, parafraseando o Ministro da Juventude e Desportos, David Simango, quando fazia referência à estreia de Mutola nos Jogos Olímpicos, facto que acontece em Setembro de 1988, em Seul, com o mundo longe de vaticinar que estaria em presença de uma futura rainha dos 800 metros.

A emissão do selo, cuja circulação começou ontem mesmo a nível nacional e internacional, enquadra-se na responsabilidade social dos Correios de Moçambique, conforme referiu a respectiva presidente do Conselho de Administração, Angélica Dimas, adiantando que a sua empresa se sentia orgulhosa por se juntar a este vasto programa de homenagem à nossa menina de ouro.

Este facto foi igualmente salientado pelo Vice-Ministro dos Transportes e Comunicações, Ernesto Augusto, para quem o furor de Mutola catapultou o país para patamares invejáveis no concerto das nações e, através do desporto, contribuiu sobremaneira para a agenda nacional de combate à pobreza.

Usando da palavra na ocasião, o ministro David Simango começou por traçar o historial da campeoníssima, afirmando que quando desafiou o néon da capital coreana, com apenas 15 anos, o “turbo”de Moçambique era então uma figura desconhecida, no entanto, já a revelar-se destemida e a prenunciar que efectivamente atingiria voos mais altos.

Aliás, disse, quatro anos depois, nos Jogos Olímpicos de Barcelona-92, Mutola, uma vez mais, vincou as suas promissoras potencialidades, que seriam traduzidas com a primeira medalha olímpica para o nosso país, de bronze, em Atlanta-96. Em Sidney-2000, Moçambique atingiu a sua expressão máxima quando Lurdes conquistou a medalha de ouro nos 800 metros.

UMA CARREIRA RECHEADA DE ÊXITOS

“A carreira de Lurdes Mutola, recheada de êxitos, com títulos olímpicos e mundiais, múltiplas competições internacionais de grande prestígio, tem sido um grande exemplo para a juventude em todo o mundo, pela sua perseverança, trabalho árduo, humildade e sobretudo a confiança e espírito de conquista em cada competição. Ganhar uma medalha de ouro olímpica é para os predestinados. E Lurdes Mutola é realmente uma predestinada”, vincou Simango.

Segundo ele, no ano em que a sua carreira olímpica completava duas décadas e por vontade própria ela decidiu colorar o ponto final, Moçambique e o seu povo souberam prestar o devido e necessário tributo à sua emblemática e prodigiosa menina de ouro. “Na verdade, nenhuma ocasião será demais para reafirmar o orgulho que o povo moçambicano sente pela sua Heroína do Trabalho. Por isso, o lançamento do selo postal é mais uma forma de imortalizar o seu nome, os seus feitos, o seu exemplo de trabalho, entrega e abnegação”.

O ministro reiterou que, tal como o programado, as outras actividades em redor da homenagem irão acontecer, destacando a atribuição do título de Doutora Honoris Causa, pela Universidade Pedagógica, e o “Meeting”** Internacional Lurdes Mutola, que, segundo ele, marcará o regresso da nossa rainha ao Parque dos Continuadores, ao lado de conhecidas estrelas mundiais.

Afrotaças criam dores de cabeça a Mart Nooij

A DOIS meses do começo da etapa decisiva de qualificação para CAN e Mundial de 2010, em que os Mambas iniciam diante da Nigéria, a 29 de Março, no Estádio da Machava, o Seleccionador Nacional, Mart Nooij, debate-se com sérios problemas para reunir todos os elementos principais do grupo, tendo em vista o desafio particular com o Malawi, previsto para 11 de Fevereiro, em Maputo.

Técnico dos Mambas Mart Noiij
A questão prende-se com a indisponibilidade dos atletas do Ferroviário e do Atlético Muçulmano, assim como de Dominguez, do Supersport United, devido às Afrotaças.

Apesar de 11 de Fevereiro ser uma data-FIFA, portanto, os clubes obrigados a ceder os jogadores às selecções dos seus países, a verdade é que três/quatro dias depois realiza-se a segunda “mão” dos dezasseis-avos-de-final da Liga dos Campeões e da Taça CAF, competições em relação às quais aquelas três formações possuem objectivos concretos, nomeadamente o apuramento para a fase de grupos.

Aliás, no caso específico das turmas moçambicanas, ambas realizam a segunda “mão” fora de portas e, na altura do encontro dos Mambas, estarão certamente a iniciar as suas viagens rumo ao Uganda (Ferroviário) e a Suazilândia (Atlético Muçulmano).

Em face desta contrariedade, Mart Nooij adiou o anúncio da convocatória, que estava previsto para segunda-feira, pois é obrigado, agora, a fazer alguns remendos para enfrentar os malawianos, na abertura da temporada 2009 da Selecção Nacional.

Segundo o programado pela Federação Moçambicana de Futebol, outra partida está no horizonte dos Mambas, tendo como adversário o Zimbabwe, tudo isto na perspectiva de conferir à equipa uma carga de jogos que lhe permite defrontar os nigerianos sem grandes défices competitivos.

Quanto à divulgação da lista dos convocados, espera-se quer o técnico holandês o faça ainda no decorrer desta semana.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

XX edição do Bebec: Tarde de grandes emoções?

TARDE efervescente e de grandes emoções é aguardada hoje, data em que serão conhecidos os finalistas da XX edição do Torneio de Futebol Infanto-Juvenil da cidade de Maputo, vulgo Bebec.

O cruzamento é susceptível de trazer uma final inédita do bebec
No teatro das operações estão à mistura equipas com alguma referência no evento – Luís Cabral e Inhagóia - e outras emergentes – Zimpeto e Urbanização.

O cruzamento é susceptível de trazer uma final inédita, no sábado, sendo que Luís Cabral disputa o acesso à derradeira fase com Zimpeto, quando forem 14.00 horas, enquanto Inhagóia discute a transição com Urbanização, às 17.00. O palco das meias-finais é o pelado do Desportivo, que igualmente acolherá a final.

Analisando a história de cada uma das equipas, há que destacar, no caso do confronto entre Luís Cabral e Zimpeto, o facto de haver um conhecimento mútuo entre os intervenientes, para além do facto de apresentarem conjuntos sólidos, daí que não se pode atribuir favoritismo a nenhuma das duas formações.

A única diferença entre ambos os conjunto reside no facto de Luís Cabral ser a equipa que mais vezes marcou presença na fase final do torneio e ter já se sagrado campeão, enquanto Zimpeto tem aparecido na fase de grupos e nunca foi para além das meias-finais. Aliás, esta é a segunda vez que Zimpeto chega a esta etapa.

Luís Cabral provou os seus créditos, eliminando nos quartos-de-final Mafalala (1-0), um dos eternos concorrentes aos títulos e com maior tradição neste evento. Por seu turno, Zimpeto superou um dos bairros pouco notáveis neste evento, Malhangalene, também por 1-0.

Enquanto isto, Inhagóia e Urbanização têm histórias totalmente diferentes. Inhagóia, apesar de há muito não aparecer na fase final do torneio, já logrou igualmente sagrar-se campeão e aparece nesta edição com muita força. É uma equipa sólida que tem muito apoio da sua claque, o que transmite à equipa a autoconfiança. Isso acabou contribuindo para que conseguisse o melhor resultado nos quartos-de-final diante da formação do Bairro das FPLM (3-0).

Por seu turno, Urbanização apresenta-se com um conjunto mais personalizado e que joga bem ao ataque, daí que não tenha tido dificuldades para afastar da corrida o outro tradicional concorrente ao título, Chamanculo, por 3-1. A queda de Chamanculo e Mafalala, os mais cotados deste evento, abriu espaço para uma final inédita e já não se pode falar de claros favoritos. Enquanto Luís Cabral e Inhagóia lutarão por mais um título, Zimpeto e Urbanização querem entrar na história.

POLANA-CANIÇO-HULENE ATRACTIVO EM FEMININOS

Enquanto a equipa do 25 de Junho, campeã em título, inspira alguma confiança, atendendo o valor do adversário que tem pela frente, a formação da Munhuana, um dos favoritos à conquista da prova feminina, está receoso face ao poderio da Polana- Caniço.

Porém, este prognóstico pode não ser válido, porque Munhuana emergiu de forma empolgante e não teve dificuldades para afastar Mavalane (3-1), o que já é motivo suficiente para 25 de Junho precaver-se no máximo. Aliás, a campeã foi bafejada pela sorte ao conseguir a transição na marcação de grandes penalidades diante do Malhangalene (2-1).

Polana-Caniço não admitiu espaço de manobras à também estreante formação do Nsalene (2-0), que chegou a ameaçar os favoritos, e parte esperançada para o encontro com Hulene. Este teve uma transição merecida ao bater categoricamente Aeroporto, por 3-1.
Os jogos de femininos disputam-se entre as 15.00 e as 16.00 horas, também no campo do Desportivo.

Obama pode e eu não? - El Pibe pressiona federação argentina a propósito de Ruggeri

HÁ algum motivo para se encontrar semelhanças entre Obama e Diego Maradona? Objectivamente não, apesar do estatuto de deus do futebol atribuído a El Pibe e de salvador do mundo concedido ao 44.º presidente dos EUA da América.

O homem com estatuto de deus do futebol atribuído a El Pibe
Mas do argentino surge sempre algo inesperado. Por estes dias, não percebe as razões que o impedem de trabalhar com os seus homens de confiança, ao contrário do sucessor de Bush, que ontem prestou juramento.

"Obama elegeu quem quis e a mim não me querem dar Ruggeri. Ele pode e eu não?, indigna-se Maradona, que vai pressionando a Associação Argentina de Futebol sem os resultados pretendidos.

Já com os pés um pouco mais assentes na terra, Maradona apresentou mais alguns argumentos para ter Ruggeri a seu lado (uma espécie de Hillary Clinton para Obama).

"Mereço ter quem pretendo. Foi assim com todos os treinadores, de Menotti a Pekerman.Vou ser a excepção?", questiona.

Maradona insiste que Ruggeri "é dos que veste a camisola", caminho que defende com "unhas e dentes" sem esquecer que "a equipa argentina é Rolls Royce cheio de terra que é preciso limpar".

iO meu lugar é aqui

PARA alguns, o dinheiro não é tudo. O respeito está acima disso. É o caso de Kaká, jogador e homem de classe que recusou o Man.

O jogador kaka continua nono Milan
City, apesar da pressão de Berlusconi, líder rossonero, para aceitar a proposta dos citizen (120 milhões de euros).

“Há uma semana, disse que o meu objectivo é ser capitão do Milan. Mantenho essa meta, agora com mais empenho ainda, pela força dos adeptos nestes últimos dias”, revelou Kaká, que chorou no treino de sexta-feira e no jogo de sábado com a Fiorentina.

“O meu lugar é aqui, porque sou respeitado e amado”, resumiu, enquanto milhares de adeptos estavam à porta da sede do Milan a gritar pelo nome do jogador, durante as negociações

Barcelona quebra recordes

O TERMO “Dream Team” ganhou tons azul-grená nos anos 90, homenageando o Barcelona criado no tubo de ensaio de Johan Cruyjff. Era a equipa de Romário, Stoitchkov, Laudrup e Koeman.

O Barcelona era a equipa de Romário, Stoitchkov, Laudrup e Koeman
Uma equipa que, nas palavras do seu técnico, até podia sofrer quatro golos porque marcaria cinco. E o que verdadeiramente distinguia a formação catalã é que estas palavras não eram mera fanfarronice do holandês. Ao poderio ofensivo do tridente Laudrup-Romário-Stoichkov, juntava-se, quando necessário, o pontapé canhão de Koeman, um dos centrais mais goleadores de sempre.

Mas o “Dream Team” está a ser ressuscitado por um treinador que conhecia por dentro a equipa de sonho dos anos 90: Pep Guardiola era o cérebro que equilibrava, dentro de campo, os génios goleadores. Hoje, na sua primeira temporada como técnico do “seu” Barcelona, o reservado Guardiola assombra a Europa com uma equipa que, a um novo tridente ofensivo (Eto’o-Henry-Messi), junta jogadores como o médio Xavi, um dos mais rigorosos passadores da Liga, ou Puyol, um central duro mas efectivo.

Eusébio Sacristan, médio de combate do Barça de Cruyjff e ex-adjunto de Rijkaard na equipa técnica anterior, explica em artigo do “El Mundo” os paralelismos entre o Barcelona de Guardiola e o dos anos 90, em que jogou, sintetizando: “Talvez a única diferença seja que nós alinhávamos com três defesas, embora na equipa actual Dani Alves (o lateral-direito) jogue muito mais no meio-campo adversário que no seu próprio.”

Drogba não tem problemas comigo - revela Scolari

LUIZ Felipe Scolari revelou ao canal de televisão do Chelsea que não existe qualquer mal-estar com Didier Drogba, apesar deste último ter revelado à imprensa inglesa que não se sentia feliz no clube londrino.

Drogba é o melhor jogador africano de 2006
“Didier não tem problemas comigo, nem com o clube”, começou por dizer o treinador dos “blues”.

“Na próxima semana, pode ser que ele se junte à equipa para o jogo frente ao Ipswich [a contar para a Taça de Inglaterra]. Tem treinado bem e começa a voltar à sua boa forma, não só em termos físicos mas de técnica”, acrescentou o antigo selecionador de Portugal.

Scolari explicou, também, o porquê do avançado marfinense não ser opção nos últimos dois jogos: “É uma situação normal no clube. Nos últimos dois encontros, escolhi outros jogadores. Foi uma decisão minha apenas para esses jogos”.