quarta-feira, 28 de julho de 2010

JOGOS DA CPLP-2010 - Juventude lusófona irmanada pelo desporto


DE dois em dois anos, é sempre assim. A juventude lusófona encontra um espaço de convívio e de irmandade através do desporto. Pela segunda vez, depois da edição de 1997, os Jogos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa escalam Maputo e, a partir de amanhã até ao dia 7 de Agosto, farão parte do quotidiano dos citadinos, com particular realce para os jovens estudantes, que terão neste evento um meio para a diversão durante as férias escolares. A ser preparada com todo o requinte, envolvendo crianças que apresentarão números de ginástica rítmica e desportiva, bem como grupos culturais, a cerimónia de abertura da sétima edição desta competição lusófona terá lugar no pavilhão do Maxaquene, a partir das 14.30 horas, fechando ao fim da tarde com uma partida de basquetebol.



A azáfama em torno destes Jogos da CPLP já é uma realidade na capital moçambicana. A presença de jovens atletas de vários países não passa despercebida aos olhos dos citadinos, que também se preparam para vivamente acompanhar este grandioso festival desportivo da lusofonia, a ser alicerçado por modalidades como futebol e basquetebol masculino, andebol feminino, ténis, atletismo (incluindo para pessoa portadora de deficiência) e vólei de praia, em ambos os sexos
.

Depois de as diferentes selecções do nosso país, formadas maioritariamente por atletas que no ano passado disputaram os Jogos Escolares de Lichinga, terem dado entrada no Hotel VIP, seu local de acomodação durante este período, as representações visitantes já começaram a desembarcar em Maputo. Ontem, chegaram as equipas de Angola e de Timor-Leste, enquanto hoje desembarcam Portugal, Cabo Verde, Guiné-Bissau e S. Tomé e Príncipe, estes três últimos num voo charter cedido pelos angolanos. Brasil será o último a estar entre nós, na quinta e sexta-feira.


MOÇAMBIQUE COM 70 ATLETAS



Setenta atletas, repartidos por todas as modalidades que corporizam este evento, envergarão o “jersey” nacional durante os Jogos da CPLP, com o nosso país a apresentar uma delegação também constituída por dirigentes, treinadores e massagistas, tendo à cabeça a chefe da missão, Salmina Alexandre, da Direcção Nacional dos Desportos. As selecções moçambicanas encontram-se desde ontem hospedadas no Hotel VIP, depois de quatro dias na Escola do Partido, na Matola.

Modalidade por modalidade, o futebol tem como treinador o ex-central “canarinho” Zé Augusto, que também brilhou ao serviço da selecção. A equipa esteve há dias na Alemanha, mais concretamente no Estado da Baviera, para um estágio que incluiu a realização de duas partidas, com vitória por 4-2 sobre a selecção bávara e derrota frente aos Sub-17 do Bayern de Munique por 3-1.

Os jogadores seleccionados são os seguintes: Edson Paulino e Hassane (guarda-redes); Momad Talapa, Francisco Mazamu, Osvaldo Sumbe, Joaquim Victor e Edson Almeida (defesas); Alberto Júnior, Omar Cutana, Dinis Massurua, Henrique Machete, Dércio Matimbe, Jorge Muianga, Ussene Hanane e Dionísio Macoo (médios); Alexandre Guambe, Mateus Salufu, Olices Marcolino e Clésio Buque (avançados).

O basquetebol masculino, que regressa ao convívio lusófono depois de a edição passada ter sido em femininos, tem como treinador da nossa selecção Miguel Guambe e integra os atletas Idelson Bernardo, Helton Ubisse, Yuri Chambal, Hugo Martins, Titos Moiane, Kalus Bunguele, Aylton Gonçalves, Jerónimo Mahumane, Denio Chirindza, Jorge Tomé, France Ngouque e Frenque Cetimane
.

Azarias Samuel é o seleccionador de atletismo, a última modalidade a entrar em prova nos Jogos da CPLP. Rosa Butão, Nicola dos Santos, Gracinda Matuca, Alfatina Cumbe, Flávia Machava e Arneta Buene fazem parte da turma feminina, enquanto Celso Cossa, Creve Machava, Fenias Jorge, Francisco dos Santos, Itai Mune e Albertino Mamba pertencem aos masculinos.

Tendo como palco de jogos a Miramar, o vólei de praia comporta duas duplas, a saber: Vasco/Vanilo e Benilde/Cecília.

O andebol feminino também ressurge na competição e as jogadoras, treinadas por Gustavo Gabriel, são as seguintes: Esménia Manave, Euna Muianga, Maria Bernardo, Yolanda Trica, Sara Ibraimo, Helena Meno, Marta André, Sarifa Javane, Resmelinda Djedje, Elina Matuca, Edna Matendjua, Rabeca Parruque, Amina Canhalica e Ingamo Fare
.

Repartido entre masculinos e femininos, o ténis é constituído por Emílio Ricardo, Frank Funganto e Danúbio Madalena; Kiara Maher, Ilda João e Cláudia Sumaia. O treinador é Alberto Nhancale.

Hóquei em patins: Moçambique acolhe “Africano” de 2012


O CAMPEONATO Africano de Clubes de Hóquei em Patins em 2012 será realizado em Moçambique, mais concretamente na cidade de Maputo. O facto foi anunciado na cerimónia de encerramento pelo presidente do Comité Organizador do “Africano” realizado recentemente na África do Sul.



Após ter perdido a organização do Campeonato do Mundo da modalidade do Grupo “A” para a Argentina, Moçambique volta a ter a oportunidade de acolher mais um evento de extrema importância.

Refira-se que esta prova havia sido atribuída ao país este ano, mas a Federação Moçambicana de Patinagem (FMP) acabou desistindo visto que estava a focalizar as suas atenções na organização do “Mundial” no próximo ano.

A competição já foi realizada em três dos quatro países que praticam o hóquei em patins no Continente. A primeira edição decorreu no Egipto, Cairo-1993, a segunda em Angola, Luanda-2008, e a terceira na África do Sul, Pretória-2010, cabendo agora a Moçambique, Maputo, acolher a quarta edição.

Basquetebol em Maputo: Sete anos depois Desportivo no pódio


AO que tudo indica, o período de hibernação da bola-ao-cesto “alvi-negra” já pertence ao passado. É que, apesar de em todas as temporadas apresentar um time recheado de estrelas e por via disso à altura de discutir os títulos nacional e da capital do país, a verdade manda dizer que, no momento da verdade, o Desportivo, invariavelmente, falha. Desta vez, com os fantasmas espantados, a conquista do Campeonato de Basquetebol de Seniores Masculinos da Cidade de Maputo, sete anos depois, não causou espanto a ninguém, pois constitui a mais fiel tradução da supremacia exercida pela formação treinada por Horácio Martins, nomeadamente diante do seu maior rival Maxaquene, com quem discutia tenazmente o ceptro ora ganho.



A derradeira jornada, disputada sábado à noite no pavilhão do Estrela Vermelha, não decidia rigorosamente nada, tendo em conta que o Desportivo já havia assegurado o título, depois de o Maxaquene ter perdido perder frente ao Costa do Sol na ronda anterior. Desse modo, o encontro entre os vizinhos somente tinha como atractivo o natural desejo dos dois conjuntos numa despedida em grande. E, neste aspecto, os “alvi-negros” voltaram a ser felizes, ao vencerem pela marca de 77-63, alargando assim o fosso em relação aos segundos classificados.

Nos confrontos directos com o Maxaquene, o Desportivo marcou a sua superioridade, daí não restar a menor dúvida quanto ao seu feito. Na primeira volta, tinha ganho por uma diferença confortabilíssima de 42 pontos (93-51), vincando desde logo a sua condição de candidato sério à conquista do título citadino. Porque diante dos outros adversários, designadamente Costa do Sol e Ferroviário, os seus triunfos aconteceram sem reticências, perante os vizinhos “tricolores” apenas foi a confirmação de uma equipa que na Liga Vodacom seguramente apresentar-se-á como um concorrente a ter em conta, a menos que, como vinha acontecendo, deslize quando menos se espera.

Noutra partida da derradeira jornada da fase final do Campeonato de Basquetebol da Cidade de Maputo em Seniores Masculinos, o Ferroviário, então detentor do troféu, apesar de ter derrotado o Costa do Sol por 67-57, não deixou de ser uma decepção, pois, a avaliar pelo potencial da sua formação, o lugar que lhe era reservado não tem nada a ver com a última posição.

Concluída a prova, o Desportivo somou 12 pontos, Maxaquene e Costa do Sol nove cada e Ferroviário sete. Estas quatro equipas da capital do país já garantiram a sua presença na fase nacional da Liga Vodacom, juntamente com Ferroviário da Beira, enquanto a sexta formação sairá do confronto entre os apurados das três zonas.

“Africano” de Sub-18: Estreia diante da Nigéria


A SELECÇÃO Nacional de Basquetebol Feminino de Sub-18 enfrenta a Nigéria na jornada inaugural do Campeonato Africano da categoria, a decorrer a partir de amanhã e prolongando-se até 9 de Agosto, no Cairo, capital do Egipto. A turma moçambicana integra o Grupo “B” da competição, juntamente com Mali, campeão em título, Costa do Marfim e RD Congo, para além das nigerianas, enquanto o Grupo “A” é composto por Egipto, Angola, Quénia, Tunísia e Senegal.



Esta prova é encarada com bastante seriedade pelas selecções participantes, tendo em conta que o campeão representará o Continente Africano no Campeonato Mundial de Sub-19, a acontecer no próximo ano, na Turquia.

Comandada por Armando Meque, coadjuvado por Simão Mataveia, a nossa selecção deixou ontem Maputo com destino ao Cairo, com uma comitiva que compreende as seguintes 12 atletas: Sandra Mutemba, Sheila Chaguala e Denise Ernesto (Ferroviário de Maputo), Benesita Muchave, Isabel Muvamba, Tânia Chilaúle, Ludmila Rangel e Nilza Chiziane (A Politécnica), Eliseth Mondlane, Flávia Alcino e Ana Paula (Ferroviário da Beira) e Inguivild Mucauro (Desportivo).

Provincial de Nampula: Ferroviário de Nacala reassume liderança

O FERROVIÁRIO de Nacala regressou à liderança do Campeonato Provincial de Nampula ao vencer o Clube dos Desportos de Angoche, por 1-0, em partida da 13ª jornada, que marcou o final da primeira volta.



Os nacalenses lideram com 30 pontos fruto de nove vitórias e três empates e são a única equipa que ainda não perdeu.

Noutro embate da ronda, o Desportivo de Nacala e Ferroviário de Nampula empataram a zero golo. Com este resultado, os nampulenses caíram para o segundo lugar.

A EDM regressou às vitórias derrotando a equipa do Hospital Central de Nampula, por 3-2, enquanto Casa Issufo bateu Moçambique FC, por 2-0
.

Noutra partida, o Benfica de Nampula protagonizou a maior goleada (5-0) sobre Fut-Escola.

O desafio entre o Sporting de Nampula e Benfica de Angoche não se realizou devido ao atraso da segunda equipa que foi motivado por um acidente de viação do automóvel que transportava os jogadores, que felizmente não resultou em vítimas humanas
.

Refira-se que a primeira volta ficou marcada pela desistência da Associação Desportiva de Monapo por motivos financeiros, facto que fez com fossem retirados os pontos aos seus adversários para não beneficiar aqueles que ainda não haviam jogado com a referida equipa.

CLASSIFICAÇÃO: Fer. Nacala (30); Fer. Nampula (29); EDM (23); Desp. Nacala (22), Benfica de Nampula (21); Casa Issufo (18), Sporting de Nampula (17); Benfica de Angoche (15); HCN (11); Fut-Escola (10); Moçambique FC (8); Sporting de Angoche (4) e Angoche C. D. (3).

TAÇA DE MOÇAMBIQUE/mcel - Pemba e Lichinga decidem hoje representante do norte

O FERROVIÁRIO de Pemba e FC Lichinga decidem hoje, a partir das 14.00 horas, no recinto da primeira equipa, o representante da zona norte na Fase Nacional da Taça de Moçambique, o equivalente aos quartos-de-final.



Estarão frente-a-frente duas equipas do Moçambola, que não estando bem nessa prova procuram limpar a sua imagem na segunda mais importante prova futebolística do país.

No entanto, os “locomotivas” de Pemba têm vindo a subir de forma. Reflexo disso foi a vitória, no último domingo, frente o seu homónimo da Beira, por 2-0, em jogo do Moçambola. A este facto junta-se ao factor casa. Os pembenses estrearam o seu campo, o Estádio Municipal de Pemba, nesse embate com os beirenses, pelo que têm os adeptos do seu lado.

Estão já apuradas para os quartos-de-final as equipas do Costa do Sol, Ferroviário de Maputo, Maxaquene e Vilankulo FC (Zona Sul); Sporting da Beira, Textáfrica e Chingale (Zona Centro).

O sorteio para os quartos-de-final e meias-finais realiza-se na próxima sexta-feira.

Os jogos dos quartos-de-final estão previstos para os dias 21 e 22 de Agosto. As meias-finais para 25 e 26 de Setembro. A final para 14 de Novembro.

Irritado com vuvuzelas destrói bar com carro


UM homem disparou tiros e jogou o seu carro de encontro a um bar na Itália, inconformado com o som de vuvuzelas que eram tocadas pelos frequentadores do estabelecimento, de acordo com a Imprensa local.


O incidente ocorreu na noite de domingo na cidade de Pievebelvicino, região de Vicenza, no norte do país.

Irritado pelo barulho que vinha do bar Coco Bamboo, o homem de 51 anos de idade ameaçou os clientes dando tiros para o ar usando uma arma de caça.

O diáriol Il Giornale di Vicenza afirma que, na sequência, ele arremessou o seu veículo pelo menos três vezes em direção ao bar, destruindo-o
.

Ninguém ficou ferido já que os clientes conseguiram escapar a tempo, diz o jornal.

O homem de 51 anos fugiu da cena do incidente e deu entrada num hospital, onde foi preso. O jornal diz que a Polícia iniciou testes para estabelecer a sanidade do homem.

O correspondente da BBC em Milão Mark Duff diz que o incidente reabriu o debate sobre as vuvuzelas na Itália. A corneta típica dos adeptos de futebol sul-africanos dividiu opiniões durante o Mundial-2010
.

Na África do Sul, a vuvuzela é parte integrante da cultura futebolística do país, mas a corneta foi bastante criticada, por adeptos e participantes de outros países, pelo seu alto volume.

Futebol: Clube de Gaza comanda Campeonato Provincial

O CLUBE de Gaza passou a liderar o Campeonato Provincial de Futebol depois de derrotar, por 2-0, o Clube de Chibuto, em partida da 12ª jornada.



Os gazenses comandam com 22 pontos, mas estão longe de encomendar as faixas de campeão visto que o Ferroviário de Gaza, Associação Desportiva de Chókwè e Clube de Chidenguele estão a apenas a um ponto da liderança.

No despique mais convidativo da jornada, o Ferroviário de Gaza e o Clube de Chidenguele empataram a zero golo. O mesmo resultado registou-se no embate entre o Clube de Bilene e Teka Mahala. A Associação Desportiva de Chókwè, por sua vez, goleou o Costa do Sol, por 3-0. O Ferroviário de Mabalane, que tem no seu avançado Cremildo Sambo o melhor marcador da prova com nove golos, ficou de fora devido ao número ímpar de equipas.

Acho que sou um porco! – afirma Mike Tyson em entrevista à revista americana “Details”


AQUELE Mike Tyson intimidador e impulsivo parece ter finalmente encontrado o seu caminho, mas ainda assim continua sem papas na língua. Em entrevista para a edição de Agosto da revista americana “Details”, Tyson mostrou uma outra faceta, longe da que o público conhece.
Maputo, Quarta-Feira, 28 de Julho de 2010:: Notícias


"Hoje eu estou com 44 anos e percebo que a minha vida inteira foi um desperdício. 'Maior homem do mundo'? Eu não era metade do homem que pensava ser. (...) Eu acho que sou um porco. Eu tenho esta habilidade formidável de olhar para mim mesmo no espelho e dizer: 'Isto é um porco. Você é um pedaço de fezes'", contou o ex-pugilista ao lembrar a primeira fase da sua vida.

Mike Tyson é um vegetariano convicto há oito meses, e tenta também viver sem colocar um pedaço de doce na boca. Tudo isso para ter "energia”, especificou.

Como não poderia faltar, ele falou do famoso combate com Evander Holyfield. Esse mesmo que você pensou, em que Tyson mordeu a orelha do rival. "Eu não me importava mais com o boxe. Estava errado em fazer aquilo – totalmente errado...

Com 16 meses fora da prisão, e já com dois cinturões para defender? Eu não tinha nada com aqueles cinturões. Eu já estava acabado. (...) Eu não estava a pensar (quando mordi Holyfield). Não estava a treinar para aquele combate. Estava metido nas drogas, pensando que era Deus
", revelou.

Mesmo sendo um homem livre há tempos, o ex-pugilista conta que nunca se sentiu assim. "Este é o momento em que me sinto mais livre na minha vida. E eu ainda não estou livre. Mas é um sentimento sensacional. Eu não tenho dinheiro. Eu não sou mais um homem charmoso. Eu tenho amigos que têm dinheiro, então parece que eu tenho dinheiro, mas não tenho."

O ex-pugilista já esteve por muito tempo no topo dos pesos-pesados do boxe internacional. Impiedoso, o atleta mandou para a lona inúmeros adversários com os seus potentes directos e cruzados, mas a sua vida pessoal o derrubou das alturas mais rápido do que qualquer rival.

Várias vezes preso por agressão e envolvimento no mundo das drogas, o ex-astro dos ringues viu a fortuna construída ao longo de anos no desporto escorrer por entre os seus dedos graças a uma série de decisões erradas que fez na sua carreira. O fundo do poço chegou quando o pugilista perdeu a filha de quatro anos num acidente doméstico. Mas agora Mike Tyson está diferente.

Actualmente está de volta ao bairro de Brownsville, no Brooklyn, lugar em que cresceu, para se dedicar ao seu “reality show” com pombos. Desde pequeno o americano é um amante dos pássaros.

Jogos da CPLP já mexem, mas pista de tartan apresenta bolhas!


Mesmo depois do primeiro-ministro, Aires Ali, ter recebido garantias de que a pista estaria em condições.

Realizou-se ontem, no pavilhão do Maxaquene, um ensaio da cerimónia de abertura dos VII Jogos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa(CPLP), evento a ter lugar de 29 de Julho a 7 de Agosto.

Com efeito, um grupo de 200 crianças, que vai apresentar um número de ginástica massiva, uma das atracções da cerimónia de abertura, fez alguns acertos da sua coreografia.

Durante a sua apresentação, este grupo de crianças vai apresentar as cores das bandeiras dos oito países que irão participar no evento, nomeadamente, Moçambique, anfitrião, Angola, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Portugal, Brasil e Timor Leste, país convidado.

A organização do evento está, neste momento, a fazer de tudo para que este evento seja, de facto, um momento de confraternização e solidariedade entre os povos falantes de língua portuguesa.

Para esta quarta-feira, está previsto o último ensaio desta cerimónia, na qual haverá, outrossim, um desfile das delegações participantes, para além de números de dança em representação das zonas sul, centro e norte de Moçambique.

Ministro angolano motiva atletas para melhoria no quadro de medalhas




Os integrantes das selecções nacionais daquele país aos jogos da CPLP

O ministro da Juventude e Desportos de Angola, Gonçalves Muandumba, motivou, segunda-feira, os integrantes das selecções nacionais daquele país aos jogos da CPLP, que iniciam quinta-feira em Maputo, a uma participação que supere o segundo lugar no quadro geral de medalhas da edição de 2008 no Brasil.

Falando em representação do vice-presidente da República, Fernando da Piedade Dias dos Santos, na cerimónia de despedida da delegação angolana que segue terça-feira ao palco do evento, afirmou tratar-se de um desafio que deve ser cumprido com honra e espírito de missão.

 Nos jogos de 2008, Angola ocupou a segunda posição com nove medalhas, das quais três de ouro, igual número de prata e bronze. O Brasil foi a primeira com 15 medalhas no total, sete de ouro, seis de prata e duas de bronze. Perante atletas das selecções nacionais, técnicos, dirigentes desportivos e encarregados de educação presentes no pavilhão principal da Cidadela, em Luanda, Gonçalves Muandumba lembrou, entretanto, que os resultados desportivos não são a prioridade, prevalecendo antes o espírito de fraternidade e o “fair-play”.

Mexer já trabalha no Olhanense


Central vai estrear-se na Taça do Algarve, diante do Portimonse.

O internacional moçambicano já estava há algum tempo referenciado pelos “rubros-negros” e, sem espaço na equipa “leonina”, ruma ao Algarve onde vai encontrar o seu compatriota Daúto Faquirá, que deu o aval à contratação do jovem promessa.

O internacional moçambicano Mexer chegou segunda-feira a Olhão para integrar o plantel do Olhanense, conjunto que vai representar por uma temporada, por empréstimo do Sporting. E, sem perder tempo, ontem, o central, de 22 anos, trabalhou às ordens do luso-moçambicano Daúto Faquirá, na sessão matinal havidano Estádio José Arcanjo.

O internacional moçambicano já estava há algum tempo referenciado pelos “rubros-negros” e, sem espaço na equipa “leonina”, ruma ao Algarve, onde vai encontrar o seu compatriota Daúto Faquirá, que deu o aval à contratação do jovem promessa daquele país. Depois de ter sido utilizado nos três jogos do Sporting na fase inicial da pré-temporada, antes da partida dos “leões” para o estágio em França, Mexer foi cedido ao Olhanense.

Os reforços no sector recuado não ficam por aqui e o defesa/médio brasileiro de 20 anos, Ismaily (ex-Estoril), cujo passe pertence a um grupo de empresários brasileiros da Traffic, vai assinar durante o dia de hoje por duas épocas de empréstimo.

O lateral-direito Maynard (ex-Volendam, Holanda), de 23 anos, que está à experiência em Olhão há mais de uma semana, também vai assinar nos próximos dias. Certas são as cedências, por empréstimo, do lateral-esquerdo Stephane (Penafiel) e do extremo Gomis (Vizela).

Estreia na taça do algarve frente a Jumisse e Pelembe

Segundo escreve o jornal “O Jogo”, na sua edição online de ontem, Mexer poderá fazer a sua estreia pelos “rubros-negros” na Taça do Algarve, que se realiza no próximo fim-de-semana. Marcada para os dias 31 de Julho e 1 de Agosto, a Taça do Algarve vai contar com a participação dos dois representantes da região na principal liga portuguesa: Olhanense e Portimonense.

Estrela Vermelha cada vez mais líder

Campeonatos provinciais de futebol.

O Estrela Vermelha tornou-se mais líder e aumentou, de quatro para cinco, a vantagem pontual na tabela classificativa da agora Liga General Auto de Moçambique (Liga GWM), ao vencer o Águias Especiais por 1-0, em partida pontuável para a sétima jornada do Campeonato de Futebol da I Divisão da Cidade de Maputo, que teve lugar no pretérito fim-de-semana.

Para a mesma ronda, o 1º de Maio goleou o Mahafil por 3-0 e a Académica e o Beira Mar da Catembe terminaram o seu desafio com uma igualdade a três golos.

Após esta ronda, o Estrela Vermelha soma 18 pontos, deixando a segunda posição na posse do 1º de Maio com 13, e a terceira para Águias Especiais com 11 pontos. A Académica ocupa a quarta posição, com nove pontos, o Beira Mar da Catembe é o quinto classificado com cinco e o Mahafil é o “Lanterna Vermelha ”, com um ponto.

Na próxima jornada, a oitava, o 1º de Maio defronta o Estrela Vermelha; o Beira Mar da Catembe joga com Águias Especiais e o Mahafil mede forças com a Académica.

Na primeira volta, os alaranjados venceram o 1º de Maio por 1-0, a Académica goleou o Mahafil por 3-0 e o Beira Mar da Catembe e Águias Especiais empataram sem golo.

Prémios aliciantes

No final da Liga GWM, o campeão terá o direito de receber um troféu e 25 medalhas, deixando o vice-campeão com o prémio monetário de 15 mil meticais.

Atletismo moçambicano no “Africano” de Nairobi


Onde vai competir de 27 de Julho a 3 de Agosto no campeonato africano da modalidade

A selecção nacional sénior de atletismo, em ambos os sexos, deixou ontem Maputo, tendo como destino Nairobi, Quénia, onde vai competir de 27 de Julho a 3 de Agosto no campeonato africano da modalidade.

A delegação é chefiada pela presidente da Federação Moçambicana de Atletismo, Sarifa Magid.

Viajam para Nairobi, os atletas Kurt Couto, quatrocentos metros barreiras, Leonor Piúza, oitocentos metros planos, Elisa Cossa, duzentos metros planos, Telma Cossa, cem metros barreiras e Natércia Quive, cem metros planos.

Académica de Luanda sagra-se campeão africano de hóquei em patins


Em 1991, sagrou-se vencedor o Estrela Vermelha de Maputo (Moçambique)

O clube angolano de hóquei Académica de Luanda venceu sábado, em Pretória, África do Sul, a Taça Africana dos Clubes desta disciplina, ao impor-se, na final, diante duma outra formação angolana, a Juventude de Viana, por 3-2. Participaram, além da estreante Académica de Luanda e do já “rodado” Juventude de Viana, as formações moçambicanas do Ferroviário e Desportivo de Maputo e as sul-africanas do ACP de Pretória e União de Joanesburgo.

Na primeira edição, realizada na cidade do Cairo (Egipto) em 1991, sagrou-se vencedor o Estrela Vermelha de Maputo (Moçambique), que batera na final os angolanos do Enama de Viana. 17 anos mais tarde, a prova reatou. Em 2008, numa iniciativa da Federação Angolana de Patinagem (FAP), competição que se disputou na Cidadela.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Jogos da CPLP entram na ordem do dia: Temos que capitalizar o factor casa – afirma Inácio Bernardo, perspectivando a participação moçambicana no event


A CONTAGEM decrescente rumo à VII edição dos Jogos Desportivos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa já começou. Precisamente daqui a uma semana centenas de jovens atletas dos oito países lusófonos entram em cena, num evento que procura aglutinar as componentes competitiva e de amizade e fraternidade, sabido que é que o desporto é um importante elo de união entre os povos.


Quando nos aproximamos do momento da verdade, o director nacional dos Desportos, Inácio Bernardo, garante que a preparação decorre a contento e que, especificamente em relação aos nossos representantes das diferentes modalidades, é imperioso que capitalizem o factor casa para a busca de medalhas.

Tendo como lema “Uma Comunidade, Uma Língua e Um Mar de Culturas”, os Jogos da CPLP já estão a suscitar vivo interesse no seio da juventude estudantil da capital do país, e não só. O facto de se realizarem precisamente no período de férias escolares é visto como uma iniciativa bem pensada, pois permitirá que a mocidade acompanhe “in loco” o desenrolar dos acontecimentos e preste a sua claque às nossas selecções. Em competição estarão as modalidades de futebol e basquetebol, em masculinos, andebol, em femininos, voleibol, ténis e atletismo, em ambos os sexos.

Segundo Inácio Bernardo, que falava ontem numa conferência de Imprensa com base nos objectivos globais que o país tem neste certame e que têm a ver com a superação do quarto lugar conseguido na última edição, no Rio de Janeiro, em 2008, ocupar os lugares do pódio é o mínimo que se pode pedir aos nossos representantes na sua qualidade de anfitriões, assim como pela particular atenção que se prestou na preparação das selecções.

A avaliar por aquilo que tem sido o trabalho das diferentes selecções, acho que temos condições para estar entre os três primeiros classificados. Aliás, foi dentro desta perspectiva que colocámos as equipas a treinar mais cedo, logo depois dos Jogos Escolares de Lichinga, donde foram seleccionados os atletas. Inclusive vieram jovens doutras províncias que ficaram alojados no hotel e a prosseguir os seus estudos na “Josina Machel”. Portanto, como se vê, foi um esforço inovativo e que julgamos terá a devida compensação com a conquista do maior número possível de medalhas”, explicou o boss dos Desportos.

Exemplificando por modalidades, disse que o basquetebol, para além do treinamento normal, a equipa participa no Campeonato de Juniores da Cidade, precisamente com o propósito de dotar os jogadores da competição que se revela imprescindível neste momento. O futebol tem a selecção a estagiar no Estado alemão da Baviera, enquanto o atletismo viu os seleccionados a disputar o recente Campeonato Regional de Juniores.

Com base nestes factos, e considerando que as outras selecções estão também a aprimorar a sua preparação, não tenho a menor dúvida em afirmar que estamos em perfeitas condições de conseguir bons resultados”, sublinhou.


TRANSPARÊNCIA NAS IDADES




Convidado a pronunciar-se sobre a sempre recorrente questão da falsificação de idades, Inácio Bernardo mostrou-se tranquilo quanto a isso, afirmando que é importante sermos transparentes e não cair na ratoeira.

Explicou que depois do trabalho de selecção efectuado pelas federações a Direcção Nacional dos Desportos foi fazer a confrontação das idades nas escolas dos atletas, tendo sido detectadas irregularidades em todas as modalidades, menos no ténis. Aos prevaricadores não houve outro remédio senão a sua exclusão, pois “temos que ser exemplares na transparência, independentemente de os outros países falsificarem as idades ou não”.

A partir de amanhã o movimento dos atletas participantes nesta competição lusófona começará a ser uma realidade em Maputo, com a chegada da delegação do Brasil. Os sul-americanos competirão em todas as modalidades, à excepção, paradoxalmente, daquela que constitui o seu cartão de visitas: o futebol. Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau e são Tomé e Príncipe viajam no mesmo voo e desembarcam no sábado; Portugal chega na próxima terça-feira e Timor-Leste, que apenas traz atletismo e ténis, é aguardado a qualquer momento.

O Ministério da Juventude e Desportos aposta no sucesso do evento, daí a preparação cuidadosa que vem sendo observada. Os locais de alojamento – hotéis VIP, Rovuma, Turismo, Tivoli e Cardoso – já estão à espera dos visitantes, enquanto os recintos de jogos – pavilhão e campo do Maxaquene, pavilhão do Desportivo, Parque dos Continuadores e “courts” do Jardim Tunduru – depois de terem beneficiado de alguma reabilitação, já estão em condições de receber as competições.

Neste aspecto, aliás, o único recinto ainda a ser aprimorado é o Parque dos Continuadores, somente no que diz respeito à pista, pois os balneários estão prontos. Para a pista, em particular, o material para a resselagem já se encontra entre nós, vindo de Portugal, esperando-se apenas que o técnico chegue para a sua montagem.

Mart Nöoij apresenta seus adjuntos à FMF


APESAR de a assinatura do vínculo contratual com a Federação Moçambicana de Futebol ter sido efectuada de forma discreta, o início de trabalho do novamente seleccionador nacional não será “às escondidas”. Mart Nöoij já sabe o que lhe espera pela frente e, vai daí, entrou em acção ontem com um encontro com o vice-presidente para Área das selecções, António Chambal, com quem começou a discutir o plano de trabalho dos “Mambas”. Mas, antes que isso aconteça, o técnico holandês deverá apresentar hoje à FMF a proposta dos seus dois adjuntos, e não três, como era sua pretensão.



Sem lhe impor, segundo António Chambal, a Federação avançou o nome de João Chissano, com o qual, em princípio, Mart Nöoij concorda. Aliás, ainda ontem ambos travaram uma primeira conversa de aproximação e, tendo em conta que o ex-técnico “canarinho” já havia manifestado interesse à FMF de abraçar o projecto da selecção, tudo leva a crer que concordaram em trabalhar juntos.

Outros nomes preferidos pelo holandês são os de Mano-Mano e Tico-Tico, este último, em virtude de não possuir formação como treinador, com possibilidade de seguir para um curso na Holanda. Quanto a Chababe, que chegou a ser conjecturado por Mart Nöoij, a sua indicação foi sumariamente rejeitada pela Federação, com quem tem um litígio a conhecer os seus trâmites no Ministério do Trabalho.

Da discussão com António Chambal, o seleccionador nacional ficou de apresentar o plano para os “Mambas”, que a 5 de Setembro iniciam a campanha de qualificação para o CAN Gabão/Guiné-Equatorial-2012, assim como um projecto específico para os Jogos Africanos de Maputo-2011, dado que a realização deste evento no nosso país terá implicações no calendário futebolístico do próximo ano, daí a necessidade da sua elaboração atempada.

Para as datas-FIFA deste ano, designadamente 11 de Agosto e 7 de Novembro, Mart Nöoij deverá também dar a conhecer as suas preferências em relação aos adversários a defrontar, embora a FMF tenha em mão convites do Egipto, Namíbia e Quénia, os três para jogar fora de portas.

Existe ainda um outro desafio dos “Mambas” a ser preparado: o da inauguração do Estádio Nacional do Zimpeto, em Dezembro, com a selecção a ser convidada ainda em estudo entre Federação e Ministério da Juventude e Desportos.

HÓQUEI EM PATINS-CAMPEONATO AFRICANO DE CLUBES-2010 - Represente moçambicano estreia-se frente à União


O ESTRELA Vermelha defronta hoje, a partir das 20.30 horas, a União de Joanesburgo, no Campeonato Africano de Clubes de Hóquei em Patins, que ontem arrancou em Pretória, África do Sul.



Os “alaranjados” partem para este duelo com um factor favorável do seu lado: a história quase cem porcento vitoriosa que têm sobre a equipa de Joanesburgo. É que nos quatro jogos realizados até então a equipa moçambicana venceu três e perdeu um. O que se pede justamente hoje é que se mantenha essa tendência vitoriosa e que os moçambicanos possam ter desde já motivos para sorrir.

A alteração do calendário, à última hora, fez com que o desafio frente à União de Joanesburgo fosse encarado com extrema importância e até visto como do tudo ou nada, se se atender que deste duelo sairá, ao que tudo indica, o segundo classificado, que a par do primeiro garante o acesso às meias-finais. A Académica de Luanda, campeã angolana, vista como a mais forte do grupo, é potencial favorita a liderar o Grupo “A”, que é também formando pelos sul-africanos do Invitation, tidos como os mais acessíveis.

Perante estes indicadores, um triunfo para a equipa “alaranjada” deixará quase que aberta a porta para as meias-finais.

Com a chegada ontem do último reforço ido do Maxaquene, Hélder Mateus (Boby), o colectivo ganhou mais coesão e confiança para atacar essa preciosa vitória.

O treino de adaptação realizado na manhã de ontem (10.30 horas) no pavilhão da ACP de Pretória serviu para perceber que o Estrela está disposto a salvar a honra moçambicana. O grupo mostrou-se integrado tacticamente e até fisicamente, tendo ficado patente um elevado espírito de entrega. Este facto ficou reflectido no desempenho de Boby, que tendo chegado por volta das 6.30 horas deu o máximo de si. É dentro deste espírito de sacrifício e entreajuda que os “alaranjados” pretendem atacar os três pontos.

O factor casa parece não preocupar os moçambicanos, até porque, por duas vezes, o Estrela venceu a União no pavilhão de Pretória e está disposto a voltar a fazer a festa.


CONHECIDO CINCO INICIAL




Justino Miguel, treinador da equipa, já divulgou o cinco que vai entrar de início. Trata-se de Afonso Quinze (guarda-redes); Sandro dos Santos e Arsénio Farranguane (defesas); Mercy Mungói e Neslon Miquessene (Mafambana).

É com esta equipa que o técnico pretende surpreender os sul-africanos nos primeiros minutos. Boby, que começará no banco, é uma aposta de peso para os golos.

Em relação à convocatória, o avançado Hélder Oliveira (João) ficou de fora dos dez para o embate da estreia.

Eis a lista dos dez convocados: Afonso Quinze (Afonsinho) e Juma Saúde (guarda-redes); Zé Cláudio, Arsénio Farranguane e Sandro dos Santos, (defesas); Hélder Mateus (Boby), Mercy Mungóí, Danilo Ibrahimo, Nelson Miquessene (Mafambana) e Nuno Canaveira (canaveira).

Ivo Tavares, em Pretória

HÓQUEI EM PATINS-CAMPEONATO AFRICANO DE CLUBES-2010 - Dignificar o país – segundo Justino Miguel, treinador do Estrela Vermelha


VAMOS lutar para dignificar o nome do país. Devemos encarar todos os jogos com o espírito de vitória”, Justino Miguel, treinador do Estrela Vermelha, lançado a receita para o sucesso.



O técnico chama à atenção para a união do grupo, frisando ser um aspecto preponderante para que os “alaranjados” possam alcançar bons resultados. “É muito importante que estejamos sempre unidos e mantenhamos a concentração. Em provas de alta competição o mínimo erro é fatal”.

Traçando os objectivos da equipa alaranjada para a competição, Justino Miguel coloca as meias-finais como uma meta primordial, mas não descarta a possibilidade de ir mais além.

O nosso principal objectivo é passar da fase de grupos, ou seja, transitarmos para as meias-finais. Estou convicto que temos equipa para atingir esse objectivo e até conseguirmos chegar à final. Mas para tal é necessário começarmos a vencer o primeiro jogo”.

Falando sobre o primeiro adversário, União de Joanesburgo, afirmou ser um adversário que merece todo o respeito. “Já tivemos por várias vezes a oportunidade de defrontar a União. Devo dizer que é uma equipa forte e devemos ter muita atenção nas suas movimentações. Mas acredito que podemos superá-la porque temos jogadores muito melhor dotados tecnicamente”.

Ivo Tavares, em Pretória

Jumisse e Pelembe assinam pelo Portimonense


OS futebolistas moçambicanos Jumisse, médio de 25 anos, e Hélder Pelembe, avançado de 22, rubricaram segunda-feira com o Portimonense um contrato válido para as próximas três épocas, noticiou ontem o jornal A BOLA.



Perspectivando a primeira aventura no futebol português, Jumisse congratula-se com o facto de “concretizar um sonho antigo”, daí estar “encantado com a oportunidade” que lhe foi concedida. “Vou mostrar as minhas qualidades, reconhecendo que não é fácil chegar ao topo, muito menos manter esse estatuto”, diz, afirmando estar preparado para a luta.

Com a ajuda dos meus colegas, espero adaptar-me rápido”, prevê o médio, que é um velho conhecido de Litos, que com ele trabalhou no Maxaquene. “É uma ajuda, embora a minha determinação seja fundamental para ajudar a equipa a alcançar os seus objectivos”, considera, prometendo que colocará em campo toda a sua raça: “sou muito agressivo, não gosto de perder um único lance e odeio perder jogos”.

Ferroviário de Nampula novo líder do Nampulense

O FERROVIÁRIO de Nampula já é o novo líder isolado do Campeonato Provincial de Futebol, “Nampulense-2010”, a uma jornada do término da primeira volta do certame, depois de há três rondas ter destronado o seu homónimo de Nacala, que desde o início da prova comandava a prova.



Na jornada do fim-de-semana os “locomotivas” de Nampula derrotaram por uma bola sem resposta o Sporting da mesma cidade, somando na tabela classificativa 31 pontos.

Na segunda posição está o ferroviário de Nacala com 24, depois de ter suplantado, na mesma ronda, a turma do Hospital Central de Nampula, com o mesmo resultado de 1-0. O Desportivo de Nacala, que se encontra na terceira posição com 20 pontos, empatou a zero com a equipa de Fut-Escola, que soma 10, seguido da EDM com menos um.

O Sporting continua com 16, mais um que a dupla Benfica de Nampula e Casa Issufo que, respectivamente, perdeu com Moçambique Futebol Clube da Ilha, por 0-1, e ganhou ao Sporting de Angoche, por 1-0.

Robinho e Wesley trocam socos


APESAR do técnico Dorival Júnior ter desmentido a notícia de uma briga entre Robinho e Wesley na concentração, o presidente do Santos, Luis Álvaro Ribeiro, confirmou segunda-feira que os jogadores desentenderam-se antes da partida com o Fluminense - o jogo terminou com vitória carioca na Vila Belmiro por 1-0.



Luís Álvaro, no entanto, não revelou detalhes do ocorrido. O desentendimento entre Robinho e Wesley teria começado após uma brincadeira “de troca de socos” na concentração. Contudo, a brincadeira “ficou séria” e os atletas desentenderam-se. O atacante teria chegado a quebrar o celular do lateral. E Wesley, para retaliar, quebrou o retrovisor do carro de Robinho.

É um episódio insignificante”, afirmou Luis Álvaro durante a apresentação de Keirrison, novo reforço do Santos, no CT Rei Pelé. “Tanto que vocês viram os dois atletas a jogarem juntos contra o Fluminense. O assunto não tem importância nenhuma na História do Santos. É um episódio que já foi superado pelos próprios jogadores”, completou.

Para o presidente, o clima no Santos é de amizade. “O Santos resgatou o espírito do futebol brasileiro. Num grupo de jovens, com adrenalina alta, é normal gostar de brincadeiras, e é normal que algumas não sejam bem aceites por um ou outro lado. Aqui somos todos bem unidos. Um joga pelo outro”.

Luís Álvaro descartou qualquer tipo de punição para Robinho e Wesley. De acordo com o presidente, o ocorrido já foi esquecido e não criará nenhum problema para o próximo jogo da equipa, nesta quarta-feira, diante do Atlético-PR, em Curitiba.

Unidos por uma língua!


Maputo será palco dos Jogos da CPLP.
A cerimónia de abertura terá lugar no dia 29 de Julho, no pavilhão do Maxaquene, com a realização do desfile das delegações participantes do certame.

Maputo será palco, de 29 de Julho a 7 de Agosto, da VII edição dos Jogos da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), prova que vai movimentar cerca de 700 atletas em representação de Moçambique, Angola, Portugal, Brasil, São Tomé, Cabo Verde e Guiné-Bissau. Timor Leste será convidado a participar na prova
.

O evento, que se espera uma verdadeira festa, vai movimentar as modalidades de andebol (pavilhão do Desportivo), futebol (campos de Maxaquene e Ferroviário da Baixa), basquetebol (pavilhão do Maxaquene), ténis (“courts” do Jardim Tunduro), vólei de praia (zona da Miramar), voleibol de sala e desporto adaptado (Escola Portuguesa).



O certame vai decorrer sob o lema: “Uma comunidade, uma língua, um mar de culturas”. Segundo Inácio Bernardo, director nacional dos Desportos, isto significa que “tentámos trazer aqui as várias diferenças que existem em termos de culturas e hábitos que estes países de expressão portuguesa têm. Mas, no fundo mesmo, havendo várias diferenças há uma língua que nos une”.

Bernardo lembrou ainda que o evento serve também como factor de promoção de Maputo e, por extensão, Moçambique, como sede dos Jogos Africanos de 2001. “Moçambique vai viver um dos momentos mais altos do desporto no que diz respeito aos jovens de 16 anos e isso é motivo de orgulho para o país inteiro. Vamos tentar proporcionar momentos de lazer aos participantes”, frisou. “Esta demanda”, ajuntou Inácio Bernardo, “acabará beneficiando os diversos segmentos da sociedade, pois vamos promover outras actividades paralelas”. Aliás, nos dias de descanso, os participantes vão visitar alguns locais históricos da capital do país. “Os jovens irão visitar os pontos turísticos, para além de estar prevista a sua participação em eventos culturais”.

Intercâmbio
O evento vai movimentar 1000 pessoas, entre atletas, oficiais, dirigentes, membros da organização e secretariado.

A partir do dia 22, começam a desembarcar, no país, as delegações participantes, sendo que o dia 28 será dia da chegada de maior número de países.

As delegações participantes estarão hospedadas na zona da baixa. Aliás, é nesta zona onde vão decorrer os jogos. Segundo os organizadores, os VII Jogos da CPLP poderão ser dos melhores da história.

A Direcção Nacional de Desportos apresentou já o programa das respectivas cerimónias de abertura e encerramento, bem como a calendarização, ao Conselho de Ministros. Nesta programação, há que destacar o início, esta semana, do funcionamento a tempo inteiro do secretariados dos jogos.

Outro dos aspectos é que já iniciou o processo de entrega de equipamentos com as tradicionais cores nacionais pelos fornecedores.

As selecções estão em diferentes estágios de preparação, sendo que o futebol está na Alemanha, a participar num torneio, enquanto o basquetebol está a competir num escalão superior para conferir rodagem.

O atletismo, esse, já tomou parte em provas regionais. As restantes modalidades também estão em ciclos preparatórios bem avançados, com a particularidade de a integração de atletas oriundos das outras províncias do país já ter sido feita com êxito, quer a nível desportivo, quer académico.

No tocante aos locais de acolhimento, está-se na fase terminal das pinturas, pois os trabalhos de melhoramento são mais para criação de comodidade, melhoria de apresentação, uma vez que todos os locais são de boa praticabilidade.

Tudo isso porque, apesar de ser um escalão de formação, as exigências são extremas tal como a nível da alta competição.

FMF “finta” jornalistas


No âmbito da assinatura do contrato entre a Federação Moçambicana de Futebol e o seleccionador nacional dos Mambas

24 horas depois de Mart Nooij haver desembarcado no Aeroporto Internacional de Mavalane, para rubricar um contrato válido por quatro anos, a Federação Moçambicana de Futebol convocou a imprensa para testemunhar o acto de assinatura.

Num comunicado de imprensa enviado à nossa redacção, a Federação Moçambicana de Futebol diz, e passamos a citar. “No âmbito da assinatura do contrato entre a Federação Moçambicana de Futebol e o seleccionador nacional dos Mambas, o senhor Mart Nooij, vimos por este meio convidar todos os órgãos de comunicação social para uma conferência de imprensa a ter lugar hoje, dia 19 de Julho de 2010, pelas 17h30, na sede da FMF
.” Porém, à hora marcada para a referida assinatura de contrato, somente o secretário-geral, Filipe Johane, se encontrava no local.

Sorteio do africano sub-18 de Egipto coloca Moçambique no Grupo-B


O Grupo-A é composto pelas selecções de Angola, Egipto, Tunísia, Senegal e Quénia.

O combinado nacional, em preparação desde o princípio do ano com vista ao Campeonato Africano de Basquetebol Sub-18 feminino, que será disputado de 29 de Julho a 8 de Agosto no Egipto, já conhece os seus adversários da primeira fase da competição.

O facto surge na sequência do sorteio realizado ontem no Mali, à margem do Congresso da FIBA-África, que ditou a integração de Moçambique no Grupo-B, juntamente com a República Democrática do Congo, Mali, Costa do Marfim e Nigéria. O Grupo-A é composto pelas selecções de Angola, Egipto, Tunísia, Senegal e Quénia.

Será a partir do confronto com estas adversárias que a equipa nacional vai fazer das “tripas o coração”, para concretizar o sonho de se classificar entre as melhores selecções de África sub-18 feminino.

Teoricamente não há nenhuma selecção adversária fora do nosso alcance, mas, naturalmente, haverá selecções que estarão no Cairo com equipas que jogam para o título. Também existirão selecções que serão adversárias mais acessíveis. Assim é fácil concluir que será nos prováveis confrontos com Mali, RD. Congo e Nigéria, que Moçambique deverá decidir a sua qualificação para a segunda fase do evento, pois estas vão cruzar seu caminho ainda na fase inaugural.

Crescêncio José

Soprotecção e Matolinhas seguem em frente




Liga Nacional de Basquetebol Vodacom-2010, denominada Ligilha
.

As equipas da Soprotecção de Quelimane, pela zona norte, e Matolinhas, pela zona sul, qualificaram-se no pretérito domingo para a fase seguinte da Liga Nacional de Basquetebol Vodacom-2010, denominada Ligilha, a decorrer a partir do dia 30 em local ainda por anunciar.

A equipa do Matolinhas ganhou as duas partidas realizadas no Pavilhão do Estrela Vermelha. Na primeira, venceu por 67-35 e, na segunda, por 61-39
.

Na zona norte, as três jornadas produziram os seguintes resultados: Soprotecção 89-62 Ferroviário de Nacala; Soprotecção 79-48 Universidade Pedagógica; e Ferroviário de Nacala 72 –62 Universidade Pedagógica.

Desportivo quase campeão


Campeonatos de Basquetebol da Cidade de Maputo em seniores.

O Desportivo manteve a sua supremacia e conservou a invencibilidade, no dérbi da jornada cinco do Campeonato de Basquetebol da Cidade de Maputo de seniores masculinos Série-A, ao derrotar o Ferroviário por uma margem de seis pontos (74-68).

Para a mesma ronda, o Costa do Sol triunfou diante do Maxaquene por uma diferença pontual de convincentes 25 pontos ( 67-42)
.

Com estes resultados, o Desportivo de Maputo é quase novo campeão da cidade de Maputo, pois, faltando apenas uma jornada para o fim, lidera com 10 pontos, seguido do Maxaquene com oito pontos. O Costa do Sol está na terceira posição, com sete pontos e o Ferroviário, na quarta, com cinco pontos em igual número de jogos.

Maxaquene lidera isolado em femininos

Está na hora de o Maxaquene provar que está apostado em recuperar uma equipa dominadora do basquetebol feminino na capital, depois de este ano ter feito algumas movimentações a nível da contratação de uma nova equipa técnica e, igualmente, novas jogadoras.

Jumisse e Hélder Pelembe poderão estrear-se diante do Ayamonte




Internacionais moçambicanos prometeram não defraudar as expectativas


O médio Jumisse e o avançado Hélder Pelembe chegaram domingo ao Algarve e já estão prontos para se apresentarem ao serviço do Portimonense. Porém, os adeptos do Portimonense só poderão ver os internacionais moçambicanos em acção esta terça-feira, à tarde, primeiro treino da equipa algarvia depois de dois dias de folga. Jumisse e Hélder Pelembe vão estrear-se, em princípio, no dia 28 de Julho, às 20h00, no embate entre o Portimonense e o Ayamonte CF, em Espanha.

Em conversa com o “O País”, momentos antes de seguirem a Portugal, os internacionais moçambicanos prometeram não defraudar as expectativas de quem deposita confiança em si. Por outro lado, ajuntaram os jogadores, esta transferência representa um sonho nas suas carreiras.

Estou bastante satisfeito. Isso significa muito trabalho e empenho. Não vou decepcionar as pessoas que acreditam em mim”, frisou Jumisse. O médio-ofensivo referiu ainda que “esta é uma oportunidade para os moçambicanos mostrarem que existem bons jogadores no país”.

Mesmo sem haver avançado os valores envolvidos na sua transferência, o jogador, que fez testes no Supersport United, disse estar satisfeito com as condições que o clube de Portimão oferece. “Até agora estou satisfeito. Não posso dar muitos detalhes sobre os números, mas garanto que estou satisfeito”, assegurou.

Já Hélder Pelembe, avançado de 22 anos, disse que, “para mim, este é um acontecimento muito positivo. Espero ter sucesso quando lá chegar. Jogar e marcar muitos golos”. Mais adiante, Pelembe referiu: “Representar o Portimonense significa novas oportunidades na vida. Espero que seja, de facto, um trampolim”.


Portimonense goleia cardiff


O Portimonense somou, no passado sábado, vitória gorda diante dos britânicos do Cardiff, por 3-0, em jogo de preparação realizado em Ferreiras.

Líbia contrata técnico brasileiro


À atenção dos Mambas.

A Federação Líbia de Futebol (FLF) assinou, segunda- feira, em Tripoli, um contrato de quatro anos com o brasileiro Marcos Bakita para treinar a equipa nacional de futebol.

O contrato condiciona a sua continuação ao desempenho do novo seleccionador durante as eliminatórias para as fases finais do Campeonato Africano das Nações (CAN) de 2012 e o Mundial de 2014. Falando na cerimónia de assinatura do contrato, o técnico brasileiro declarou que o futebol líbio dispõe de jovens talentos que evoluem principalmente na selecção olímpica
.

Ele convidou a FLF e o departamento de formação e treino a apoiá-lo com os seus esforços na sua nova missão que qualificou “difícil”. Bakita, de 52 anos de idade, começou a sua carreira de treinador em 1987, dirigindo várias equipas brasileiras, incluindo as selecções nacionais de sub- 17 e de Sub-20.

Treinou igualmente a equipa saudita de Al-Hilal e a selecção nacional da Arábia Saudita, bem como as equipas de Al-Gharrafa e Ar-Rayan do Qatar.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

MOÇAMBOLA-2010 - Fome “canarinha” deu em fartura


POR vezes, o assim-assim que tem estado a caracterizar a carreira “canarinha” resulta em desfechos francamente surpreendentes. Depois de a formação do zimbabweano David Mandigora ter derrotado o líder Ferroviário de Maputo por 3-1 e, a seguir, afastado da Taça de Moçambique a Liga Muçulmana, mercê do triunfo por uma bola sem resposta, agora foi a vez de, categoricamente, vencer a HCB de Songo por 4-0, com David, compatriota do treinador, a fazer um “hat trick”, depois de Josimar ter aberto o marcador.



Foi uma tarde extraordinariamente rica para o Costa do Sol, pois a fome de golos que tinha acabou resultando em fartura e fazer com que a equipa subisse alguns degraus na tabela classificativa, embora a questão do título seja uma miragem há já muito tempo, pois dificilmente pode superar os 16 pontos de vantagem em relação ao comandante da prova.

Apesar de tudo, um facto digno de registo: os “canarinhos”, curiosamente, em curto espaço de tempo ganharam a três equipas do topo da tabela, mesmo considerando que diante da turma de Artur Semedo foi para uma outra competição. No início da segunda volta do Moçambola-2010, a 14ª jornada, vincou a superioridade do Ferroviário de Maputo, Liga Muçulmana e Maxaquene a jogarem na condição de visitantes.

Os campeões nacionais bateram o Vilankulo FC por 2-1, os “muçulmanos” foram a Soalpo derrotar o Textáfrica por uma bola sem resposta, o mesmo resultado conseguido pelos “tricolores” no Estádio 25 de Junho, em Nampula, face ao Ferroviário de Pemba. Enquanto na Beira o Sporting local também primou pela fartura, na capital do país, Desportivo e Matchedje preferiram os serviços mínimos.

Os “leões” golearam o Atlético Muçulmano por 4-1 e, pelo mesmo “score” de 1-0, os “alvi-negros” e “militares” venceram FC Lichinga e Ferroviário da Beira, respectivamente. Ferroviário de Maputo mantém o comando e a margem de dois pontos (33-31) em relação à Liga Muçulmana, que vai na segunda posição.

A seguir, Maxaquene é o novo terceiro classificado com 25 pontos, vindo depois HCB de Songo com 24, Desportivo 20, Sporting da Beira e Matchedje 19, Ferroviário da Beira 18, Costa do Sol e Vilankulo FC 17, Textáfrica 15, FC Lichinga 11, Atlético Muçulmano 10 e Ferroviário de Pemba oito pontos. Na 15ª jornada, as atenções estarão viradas para o sempre aliciante “derby” entre Maxaquene e Desportivo, marcado para sábado, enquanto no domingo se realizam os embates Ferroviário de Maputo-Textáfrica, Liga Muçulmana-Matchedje, Ferroviário da Beira-Ferroviário de Pemba, FC Lichinga-Sporting, Atlético Muçulmano-Costa do Sol e HCB-Vilankulo FC.

MOÇAMBOLA-2010 - Costa do Sol, 4-HCB, 0: HCB sem energia


À PARTIDA esperava-se por um jogo difícil para os “canarinhos”, apesar do seu bom momento de forma, após a entrada de David Mandigora, que revolucionou por completo a equipa. A HCB de Songo não conseguiu colocar em campo argumentos que pudessem contrariar a estrutura demolidora que o adversário apresentou logo no pontapé de saída.



Isso foi evidente no primeiro ataque digno de realce protagonizado pelos “canarinhos”, com Josimar a iniciar uma jogada e ver um brinde da defesa, tendo a bola escapado para o seu pé esquerdo, responsável por inaugurar o marcador, aos três minutos. Antes de o esférico transpor a linha final, ainda tocou na base do poste da baliza de Chico.

Quando a formação do Songo procurava despertar do susto, o Costa do Sol aumentou o caudal ofensivo, e Calima escorregou a 30 metros da sua baliza, colocando a mão à bola. Num livre bem estudado, Payó atrasou para David se aproveitar da inoperância da barreira para fazer o 2-0, quando decorria o sexto minuto.

O jogo esmoreceu porque o Costa do Sol abrandou o seu ritmo e a HCB não encontrou antídoto para contrariar o que estava a acontecer naquele piso sintético. Os pupilos de Mussá Osman não conseguiram engendrar uma única jogada de perigo que merecesse a redução no resultado e, como corolário, os donos da casa acreditaram que podiam acelerar ainda mais.

Perto do minuto 38, Gomes, Josimar e Nelsinho fizeram uma triangulação que resultou no toque de David, em habilidade, para o terceiro golo. A partir daí, foram dissipadas as dúvidas de quem seria o vencedor.

A HCB entrou na segunda parte algo diminuída em termos anímicos e permitiu que o seu oponente continuasse a mandar no jogo, e não espantou a ninguém que, com a manutenção do volume de jogo do Costa do Sol surgisse o quarto golo. Estavam decorridos 56 minutos quando, uma vez mais, o avançado zimbabweano David agradeceu uma oferta da defesa contrária e marcou o quarto golo para a sua equipa e terceiro para a sua conta pessoal.

Sem arte nem engenho, a HCB foi aceitando a sua inferioridade diante de um Costa do Sol que mostra estar disposto a fazer uma extraordinária recuperação na segunda volta do campeonato.

A arbitragem de Bernardino dos Santos não sofre qualquer reparo. Nota positiva.

FICHA TÉCNICA


Árbitro: Bernardino dos Santos, auxiliado por Luís Fortunato e Daniel Calavete. Quarto árbitro: Arlindo Silvano;

COSTA DO SOL – Antoninho; João Mazive, Manuelito, Kito e Nelsinho; Samito, Payó, Escuro e Josimar (Diogo); Gomes (Marrufo) e David (Ruben);

HCB – Chico; Danito Nhampossa (Victor), Elísio, Mucuapene e Calima; Maninho (Danga), Ngoni, Marlon e Henry (Zuma); Gito e Mavó;

Acção disciplinar: cartão amarelo para Calima.

Joca Estêvão

MOÇAMBOLA-2010 - Matchedje, 1-Fer. Beira, 0: Vitória veio do banco


NUMA má propaganda de futebol, tendo como protagonistas Matchedje e Ferroviário da Beira, sobretudo na primeira parte, em que nada saiu bem a ambos os conjuntos, acabou ganhado a equipa que em momentos cruciais demonstrou ter mais frieza. Nesse capítulo, os “militares” foram superiores, já que conseguiram materializar em golo uma das jogadas de ataque, com Tchotchó a lançar Jojó e este, perante a saída de Chapepa, introduzir a bola na baliza beirense. O técnico Nacir Armando acabou acertando ao fazer entrar Jojó, visto que foi dos seus pés que surgiu o precioso tento, à passagem dos 80 minutos.



O Matchedje chegou à vantagem numa altura que tinha o controlo do jogo. Aliás, após uma primeira parte de péssimo futebol, a segunda ganhou ritmo e interesse. As entradas de Zacarias, do Matchedje, e de Burramo, do Ferroviário, para além de Jojó, ofereceram dinamismo à contenda. Burramo, umas das unidades mais esclarecidas em campo e quanto a nós a melhor unidade beirense, foi protagonista do lance que deu o penalte aos “locomotivas”, ainda nos primeiros minutos da segunda parte. Num lance de contra-ataque, driblou Zacarias, obrigando-o a fazer falta dentro da grande área. Só que Tokelo, chamado a marcar, rematou ao poste.

Na resposta, Tchotchó chegou a introduzir a bola na baliza, mas o árbitro Ribeiro Manuel anulou o golo prontamente, alegando fora-de-jogo. Os “militares” cresceram na partida e dispuseram de duas boas oportunidades para marcar, primeiro por Leonel e depois por Jacinto.

A avaliar pela produção dos comandados de Nacir Armando na segunda parte, a vitória acabou sendo bem entregue, embora os pupilos de Alex Alves não tenham nunca desistido de lutar pelo empate. Mesmo em cima dos 90 minutos, Burramo foi protagonista do lance que poderia ter valido um ponto aos beirenses.

O árbitro Ribeiro Manuel realizou um bom trabalho.

FICHA TÉCNICA


Árbitro: Ribeiro Manuel, auxiliado por Arsénio Marrengula e Júlio Muianga. Quarto árbitro: João Armando.

MATCJEDJE – Zacarias; Matofe, Nhabanga, Cufa e Vasco; West (Jojó), Tchotchó, Julinho (Jacinto) e Gregório (João); Perry e Leonel;

FER. BEIRA – Chapepa; Ninito, Gildo, Nené e Mupoga; Edson, Óscar (Timbe), Gervásio e Victor (Degato); Jerry (Burramo) e Tokelo;

Acção disciplinar
: cartão amarelo para Tchotchó.

Ivo Tavares

MOÇAMBOLA-2010 - Vilankulo FC, –1 Ferroviário, 2: A ferro e fogo



O FERROVIÁRIO teve que vestir fato-macaco para arrancar a vitória em Vilankulo. Uma vitória bastante suada, dada a réplica que os donos da casa ofereceram, principalmente nos últimos cinco minutos, nos quais encurralaram os líderes do Moçambola no seu meio-campo.



O primeiro golo chegou a cinco minutos do final da primeira parte, através de Luís, a concluir uma jogada iniciada por Mendes. Nessa altura, o Vilankulo nem estava a jogar mal. Aliás, foi a primeira equipa que tentou chegar com perigo à baliza de Mohamed, que por duas vezes teve que se empregar a fundo para evitar o golo.

Em desvantagem, os visitados não acusaram o facto e procuraram confundir o seu oponente, através de triangulações, tentando perfurações pelas alas. Todavia, todas estas investidas esbarravam na defesa “locomotiva”, superiormente comandada por Jotamo.

Na segunda parte, Chiquinho Conde não dormiu na sombra da bananeira e continuou bastante interactivo, incentivando a sua rapaziada a procurar mais golos. Os frutos não tardaram a chegar, quando Imo silenciou a falange caseira ao elevar a contagem para 2-0.

Inconformado com o resultado, Flin mexeu no seu xadrez, com a entrada de Calton e Titos, dois pontas-de-lança que trouxeram mais frescura nas manobras ofensivas, tendo o tento de honra surgido aos 85 minutos, por intermédio de Sergito, outra unidade lançada por Flin no segundo tempo, numa altura em que o sufoco junto à baliza de Mohamed era uma realidade.

Ainad Ussene realizou um bom trabalho.

FICHA TÉCNICA

Árbitro: Ainad Ussene, auxiliado por Francisco Machel e Bento Chengernao. Quarto árbitro: José Maria Rachide;

VILANKULO FC
– Fumo; Joe, Mambucho, Tcharles e Bila; Félio, Adino, Gonçalves (Sergito) e Bila; Edgar (Titos) e Mac (Calton);

FER. MAPUTO – Mohamed; Jotamo, Tony, Kiki e Zabula; Mendes (Jair), Danito Parruque, Imo e Momed Hagy; Luís (Jerry) e Ítalo (Sonito);

Acção disciplinar
: cartão amarelo para Tony, Zabula, Mendes e Edgar.

Golos: 0-1, Luís (40 m); 0-2, Imo (71 m); 1-2, Sergito (85 m).

Victorino Xavier

MOÇAMBOLA 2010 - Fer. Pemba, 0-Maxaquene, 1: Valeu pelo golo


A VERDADE deve ser dita: quem ontem se deslocou ao Estádio 25 de Junho terá dado o seu tempo por perdido, isto em função do mau espectáculo que Ferroviário de Pemba e Maxaquene protagonizaram. Assistiu-se a um desafio pobre, com os jogadores a não se aplicarem, pelo menos ao longo da primeira parte.



Porém, entrou melhor a equipa visitante que, aos 18 minutos, se adiantou no marcador, por intermédio de Tony, que aproveitou da melhor maneira uma confusão na grande área contrária. A perder e na zona da despromoção, exigia-se ou esperava-se mais empenho dos “locomotivas”, mas nada lhes saía bem, facto que irritava os adeptos.

Na segunda parte, os pembenses surgiram com uma disposição mais ofensiva e tiveram algumas oportunidades de chegar ao empate, mas faltava concentração na hora da verdade. Um desses lances foi protagonizado por Babugy, ao 51 minutos, a não conseguir fazer o golo com a baliza completamente escancarada.

Com uma turma visitada perdulária, coube aos” tricolores” gerir o resultado que lhe era favorável.


FICHA TÉCNICA


Árbitro
: António Amiltone, auxiliado por João Paulo e Nelsa Abílio.

FER. PEMBA
– Bony; Inácio, Franco, Marito e Abdala; Babugy, Hermínio (Cachimo), Fido e Maduro; Julinho e Troy (Dulá);

MAXAQUENE
– Soarito; Campira, Gabito, Vasil e Eusébio; Kito (Amide), Eládio (Eboh), Alvarito e Macamito; Manuel (Nelsinho) e Tony.

Acção disciplinar: cartão amarelo para Campira e Nelsinho.

MOUZINHO DE ALBUQUERQUE

MOÇAMBOLA 2010 - Desportivo, 1-FC Lichinga, 0: Tico-Tico, pois claro…


APESAR de ter desperdiçado várias oportunidades flagrantes, Tico-Tico acabou por evitar mais um revés dos “alvi-negros”, claramente carentes de golos. O antigo capitão dos “Mambas” assinou o tento vitorioso aos 72 minutos, numa partida em que se esperava um Desportivo demolidor e a aproveitar os problemas administrativos que se vivem no FC Lichinga, só que tal acabou não acontecendo.



Aliás, nos primeiros minutos da contenda os visitantes foram mais ousados, dando a sensação de que, apesar das vicissitudes por que passam, estavam no campo do 1º de Maio com a disposição de vencer. O Desportivo enfrentou algumas dificuldades na linha intermediária, situação que fez com que Tico-Tico e Jojó estivessem sem qualquer apoio no ataque.

Apesar de tudo, os “alvi-negros”, paulatinamente, foram crescendo e aparecer com alguma frequência junto à baliza contrária, porém, sempre a faltar o instinto matador para concluir chances susceptíveis de golo. O FC Lichinga respondia sempre que pudesse, mas sem muita consistência, permitindo que o Desportivo dominasse os acontecimentos.

O segundo tempo da partida é marcado pela expulsão do guarda-redes Valério, que até então vinha sendo o responsável pelo nulo. O “keeper” lichinguense sai da área e agarra o esférico, tendo o árbitro Amosse Lázaro lhe mostrado o cartão amarelo. No entanto, o quarto homem da equipa de arbitragem, João Armando, experiente e conhecedor da matéria, chamou o seu colega para lhe dizer que, naquela situação, o cartão devia ser o vermelho. E assim foi, tendo o FC Lichinga passado a jogar com 10 unidades a partir dos 66 minutos.

A ocasião foi bem aproveitada pelos “alvi-negros”, pois, aos 72 minutos, num cruzamento pela direita, a defesa não consegue segurar Tico-Tico, que surge isolado à frente de Jorge – guarda-redes de recurso, já que estavam esgotadas as substituições – para marcar o golo da vitória da sua equipa.

À excepção do lance do cartão vermelho, bem corrigida por João Armando, o árbitro esteve bem.

FICHA TÉCNICA

Árbitro: Amosse Lázaro, assistido por Mário Albino e Ivo Francisco. Quarto árbitro: Aníbal Armando;

DESPORTIVO – Gervásio; Monino (Áureo), Baúte, Zainadine Jr. e César Bento; Nelinho, Cândido, Dino (Tchitcho) e Isac (Abílio); Jojó e Tico-Tico;

FC LICHINGA – Valério; Hagy, Lamek, Sadik (Jorge) e Paíto; Nando (Cássimo), Bâbai, Maninho e Fedo; Paúnde e Skaba (Kikito);

Acção disciplinar: cartão amarelo para Sadik, Lamek e Bâbai. Vermelho para Valério.

Ferroviário e Liga continuam em “louca” perseguição




Moçambola-2010 à passagem da décima quarta jornada.

O Ferroviário de Maputo e a Liga Muçulmana continuam numa perseguição “louca”. No pretérito fim-de-semana, venceram todos à tangente, respectivamente, 2-1 diante do Vilankulo FC, em Inhambane, e 1-0 ao Textáfrica, em Manica.

Os “locomotivas” de Maputo reforçaram a liderança e já somam 33 pontos, mais dois que os “muçulmanos”. O HCB de Songo, por seu turno, atrasou-se um pouco na luta pelo título, depois de ter sido goleado pelo Costa do Sol por 4-0. Neste momento, soma os mesmos 24 pontos alcançados na primeira volta.

A 14ª jornada trouxe a confirmação de três candidaturas sólidas (Ferroviário de Maputo, Liga Muçulmana e Maxaquene) ao título. Por outro lado, oficializou a presença do Costa do Sol no segundo pelotão, o que luta pela melhor classificação e sonha com posições do pódio. A sentença ficou traçada no sábado, quando o Costa do Sol voltou às vitórias gordas e pôs fim à série de alternância do bom e sofrível da equipa de David Mandigore.

A exibição até deslumbrou e, ainda, confirmou em toda a linha que a solidez e a segurança são os principais traços de identidade dos “canarinhos” que, gradualmente, vão aproximando-se do que na história sempre escreveram. Já o Ferroviário de Maputo, mantendo de entrada um ritmo implacável, o líder anulava a margem de erro da concorrência, especialmente a da Liga Muçulmana que, em caso de deslize, seria o principal beneficiado.

Apesar de ter tremido, cenário próprio de competitividade, a veia goleadora de Luís, o oportunismo de Imo e a boa prestação dos restantes colegas devolveram estabilidade ao campeão.

Do ponto de vista de emoção e espectacularidade, os jogos grandes do fim-de-semana aconteceram no Desportivo de Maputo vs FC Lichinga e no Textáfrica vs Liga Muçulmana, nos quais os “alvi-negros” e os “muçulmanos” deitaram para trás das costas mais uma tradição recente, a dos resultados negativos.

Crescêncio José

Um “maquinista” chamado Mohamed




Afinal, o que o Vilankulo FC quer?” Esta pergunta pertence a Mohamed, guarda redes do Ferroviário do Maputo, feita em forma de uma canção entoada no interior da viatura na saída da sua equipa, depois de uma vitória sofrida de 1 a 2 frente ao Vilankulo FC. A pergunta era também respondida em forma de coro pelos colegas, com destaque para o capitão Jotamo, Mendes e Ítalo. “Nada”, respondiam os pupilos de Chiquinho Conde, comemorando a vitória que sacaram a ferro e fogo naquela tarde de sábado em Vilankulo.

Mohamad poderá ter sido o melhor “maquinista” da “locomotiva”, principalmente nos últimos cinco minutos da partida, quando a equipa local lutava por um empate, depois de reduzir a desvantagem por intermédio de Sergito, que acabara de entrar para o jogo.

O keeper do Ferroviário defendeu todos os mísseis que eram lançados de todos os cantos num assédio à sua baliza. Os pupilos do Flin estavam espevitados pelo golo e, aos 87 minutos, forçaram o empate que acabou não acontecendo. Mohamed, cansado do sufoco pelos “mísseis terra-ar até pelo mar” dos atacantes de Vilankulo, decidiu atirar ao solo e ficou sete minutos sob observância da equipa médica dos “locomotivas” da capital.

O tempo foi compensado e o guarda-redes não gostou da atitude do árbitro, ao ponto de, no fim da partida, se ter dirigido à equipa da arbitragem para pedir contas e, graças à intervenção do treinador Chiquinho Conde, de Lourenço, da direcção do Ferroviário e do capitão Jotamo, Mohamed não concretizou os seus intentos.

Para descarregar a sua fúria, num misto de grande satisfação pela vitória, Mohamed comandou a orquestra que, no interior da viatura, foi vibrando em direcção a hotel. “Afinal, Vilankulo FC quer o quê?” “Nada”, respondiam os colegas de Mohamed.

O jogo foi caracterizado por entrega total de todos os intervenientes. Chiquinho Conde não se deixou embalar no título que ainda ostenta e a liderança do campeonato. Escalou para este jogo os principais artistas do clube, apenas Jerry é que começou o jogo no banco, tendo entrado já no tempo em que se geria o 1 a 2.

Por seu turno, o Vilankulo FC não queria sofrer a cabazada de quatro bolas sem resposta, sofrida no piso sintético da Machava. Discutiu taco a taco o jogo e chegou a superiorizar-se em alguns momentos.

Para além de Gonçalves, homem chamado para meio campo para tapar o lugar de Jossias, não convocado por indisciplina, bem como de José Cumbe, outro jogador em vias de expulsão em Vilankulo, Flin entrou com Adino para o meio campo, para onde também foram escalados Félio e Belo.

Diana Rita, em Vilankulo

“Canários” imperiais!


Moçambola-2010 à passagem da décima quarta jornada.

Os “canarinhos” partiram para esta partida com o objectivo de apagar a pálida imagem deixada na primeira volta, em que perderam com o HCB por 2-0.

A equipa “canarinha” assumiu, desde cedo, as despesas do jogo. Perante a enorme pressão exercida pelo Costa do Sol, a resistência dos visitantes durou apenas três minutos. O médio ofensivo Josimar, depois de receber um passe de David na zona central do meio campo contrário, galgou terreno e desferiu um remate do meio da rua, batendo o guarda-redes Chico. Era um a zero favorável ao Costa do Sol.

Não satisfeito com o resultado, o HCB de Songo partiu em busca do empate, mas encontrava muitas dificuldades para transpor a defensiva do Costa do Sol. Os “canarinhos”, donos e senhores do jogo, pressionaram o adversário que não se encontrava em jogo. E, na sequência dessa pressão, num lance rápido de contra-ataque, Josimar tenta passar por dois contrários, deixando um deles no chão e este acabou jogando a bola com a mão.

O árbitro da partida, Bernardino dos Santos, marcou falta contra o HCB na zona central da baliza.

Na cobrança do livre, Payó fez um toque subtil para David que desferiu um portentoso remate para o 2-0, estavam jogados apenas oito minutos.

Daí em diante, assistiu-se a um verdadeiro banho de futebol protagonizado pelos “canarinhos” que, num sistema de 4x4x2, baralhavam por completo a estrutura do HCB, com destaque para Josimar, Escuro, David, Payó que eram verdadeiros mestres do meio campo.

Hélder Pelembe e Jumisse já estão em Portugal


Os internacionais moçambicanos levam na bagagem o sonho de singrarem no futebol profissional português que esperam.

Hélder Pelembe, avançado do Maxaquene, e Jumisse, médio-ofensivo da Liga Muçulmana, deixaram sábado a cidade de Maputo com destino ao Algarve, Portugal, para rubricarem contrato válido por três temporadas com o Portimonense, conjunto que este ano ascendeu à Liga Sagres.

Os internacionais moçambicanos levam na bagagem o sonho de singrarem no futebol profissional português que esperam, de resto, venha a servir de trampolim para outras ligas.

Pelembe e Jumisse foram indicados por Litos, técnico com quem trabalharam na temporada 2009 no Maxaquene. Litos, na altura, ficou impressionado com as qualidades dos internacionais moçambicanos, tendo, por isso, recomendado à direcção do clube de Portimão à contratação destes.

“Militares” bloqueiam “Locomotivas” do Chiveve


O Ferroviário da Beira procurou controlar o encontro nos instantes iniciais.

Numa partida bastante pobre e com poucos lances dignos de destaque, o Ferroviário da Beira procurou controlar o encontro nos instantes iniciais.

O Matchedje chegou com perigo à baliza contrária, aos 26 minutos, numa jogada em que Pery ganhou espaço na direita e rematou para o alívio da defensiva. Na sobra, Tchotchó rematou para cima.

Na resposta, aos 33 minutos, Tokelo fez uma incursão pelo corredor direito, mas o seu remate não teve enquadramento com a baliza de Zacarias.

Aos 43 minutos, na sequência de um canto na esquerda, a bola sobrou para Jerry e este chutou rasteiro, tendo válido a atenção de Cufa, que evitou o pior.

No primeiro minuto da segunda parte, os visitantes partiram em ataque rápido através de Timbe, que é derrubado na grande área por Cufa. O árbitro da partida, Ribeiro Manuel, não hesitou em apontar para a marca de grande penalidade.

Chamado a cobrar o castigo máximo, Tokelo rematou para o fundo das malhas, mas o árbitro invalidou o lance. Na repetição, Tokelo chutou para fora.

Sporting bate Lyon (2-0) na apresentação aos sócios




Perante cerca de 25 mil espectadores

O Sporting venceu na noite de ontem o Lyon (2-0) no jogo de apresentação aos sócios.

Perante cerca de 25 mil espectadores, a equipa de Paulo Sérgio cedo colocou-se em vantagem: marcou Tonel aos três minutos, após livre batido por Valdés.

No dia em que foi anunciado que Anderson Polga seria o capitão de equipa, os “leões” mostraram um esboço do que poderão vir a fazer na nova época. Com Pongolle e Vukcevic na frente, apoiados de perto por Valdés, coube a Maniche o papel de organizador do jogo.

E se é verdade que na primeira parte o Lyon, que fazia em Alvalade a sua segunda partida na época, conseguiu dividir o jogo e criar mais oportunidades de golo, já na segunda, e apesar das inúmeras substituições feitas por Paulo Sérgio, foram dos “leões” as melhores oportunidades para marcar.

Mart Nooij chegou e hoje assina contrato


DEFINITIVAMENTE, Mart Nooij vai ao fim da tarde de hoje assinar um novo contrato com a Federação Moçambicana de Futebol, reassumindo, desse modo, o cargo de seleccionador nacional. O técnico holandês chegou ontem e foi recebido por algumas dezenas de pessoas no Aeroporto Internacional de Maputo, visivelmente satisfeitas com o seu regresso ao comando dos “Mambas”.



Tal como foi acordo em devido tempo, o contrato será rubricado pelo Secretário-Geral da FMF, Filipe Johane, na presença dos vice-presidentes António Chambal e Baptista Bonzo. O presidente Feizal Sidat encontra-se na Alemanha a chefiar os “Mambinhas” Sub-17, convidados para aquele país pela Federação de Futebol da Baviera.

Tendo em conta as eliminatórias para o CAN Gabão/Guiné-Equatorial-2012, em que a turma moçambicana defronta a 5 de Setembro, no Estádio da Machava, a selecção da Líbia, estão programados alguns jogos amigáveis, de entre os quais a 11 de Agosto, data-FIFA, diante do Egipto, no Cairo, ou da Namíbia, em Windhoek.